PUBLICIDADE
Topo

7 treinadores estrangeiros de 1º escalão que estão desempregados

Rafael Reis

12/01/2020 04h00

Não é por medo de não encontrar substitutos à altura do cargo que os principais clubes de futebol da Europa vão ter medo de demitir seus treinadores atuais nesta ou para a próxima temporada.

O mercado internacional de técnicos está neste momento cheio de nomes consagrados por trabalhos em times e seleções do primeiro escalão da modalidade que estão desempregados e à espera de uma recolocação profissional.

O "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo sete treinadores mundialmente famosos que atualmente estão sem emprego e que, certamente, aparecem nos pesadelos daqueles técnicos que estão balançando no cargo.

MAURICIO POCHETTINO
Argentino
47 anos
Último trabalho: Tottenham (2014-19)

Crédito: Michael Regan/Getty Images

O ex-zagueiro argentino dificilmente vai entrar na próxima temporada ainda desempregado. Afinal, Pochettino foi o técnico vice-campeão da última edição da Champions e tem um moral enorme no mercado. Sua carreira nos bancos de reserva se resume a três trabalhos: entre 2009 e 2012, dirigiu o Espanyol, depois passou um ano no Southampton e mais cinco no Tottenham, onde fez o mundo conhecer seu futebol vistoso e muito elaborado do ponto de vista tático. Demitido em novembro, Pochettino foi apontado pelo jornal inglês "Daily Telegraph" como o favorito da diretoria do Manchester City para assumir a equipe caso Pep Guardiola opte por ir embora no meio do ano.

MASSIMILIANO ALLEGRI
Italiano
52 anos
Último trabalho: Juventus (2014-19)

Crédito: Stefano Rellandini/Reuters

Campeão de seis das últimas nove edições do Campeonato Italiano, aproveitou que foi demitido da Juventus, no encerramento da última temporada, para descansar um pouco. Em junho, Allegri anunciou que irá tirar um ano sabático e que só estará disponível para aceitar novas propostas de emprego no segundo semestre de 2020. Mesmo ainda com bastante antecedência, o ex-comandante da equipe de Turim é o favorito para ser o técnico da seleção italiana depois da próxima Eurocopa. No entanto, também tem tido seu nome ligado a Manchester United, Milan e Paris Saint-Germain.

UNAI EMERY
Espanhol
48 anos
Último trabalho: Arsenal (2018-19)

Crédito: Catherine Ivill/Getty Images

O treinador que levou o Sevilla a três títulos da Liga Europa já teve duas oportunidades em clubes de um degrau mais alto, mas não se deu muito bem em nenhum deles. No Paris Saint-Germain, ganhou um título francês, perdeu outro e nem passou perto de vencer a Champions. Já no Arsenal, durou pouco mais de uma temporada. Desempregado desde novembro, Emery revelou nos últimos dias que planeja retornar para o futebol espanhol.

NIKO KOVAC
Croata
48 anos
Último trabalho: Bayern de Munique (2018-19)

Crédito: Uwe Anspach / DPA / AFP

Apesar de ter conquistado o título alemão da temporada passada, o ex-jogador da seleção da Croácia sempre foi muito questionado no comando do Bayern de Munique. Kovac teve problemas com alguns dos principais astros do clube, como Thomas Müller, e falhou na tentativa de recolocar o bávaro na briga pela Liga dos Campeões. Em 2019/20, em meio a um início de temporada desastroso, o croata perdeu o emprego depois de ser goleado por 5 a 1 pelo Eintracht Frankfurt, curiosamente o time que dirigia antes de ser contratado pelo Bayern.

ARSÈNE WENGER
Francês
70 anos
Último trabalho: Arsenal (1996-2018)

Crédito: AFP

Depois de marcar época no futebol inglês e permanecer durante 22 temporadas à frente do Arsenal, o treinador francês já está parado há um ano e meio. Quando muita gente imaginava que a carreira de Wenger havia chegado ao fim, o técnico anunciou em maio passado que chegou o momento de retornar ao futebol. O ex-comandante do clube londrino, no entanto, ainda não revelou qual será seu destino e nem que função pretende executar daqui para frente.

LUCIANO SPALETTI
Italiano
60 anos
Último trabalho: Inter de Milão (2017-2019)

Crédito: Stefano Rellandini/Reuters

O veterano treinador já teve dias mais gloriosos. Na década passada, Spaletti ganhou duas edições da Copa Itália e chegou a ser um candidato real ao título da Série A com a Roma. Depois, foi bicampeão russo pelo Zenit São Petersburgo. Apesar de já não estar mais tão em alta, ele ainda consegue oportunidades interessantes de trabalho. Nas últimas temporadas, trabalhou na Inter de Milão. Nesta, foi especulado para assumir Milan e Fiorentina.

ALEJANDRO SABELLA
Argentino
65 anos
Último trabalho: Seleção argentina (2011-2014)

Crédito: Pedro Ugarte/AFP

Último treinador a conseguir um resultado expressivo com a Argentina, o vice-campeão da Copa do Mundo-2014 está sem trabalhar desde que deixou o comando da seleção de Lionel Messi. Nos últimos cinco anos e meio, Sabella deu uma desaparecida do cenário internacional do futebol devido a inúmeros problemas de saúde (cardíacos e um câncer na laringe). No entanto, o treinador jamais anunciou a aposentadoria e pode voltar em breve à beira dos gramados.


Mais de Cidadãos do Mundo

Coutinho no topo: os reforços mais caros da história da janela de janeiro
Dá para não gostar de Messi? 5 boleiros que já detonaram o argentino
Janela já movimentou R$ 1,5 bi em janeiro; conheça os reforços mais caros
Immobile aproveita férias de Lewandowski e alcança topo da Chuteira de Ouro

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Rafael Reis