Blog do Rafael Reis

Larissa Riquelme aposenta decote e vira “recatada e do lar” no México
Comentários 20

Rafael Reis

Um celular espremido entre seios fartos, um generoso decote que deixa muito pouco para a imaginação e uma calça justíssima, daquelas que deixam as curvas bem à mostra. É essa a imagem que o mundo futebol tem de Larissa Riquelme.

Mas, sete anos depois de ser considerada a musa da Copa-2010, fazer fama global e tirar a roupa para revistas brasileiras e programas de TV na Argentina, a modelo paraguaia até parece outra pessoa.

Uma rápida visita à sua conta no Instagram deixa isso bem claro. Seus 424 mil seguidores têm acesso a algumas fotos dos seus sobrinhos, muitas imagens românticas ao lado de seu marido, inúmeras publicações patrocinadas de marcas de roupas, calçados, doces e bebidas. E só.

Há mais de um ano, Larissa não posta sequer uma foto que possa ser classificada como sensual na rede social. Nada de decotes vertiginosos, biquínis mínimos ou mesmo caras e bocas. Uma mudança e tanto para quem se acostumou a ganhar a vida exibindo o corpo.

Aos 32 anos, a modelo tem adotado uma linha mais “recatada e do lar” desde que se mudou no ano passado para o México para morar com o atacante argentino naturalizado paraguaio Jonathan Fabbro, que atua no Chiapas.

Entre idas e vindas, rompimentos públicos e acusações de traição, o casal está junto há cerca de cinco anos e está prestes a se casar. Em 2016, Larissa chegou a ficar grávida do atacante, mas perdeu o filho apenas duas semanas depois de descobrir a gestação.

Após de mudar para o México, a modelo deixou de lado a carreira de apresentadora do “Teleshow”, um programa de auditório da TV paraguaia, e também as fotos e performances sensuais que fizeram sua fama.

Atualmente, até participa eventualmente como convidada de alguns programas de televisão, mas normalmente para falar de futebol e de sua relação com Fabbro.

E foi por causa do marido que Larissa topou abandonar por um instante sua nova imagem de “recatada” no mês passado. Em entrevista ao canal de TV Univision, a modelo prometeu fazer um strip-tease e ficar nua ao lado de Fabbro caso o Chiapas chegue à final do Campeonato Mexicano.

A aposta de Larissa, no entanto, é praticamente um blefe. Isso porque o clube que seu marido defende foi o time de pior campanha do Torneio Apertura, o primeiro turno do Mexicano, no segundo semestre do ano passado, e ocupa apenas a 12ª colocação do Clausura. Ou seja, sua luta é contra o rebaixamento, não por título.


Mais de Cidadãos do Mundo

Revelações: 7 garotos que conquistaram o futebol europeu nesta temporada
Por onde andam os jogadores do Atlético Nacional campeão da Libertadores?
Quarentões da Libertadores jogam na linha e são ''donos'' de times
Messi se isola na liderança da Chuteira de Ouro; CR7 entra no top 10


Quem foi Jorge Wilstermann, que dá nome a rival do Palmeiras nesta quarta?
Comentários 2

Rafael Reis

Após estrear com empate contra o Atlético Tucumán, na Argentina, o Palmeiras busca nesta quarta-feira sua primeira vitória na Taça Libertadores da América-2017. Seu adversário é o Jorge Wilstermann.

Não, esse não é o nome do zagueiro ou do goleiro que tentarão impedir os gols do atual campeão brasileiro. Jorge Wilstermann não é nenhum dos jogadores do elenco boliviano, mas sim, o nome do clube que está no Grupo 5 da competição sul-americana.

Mas, quem foi Jorge Wilstermann? Deve ter sido alguém importante, certo? Afinal, o clube ao qual ele empresta nome tem nada menos do que 13 títulos bolivianos – só Bolívar e The Strongest levantaram mais troféus.

Engana-se quem pensa que Jorge foi um político influente de Cochabamba ou mesmo o dirigente responsável pela fundação do clube.

Nascido em abril de 1910, Jorge Wilstermann Camacho era filho de um mecânico que se tornou o primeiro piloto comercial de aviões da história da Bolívia. Apesar de civil, ele se destacou durante a Guerra do Chaco, contra o Paraguai, quando cumpriu mais de 700 mil quilômetros de voo.

Uma tragédia fez com que Jorge fosse imortalizado. Em 1936, quando tinha apenas 25 anos, um acidente com o avião que ele pilotava rumo a Oruro provocou a morte de 13 pessoas. Entre elas, estava o piloto.

Enterrado com pompa, Wilstermann foi homenageado pela LAB (Lloyd Aéreo Boliviano), para quem trabalhava, e passou a dar a nome para o aeroporto de Cochabamba. O mesmo aconteceu com o clube onde os funcionários da empresa praticavam esportes.

O Club Deportivo LAB, agora renomeado como Jorge Wisterlmann, cresceu, deixou de ser apenas uma agremiação de funcionários da aviação, tornou-se uma das forças do futebol boliviano e eternizou o nome do piloto.

Nesta Libertadores, o time dirigido pelo técnico peruano Roberto Mosquera conta com um velho conhecido da torcida brasileira: o zagueiro Alex Silva, 32, tricampeão nacional pelo São Paulo entre 2006 e 2008 e com passagem pela seleção.

A estreia dos bolivianos na competição sul-americana não poderia ter sido melhor: goleada por 6 a 2 sobre o Peñarol, do Uruguai. O atacante Gabriel Ríos marcou duas vezes, mas acabou expulso e não enfrenta o Palmeiras.


Mais de Clubes

– Arena multiuso? Conheça o estádio que fica no teto de um shopping center
– Não é só Rooney: China ainda tem 9 vagas abertas para estrangeiros
– Igreja Católica é dona da poderosa Juventus de Turim? Verdade ou boato?
– Dependência? Como o Real ''ignora'' a seca de gols de CR7 na Champions


Quem é o brasileiro mais bem classificado na Chuteira de Ouro?
Comentários 1

Rafael Reis

Sem vencer a Chuteira de Ouro há 15 anos, o futebol brasileiro enfim emplacou um representante entre os 20 maiores artilheiros das ligas nacionais da temporada 2016/17 do futebol europeu.

Com os dois gols marcados na vitória sobre o Arouca, na sexta-feira, o atacante Tiquinho Soares, do Porto, chegou a 16 gols no Campeonato Português e 32 pontos no ranking do prêmio.

O desempenho coloca o brasileiro, que até janeiro defendia o Vitória de Guimarães e vem sendo chamado pela imprensa portuguesa de “novo Hulk”, na 20ª colocação da Chuteira de Ouro, logo atrás do francês Alexandre Lacazette (Lyon) e à frente do astro sueco Zlatan Ibrahimovic (Manchester United).

O último brasileiro a conquistar o prêmio concedido ao artilheiro máximo das ligas nacionais europeias foi Jardel. Em 2002, o ex-centroavante de Vasco, Grêmio e Palmeiras marcou 42 vezes pelo Sporting no Português e levou o troféu para casa.

Na atual temporada, os brasileiros passaram boa parte do tempo fora, inclusive, das 50 primeiras colocações do ranking dos goleadores. Até que Tiquinho chegou ao Porto, emendou seis rodadas consecutivas balançando as redes e colocou o país no top 20.

O atacante, no entanto, ainda tá muito longe de Lionel Messi. Apesar de ter passado em branco contra o Deportivo La Coruña, o argentino do Barcelona continua na liderança do prêmio.

O camisa 10 do clube catalão soma 46 pontos (23 gols), dois a mais que o italiano Andrea Belotti (Torino), o holandês Bas Dost (Sporting) e o gabonês Pierre-Emerick Aubameyang (Borussia Dortmund), seus oponentes mais próximos.

Melhor jogador do mundo e maior vencedor da história do prêmio (2007/08, 2010/11, 2013/14 e 2014/15), Cristiano Ronaldo perdeu seu lugar no top 10. O português do Real Madrid caiu para 13º, com 38 pontos.

O atual vencedor da Chuteira de Ouro é Luis Suárez, do Barcelona, que somou 80 pontos (40 gols) na última temporada. Nesta edição, o uruguaio tem 40 pontos e ocupa o oitavo lugar.

O “Blog do Rafael Reis” publica a cada terça-feira uma nova parcial do prêmio.

Confira o top 10 da Chuteira de Ouro

1º – Lionel Messi (ARG, Barcelona) – 46 pontos (23 gols)
2º – Andrea Belotti (ITA, Torino) – 44 pontos (22 gols)
3º – Bas Dost (HOL, Sporting) – 44 pontos (22 gols)
4º – Pierre-Emerick Aubameyang (GAB, Borussia Dortmund) – 44 pontos (22 gols)
5º – Robert Lewandowski (POL, Bayern de Munique) – 42 pontos (21 gols)
6º – Edinson Cavani (URU, Paris Saint-Germain) – 40,5 pontos (27 gols)
7º – Edin Dzeko (BOS, Roma) – 40 pontos (20 gols)
8º – Luis Suárez (URU, Barcelona) – 40 pontos (20 gols)
9º – Mauro Icardi (ARG, Inter de Milão) – 40 pontos (20 gols)
10º – Anthony Modeste (FRA, Colônia) – 38 pontos (19 gols)


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– 5 motivos que fizeram Ganso virar a ''última opção'' no Sevilla
– Neymar supera Messi e produz 1 gol a cada 47 minutos na Champions
Com ex-São Paulo, Libertadores tem 6 brasileiros em times gringos; conheça
– Brasileiros na China somam 290 partidas e 53 gols pela seleção


5 motivos que fizeram Ganso virar a “última opção” no Sevilla
Comentários 22

Rafael Reis

Sessenta e nove dias sem entrar em campo. Treze partidas consecutivas sentado no banco de reservas ou, pior, ficando fora até mesmo da relação de jogadores convocados para ir ao estádio.

Uma das principais contratações do Sevilla para a temporada 2016/17, o meia Paulo Henrique Ganso, 27, praticamente naufragou em seu primeiro ano no futebol europeu.

E, se depender do seu histórico recente, é pouco provável que o brasileiro receba uma nova chance nesta terça-feira, quando o time espanhol visita o Leicester por vaga nas quartas de final da Liga dos Campeões.

Mas por que Ganso virou a última opção do técnico Jorge Sampaoli para o meio-campo do Sevilla? Apontamos abaixo cinco razões para o fiasco do ex-jogador de Santos e São Paulo na Espanha.

1 – MARCA-PASSO
Se a intenção de Sampaoli era que Ganso virasse o coração do meio-campo do Sevilla e ditasse o ritmo do time, o treinador teria de ir atrás de um marca-passo. Segundo o ''Who Scored?'', site especializado em estatísticas, o brasileiro é dos jogadores do elenco andaluz que menos tocam na bola. No Campeonato Espanhol, ele dá em média 28,3 passes por partida. Nasri e Vitolo, dois dos titulares da sua posição, distribuem 68,8 e 38,9 passes, respectivamente.

2 – PODER DE FOGO
Ganso ficou em campo por 644 minutos com o Sevilla nesta temporada e marcou apenas um gol, contra o Formentera, da quarta divisão, em confronto pela Copa do Rei. Ainda que não seja um artilheiro nato, é pouco para um jogador que atua do meio para frente. Além do gol, Ganso deu mais três assistências para seus companheiros marcarem.

3 – JOGA ONDE?
Apesar de ter sido escalado apenas 12 vezes por Sampaoli, Ganso foi utilizado em quatro funções diferentes nesta temporada. O brasileiro atuou como segundo volante, meia ofensivo central e também aberto pelos lados direito e esquerdo do meio-campo. Como não conseguiu se fixar em nenhuma delas, perdeu espaço no elenco.

4 – SHOW DE HORRORES
A última partida de Ganso pelo Sevilla, em 4 de janeiro, não poderia ter sido pior. Escalado como titular contra o Real Madrid, pela Copa do Rei, passou os primeiros 45 minutos de jogo perdido e sem ver a cor da bola. A derrota por 3 a 0 ainda na primeira etapa e sua atuação desastrosa fizeram com que ele fosse substituído no intervalo… substituído para não voltar mais ao time.

5 – VONTADE
“É uma decisão dele mesmo ficar fora dos relacionados. Quando ele decidir mudar, será impossível ficar fora”. A bronca pública foi dada pelo próprio Sampaoli, em fevereiro, quando foi questionado por jornalistas sobre o motivo de Ganso não ter sido relacionado para o confronto de ida com o Leicester. Depois do puxão de orelhas, o brasileiro voltou pelo menos a ficar no banco de reservas em algumas partidas do Sevilla.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– Neymar supera Messi e produz 1 gol a cada 47 minutos na Champions
Com ex-São Paulo, Libertadores tem 6 brasileiros em times gringos; conheça
– Brasileiros na China somam 290 partidas e 53 gols pela seleção
– ''Futuro goleiro da seleção'', ex-Santos só jogou uma vez nos últimos 2 anos


Revelações: 7 garotos que conquistaram o futebol europeu nesta temporada
Comentários 1

Rafael Reis

Até algum tempo atrás, eles eram pouco conhecidos no mundo da bola e ainda não sabiam bem o quão longe poderiam chegar através do futebol.

Mas os primeiros sete meses da temporada 2016/17 transformaram radicalmente esse cenário. Esses garotos deixaram de ser simples apostas para se tornarem as novas sensações do futebol europeu e os objetos de desejo dos clubes mais poderosos do mundo.

Conheça abaixo as sete principais revelações da temporada europeia e os motivos pelos quais todo o mundo anda de olhos bem abertos nesses meninos.

KYLIAN MBAPPÉ
Atacante
Francês
Monaco (FRA)
18 anos

Não é à toa que esse garoto de origem camaronesa vem sendo chamado de novo Thierry Henry. O atacante já destronou dois recordes que pertenciam ao antigo ídolo do Arsenal e da seleção francesa: os de jogador do Monaco mais jovem a estrear (16 anos, 11 meses e 12 dias) pelo time principal e a balançar as redes (17 anos e 2 meses). Na partida de ida do confronto de oitavas de final com o Manchester City, Mbappé marcou seu primeiro gol na Liga dos Campeões. Arsenal, City e Manchester United já admitiram ter interesse no garoto francês.

THOMAS LEMAR
Meia
Francês
Monaco (FRA)
21 anos

Outra revelação do empolgante líder do Campeonato Francês que está na mira do futebol inglês, deve receber propostas na casa de 34 milhões de euros (R$ 115 milhões) de Chelsea e Manchester City. Fã de Andrés Iniesta, o meia nascido em Guadalupe tem estilo semelhante ao do veterano ídolo do Barcelona. Lemar estreou pela seleção francesa principal em novembro, no amistoso contra Costa do Marfim.

ANDREA BELOTTI
Atacante
Italiano
Torino (ITA)
23 anos

Não são muitos os atacantes capazes de marcar 22 gols nas primeiras 27 rodadas de um campeonato tão duro quanto o Italiano. Ainda mais, atuando por um clube que não é dos mais fortes do país… e com apenas 23 anos. Andrea Belotti quer ser o segundo jogador do Torino a conquistar a artilharia do Calcio nos últimos 39 anos. A vaga de titular da seleção italiana, ele já tem. E, se depender de Pep Guardiola, a camisa do Manchester City está prestes a chegar em sua casa.

MATTIA CALDARA
Zagueiro
Italiano
Atalanta (ITA)
22 anos

Uma das razões pelas quais a Atalanta é a sensação do futebol italiano nesta temporada e briga por classificação para as competições europeias, o zagueiro é fruto das categorias de base do clube de Bergamo, uma das mais produtivas do país. O brilho de Caldara no segundo semestre de 2016 foi rapidamente notado pela Juventus, que pagou em janeiro 15 milhões de euros (R$ 51 milhões) para contar com o jogador a partir de 2018.

CHRISTIAN PULISIC
Meia-atacante
Norte-americano
Borussia Dortmund (ALE)
18 anos

Estrangeiro mais jovem a balanças as redes no Campeonato Alemão e jogador mais novo a marcar pela seleção dos EUA na era moderna, esse descendente de croatas está acostumado a quebrar recordes. Apesar de ter estreado na equipe principal do Borussia Dortmund ainda na temporada passada, foi nesta que Pulisic se tornou uma peça importante no elenco de Thomas Tuchel. Jürgen Klopp, seu antigo chefe na Alemanha, morre de vontade de leva-lo para o Liverpool.

ANDRÉ SILVA
Atacante
Português
Porto (POR)
21 anos

Cristiano Ronaldo passou a carreira toda no aguardo de um companheiro de ataque de alto nível na seleção portuguesa. Agora, aos 32 anos, a espera parece estar finalmente chegando ao fim. André Silva apareceu como um fenômeno no Porto. Em sua primeira temporada integral no elenco principal, já marcou 20 gols. Convocado pela primeira vez para a seleção em setembro, já marcou quatro vezes em cinco jogos com a camisa da campeã europeia.

YOURI TIELEMANS
Meia
Belga
Anderlecht (BEL)
19 anos

Já faz tempo que o meia é apontado como a próxima grande revelação da Bélgica. Mas, quatro anos depois de estrear ainda adolescente no Anderlecht, Tielemans parece ter dado o passo definitivo para começar a deixar de ser um jogador “para o futuro”. Apesar de não ser um  homem de ataque, o garoto acumula incríveis 17 gols e 10 assistências nesta temporada. Com a Bélgica ficando demais para ele, a transferência para o exterior é só uma questão de tempo. O Arsenal surge atualmente como seu destino mais provável.


Mais de Cidadãos do Mundo

Por onde andam os jogadores do Atlético Nacional campeão da Libertadores?
Quarentões da Libertadores jogam na linha e são ''donos'' de times
Messi se isola na liderança da Chuteira de Ouro; CR7 entra no top 10
5 nomes para você e seu clube prestarem atenção na Libertadores


Arena multiuso? Conheça o estádio que fica no teto de um shopping center
Comentários 11

Rafael Reis

O torcedor que sair de casa para assistir a uma partida do FK Vozdovac, nono colocado do Campeonato Sérvio, pode aproveitar para jantar, fazer compras, repor a dispensa e até mesmo curtir um cineminha.

Não, o Bojan Matic Stadium não é uma dessas inúmeras arenas multiusos que viraram febre no mundo todo e trazem algumas opões de restaurante, museu, além da loja oficial do clube e pontos de venda dos seus patrocinadores.

O estádio, inaugurado há quatro anos, vai muito além na ideia de ser um centro de compras. Sua localização é a mesma de um dos maiores shopping centers da região de Belgrado, a capital sérvia.

A arena para 5.200 torcedores fica dentro do Stadion Shooping Centre…. Na verdade, dentro é só uma forma de dizer: ela fica literalmente no teto do shopping.

A construção toda tem cerca de 75 mil quadrados. São dois andares de estacionamento subterrâneo, três de estabelecimentos comerciais, que incluem lojas dos mais variados segmentos, um supermercado, salão de cabelereiros, agências de banco, praça de alimentação, opções de entretenimento e, lá em cima, um estádio com grama artificial.

O Bojan Matic Stadium foi originalmente inaugurado em 1912 e foi utilizado por 99 anos até ser demolido para a construção do shopping e do novo estádio na mesma área.

As obras para duraram dois anos e custaram aproximadamente 22 milhões de euros (cerca de R$ 74 milhões).

Com 115 anos de existência, o FK Vozdovac é um dos clubes mais tradicionais da Sérvia, mas passou a maior parte de sua histórias brigando nas divisões inferiores do futebol da Iugoslávia. Tanto que jamais se sagrou campeão nacional.

A equipe está na primeira divisão sérvia desde 2013. Na última temporada, acabou na sétima colocação.

Como possui certificação da Uefa, o estádio que fica no teto de um shopping center de Vozdovac está apto a receber partidas de competições europeias. O duro é o dono da casa conseguir se classificar para uma delas.


Mais de Clubes

– Não é só Rooney: China ainda tem 9 vagas abertas para estrangeiros
– Igreja Católica é dona da poderosa Juventus de Turim? Verdade ou boato?
– Dependência? Como o Real ''ignora'' a seca de gols de CR7 na Champions
– River tem elenco mais caro da Libertadores; Brasil põe 6 times no top 10


Após feito, Barça vira favorito a título da Champions nas casas de apostas
Comentários 1

Rafael Reis

A histórica goleada por 6 a 1 do Barcelona sobre o Paris Saint-Germain e a épica classificação do time catalão para as quartas de final da Liga dos Campeões da Europa provocaram uma reviravolta no mercado de apostas do futebol.

A equipe de Messi, Neymar e Luis Suárez, que vinha sendo considerada carta fora do baralho pelos apostadores, transformou-se depois da última quarta-feira na favorita para conquistar o título europeu, de acordo com as avaliações das casas de apostas mais conhecidas do mundo.

A “Betfair” é uma das casas que colocam o Barça como o mais provável vencedor da Champions nesta temporada.

O site, que, durante a partida contra o PSG, chegou a oferecer 701 euros a cada um apostado no título do clube catalão, rebaixou drasticamente a cotação do Barça. Agora, quem confiar seu dinheiro na equipe de Luis Enrique receberá apenas 3,75 euros por euro apostado caso os espanhóis levantem a taça.

Bayern de Munique (4,33 euros) e Real Madrid (6,50 euros) são o segundo e terceiro favoritos, respectivamente, de acordo com a “Betfair”.

A avaliação é semelhante à feita pela “Bet365”. A agência de apostas também considera o Barcelona como o mais provável campeão europeu da temporada 2016/17 e paga 3,65 euros de recompensa por euro apostado caso esse resultado se concretize.

Bayern (4,20 euros), Real Madrid (6,00), Juventus (10,00 euros), Atlético de Madri (12 euros) e Borussia Dortmund (12 euros) aparecem na sequência na lista dos favoritos à taça.

Se quem apostar agora no Barcelona não tem muitas chances de levar um bom dinheiro para casa, aqueles apostadores que se mantiveram fiéis a Messi, Neymar e cia têm motivos de sobra para sorrir.

De acordo com o jornal catalão “Sport”, um alemão de Munique faturou 16 mil euros (R$ 53,7 mil) por acertar os placares dos dois jogos da Champions na quarta-feira: Barcelona 6 x 1 PSG e Borussia Dortmund 4 x 0 Benfica. O valor de sua aposta foi de 20 euros (R$ 67).

Um outro apostador da Alemanha foi além. Apostou 1,58 euro (R$ 5,30) em três resultados diferentes: Barça 6 x 1 PSG, Arsenal 1 x 5 Bayern e Napoli 1 x 3 Real Madrid. Acertou todos e levou para casa cerca de 100 mil euros (R$ 336 mil).


Mais de Cidadãos do Mundo

Por onde andam os jogadores do Atlético Nacional campeão da Libertadores?
Quarentões da Libertadores jogam na linha e são ''donos'' de times
Messi se isola na liderança da Chuteira de Ouro; CR7 entra no top 10
5 nomes para você e seu clube prestarem atenção na Libertadores


Na nova Libertadores, brilhar na fase de grupos é armadilha para clubes
Comentários 13

Rafael Reis

Começar bem uma competição é sempre bom, já que enche os jogadores de confiança, faz com que os torcedores se sintam motivados a ir ao estádio e coloca aquele medo extra nos adversários, certo?

Na maioria das competições, é assim mesmo que funciona. Mas, na Libertadores-2017, brilhar demais logo no início do torneio pode acabar se tornando um problema.

A ampliação no período de disputa da principal competição interclubes da América do Sul, que agora terá a final jogada apenas em novembro, fará com que ela atravesse as janelas de transferências do meio do ano da Europa e da China.

Não precisa ser nenhum Nostradamus para saber que os clubes sul-americanos não passarão ilesos por esses períodos de transações e sofrerão sim desfalques em seus elencos para o segundo semestre.

E quem serão os times mais atingidos pela cobiça dos mercados mais ricos? Justamente aqueles que mais estiverem se destacando e apresentando melhor futebol na Libertadores, é claro.

No ano passado, a bola da vez da janela de transferências foi o Atlético Nacional. O clube colombiano negociou dois dos seus principais jogadores para o futebol europeu. No entanto, Davinson Sánchez e Marlos Moreno ainda puderam jogar a final da Libertadores porque ela foi disputada em julho, antes do início da temporada no Velho Continente.

Mas agora, com o novo calendário, os clubes europeus não poderão mais esperar. A janela de transferências da Europa (e também da China) abrirá após encerramento da fase de grupos da Libertadores e fechará depois das oitavas de final.

E, por isso, destacar-se na etapa de grupos pode acabar sendo uma armadilha capaz de afastar um time da briga pelo título continental, no fim do ano.

Vamos supor que o empate contra o Atlético Tucumán seja o único tropeço do Palmeiras no Grupo 5 e que o atual campeão brasileiro emende nas próximas rodadas grandes atuações. Nesse cenário, quais as chances de jogadores como Tchê Tchê, Borja e Mina continuarem no clube no segundo semestre e disputarem a reta final da Libertadores?

E no caso do Flamengo: será que Diego, Willian Arão e Berrío não receberão propostas milionárias irrecusáveis da Europa e/ou da China caso atuações como a da estreia contra o San Lorenzo se repitam?

O mesmo vale para Luan, Vitor Bueno e tantos outros jogadores espalhados pelos oito representantes brasileiros na Libertadores-2017.

Por isso, se você não gostou da atuação do seu time na primeira rodada do torneio sul-americano, não se desespere. Talvez seja melhor assim. O importante, por enquanto, é passar de fase. E guardar o bom futebol para a reta final, depois que as janelas de transferências fecharem.


Mais de Opinião

– Quem será o substituto de Gabriel Jesus na seleção?
– Será que chegou a hora de David Luiz voltar à seleção?
– Mesmo sem escândalos, “nova” Fifa faz tudo para desagradar
Por que a China não fez outra “limpa” nos clubes brasileiros?


Neymar supera Messi e produz 1 gol a cada 47 minutos na Champions
Comentários 7

Rafael Reis

Herói da épica classificação do Barcelona para as quartas de final da Liga dos Campeões da Europa, Neymar ostenta uma marca impressionante na competição interclubes mais badalada do planeta.

O brasileiro, protagonista da goleada por 6 a 1 sobre o Paris Saint-Germain, quarta-feira, no Camp Nou, produz um gol a cada 47 minutos e 27 segundos de futebol nesta edição da Champions.

Na prática, isso significa que ter Neymar em campo rende ao Barcelona um gol em cada tempo de jogo do torneio continental.

O camisa 11 já marcou quatro vezes nesta temporada da Champions, lidera o ranking de passes para os companheiros balançarem as redes, com oito assistências, e ainda sofreu um pênalti que foi convertido.

O brasileiro participou diretamente de 13 gols durante os 617 minutos que ficou em campo.

O desempenho de Neymar na competição mais importante da temporada supera até mesmo o da principal estrela do Barcelona, Lionel Messi.

O camisa 10 argentino também teve ação direta em 13 gols no campeonato europeu. Mas suas 11 bolas nas rede e duas assistências aconteceram em um pouco mais de tempo, 630 minutos.

Ou seja, na Champions, Messi precisa de 48 minutos e 27 segundos para criar um gol, um minuto a mais do que seu companheiro de ataque.

O outro homem do trio ofensivo do Barcelona tem números bem mais modestos na Liga dos Campeões. Luis Suárez, três gols, duas assistências e dois pênaltis sofridos, produz um gol a cada 90 minutos no torneio.

Na virada histórica contra o PSG, que colocou o clube espanhol nas quartas da Champions, Neymar participou diretamente de quatro dos seis gols catalães.

O brasileiro marcou um gol de falta, outro de pênalti, sofreu a penalidade convertida por Messi e, já no último minuto da partida, foi o responsável pelo cruzamento para Sergi Roberto decretar a classificação.

A atuação de Neymar foi celebrada pelos principais jornais esportivos da Espanha. O “Sport” o chamou de homem “mais perigoso do ataque do Barcelona” e o “Mundo Deportivo” classificou a apresentação como a “coroação” do brasileiro.

Já o “Marca” e o “As” adotaram o mesmo tom. Para as duas publicações, a goleada foi histórica não apenas por uma virada de placar jamais vista na Champions, mas porque marca o início da passagem de bastão de Messi para Neymar.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Com ex-São Paulo, Libertadores tem 6 brasileiros em times gringos; conheça
– Brasileiros na China somam 290 partidas e 53 gols pela seleção
– ''Futuro goleiro da seleção'', ex-Santos só jogou uma vez nos últimos 2 anos
– Herói santista e ''nômade'' são os únicos brasileiros artilheiros na Europa


Por onde andam os jogadores do Atlético Nacional campeão da Libertadores?
Comentários 1

Rafael Reis

No dia 27 de julho do ano passado, o Atlético Nacional derrotou o equatoriano Independiente del Valle, em Medellín, e conquistou seu segundo título da Libertadores, o terceiro da história do futebol colombiano.

Sete meses depois, muita coisa mudou no estádio Atanasio Girardot. Alguns dos principais nomes daquela equipe hoje vestem camisas de clubes brasileiros. Outros encaram agora o desafio de se firmarem na Europa.

Além disso, o Nacional virou um clube especial no coração do torcedor brasileiro depois de ceder à Chapecoense o título da Copa Sul-Americana do ano passado em virtude do acidente aéreo que matou boa parte do elenco catarinense.

Mas, por onde andam, os jogadores que recolocaram durante 2016 o Atlético Nacional no mapa do futebol mundial. Mostramos abaixo os paradeiros dos atletas campeões da última edição da Libertadores.

POR ONDE ANDA – ATLÉTICO NACIONAL DE 2016?

Franco Armani (30 anos), Daniel Bocanegra (29 anos), Alexis Henríquez (34 anos), Farid Díaz (33 anos), Macnelly Torres (32 anos) – Cinco titulares da decisão da última Libertadores continuam no Atlético Nacional: um goleiro, dois laterais, um zagueiro e um meio-campista. Em comum entre eles, a idade elevada que dificulta o interesse de clubes de mercados mais endinheirados.

Davinson Sánchez (20 anos) – Um dos nomes mais promissores do elenco campeão sul-americano, o zagueiro recusou o Barcelona B para disputar o Campeonato Holandês pelo Ajax. O colombiano é titular absoluto da equipe de Amsterdã e não deve ficar muito tempo por lá. Uma nova proposta do Barça, mas desta vez para jogar no time principal, é algo bastante provável.

Alejandro Guerra (31 anos) – Eleito o melhor jogador da última Libertadores, o meia venezuelano enfrentou problemas físicos que minaram seu desempenho no segundo semestre. Uma das principais contratações do Palmeiras para 2017, ainda está em fase de adaptação ao futebol brasileiro.

Alexander Mejía (28 anos) – O volante disputou a Libertadores emprestado ao Atlético Nacional. Após a competição, ele nem retornou ao Monterrey, clube que detinha seus direitos econômicos. Mejía foi repassado diretamente ao León, atual último colocado do Campeonato Mexicano.

Orlando Berrío (26 anos) Autor do gol colombiano na primeira partida da decisão da Libertadores, permaneceu no Atlético Nacional até o fim do ano e depois foi negociado com o Flamengo. Dono de uma velocidade acima do comum, caiu rapidamente nas graças da maior torcida do Brasil.

Marlos Moreno (20 anos) A principal revelação da última Libertadores chegou à seleção colombiana, encantou Pep Guardiola e acabou negociado com o Manchester City. Emprestado ao La Coruña para se adaptar ao futebol europeu, sofreu uma grave lesão de tornozelo e está sem jogar desde janeiro.

Miguel Borja (24 anos) – Apesar de só ter disputado as quatro últimas partidas da Libertadores, acabou sendo o herói do título. Autor do gol da vitória sobre o Independiente del Valle, na decisão da competição continental, foi contratado com status de craque pelo Palmeiras no início do ano. É a maior esperança de gols do atual campeão brasileiro para 2017.

Jonathan Copete (29 anos) – Titular do Atlético Nacional durante a maior parte da Libertadores, não disputou a reta final da competição porque se transferiu para o Santos no meio do ano passado. Atacante especialista no lado esquerdo do campo, fez oito gols no último Campeonato Brasileiro.

Sebastián Pérez (23 anos) – Outro jogador importante que perdeu a decisão. O volante, que tem feito parte das convocações da seleção desde o início do ano passado, transferiu-se em agosto para o Boca Juniors. Pérez, no entanto, pouco jogou na Argentina. Irritado com o banco, já falou mais de uma vez que pretende deixar o clube.

Reinaldo Rueda (59 anos) – Ex-comandante das seleções colombiana, hondurenha e equatoriana, o treinador precisou reinventar a equipe no segundo semestre de 2016 e conseguiu levar o Atlético Nacional à final da Copa Sul-Americana. Agora, tem o desafio de fazer uma nova reestruturação no time de Medellín para mantê-lo competitivo internacionalmente.


Mais de Cidadãos do Mundo

Quarentões da Libertadores jogam na linha e são ''donos'' de times
Messi se isola na liderança da Chuteira de Ouro; CR7 entra no top 10
5 nomes para você e seu clube prestarem atenção na Libertadores
5 brasileiros, 5 argentinos: os 10 jogadores mais caros da Libertadores