Blog do Rafael Reis

Arquivo : bayern

Econômico, Bayern montou time titular com 68% do preço de Neymar
Comentários Comente

Rafael Reis

O Bayern de Munique tem 27 títulos alemães, cinco Liga dos Campeões da Europa, o rótulo de um dos clubes mais vitoriosos do planeta e um time titular que custou menos de 70% do valor de Neymar.

Adversário do Paris Saint-Germain na segunda rodada da fase de grupos da Champions, o clube alemão tem uma política financeira completamente diferente da do rival desta quarta-feira.

Enquanto o PSG não tem vergonha nenhuma de abrir os cofres e oferecer valores astronômicos para atrair grandes jogadores para seu projeto, o Bayern tem um comportamento bem mais austero.

Os alemães não são afeitos a milionárias transferências. Seus reforços costumam chegar aos poucos, pinçados de times menores ou contratados sem custo no final do seus contratos, para se juntar a uma base já devidamente experimentada.

A prova disso é que os 11 titulares escalados pelo técnico italiano Carlo Ancelotti na última apresentação do Bayern custaram aos cofres do clube alemão apenas 68% dos 222 milhões de euros (R$ 826,5 milhões) que o PSG desembolsou na última janela de transferências por Neymar.

Para ter Ulreich, Kimmich, Hummels, Boateng, Rafinha, Vidal, Rudy, Robben, Müller, Ribéry e Lewandowski, os jogadores que começaram jogando no empate por 2 a 2 com o Wolfsburg, na sexta-feira, os alemães gastaram “somente” 152 milhões de euros (R$ 565 milhões).

Mesmo que outros jogadores mais caros do elenco fossem utilizados, como o goleiro Manuel Neuer, que está machucado, e o meia Thiago Alcántara, o valor da equipe titular dificilmente chegaria ao custo do astro brasileiro da equipe francesa.

Um outro dado mostra bem as diferenças de filosofia entre os adversários desta quarta. O meia francês Corentin Tolisso, tirado do Lyon em julho, é o reforço mais caro do Bayern em todos os tempos e custou 41,5 milhões de euros (R$ 154,5 milhões). O valor equivale apenas à oitava maior contratação da história do PSG.

No mês passado, o presidente do time bávaro fez questão de deixar bem claro que a estratégia da equipe alemã não é a mesma dos franceses. Em entrevista à revista “Sport Bild”, Karl-Heinz Rummenigge, alfinetou os adversários ao lembrar que Neymar custou mais que seu estádio, a Allianz Arena.

“O Bayern tem que representar outra filosofia. Não queremos entrar nessa loucura nem tampouco podemos. E está bom que assim seja. Creio que a opinião pública e nossos torcedores entendem.”

Mas, mesmo dentro do Bayern, a ideia de gastar pouco com reforços não é uma unanimidade. Preocupado com o início de temporada conturbado do time (é apenas o terceiro colocado no Alemão), o centroavante Robert Lewandowski afirmou no início do mês que o clube deveria ter uma política mais agressiva no mercado.

“O Bayern deve fazer um esforço para trazer craques. Se quer continuar a ser competitivo, precisa de qualidade. Fizemos negócios com valores que não condizem ao mercado de alto nível”, disse o polonês, para a revista “Der Spiegel”.

Rummenigge não gostou das declarações do seu camisa 9 e deu um puxão de orelhas público em Lewandowski. Afinal, o Bayern tem um time titular que custou menos de 70% do valor de Neymar e se orgulha demais disso.

QUANTO CUSTARAM OS TITULARES DO BAYERN?
Sven Ulreich – 3,5 milhões de euros
Joshua Kimmich – 8,5 milhões de euros
Mats Hummels – 35 milhões de euros
Jérôme Boateng – 13,5 milhões de euros
Rafinha – 5,5 milhões de euros
Arturo Vidal – 37 milhões de euros
Sebastian Rudy – sem custo
Arjen Robben – 24 milhões de euros
Thomas Müller – categorias de base
Franck Ribéry – 25 milhões de euros
Robert Lewandowski – sem custo
TOTAL: 152 milhões de euros


Mais de Clubes

– Nem Neymar, nem Cavani: Melhores batedores de pênalti do PSG estão no banco
– Você se lembra da última partida em que o Real Madrid não fez gol?
– Por quer o México atrai jogadores famosos da Europa, e o Brasil, não?
– Elencos da Champions valem R$ 35 bilhões; conheça os 10 times mais caros


Qual a origem da cicatriz no rosto de Ribéry?
Comentários Comente

Rafael Reis

Imagem: Christian Charisius/Reuters

“Tenho orgulho da minha cicatriz. Ela me deu força e forjou meu caráter. Você precisa aprender a ser mentalmente forte para resistir às ridicularizações feitas pelas crianças e aos olhares dos adultos.”

É assim que o meia-atacante Franck Ribéry, 34 anos, costuma falar sobre a enorme marca que exibe no lado direito de sua face e que lhe rendeu no futebol o apelido de “Scarface”, em referência ao filme protagonizado por Al Pacino em 1983.

Mas, afinal, qual é a origem da cicatriz que o craque francês do Bayern de Munique carrega no rosto?

Ribéry sofreu um grave acidente de carro quando tinha apenas dois anos, em Boulogne-sur-Mer, sua cidade natal. O veículo onde estava com sua família colidiu com um caminhão, e o garoto foi lançado do banco de trás em direção ao para-brisas.

A batida não lhe deixou nenhuma sequela grave. No entanto, os mais de 100 pontos que os médicos deram em sua face nunca sumiram completamente e deram origem a cicatriz que o craque do Bayern aprendeu a amar.

A amar? Sim. Sempre que é questionado sobre o tema, o francês faz questão de lembrar que o bullying que sofreu na escola e os olhares tortos que o acompanham até hoje devido à marca na face só lhe ajudaram a se tornar o homem que é atualmente.

“De certa forma, esse acidente me ajudou. Foi algo que me motivou quando criança. Deus me deu essa diferença. As cicatrizes são parte de mim, e as pessoas precisam me aceitar do jeito que sou”, afirmou no livro “The Football Men: Up Close with the Giants of the Modern Game”, publicado em 2011 pelo jornalista inglês Simon Kuper.

Imagem: Christophe Ena/AP

E o mundo do futebol aceita (e admira) Ribéry há 17 anos. O meia-atacante começou a carreira como profissional em 2000, pelo Boulogne, e passou por Alès, Brest, Metz, Galatasaray e Olympique de Marselha até chegar ao Bayern, dez anos atrás.

Em uma década de Bayern, acumula 361 partidas, 112 gols, 174 assistências, sete títulos alemães, uma Liga dos Campeões da Europa e a indicação para o prêmio de melhor jogador do mundo de 2013 –ficou na terceira colocação, atrás de Messi e Cristiano Ronaldo.

Pela seleção francesa, jogou 81 partidas, balançou as redes 16 vezes e participou de duas Copas do Mundo (2006 e 2010). Em 2014, perdeu o Mundial devido a uma lesão nas costas e anunciou que não gostaria mais de ser convocado, posição que mantém até hoje.

“Sou assim. Este é meu rosto, o único que as pessoas conhecem. Sou feliz com ele. Por que não deveria?”


Mais de Cidadãos do Mundo

Lembra do Osio? 6 jogadores europeus que atuaram no futebol brasileiro
Tem até ex-Barça: 7 atletas acusados de envolvimento com tráfico de drogas
Parceria com Neymar funciona, e Cavani faz gols como nunca na carreira
Demolidor de brasileiros, ameaça ao Santos acumula gols, brigas e confusões


7 clubes que quebraram seus recordes de contratação mais cara nesta janela
Comentários Comente

Rafael Reis

A janela de transferências do início da temporada 2017/18 será lembrada pelas cifras histórias que movimentou. Até a última segunda-feira, o total gasto pelo Mercado da Bola com compras e empréstimos de jogadores já havia superado os 4,3 bilhões de euros (R$ 16,2 bilhões).

Apesar de a janela só fechar no fim desta semana, e os negócios continuarem até lá, o valor já é histórico. Ele supera os 4 bilhões de euros (R$ 15,1 bilhões) torrados na temporada passada, até então a mais gastadeira do futebol em todos os tempos.

Em 2017/18, vários dos clubes mais poderosos do planeta realizaram a contratação mais cara de suas histórias. Listamos abaixo sete times que quebraram seus recordes particulares ao longo dos últimos meses:

PARIS SAINT-GERMAIN (FRA)
Antigo recorde: Edinson Cavani (2013), 64,5 milhões de euros
Novo recorde: Neymar (2017), 222 milhões de euros

Na tentativa de recuperar sua hegemonia local e de conquistar pela primeira vez a Liga dos Campeões da Europa, o clube mais poderoso da França não se contentou em contratar o maior reforço de sua história, mas também quebrou o recorde de jogador mais caro do planeta em todos os tempos. Novo camisa 10 do PSG, Neymar custou quase 37% do total investido pelos times da primeira divisão francesa em contratações para esta temporada.

BARCELONA (ESP)
Antigo recorde: Neymar (2013), 88,2 milhões de euros
Novo recorde: Ousmane Dembélé (2017), 105 milhões de euros

Ao mesmo tempo em que se transformou no reforço mais caro da história do Paris Saint-Germain e do futebol mundial, Neymar deixou de ostentar o recorde de maior contratação do Barcelona. Escolhido pelo clube catalão como substituto do brasileiro, o francês Ousmane Dembélé se tornou o primeiro reforço do Barça na casa dos 100 milhões de euros, depois de uma longa negociação com o Borussia Dortmund.

CHELSEA (ING)
Antigo recorde: Fernando Torres (2011), 58,5 milhões de euros
Novo recorde: Álvaro Morata (2017), 65 milhões de euros

Quanto custa um gol? Para o Chelsea, 65 milhões de euros. Foi esse o valor pago pelo atual campeão inglês pela peça de reposição para Diego Costa, em guerra com o técnico Antonio Conte. O espanhol Álvaro Morata, reserva do Real Madrid na temporada passada, tem justificado o investimento histórico e contabiliza dois gols e duas assistências nas primeiras quatro partidas oficiais pelo novo time.

ARSENAL (ING)
Antigo recorde: Mesut Özil (2013), 47 milhões de euros
Novo recorde: Alexandre Lacazette (2017), 53 milhões de euros

Fora da Liga dos Campeões da Europa pela primeira vez em duas décadas, o Arsenal também decidiu entrar no jogo dos milhões para não ficar (mais) para trás dos seus principais concorrentes ingleses. A carta na manga de Arsène Wenger não foi nada surpreendente. Como fez várias vezes ao longo da carreira, ele foi à França e contratou um dos seus compatriotas que se destacavam no futebol de lá. Só que Lacazette, ex-centroavante do Lyon, já foi parar no banco de reservas do Arsenal.

EVERTON (ING)
Antigo recorde: Romelu Lukaku (2014), 35,4 milhões de euros
Novo recorde: Gylfi Sigurdsson (2017), 49,4 milhões de euros

Uma das sensações da atual janela de transferências, o Everton fez questão de reinvestir os 84,7 milhões de euros que recebeu pela venda de Lukaku para o Manchester United e gastou bastante para a temporada 2017/18. Além de Rooney, de volta ao clube que o projetou depois de 13 anos, o outro reforço que chama a atenção é Sigurdsson. O meia islandês andava meio esquecido no Swansea City. Mesmo assim, virou um homem de quase 50 milhões de euros no Everton.

BAYERN DE MUNIQUE (ALE)
Antigo recorde: Javi Martínez (2012), 40 milhões de euros
Novo recorde: Corentin Tolisso (2017), 41,5 milhões de euros

Um dos clubes mais poderosos do planeta, o Bayern de Munique se orgulha de seu reforço mais caro de todos os tempos ter custado “apenas” 41,5 milhões de euros. Realmente, em tempos de mercado hiperinflacionado, chama a atenção os valores menores das contratações feitas pelo gigante alemão. Mas Corentin Tolisso não poderia mesmo custar mais. O meia francês, que começou muito bem a temporada 2017/18, não era nem mesmo o astro do Lyon, time que defendia até ser garimpado pelo Bayern.

TOTTENHAM (ING)
Antigo recorde: Moussa Sissoko (2016), 35 milhões de euros
Novo recorde: Davinson Sánchez (2017), 40 milhões de euros

Vice-campeão inglês na temporada passada, o Tottenham tem se especializado nos últimos anos em utilizar jogadores de sua base e complementar o time com uma ou outra contratação mais ousada, normalmente também de um atleta de pouca idade. O investimento da vez foi em Davinson Sánchez, zagueiro colombiano de apenas 21 anos, que se destacou na Libertadores-2016 pelo Atlético Nacional e disputou a última temporada europeia pelo Ajax.


Mais de Clubes

– Time de Hitler? Como clube alemão tenta apagar nazismo de sua história
– Novo rico e adeus de Buffon: 7 motivos para acompanhar o Italiano
– Disputa é pela artilharia: 7 motivos para acompanhar o Campeonato Alemão
– Sem Neymar, mas com Messi e Ronaldo: 7 motivos para acompanhar o Espanhol


Os campeões da temporada 2017/18: minhas previsões
Comentários Comente

Rafael Reis

Quem serão os campeões desta temporada? A pergunta costuma ser recorrente no mês de agosto, quando têm início as principais ligas nacionais da Europa e, consequentemente, do planeta.

Para não fugir desse desafio, listo abaixo meus palpites de maiores candidatos a levantar cada um dos troféus mais importantes do Velho Continente em 2017/18. É claro que os últimos dez dias de janela de transferências pode mudar um pouco esse cenário. Mas, mesmo assim, vamos arriscar.

Na última temporada, não fui muito bem nessa tentativa de bancar a Mãe Dináh ou o Nostradamus: acertei os campeões italiano e alemão (como quase todo mundo), mas errei todas as outras previsões: Francês, Holandês, Espanhol, Inglês, Liga dos Campeões e Liga Europa.

Tomara que desta vez seja diferente… Ou não.

LIGA DOS CAMPEÕES

Palpite: Real Madrid
Na temporada passada, o Real Madrid se tornou o primeiro time a conquistar dois títulos consecutivos da Liga dos Campeões da Europa desde 1990. Agora, o desafio é ainda maior. O último tri europeu foi o Bayern de Munique, que faturou a Champions entre 1974 e 1976. Tarefa impossível? Não para a equipe de Zinédine Zidane. Com o declínio do Barcelona e mudanças importantes nos times titulares de Bayern de Juventus, o Real parece estar um passo à frente de qualquer outro clube do mundo no momento.

LIGA EUROPA
Palpite: Milan
Os clubes italianos não costumam levar a Liga Europa tão a sério. Prova disso é que o último italiano a disputar a final do torneio foi o Parma, campeão em 1999, quando a competição ainda chamava Copa da Uefa. Mas, com o Milan desta temporada, tudo pode ser diferente. Como dificilmente conseguirá quebrar a hegemonia da Juventus dentro de casa, é possível que a equipe rossonera trate a Liga Europa como o torneio que pode recolocá-la no mapa do continente. E aí, os 185 milhões de euros (R$ 703 milhões) gastos em contratações para esta temporada podem fazer a diferença.

CAMPEONATO ESPANHOL
Palpite: Real Madrid
Desta vez, dificilmente teremos aquela disputa cabeça a cabeça que tem marcado as últimas temporadas do Campeonato Espanhol. A menos que o Barcelona tire um coelho da cartola e reverta sua tendência de declínio, o Real Madrid tende a nadar de braçadas para conquistar o 34º título nacional de sua história.

CAMPEONATO INGLÊS
Palpite: Manchester United
A Premier League se transformou no campeonato nacional de primeiro escalão mais imprevisível da Europa. A competição tem início com pelo menos quatro candidatos reais ao títulos: Manchester United, Manchester City, Chelsea e Tottenham. E sempre há o risco de uma nova hecatombe, como o Leicester de duas temporadas atrás. Pelo segundo ano consecutivo, meu palpite é que Mourinho conseguirá levar o United ao título. Pelo menos o início de temporada é dos mais promissores.

CAMPEONATO ALEMÃO
Palpite: Bayern de Munique
Sem Philipp Lahm e Xabi Alonso, que se aposentaram no fim da temporada passada, e com Franck Ribéry, Arjen Robben e Robert Lewandowski um ano mais velhos, o Bayern parece ligeiramente menos time do que era 12 meses atrás. Isso talvez dificulte uma conquista de Champions League, mas dificilmente será suficiente para impedir seu sexto título consecutivo na Bundesliga. Até porque o Borussia Dortmund, seu principal adversário, não vive um momento tão brilhante assim.

CAMPEONATO ITALIANO
Palpite: Juventus
Desde 2012, só a Juventus sabe o que é ser campeã italiana. As saídas de Daniel Alves e Leonardo Bonucci e a chegada de um forte investimento chinês no Milan levantam dúvidas sobre a manutenção dessa longa hegemonia bianconera no Calcio. No entanto, elas dificilmente serão suficientes para que a lenda Gianluigi Buffon não se despeça do futebol profissional levantando mais um troféu.

CAMPEONATO FRANCÊS
Palpite: Paris Saint-Germain
Só o desmanche do Monaco, o surpreendente campeão francês da temporada passada, já seria suficiente para colocar o título da Ligue 1 nas mãos do Paris Saint-Germain. Mas o PSG buscou Daniel Alves na Itália, fez de Neymar a contratação mais cara da história do futebol e parece prestes a tirar a revelação Kylian Mbappé do rival local. Resultado: deve ser campeão nacional com rodadas e mais rodadas de antecedência.

CAMPEONATO PORTUGUÊS
Palpite: Sporting
Em uma temporada em que os clubes portugueses praticamente não contrataram, o favorito acaba sendo o time que menos perdeu jogadores importantes. Ao contrário de Benfica, que vendeu Ederson, Lindelöf e Nelson Semedo, e Porto, que negociou André Silva e Rúben Neves, o Sporting manteve suas principais peças e acaba largando na frente. O Sporting tem um técnico vitorioso (Jorge Jesus) e conta com valores interessantes, como o goleiro Rui Patrício, os meias William Carvalho e Adrien Silva e o centroavante holandês Bas Dost para ser campeão nacional pela primeira vez desde 2002.

CAMPEONATO HOLANDÊS
Palpite: Feyenoord
Ao contrário do PSV e Ajax, que sempre escalam times repletos de jovens, o Feyenoord conta com um elenco mais rodado e experimentado. Some-se a isso a confiança adquirida pelo fim do tabu de 18 anos sem conquistar o título holandês e temos um favorito ao bicampeonato. A equipe de Roterdã perdeu um ou outro jogador importante, como o zagueiro Kongolo e o lateral direito Karsdorp, mas conseguiu manter a base vencedora.


Mais de Opinião

– O mercado da bola perdeu o juízo: Neymar não vale R$ 821 milhões
– O que Guardiola viu em Danilo para buscá-lo no banco do Real Madrid?
– Após férias, Libertadores dá início à fase final. E ainda não tem favorito
– Árbitro de vídeo passa em teste, mas não livra apito de erros e polêmicas


Disputa é pela artilharia: 7 motivos para acompanhar o Campeonato Alemão
Comentários Comente

Rafael Reis

Bayern de Munique e Bayer Leverkusen dão nesta sexta-feira, a partir das 15h30, o pontapé inicial para a 55ª edição da Bundesliga, a primeira divisão do Campeonato Alemão.

E apesar de quase todo mundo acreditar que, ao término desta temporada, o Bayern adicionará mais um troféu ao seu vasto currículo, não faltam motivos para acompanhar de perto o futebol germânico.

Conheça abaixo sete motivos pelos quais vale a pena dar uma olhadinha na temporada 2017/18 do Campeonato Alemão:

CAMPEÕES MUNDIAIS

A um ano da Copa do Mundo, é bom acompanhar de perto as armas das seleções que podem ameaçar o Brasil no próximo ano. E uma das principais ameaças com certeza é a Alemanha, atual campeã mundial e da Copa das Confederações. Pois bem, a maior parte dos convocados de Joachim Löw para a Rússia-2018 deve sair desta edição do Campeonato Alemão. Então, olho neles.

BAYERN SEM PILARES

O Bayern continua sendo a maior potência da Alemanha e principal favorito ao título, só que terá de se virar nesta temporada sem dois dos seus principais pilares dos últimos anos. O lateral direito Philipp Lahm, 33, e o volante Xabi Alonso, 35, decidiram se aposentar e não deixaram substitutos prontos para desempenhar as funções que tinham na equipe. Trabalho extra para o técnico Carlo Ancelotti.

VAI TER BRIGA?

O possível enfraquecimento do Bayern nesta temporada levanta a questão: será que poderemos ter um outro campeão alemão? A pergunta é difícil de ser respondida porque o Borussia Dortmund, atualmente o maior rival do clube de Munique na Bundesliga, ainda pode perder para o Barcelona um dos seus principais jogadores, o meia-atacante francês Ousmane Dembélé, e está de técnico novo, o holandês Peter Bosz, ex-Ajax.

DISPUTA PELA ARTILHARIA

Se a briga pelo título alemão não tem sido das mais empolgantes nos últimos anos, a disputa pelo posto de artilheiro da Bundesliga sempre pega fogo. Em 2016, Robert Lewandowski, do Bayern, levou a melhor. Na última temporada, Pierre-Emerick Aubameyang, do Borussia Dortmund, deu o troco. Desta vez, a menos que Auba deixe a Alemanha em uma transação de última hora, a dupla deve protagonizar mais uma vez o confronto pela artilharia.

TERCEIRA VIA

Em sua primeira temporada na elite do futebol alemão, o RB Leipzig fez bonito, tão bonito que terminou à frente do Borussia Dortmund e como vice-campeão da Bundesliga. Agora, tendo que dividir atenções entre a liga nacional e a Champions, chegou a hora de o time da Red Bull provar se é um fenômeno passageiro ou uma força que veio para se firmar no cenário germânico.

QUEM É TOLISSO?

O reforço mais caro da história do Bayern de Munique é praticamente um desconhecido para os torcedores. O francês Corentin Tolisso, de 23 anos, foi tirado do Lyon por 41,5 milhões de euros (R$ 154 milhões) para ampliar as opções de Ancelotti no meio-campo do atual campeão alemão e talvez até ser o substituto de Xabi Alonso. Nos dois primeiros jogos oficiais da temporada, Tolisso fez o mínimo que se espera de alguém que custou tanto: foi titular e não comprometeu.

LOBOS PERDIDOS

Um dos clubes mais ricos da Alemanha, graças ao aporte da Volkswagen, o Wolfsburg tenta reencontrar seu caminho depois de escapar por pouco do rebaixamento na temporada passada. O campeão alemão de 2009 e vice de 2015 gastou mais de 50 milhões de euros (R$ 185 milhões) em reforços, entre eles o lateral brasileiro William, ex-Internacional.


Mais de Clubes

– Sem Neymar, mas com Messi e Ronaldo: 7 motivos para acompanhar o Espanhol
– Antes de ganhar o mundo, São Paulo de Telê goleou Barça e Real Madrid
– Mais que Jesus: 7 motivos para acompanhar de perto o Campeonato Inglês
– Futebol estatal? No País da Copa-2018, governos ainda são donos de times


Mesmo com tropeços, arrancada do Corinthians supera Bayern e Juventus
Comentários Comente

Rafael Reis

Apesar de ter tropeçado nas duas últimas rodadas, a campanha do Corinthians no Campeonato Brasileiro-2017 ainda é digna das dos campeões das principais ligas nacionais europeias na última temporada.

O time dirigido por Fábio Carile, que empatou com Atlético-PR e Avaí nesta semana, somou 37 pontos em suas primeiras 15 apresentações na Série A deste ano.

A marca é superior às alcançadas por Juventus (36), Bayern de Munique (36) e Monaco (24), campeões italiano, alemão e francês, respectivamente, no mesmo período da competição que conquistaram.

Entre os vencedores das cinco principais ligas nacionais da Europa na última temporada, só o Chelsea, campeão inglês, e o Real Madrid, que levantou a taça na Espanha, tiveram um início de campeonato similar ao corintiano.

Os dois clubes também somaram 37 pontos nas primeiras 15 rodadas. O Real teve uma campanha idêntica à do Corinthians, com 11 vitórias e quatro empates. Já o Chelsea ganhou 12 vezes, empatou uma e sofreu duas derrotas.

O líder do Brasileiro supera todos os principais campeões do Velho Continente em um quesito: a defesa. O time alvinegro sofreu apenas sete gols até o momento. Quem mais se aproxima desse desempenho é o Bayern, vazado nove vezes nas 15 rodadas iniciais da Bundesliga.

Já o ataque corintiano tem números praticamente inexpressivos na comparação com os grandes clubes do planeta. Foram 25 gols marcados na Série A. Com o mesmo número de jogos em suas ligas, o Real já havia colocado 40 bolas nas redes, e o Monaco, 44.

O desafio do Corinthians agora é não “sentir” os últimos tropeços e conseguir manter um aproveitamento próximo aos 82,2% dos pontos disputados que ostenta agora até o fim do campeonato, marca que certamente lhe dará o título.

Entre os cinco campeões analisados, o único que conseguiu ficar acima dessa faixa foi o Monaco, que obteve 83,3% dos pontos possíveis no Francês. Real Madrid e Chelsea tiveram aproveitamentos de 81,6%. O Bayern venceu o Alemão com 80,4%. E a Juve faturou o Italiano com 78,8% dos pontos que disputou.

A melhor campanha da história do Brasileiro de pontos corridos foi conquistada justamente em 2003, primeiro ano desse formato de disputa. Na ocasião, o Cruzeiro se sagrou campeão nacional com 100 pontos e aproveitamento de 72,5%.

Ou seja, o Corinthians de 2017 ainda está muito acima do melhor campeão brasileiro da história recente. Apesar dos seus recentes tropeços.


Mais de Clubes

– São Paulo entra no top 10 de maiores vendedores da atual janela; veja a lista
– Champions começa com time de vilarejo de 867 pessoas e estádios minúsculos
– Janela já movimentou R$ 4,5 bi em transferências; Bundesliga lidera gastos
– Portugueses dominam ranking de clubes que mais faturam com venda de atletas


Árbitro que prejudicou Bayern foi o 1º a marcar pênalti com ajuda de vídeo
Comentários Comente

Rafael Reis

De atuação desastrosa na vitória por 4 a 2 do Real Madrid sobre o Bayern de Munique, na terça-feira, que classificou o time espanhol para as semifinais da Liga dos Campeões da Europa, Viktor Kassai tem seu nome marcado na história da arbitragem mundial.

O húngaro foi o primeiro árbitro a recorrer ao uso do vídeo em uma partida oficial, pelo menos com aval da Fifa, para solucionar um lance polêmico.

O acontecimento histórico se deu em dezembro do ano passado, na semifinal do Mundial de Clubes entre Atlético Nacional e Kashima Antlers. Foi só depois de recorrer às imagens que o juiz percebeu um esbarrão dentro da área e marcou pênalti para os japoneses.

A marcação acabou sendo decisiva para o resultado da partida. Ao converter a cobrança, o Kashima abriu caminho para a vitória por 3 a 0 que o colocou na decisão do torneio.

Apesar de totalmente amparada pela Fifa, que usou o Mundial de Clubes para testar a arbitragem com auxílio de vídeo, o comportamento de Kassai rendeu várias críticas.

Isso porque o jogo ficou parado por mais de um minuto enquanto ele assistia. Além disso, o húngaro ignorou que o atacante japonês que sofreu o pênalti estava em posição de impedimento, o que poderia invalidar a falta sofrida.

O curioso é que foi justamente um erro cometido por Kassai que acabou sendo determinante para que a Fifa passasse a aceitar o uso de recursos eletrônicos na arbitragem.

Na fase de grupos da Eurocopa de 2012, a Inglaterra venceu a Ucrânia por 1 a 0 e eliminou a equipe da casa da competição. O resultado poderia ter sido completamente diferente se o árbitro tivesse notado que uma bola salva pelo zagueiro inglês John Terry já havia ultrapassado a linha do gol.

Após a partida, o então presidente da Fifa, Joseph Blatter, afirmou que a “tecnologia da linha do gol é uma necessidade para o futebol” e passou a trabalhar para que o mecanismo que determina se a bola entrou ou não fosse utilizada.

No encontro entre Real e Bayern, na terça, Kassai tinha à disposição essa tecnologia, que vem sendo largamente utilizada nas principais competições do futebol mundial desde a Copa-2014, mas não o auxílio de vídeos.

Sem a possibilidade de recorrer ao replay para resolver lances duvidosos, ele expulsou Vidal por um lance em que o chileno nem cometeu falta, deixou Casemiro cometer várias faltas passíveis de cartão vermelho sem ser penalizado e validou um gol do Real em que Cristiano Ronaldo estava em posição de impedimento.

A atuação do húngaro levou à loucura o técnico do Bayern, Carlo Ancelotti, que disse à Sky Sports após a partida: “O desempenho do juiz hoje foi pior que o nosso. Eu sei que é futebol, que acontece às vezes, mas não um número tão grande de erros. É um jogo de quartas de final, você precisa ter um árbitro com mais qualidade, ou ter o vídeo.”


Mais de Cidadãos do Mundo

Piqué pertence à “nobreza” do Bayern, mas carrega símbolo do Real no nome
“Show” no Espanhol faz Messi retomar liderança isolada da Chuteira de Ouro
Capitão do Real foi único espanhol contratao em 7 anos e gerou polêmica
Por onde andam os jogadores do Arsenal campeão inglês invicto?


Neymar e Ganso se enfrentam pela 1ª vez na Europa: o top 3 do fds
Comentários Comente

Rafael Reis

Parceiros desde o início de suas carreiras nos profissionais do Santos, Paulo Henrique Ganso e Neymar devem se enfrentar neste domingo pela primeira vez nos gramados da Europa.

O confronto entre Sevilla e Barcelona, segundo e quarto colocados do Campeonato Espanhol, respectivamente, no domingo, é o momento mais esperado deste fim de semana no futebol internacional.

Mas os próximos dias também reservam o maior clássico de Londres e uma disputa interessante pelo topo da tabela na Alemanha.

A cada sexta-feira, o “Blog do Rafael Reis” publica um miniguia com as três partidas mais imperdíveis do fim de semana para você se programar e não deixar nada de interessante escapar.

Então, vamos a elas:

SEVILLA X BARCELONA
Domingo, 17h45 (de Brasília)
Fox Sports
11ª rodada do Campeonato Espanhol
NeyGanso
Sevilla e Barcelona se enfrentam pela terceira vez na temporada, mas só agora o aguardado duelo Ganso x Neymar poderá acontecer, já que nos dois jogos da Supercopa Espanhola o atacante estava cedido à seleção olímpica. O encontro entre os amigos coincide com o melhor momento de Ganso na Europa. O meia foi muito elogiado após a goleada por 4 a 0 sobre o Dínamo Zagreb, pela Champions. No único confronto anterior entre eles, em 2013, Neymar e o Santos levaram a melhor sobre Ganso e o São Paulo: 3 a 1, pela primeira fase do Paulista.

ARSENAL X TOTTENHAM
Domingo, 10h (de Brasília)
ESPN +
11ª rodada do Campeonato Inglês
ozil
Invicto há nove rodadas da Premier League, o Arsenal tem neste domingo uma nova chance de tirar o oscilante Manchester City da liderança do campeonato nacional mais rico do planeta. Mas, para isso, precisa desbancar seu mais tradicional rival, o Tottenham, a quem só venceu uma vez nas últimas cinco partidas. Um desafio e tanto para o meia alemão Mesut Özil, que vive grande fase e marcou um gol épico no meio de semana, ante o Ludogorets.

BAYERN X HOFFENHEIM
Sábado, 12h30 (de Brasília)
Fox Sports
10ª rodada do Campeonato Alemão
Hoffenheim
Em toda a história, o Hoffenheim nunca conseguiu derrotar o Bayern de Munique. São 16 confrontos, com 12 vitórias dos bávaros e quatro empates. Mas a equipe dirigida pelo jovem técnico Julian Nagelsmann, de 29 anos, vem de cinco triunfos consecutivos no Campeonato Alemão, ocupa a terceira colocação e está a apenas quatro pontos do todo poderoso líder da Bundesliga.


Estrela do Bayern, Alaba é filho de príncipe que virou DJ
Comentários Comente

Rafael Reis

“O Real Madrid é um grande clube e me orgulho demais por eles estarem interessados em meu filho.”

A frase, publicada pelo jornal espanhol “As”, em junho, não foi dita apenas pelo pai e empresário do lateral esquerdo David Alaba, 24, do Bayern de Munique. Ela saiu das bocas de um príncipe.

George Alaba, o progenitor do jogador austríaco, é príncipe de Ogere, cidade localizada no sudoeste da Nigéria, onde nasceu, cresceu e viveu até o início da vida adulta.

Alaba

Aos 23 anos, mudou-se para Europa para estudar economia da Universidade de Viena. No entanto, abandonou os estudos para se tornar músico e virar DJ de uma casa noturna especializada em ritmos africanos.

Em 1997, chegou ao auge de sua carreira ao emplacar o hit “Indian Song” como segunda música mais tocada nas rádios austríacas.

Sem conseguir emplacar novos sucessos, retomou o trabalho de DJ de boates até que trocou a música pelo agenciamento da carreira dos seus dois filhos, a cantora pop Rose May e o filho David, frutos do relacionamento com a enfermeira filipina Gina.

Bem mais famoso do que seu pai um dia foi, o filho mais velho de George foi contratado pelo Bayern de Munique quando tinha apenas 16 anos e, aos 17, tornou-se o jogador mais jovem da história a disputar uma partida oficial pelo gigante do futebol alemão.

Titular absoluto dos bávaros desde a temporada 2011/12, transformou-se rapidamente em um dos melhores do mundo em sua posição por reunir qualidades ofensivas e também defensivas.

Essa característica pode ser traduzida na versatilidade de Alaba. No período em que o Bayern foi treinado por Pep Guardiola, virou muitas vezes zagueiro para melhorar a saída de bola do time. Na seleção da Áustria, é meia e veste a camisa 8.

De volta à lateral esquerda com Carlo Ancelotti, é peça insubstituível no esquema tático do clube alemão, que recebe o PSV Eindhoven, nesta quarta-feira, pela terceira rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões.

Afinal, o Bayern tem grandes jogadores. Mas, filho de príncipe, só há um: Alaba.


Mais de Cidadãos do Mundo

Veterano de Belarus passa em branco, mas ainda lidera artilharia da Europa
Veteranos no “soccer”: 7 medalhões brasileiros que jogam nos EUA
Na mira do Chelsea, sensação do Italiano pagou para jogar na 1ª divisão
Liga dos Aposentados: conheça os “velhinhos” desta temporada na Índia

 


Mercado da Bola Internacional: quem chega e sai nos grandes europeus
Comentários Comente

Rafael Reis

Quer saber as mudanças nos elencos dos principais clubes europeus para a temporada 2016/17? Esse espaço lista os negócios mais importantes feitos pelos times do Velho Continente mais conhecidos e queridos no Brasil nesta janela de transferência.

Confira então quem chegou e quem saiu das principais equipes do mundo:

TOTTENHAM (ING)
Sissoko
Chegam:

Moussa Sissoko (M, FRA, Newcastle) – 35 milhões de euros
Georges-Kevin N’Koudou (MA, FRA, Olympique de Marselha) – 11 milhões de euros
Pau López (G, ESP, Espanyol) – empréstimo
Vincent Janssen (A, HOL, AZ Alkmaar) – 22,1 milhões de euros
Victor Wanyama (V, QUE, Southampton) – 14,4 milhões de euros

Saem:
Clinton N’Jie (A, CAM, Olympique de Marselha) – empréstimo
Ryan Mason (M, ING, Hull City) – 9,4 milhões de euros
Nacer Chadli (M, BEL, West Bromwich) – 15,2 milhões de euros
Nabil Bentaleb (M, ALG, Schalke 04) – empréstimo


CHELSEA (ING)
David Luiz
Chegam:
David Luiz (Z, BRA, Paris Saint-Germain) – 38,5 milhões de euros
Marcos Alonso (LE, ESP, Fiorentina) – 23 milhões de euros
Eduardo (G, POR, Dínamo Zagreb) – 5 milhões de euros
N’Golo Kanté (V, FRA, Leicester) – 35,8 milhões de euros
Michy Batshuayi (A, BEL, Olympique de Marselha) – 39 milhões de euros
Nathaniel Chalobah (M, ING, Napoli) – volta de empréstimo
Antonio Conte (T, ITA, Itália) – sem custo
Marco van Ginkel (M, HOL, PSV) – volta de empréstimo

Saem:
Loïc Rémy (A, FRA, Crystal Palace) – empréstimo
Kenedy (MA, BRA, Watford) – empréstimo
Bertrand Traoré (A, BFA, Ajax) – empréstimo
Abdul Rahman Baba (LE, GAN, Schalke 04) – empréstimo
Marco Amelia (G, ITA) – sem custo
Radamel Falcao García (A, COL, Monaco) – volta de empréstimo
Alexandre Pato (A, BRA, Corinthians) – volta de empréstimo
Guus Hiddink (T, HOL) – sem custo


NAPOLI (ITA)
Torino FC v ACF Fiorentina - Serie A
Chegam:
Nikola Maksimovic (Z, SER, Torino) – empréstimo
Marko Rog (M, CRO, Dínamo Zagreb) – 13 milhões de euros
Amadou Diawara (V, GUI, Bologna) – 14,5 milhões de euros
Piotr Zielinski (M, POL, Udinese) – 14 milhões de euros
Arkadiusz Milik (A, POL, Ajax) – 25 milhões de euros
Emanuele Giaccherini (M, ITA, Sunderland) – 1,5 milhão de euros
Lorenzo Tonelli (Z, ITA, Empoli) – 10 milhões de euros
Luigi Sepe (G, ITA, Fiorentina) – volta de empréstimo

Saem:
Mirko Valdifiori (V, ITA, Torino) – 3,5 milhões de euros
David López (V, ESP, Espanyol) – 4 milhões de euros
Gonzalo Higuaín (A, ARG, Juventus) – 90 milhões de euros
Nathaniel Chalobah (M, ING, Chelsea) – volta de empréstimo
Gabriel (G, BRA, Milan) – volta de empréstimo
Vasco Regini (LE, ITA, Sampdoria) – volta de empréstimo

 


LEICESTER (ING)
Slimani
Chegam:
Islam Slimani (A, ALG, Sporting) – 30 milhões de euros
Bartosz Kaputska (M, POL, Cracóvia) – 9 milhões de euros
Ahmed Musa (A, NIG, CSKA Moscou) – 19,5 milhões de euros
Nampalys Mendy (V, FRA, Nice) – 15,5 milhões de euros
Luis Hernández (Z, ESP, Sporting Gijón) – sem custo
Ron-Robert Zieler (G, ALE, Hannover) – 3,5 milhões de euros
Yohan Benalouane (Z, TUN, Fiorentina) – volta de empréstimo

Saem:
Gokhan Inler (V, SUI, Besiktas) – sem custo
Liam Moore (Z, ING, Reading) – 1,1 milhão de euros
N’Golo Kanté (V, FRA, Chelsea) – 35,8 milhões de euros
Mark Schwarzer (G, AUS) – sem custo


MILAN (ITA)

Chegam:
Matías Fernández (M, CHI, Fiorentina) – empréstimo
Mario Pasalic (M, CRO, Chelsea) – empréstimo
José Sosa (M, ARG, Besiktas) – 7,5 milhões de euros
Gustavo Gómez (Z, PAR, Lanús) – 8,5 milhões de euros
Vincenzo Montella (T, ITA, Sampdoria) – sem custo
Gianluca Lapadula (A, ITA, Pescara) – 9 milhões de euros
Leonel Vangioni (LE, ARG, River Plate) – sem custo
Gabriel (G, BRA, Napoli) – volta de empréstimo
Gabriel Paletta (Z, ITA, Atalanta) –  volta de empréstimo
Suso Fernández (MA, ESP, Genoa) – volta de empréstimo

Saem:
Kevin-Prince Boateng (M, GAN, Las Palmas) – sem custo
Jérémy Menez (MA, FRA, Bordeaux) – sem custo
Alex (Z, BRA) – sem custo
Philippe Mexès (Z, FRA) – sem custo
Christian Abbiati (G, ITA) – aposentadoria
Mario Balotelli (A, ITA, Liverpool) – volta de empréstimo


BENFICA (POR)
Rafa Silva
Chegam:

Rafa Silva (MA, POR, Braga) – 16 milhões de euros
Danilo Barbosa (V, BRA, Braga) – empréstimo
Óscar Benítez (MA, ARG, Lanús) – 3,3 milhões de euros
Andrija Zivkovic (MA, SER, Partizan Belgrado) – sem custo
Guillermo Cellis (V, COL, Júnior de Barranquilla) – 2,2 milhões de euros
Hamdou Elhouni (MA, LIB, Santa Clara) – não divulgado
André Horta (M, POR, Vitória de Setúbal) – 400 mil euros
Franco Cervi (MA, ARG, Rosario Central) – 4,1 milhões de euros
André Carrillo (MA, PER, Sporting) – sem custo
Branimir Kalaica (Z, CRO, Dínamo Zagreb) – sem custo
André Horta (M, POR, Vitória de Setúbal) – não divulgado

Saem:
Mehdi Carcela-González (MA, MAR, Granada) – 4 milhões de euros
Talisca (M, BRA, Besiktas) – empréstimo
Steven Vitória (Z, CAN, Legia Gdansk) – sem custo
Nico Gaitán (MA, ARG, Atlético de Madri) – 25 milhões de euros
Renato Sanches (M, POR, Bayern de Munique) – 35 milhões de euros
Sílvio (LD, POR, Atlético de Madri) – volta de empréstimo


PORTO (POR)
Boly
Chegam:
Wily Boly (Z, FRA, Porto) – 5 milhões de euros
Óliver Torres (M, ESP, Atlético de Madri) – empréstimo
Diogo Jota (MA, POR, Atlético de Madri) – empréstimo
Laurent Depoitre (A, BEL, Genk) – 4 milhões de euros
Alex Telles (LE, BRA, Galatasaray) – 6,5 milhões de euros
Felipe (Z, BRA, Corinthians) – 6,2 milhões de euros
João Carlos Teixeira (M, POR, Liverpool) – sem custo
Nuno Espírito Santo (T, POR) – sem custo
Otávio (M, BRA, Vitória de Guimarães) – volta de empréstimo
Adrián López (A, ESP, Villarreal) – volta de empréstimo
Fabiano (G, BRA, Fenerbahce) – volta de empréstimo

Saem:
Vincent Aboubakar (A, CAM, Besiktas) – empréstimo
José Ángel (LE, ESP, Villarreal) – empréstimo
Helton (G, BRA) – sem custo
José Peseiro (T, POR, Braga) – sem custo


BARCELONA (ESP)
Alcacer
Chegam:
Paco Alcácer (A, ESP, Valencia) – 30 milhões de euros
Jasper Cillessen (G, HOL, Ajax) – 13 milhões de euros
André Gomes (M, POR, Valencia) – 35 milhões de euros
Lucas Digne (LE, FRA, Paris Saint-Germain) – 16,5 milhões de euros
Samuel Umtiti (Z, FRA, Lyon) – 25 milhões de euros
Denis Suárez (MA, ESP, Villarreal) – 3,2 milhões de euros

Saem:
Munir El-Haddadi (MA, ESP, Valencia) – empréstimo
Douglas (LD, BRA, Sporting Gijón) – empréstimo
Sergi Samper (V, ESP, Granada) – empréstimo
Thomas Vermaelen (Z, BEL, Roma) – empréstimo
Adriano (LE, BRA, Besiktas) – 600 mil euros
Sandro Ramírez (A, ESP, Málaga) – sem custo
Marc Bartra (Z, ESP, Borussia Dortmund) – 8 milhões de euros
Daniel Alves (LD, BRA, Juventus) – sem custo


INTER DE MILÃO (ITA)

Chegam:
João Mário (M, POR, Sporting) – 40 milhões de euros
Gabriel (A, BRA, Santos) – 28 milhões de euros
Frank de Boer (T, HOL, Ajax) – sem custo
Antonio Candreva (M, ITA, Lazio) – 22 milhões de euros
Cristian Ansaldi (LE, ARG, Genoa) – 6 milhões de euros
Éver Banega (M, ARG, Sevilla) – sem custo
Andrea Ranocchia (Z, ITA, Sampdoria) – volta de empréstimo
Marco Andreolli (Z, ITA, Sevilla) – volta de empréstimo

Saem:
Roberto Mancini (T, ITA) – sem custo
Juan Jesus (Z, BRA, Roma) – empréstimo
Alex Telles (LE, BRA, Galatasaray) – volta de empréstimo
Adem Ljajic (MA, SER, Roma) – volta de empréstimo


ARSENAL (ING)
Club Atletico de Madrid v Valencia CF - La Liga
Chegam:
Shkodran Mustafi (Z, ALE, Valencia) – 41 milhões de euros
Lucas Pérez (A, ESP, La Coruña) – 20 milhões de euros
Rob Holding (Z, ING, Arsenal) – 3 milhões de euros
Granit Xhaka (M, SUI, Borussia Mönchengladbach) – 45 milhões de euros
Kelechi Nwakali (M, NIG, Diamond Football Academy) – 3,8 milhões de euros
Mathieu Debuchy (LD, FRA, Bordeaux) – volta de empréstimo

Saem:
Jack Wilshere (M, ING, Bournemouth) – empréstimo
Serge Gnabry (MA, ALE, Werder Bremen) – 5 milhões de euros
Calum Chambers (LD, ING, Middlesbrough) – empréstimo
Joel Campbell (MA, CRI, Sporting) – empréstimo
Mathieu Flamini (M, FRA) – sem custo
Tomás Rosicky (M, TCH, Sparta Praga) – sem custo
Mikel Arteta (M, ESP) – aposentadoria


ROMA (ITA)
Bruno Peres
Chegam:
Bruno Peres (LD, BRA, Roma) – empréstimo
Thomas Vermaelen (Z, BEL, Barcelona) – empréstimo
Federico Fazio (Z, ARG, Tottenham) – empréstimo
Juan Jesus (Z, BRA, Inter de Milão) – empréstimo
Mário Rui (LE, POR, Empoli) – empréstimo
Alisson (G, BRA, Roma) – 5 milhões de euros
Gerson (M, BRA, Fluminense) – 16 milhões de euros
Moustapha Seck (LE, SEN, Lazio) – sem custo
Leandro Paredes (V, ARG, Empoli) – volta de empréstimo
Juan Iturbe (MA, PAR, Bournemouth) – volta de empréstimo

Saem:
Vasilis Torosidis (LD, GRE, Bologna) – sem custo
Seydou Keita (M, MAL, El-Jaish) – sem custo
Iago Falqué (MA, ESP, Torino) – empréstimo
Leandro Castán (Z, BRA, Sampdoria) – empréstimo
Miralem Pjanic (M, BOS, Juventus) – 32 milhões de euros
Maicon (LD, BRA) – sem custo
Morgan de Sanctis (G, ITA, Monaco) – sem custo
Lucas Digne (LE, FRA, Paris Saint-Germain) – volta de empréstimo
Salih Ucan (M, TUR, Fenerbahce) – volta de empréstimo


MANCHESTER CITY (ING)
Bravo
Chegam:
Claudio Bravo (G, CHI, Barcelona) – 18 milhões de euros
John Stones (Z, ING, Everton) – 55,6 milhões de euros
Leroy Sané (MA, ALE, Schalke 04) – 50 milhões de euros
Gabriel Jesus (A, BRA, Palmeiras) – 32 milhões de euros (em janeiro)
Oleksandr Zinchenko (M, UCR, Ufa) – 2 milhões de euros
Nolito (MA, ESP, Celta) – 18 milhões de euros
Ilkay Gündogan (M, ALE, Borussia Dortmund) – 27 milhões de euros
Pep Guardiola (T, ESP, Bayern) – sem custo

Saem:
Wilfried Bony (A, CMF, Stoke City) – empréstimo
Samir Nasri (MA, FRA, Sevilla) – empréstimo
Eliaquim Mangala (Z, FRA, Valencia) – empréstimo
Joe Hart (G, ING, Torino) – empréstimo
Luke Brattan (V, AUS, Melbourne City) – empréstimo
Richard Wright (G, ING) – sem custo
Martín Demichelis (Z, ARG, Espanyol) – sem custo
Manuel Pellegrini (T, CHI) – sem custo


PARIS SAINT-GERMAIN (FRA)

Chegam:
Jesé (A, ESP, Real Madrid) – 25 milhões de euros
Grzegorz Krychowiak (V, POL, Sevilla) – 33,6 milhões de euros
Giovani lo Celso (M, ARG, Rosario Central) – 10 milhões de euros (em janeiro)
Thomas Meunier (LD, BEL, Brügge) – 7 milhões de euros
Hatem Ben Arfa (MA, FRA, Nice) – sem custo
Unai Emery (T, ESP, Sevilla) – sem custo
Alphonse Aréola (G, FRA, Villarreal) – volta de empréstimo

Saem:
David Luiz (Z, BRA, Chelsea) – 38,5 milhões de euros
Salvatore Sirigu (G, ITA, Sevilla) – empréstimo
Benjamin Stambouli (V, FRA, Schalke 04) – 8,5 milhões de euros
Nicolas Douchez (G, FRA, Lens) – sem custo
Laurent Blanc (T, FRA) – sem custo
Zlatan Ibrahimovic (A, SUE, Manchester United) – sem custo
Gregory van der Wiel (LD, HOL, Fenerbahce) – sem custo


MANCHESTER UNITED (ING)
Pogba 2
Chegam:
Paul Pogba (M, FRA, Juventus) – 120 milhões de euros
Henrikh Mkhitaryan (MA, ARM, Borussia Dortmund) – 42 milhões de euros
Zlatan Ibrahimovic (A, SUE, Paris Saint-Germain) – sem custo
Eric Bailly (Z, CMF, Villarreal) – 38 milhões de euros
José Mourinho (T, POR) – sem custo

Saem:
Will Keane (A, IRL, Hull City) – 1,2 milhão de euros
Andreas Pereira (M, BRA, Granada) – empréstimo
Cameron Borthwick-Jackson (LE, ING, Wolverhampton) – empréstimo
James Wilson (A, ING, Derby County) – empréstimo
Adnan Januzaj (MA, BEL, Sunderland) – empréstimo
Paddy McNair (Z, IRN, Sunderland) – 5,3 milhões de euros
Guillermo Varela (LD, URU, Eintracht Frankfurt) – empréstimo
Louis van Gaal (T, HOL) – sem custo


ATLÉTICO DE MADRI (ESP)

Chegam:
Kévin Gameiro (A, FRA, Sevilla) – 32 milhões de euros
Sime Vrsaljko (LD, CRO, Sassuolo) – 16 milhões de euros
Nico Gaitán (MA, ARG, Benfica) – 25 milhões de euros
Alessio Cerci (MA, ITA, Genoa) – volta de empréstimo

Saem:
Óliver Torres (M, ESP, Porto) – empréstimo
Luciano Vietto (A, ARG, Sevilla) – empréstimo
Matías Kranevitter (V, ARG, Sevilla) – empréstimo
Jesús Gámez (LD, ESP, Newcastle) – não divulgado


JUVENTUS (ITA)

Chegam:
Gonzalo Higuaín (A, ARG, Napoli) – 90 milhões de euros
Marko Pjaca (MA, CRO, Dínamo Zagreb) – 23 milhões de euros
Mehdi Benatia (Z, MAR, Bayern) – empréstimo
Miralem Pjanic (M, BOS, Roma) – 32 milhões de euros
Daniel Alves (LD, BRA, Barcelona) – sem custo
Paolo de Ceglie (LE, ITA, Olympique de Marselha) –  volta de empréstimo

Saem:
Simone Zaza (A, ITA, West Ham) – empréstimo
Roberto Pereyra (M, ARG, Watford) – 13 milhões de euros
Paul Pogba (M, FRA, Manchester United) – 120 milhões de euros
Simone Padoin (M, ITA, Cagliari) – 600 mil euros
Álvaro Morata (A, ESP, Real Madrid) – 30 milhões de euros
Rubinho (G, BRA) – sem custo
Martín Cáceres (L, URU) – sem custo


LIVERPOOL (ING)
Wijnaldum
Chegam:
Georginio Wijnaldum (M, HOL, Newcastle) – 27,5 milhões de euros
Alexander Manninger (G, AUT, Augbsurg) – sem custo
Ragnar Klavan (Z, EST, Augsburg) – 5 milhões de euros
Sadio Mané (MA, SEN, Southampton) – 41,2 milhões de euros
Loris Karius (G, ALE, Mainz) – 6,2 milhões de euros
Joel Matip (Z, CAM, Schalke 04) – sem custo

Saem:
Christian Benteke (A, BEL, Crystal Palace) – 31,2 milhões de euros
Jon Flanagan (LD, ING, Burnley) – empréstimo
Ádám Bogdán (G, HUN, Wigan) – empréstimo
Brad Smith (LE, AUS, Bourneouth) – 3,6 milhões de euros
Joe Allen (M, GAL, Stoke City) – 15,5 milhões de euros
Jordon Ibe (M, ING, Bournemouth) – 18 milhões de euros
Martin Skrtel (Z, SVK, Fenerbahce) – 6 milhões de euros
Kolo Touré (Z, CMF, Celtic) – sem custo
João Carlos Teixeira (M, POR, Porto) – sem custo


BORUSSIA DORTMUND (ALE)

Chegam:
André Schürrle (MA, ALE, Wolfsburg) – 30 milhões de euros
Mario Götze (MA, ALE, Bayern de Munique) – 26 milhões de euros
Raphaël Guerreiro (LE, POR, Lorient) – 12 milhões de euros
Sebastian Rode (M, ALE, Bayern de Munique) – 14 milhões de euros
Emre Mor (A, TUR, Nordsjaelland) – 9,5 milhões de euros
Marc Bartra (Z, ESP, Barcelona) – 8 milhões de euros
Ousmane Dembélé (MA, FRA, Rennes) – 8 milhões de euros
Mikel Merino (M, ESP, Osasuna) – 3,75 milhões de euros
Jannik Bandowski (LE, ALE, 1860 Munique) – volta de empréstimo

Saem:
Moritz Leitner (M, ALE, Lazio) – 2 milhões de euros
Henrikh Mkhitaryan (MA, ARM, Manchester United) – 42 milhões de euros
Ilkay Gündogan (M, ALE, Manchester City) – 27 milhões de euros
Mats Hummels (Z, ALE, Bayern de Munique) – 38 milhões de euros


REAL MADRID (ESP)
Morata
Chegam:
Álvaro Morata (A, ESP, Juventus) – 30 milhões de euros
Lucas Silva (M, BRA, Olympique de Marselha) – volta de empréstimo
Marco Asensio (M, ESP, Espanyol) – volta de empréstimo
Fábio Coentrão (LE, POR, Monaco) – volta de empréstimo

Saem:
Jesé (A, ESP, PSG) – 25 milhões de euros
Borja Mayoral (A, ESP, Wolfsburg) – empréstimo
Álvaro Arbeloa (L, ESP, West Ham) – sem custo
Rubén Yañez (G, ESP) – sem custo


BAYERN DE MUNIQUE (ALE)
Bundesliga - "Borussia Dortmund v VfL Wolfsburg"
Chegam:
Mats Hummels (Z, ALE, Borussia Dortmund) – 38 milhões de euros
Renato Sanches (M, POR, Benfica) – 35 milhões de euros
Carlo Ancelotti (T, ITA) – sem custo

Saem:
Mario Götze (MA, ALE, Borussia Dortmund) – 26 milhões de euros
Mehdi Benatia (Z, MAR, Juventus) – empréstimo
Sebastian Rode (M, ALE, Borussia Dortmund) – 14 milhões
Serdar Tasci (Z, ALE, Spartak Moscou) – volta de empréstimo
Pep Guardiola (T, ESP, Manchester City) – sem custo