Blog do Rafael Reis

Por onde andam 7 ex-jogadores do Atlético de Madri que “sumiram”?
Comentários Comente

Rafael Reis

Como está a carreira daquele jogador que já teve seus momentos de glória em um dos grandes clubes do futebol europeu, mas que hoje anda um tanto quanto sumido, vestindo uma camisa menos tradicional e atuando por um campeonato que gera menos repercussão midiática?

É para responder a essa pergunta que o “Blog do Rafael Reis” publica desde o fim de novembro a seção “Por Onde Anda? – Times Internacionais”. Durante as próximas semanas, revelaremos os paradeiros de vários jogadores que estão nessa situação.

Nesta quinta-feira, mostramos os destinos de sete ex-jogadores do Atlético de Madri. Na semana que vem, será a vez de desvendarmos os paradeiros de atletas que passaram pelo Manchester City.

FERNANDO TORRES
Atacante
34 anos
Espanhol
Sagan Tosu (JAP)

Crédito: Juan Medina/Reuters

Quinto maior artilheiro da história do Atleti, com 130 gols, foi a grande revelação das categorias de base do clube neste século. Lá no começo dos anos 2000, El Niño ajudou o time a retornar para a primeira divisão espanhola. Já em sua segunda passagem, foi vice-campeão europeu de 2016 e faturou o título da Liga Europa deste ano. Logo após a conquista, mudou-se para o Japão. No modesto Sagan Tosu, Torres usa a braçadeira de capitão e soma só quatro gols em 19 partidas.

GABI
Volante
35 anos
Espanhol
Al Sadd (QAT)

Crédito: Divulgação

Capitão colchonero durante a maior parte da era Simeone, passou quase toda a carreira vestindo a camisa vermelha e branca. Em julho, após dez temporadas atuando no time principal atleticano (divididas em duas passagens), decidiu ir embora para o futebol asiático. Enquanto Torres escolheu o Japão como morada, Gabi foi para o país-sede da próxima Copa do Mundo. No Qatar, é companheiro de meio-campo de Xavi, lenda do futebol espanhol e do Barcelona.

YANNICK CARRASCO
Meia-atacante
25 anos
Belga
Dalian Yifang (CHN)

Crédito: Cesar Manso/AFP

Integrante da geração belga que foi semifinalista da última Copa do Mundo, o meia-atacante e também ala esquerdo fez bastante sucesso com a camisa atleticana durante duas temporadas e meia e até chegou a ser cogitado como reforço de clubes de alto escalão da Inglaterra. Ainda na primeira metade da carreira como profissional, Carrasco surpreendeu em fevereiro ao anunciar a decisão de se transferir para a China. Em sua temporada de estreia no Oriente, o belga conheceu uma nova (e incômoda) situação: acabou lutando para manter o Dalian Yifang na primeira divisão.

ALESSIO CERCI
Meia-atacante
31 anos
Italiano
Ankaragücü (TUR)

Crédito: Divulgação

O italiano vivia grande momento no Torino quando foi contratado por 15 milhões de euros (R$ 65 milhões), quatro anos atrás. Mas o Atleti acabou sendo um divisor na carreira de Cerci. O jogador disputou apenas 11 partidas pelo clube, e nunca mais conseguiu retomar o caminho do bom futebol. Nesta temporada, assinou um contrato de risco, válido por apenas um ano, com o Ankaragücü, atual campeão da segunda divisão turca.

JACKSON MARTÍNEZ
Atacante
32 anos
Colombiano
Portimonense (POR)

Crédito: Divulgação

Contratado a peso de ouro (42 milhões de euros, R$ 182 milhões), foi uma tentativa atleticana de repetir o sucesso de outro centroavante colombiano, Radamel Falcao García. Só que ao contrário do compatriota, Martínez pouco fez pelo clube e permaneceu em Madri por apenas sete meses até ser negociado com o futebol chinês. Já veterano, ele agora tenta recuperar um pouco do seu prestígio no modesto Portimonense, de Portugal, onde atua ao lado dos brasileiros Jubal (ex-Santos) e Leonardo (ex-São Paulo).

CRISTIAN RODRÍGUEZ
Meia
33 anos
Uruguaio
Peñarol (URU)

Crédito: Divulgação

Cebolla, como é conhecido, tem mais de 100 jogos pela seleção uruguaia e disputou as duas últimas Copas do Mundo. Pelo Atlético, foi campeão da Copa do Rei em 2013 e espanhol no ano seguinte. De volta ao Uruguai desde o ano passado, continua sendo competitivo. Nesta temporada, foi dele o gol que deu ao Peñarol o título nacional.

EMRE BELÖZOGLU
Meia
38 anos
Turco
Istambul Basaksehir (TUR)

Crédito: Murad Sezer/Reuters

Companheiro de Ronaldo Fenômeno na Inter de Milão no começo do século, o meia teve uma passagem de apenas um semestre pelo Atlético entre 2012 e 2013 e não deixou saudades na Espanha. Mas, aos 38 anos, Emre ainda é um nome importante do futebol turco, tanto que é o capitão e líder dentro de campo do Basaksehir, líder do campeonato nacional e maior ameaça à supremacia de Fenerbahce, Galatasaray e Besiktas.


Mais de Cidadãos do Mundo

5 artilheiros do futebol sul-americano para seu clube contratar em 2019
Por onde andam 7 ex-jogadores do Real Madrid que ''sumiram''?
7 ''loucuras'' para seu clube fazer no Mercado da Bola em 2019
Com CR7 no topo, conheça os 10 jogadores de maior sucesso no Instagram


Mundial de Clubes tem 7 jogadores brasileiros; conheça cada um deles
Comentários 4

Rafael Reis

Team Wellington (Nova Zelândia) e Al-Ain (Emirados Árabes Unidos) abrem nesta quarta-feira, a partir das 13h30 (de Brasília), a 15ª edição do Mundial de Clubes da Fifa.

Diferentemente do ano passado, quando o Grêmio chegou à decisão e acabou derrotado pelo Real Madrid, desta vez nenhum clube brasileiro estará presente na competição que fecha o calendário internacional de 2018.

Mas isso não significa que o futebol pentacampeão mundial não estará representado nos gramados árabes. Sete jogadores brasileiros (de três times diferentes) foram inscritos no torneio. Apresentamos abaixo cada um deles.

VINÍCIUS JÚNIOR
Atacante
18 anos
Real Madrid (ESP)

Crédito: Paul White/AP Photo

Relegado ao time B nos primeiros meses da temporada, o jovem passou a receber mais minutos nas últimas semanas e se tornou uma das apostas do técnico Santiago Solari para a segunda metade da temporada europeia. A cria das categorias de base do Flamengo participou de cinco dos últimos nove jogos do Real Madrid. Nesse período, marcou dois gols e distribuiu mais três assistências. De quebra, ganhou elogios do seu treinador: ''superou as expectativas''.

MARCELO
Lateral esquerdo
30 anos
Real Madrid (ESP)

Crédito: Denis Doyle/Getty Images

Um dos ícones do Real, já conquistou três títulos do Mundial (2014, 2016 e 2017) pelo atual tricampeão europeu e foi inscrito na competição mesmo não estando em suas melhores condições físicas. Marcelo vem se recuperando de problemas musculares. Por isso, participou de apenas três dos últimos nove compromissos da equipe no Campeonato Espanhol e vem sendo utilizado à conta-gotas por Solari.

CASEMIRO
Volante
26 anos
Real Madrid (ESP)

Crédito: Oscar del Pozo/AFP

Titular absoluto do meio-campo espanhol, o volante brasileiro é outro que vem sofrendo com questões médicas nesta temporada. Casemiro está fora de ação há um mês devido a uma entorse no tornozelo direito e chegou a ser cortado dos últimos amistosos da seleção. Em reta final de recuperação, o ex-São Paulo pode retornar à equipe justamente na semifinal do Mundial, no dia 19, contra Kashima Antlers ou Chivas Guadalajara.

LEANDRO
Meia-atacante
25 anos
Kashima Antlers (JAP)

Crédito: Divulgação

Ex-Grêmio, Palmeiras, Santos e Coritiba, já defendeu até a seleção brasileira em um amistoso contra a Bolívia em 2013. No Japão desde o ano passado, foi desfalque durante a maior parte da temporada 2018 da J-League em virtude de cirurgias no joelho direito. Leandro só voltou a defender o Kashima no fim do mês passado e disputou apenas duas partidas antes de desembarcar no Mundial de Clubes.

SERGINHO
Meia
23 anos
Kashima Antlers (JAP)

Crédito: Divulgação

Após defender o América-MG no primeiro semestre, o meia foi contratado do Santos há apenas quatro meses. Mesmo com pouco tempo no Oriente, Serginho já é uma peça central do Kashima e foi essencial na conquista inédita da Liga dos Campeões da Ásia. O brasileiro balançou as redes em cinco das seis partidas disputadas pelo clube japonês a partir das quartas de final do torneio continental.

LÉO SILVA
Volante
32 anos
Kashima Antlers (JAP)

Crédito: Divulgação

O mais velho dos jogadores brasileiros inscritos neste Mundial já é um veterano de futebol japonês. Ex-Cruzeiro e Botafogo, Léo Silva joga na Ásia desde 2013 e está em sua segunda temporada pelo Kashima. Autor de um dos gols da vitória sobre o iraniano Persepolis na final da Champions asiática, o volante chega ao Mundial em fase de recuperação de uma contusão muscular.

CAIO LUCAS
Meia-atacante
24 anos
Al-Ain (EAU)

Crédito: Divulgação

O brasileiro é um dos principais jogadores do representante do país-sede do Mundial. Dispensado das categorias de base do São Paulo, Caio Lucas conseguiu se transformar em jogador profissional de futebol graças a uma bolsa de estudos que ganhou para estudar e atuar no Japão. Com a carreira toda construída na Ásia, o meia-atacante está na mira do Porto e pode se mudar para Portugal na próxima temporada.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Dispensado do São Paulo, brasileiro estudou no Japão e vai disputar Mundial
5 jogadores para seu clube repatriar do futebol dos EUA em 2019
7 jogadores para seu clube repatriar do futebol asiático em 2019
Em quais clubes da Europa os craques do futebol brasileiro se encaixariam?


Ex-xodó de Tite, Taison é quem mais erra em domínios de bola na Champions
Comentários 3

Rafael Reis

Integrante do elenco da seleção brasileira que disputou a última Copa do Mundo, o atacante Taison tem tido dificuldade para ficar com a bola na Liga dos Campeões.

Segundo o site ''WhoScored?'', que faz o levantamento das estatísticas dos principais campeonatos de futebol do planeta, o camisa 7 e capitão do Shakhtar Donetsk é o jogador que mais errou no domínio de bola nesta edição do torneio europeu.

Crédito: Divulgação

Nas primeiras cinco rodadas da fase de grupos, Taison não conseguiu controlar 18 passes que recebeu dos seus companheiros. A média de 4,5 falhas por partida (não atuou contra o Manchester City devido a uma contusão no joelho) é mais alta do que a de qualquer outro atleta inscrito na temporada 2018/19 da Champions.

O segundo jogador que mais errou no domínio de bolas até o momento é o atacante marfinense Roger Assalé, do Young Boys, com média de 4,4 a cada 90 minutos. O meia marroquino Hakim Ziyech vem em terceiro, com 4,3 deslizes por jogo.

O top 10 desse fundamento tinha até o início da última rodada a presença de outros dois brasileiros, ambos companheiros de Taison na Copa-2018: Neymar, do Paris Saint-Germain, ocupava a quarta colocação (4,2), enquanto Philippe Coutinho, do Barcelona, era o décimo (3,4).

A quantidade elevada de erros cometidos na Champions pelo ex-atacante do Internacional está ligada ao fato de ele ser a principal referência ofensiva do Shakhtar e também o alvo principal dos seus companheiros nos momentos em que o clube ucraniano se lança ao ataque.

Dos sete gols marcados por sua equipe na Champions, o brasileiro participou ativamente de três. Foram duas bolas nas redes e uma assistência na vitória por 3 a 2 sobre o Hoffenheim, na rodada passada, que deu sobrevida ao clube na competição.

Nesta quarta, o Shakhtar recebe o Lyon em confronto direto pela classificação para a próxima fase. O time é o terceiro colocado do Grupo F, com cinco pontos, dois a menos que os franceses. Se vencer a partida desta quarta, irá para as oitavas de final. Caso contrário, dará adeus à competição. A outra vaga da chave já é do Manchester City.

Taison tem 30 anos, mas só jogou em três clubes ao longo da carreira: Inter, Metalist Kharkiv (UCR) e seu time atual, onde está desde 2013. Ele estreou pela seleção principal em 2016, no início da era Tite, disputou oito partidas e marcou um gol (no amistoso contra a Austrália, no ano passado).

Convocado para a Copa, passou o tempo todo no banco de reservas. Após o Mundial, não voltou a ser chamado para vestir a amarelinha.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Dispensado do São Paulo, brasileiro estudou no Japão e vai disputar Mundial
5 jogadores para seu clube repatriar do futebol dos EUA em 2019
7 jogadores para seu clube repatriar do futebol asiático em 2019
Em quais clubes da Europa os craques do futebol brasileiro se encaixariam?


Messi alcança Neymar, mas ainda não chega ao top 10 da Chuteira de Ouro
Comentários 17

Rafael Reis

A exibição de gala de Lionel Messi na goleada por 4 a 0 contra o Espanyol, no sábado, fez o astro do Barcelona subir algumas colocações no ranking da Chuteira de Ouro, mas ainda foi insuficiente para colocá-lo no top 10 do prêmio destinado ao maior artilheiro das competições nacionais da Europa na temporada.

O argentino, que é o atual campeão e maior vencedor da história do troféu, com cinco conquistas (2010, 2012, 2013, 2017 e 2018), marcou duas vezes no clássico da Catalunha, ambas em cobranças perfeitas de falta.

Crédito: Divulgação

Com a grande atuação, Messi chegou a 11 gols no Campeonato Espanhol e 22 pontos na Chuteira de Ouro. Agora, o craque está empatado com o brasileiro Neymar, do Paris Saint-Germain, na 13ª colocação.

A dupla está a nove pontos de distância do líder do ranking, o brasileiro Liliu, do estoniano Nömme Kalju, que já encerrou sua participação na temporada. Na prática, precisa marcar cinco vezes para tirar essa diferença.

Os únicos integrantes do top 10 que atuam em ligas de primeira grandeza do Velho Continente são Kylian Mbappé (PSG) e o argentino Emiliano Sala (Nantes), que dividem a liderança da artilharia do Campeonato Francês, com 12 gols, somam 24 pontos no prêmio e estão na sétima posição.

O Brasil não fatura o prêmio desde 2001/02, quando Jardel (Sporting) foi o goleador máximo da temporada. O ex-centroavante de Palmeiras e Grêmio também levantou a taça em 1998/99. Além dele, apenas Ronaldo (1996/97) já colocou o país no lugar mais alto do pódio.

Vencedor da última temporada, Messi marcou 34 gols no Espanhol e acumulou 68 pontos para conquistar a Chuteira de Ouro pela quinta vez na carreira.

“Blog do Rafael Reis” publica a cada terça-feira uma nova parcial da disputa.

Confira o top 10 da Chuteira de Ouro

1º – Liliu (BRA, Nömme Kalju) – 31 pontos (31 gols)
2º – Zakaria Beglarishvili (GEO, Flora Tallinn) – 30 pontos (30 gols)
Paulinho (BRA, BK Häcken) – 30 pontos (20 gols)
4º – Patrick Hoban (IRL, Dundalk) – 29 pontos (29 gols)
5º – Roman Debelko (UCR, Levadia) – 27 pontos (27 gols)
Linus Hallenius (SUE, Sundsvall) – 27 pontos (18 gols)
7º – Kylian Mbappé (FRA, Paris Saint-Germain) – 24 pontos (12 gols)
Mbaye Diagne (SEN, Kasimpasa) – 24 pontos (16 gols)
Emiliano Sala (ARG, Nantes) – 24 pontos (12 gols)
8º – Nikolay Komlichemko (RUS, Mlada Boleslav) – 22,5 pontos (15 gols)
Pavel Savitskiy (BLR, Dínamo Brest) – 22,5 pontos (15 gols)
Robert Skov (DIN, Copenhague) – 22,5 pontos (15 gols)


Mais de Cidadãos do Mundo

5 artilheiros do futebol sul-americano para seu clube contratar em 2019
Por onde andam 7 ex-jogadores do Real Madrid que ''sumiram''?
7 ''loucuras'' para seu clube fazer no Mercado da Bola em 2019
Com CR7 no topo, conheça os 10 jogadores de maior sucesso no Instagram


Dispensado do São Paulo, brasileiro estudou no Japão e vai disputar Mundial
Comentários 4

Rafael Reis

Um dos principais jogadores do Al Ain, atual campeão dos Emirados Árabes Unidos e que faz nesta quarta-feira a partida de abertura do Mundial de Clubes da Fifa, contra o Team Wellington, da Nova Zelândia, o meia-atacante Caio Lucas era um estudante de ensino médio até cinco anos atrás.

Até aí, nada muito fora do comum, já que em 2013 o jogador brasileiro tinha entre 18 e 19 anos. O que diferencia o camisa 7 do clube árabe da maior parte dos seus compatriotas é onde ele estudava.

Crédito: Divulgação

Caio passou os últimos anos de sua vida escolar no Japão, usufruindo de uma bolsa concedida pelo Chiba Kokusai High School, colégio da cidade de Narita que costuma mandar olheiros ao Brasil uma vez por ano para captar atletas-estudantes aptos a reforçar seu time de futebol.

“Eu tinha acabado de ser dispensado das categorias de base do São Paulo. Essa foi uma luz no fim do túnel que apareceu para mim. Eles estavam fazendo testes em Birigui [a 513 km da capital paulista] e me deram cinco minutos para eu mostrar do que era capaz. Graças a Deus, deu certo”, afirmou.

O meia-atacante era um adolescente apenas 16 anos quando surgiu o convite de mudança para o Oriente. Seu pai o apoiou de imediato. Mas a dupla precisou convencer a mãe para que a viagem realmente acontecesse. “Cresci muito rápido por causa dessa experiência. Apesar de eu ser atleta, tinha que frequentar normalmente a escola. Tinha que estudar, tirar notas boas. Era tudo normal”, contou.

Logo depois de sair do colégio, Caio arranjou um contrato com o Kashima Antlers, um dos times mais poderosos do Japão e representante da Ásia no Mundial-2018. O brasileiro permaneceu por lá durante duas temporadas e meia, período em que ganhou um título da primeira divisão e o prêmio de calouro do ano do futebol nipônico (2014).

Em 2016, foi negociado com o Al Ain. Rapidamente, virou um dos nomes mais importantes da equipe. Na atual temporada, é o jogador do seu clube com mais passes para gol no Campeonato dos Emirados Árabes –sete assistências em 12 jogos.

O sucesso na Ásia despertou a atenção do futebol europeu. De acordo com vários veículos da imprensa portuguesa, o brasileiro está na mira do Porto e pode se transferir para lá na próxima temporada.

Segundo o jornal “A Bola”, um dos principais do país, o clube até enviou um representante aos Emirados Árabes para acompanhar Caio no torneio da Fifa e negociar sua transferência para 2019/20.

“É claro que quero jogar na Europa. Esse é o sonho de todo jogador, e comigo não é diferente. O Mundial é uma vitrine ótima para conseguir realizar esse objetivo”, completou.

Além de Al Ain, Team Wellington e Kashima Antlers, outros quatro clubes disputam a edição de 2018 da competição que reúne os campeões continentais do ano: Espérance (Tunísia), Chivas Guadalajara (México), Real Madrid (Espanha) e River Plate (Argentina). A final da competição está marcada para o dia 22 de dezembro, em Abu Dhabi.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

5 jogadores para seu clube repatriar do futebol dos EUA em 2019
7 jogadores para seu clube repatriar do futebol asiático em 2019
Em quais clubes da Europa os craques do futebol brasileiro se encaixariam?
7 destaques que o futebol brasileiro pode perder para o exterior em 2019


Conheça o time que pede à Disney para ter Jack Sparrow na camisa
Comentários Comente

Rafael Reis

Jack Sparrow, personagem de Johnny Depp na série de filmes “Piratas do Caribe”, estará nos gramados da primeira divisão peruana na próxima temporada. Pelo menos, esse é o desejo do Molinos El Pirata, caçula da elite do país.

O clube, que foi fundado há três anos e conquistou o acesso graças à conquista da Copa Peru, solicitou à Disney, dona da franquia de longas-metragens, autorização para utilizar a figura do capitão em 2019.

Crédito: Divulgação

Até setembro, Jack Sparrow podia ser visto no escudo e também no peito da camisa da equipe. Mas sua presença no uniforme era totalmente ilegal, ou seja, pirataria.

A prova disso é que o Molinos El Pirata abriu mão do personagem assim que o caso começou a ficar conhecido internacionalmente por temer ser processado pelo uso indevido da imagem do astro da série.

No lugar de Jack Sparrow, o clube passou a ostentar uma versão genérica do personagem, um pirata qualquer, mas com trajes muito semelhantes aos usados pelo personagem hollywoodiano.

''A imagem deste pirata tem sido parte de nossa campanha. Acreditamos que não deve haver problemas, já que a área da Disney não é o futebol'', afirmou o presidente do Molinos, Manuel Aguinaga, em entrevista ao jornal “Depor”.

O clube pertence a uma empresa do ramo alimentício e foi batizado por causa do arroz “El Pirata”, um dos carros-chefes do seu proprietário. O nome do produto (e, consequentemente, da equipe) é uma homenagem póstuma do dono da empresa a seu irmão, que morreu devido a uma doença na visão e precisou usar tapa-olho durante o processo.

O time da cidade de José Leonardo Ortiz, que possui cerca de 150 mil habitantes, ainda é amador, mas deve se profissionalizar para disputar a primeira divisão peruana na próxima temporada. O acesso para a elite se deu justamente pela conquista de um torneio (Copa Peru) que é disputado por equipes cujos jogadores normalmente não vivem apenas de futebol.

Os “Piratas do Caribe” são uma das séries cinematográficas de maior sucesso deste século. Ao todo, já foram lançados cinco filmes de longa duração, um curta, além de games, livros e animações.


Mais de Clubes

– Não são só os Emirados: Dinheiro da China também sustenta o City
– Peñarol dá comida e médico para ex-jogadores em dificulddaes financeiras
– Hotel do Boca tem Maradona na porta e diárias a partir de R$ 280
– Conheça o clube argentino que tem nome do River e uniforme do Boca


5 jogadores para seu clube repatriar do futebol dos EUA em 2019
Comentários 9

Rafael Reis

Nos últimos anos, vários jogadores brasileiros conhecidos foram tentar a sorte no futebol dos Estados Unidos. Kaká, Júlio Baptista e Kléberson são alguns dos nomes mais famosos que viveram o “american dream”.

Evidentemente, alguns deles ficaram por lá até a aposentadoria. Outros, porém, já foram ou ainda podem ser resgatados por times brasileiros para queimarem um pouquinho mais de suas lenhas por aqui.

Apresentamos abaixo cinco sugestões de jogadores brasileiros que estão nos EUA e que poderiam reforçar algum clube do Brasil na próxima temporada.

ILSINHO
Meia-atacante
33 anos
Philadelphia Union (EUA)

Crédito: Divulgação

Ex-Palmeiras, São Paulo e Internacional, é hoje um dos nomes brasileiros mais conhecidos que atuam na MLS (Major League Soccer), a elite do futebol nos EUA. O ex-lateral que virou meia-atacante acabou de encerrar sua terceira temporada pelo Philadelphia Union e recentemente renovou seu contrato até novembro de 2019. Ilsinho já falou algumas vezes que hoje está mais preocupado com qualidade de vida do que com ganhos financeiros, o que torna um pouco mais difícil o seu retorno. Mas difícil não é impossível.

DANILO SILVA
Zagueiro
32 anos
Los Angeles FC (EUA)

Crédito: Divulgação

O zagueiro, que também passou pelo São Paulo, é um novato no futebol dos EUA. Emprestado pelo Internacional em agosto, Danilo Silva defendeu o Los Angeles FC em apenas 11 partidas e fez um gol nos playoffs da MLS. Caso seu empréstimo não seja renovado ou nem aconteça uma outra negociação, o zagueiro estará novamente à disposição do Inter para a próxima temporada.

IBSON
Meia
35 anos
Minnesota United (EUA)

Jogador com passagens por Flamengo, Santos, Corinthians e futebol europeu (Porto, Spartak Moscou e Bologna), o meia pode ser uma opção interessante para o clube que precisa de alguém experiente para a próxima temporada. Após defender o Minnesota United nos últimos quatro anos, Ibson terá de procurar uma nova equipe para defender em 2019, já que seu contrato chega ao fim em dezembro e não será renovado.

FERNANDO BOB
Volante
30 anos
Minnesota United (EUA)

Crédito: Divulgação

Companheiro de Ibson na última temporada norte-americana, o ex-volante de Fluminense, Internacional e Ponte Preta é outro que está com o futuro indefinido para o próximo ano. Assim como o colega de time, Fernando Bob tem contrato apenas até o fim de 2018. Novato no “soccer”, o brasileiro só disputou sete partidas da MLS e saiu de campo derrotado em cinco delas.

ARTUR
Volante
22 anos
Columbus Crew (EUA)

Crédito: Divulgação

Formado nas categorias de base do São Paulo, o volante é hoje um dos principais nomes brasileiros da MLS. Artur é titular absoluto do Columbus Crew, quadrifinalista da liga neste ano. Com o sucesso nos EUA, ele acabou contratado em definitivo pela equipe de Ohio. Mas uma volta ao Brasil pode ser a oportunidade de ficar conhecido em seu país natal.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

7 jogadores para seu clube repatriar do futebol asiático em 2019
Em quais clubes da Europa os craques do futebol brasileiro se encaixariam?
7 destaques que o futebol brasileiro pode perder para o exterior em 2019
Neymar entra no top 10 da Chuteira de Ouro e fica a 5 gols da liderança


5 artilheiros do futebol sul-americano para seu clube contratar em 2019
Comentários 4

Rafael Reis

Miguel Borja, Paolo Guerrero, Jonathan Calleri, Hernán Barcos. Não são raros os casos de centroavantes sul-americanos que fizeram sucesso no futebol brasileiro ao longo dos últimos anos.

O raciocínio é simples: se os melhores camisas 9 do país pentacampeão mundial estão no exterior, por que não importar aqueles que estão se destacando nos nossos vizinhos continentais?

Pensando nisso, o “Blog do Rafael Reis” apresenta abaixo cinco homens de frente que são artilheiros dos seus países nesta temporada e que poderiam tranquilamente jogar no Brasil no próximo ano.

EMANUEL GIGLIOTTI
Atacante
31 anos
Argentino
Independiente (ARG)

Crédito: AP Photo

Centroavante do estilo antigo, daqueles que passam a maior parte dentro da área adversária, têm porte físico avantajado e são bons nas jogadas aéreas, Gigliotti vive o melhor momento da sua carreira. Não à toa, é o artilheiro do Campeonato Argentino, com 12 gols em 13 partidas, e maior nome do Independiente, que foi até as quartas de final da Libertadores. Por já ter passado dos 30 anos, dificilmente será negociado com o futebol europeu, o que facilita sua chegada ao Brasil.

GERMÁN CANO
Atacante
30 anos
Argentino
Independiente Medellín (COL)

Crédito: Reprodução

O goleador do Campeonato Colombiano já meteu 30 bolas nas redes nesta edição da competição e começa a decidir neste fim de semana o título da temporada. Assim como Gigliotti, o centroavante do Independiente Medellín não tem mais muitas chances de emplacar uma carreira na Europa. Por outro lado, há rumores na Colômbia de que ele possa rumar na próxima temporada para o Real Salt Lake City, dos EUA.

ÓSCAR CARDOZO
Atacante
35 anos
Paraguaio
Libertad (PAR)

Crédito: Reuters

O centroavante que lidera a artilharia do Torneio Clausura, o Campeonato Paraguaio disputado no segundo semestre, é um veterano com longa trajetória no futebol europeu. Óscar Cardozo defendeu durante sete temporadas o Benfica e também jogou na Turquia e na Grécia. Ele retornou para o Paraguai em 2017 e ainda é um dos maiores astros do país. No Brasil, poderia brilhar com a camisa de uma equipe de médio escalão.

GABRIEL FERNÁNDEZ
Atacante
24 anos
Uruguaio
Peñarol (URU)

Crédito: Reprodução

É sempre bom ficar de olho nas novidades ofensivas de um país que se destaca por formar atacantes, como Luis Suárez e Edinson Cavani. No Torneio Clausura, a reta final do Campeonato Uruguaio, quem se destacou lá na frente foi Gabriel Fernández. Conhecido como “El Toro”, o jogador marcou nove vezes e ajudou o Peñarol a conquistar o título. Essa foi a primeira temporada do atacante em um clube grande do Uruguai. Até janeiro, ele defendia o pouco expressivo Racing.

JHON CIFUENTE
Atacante
26 anos
Equatoriano
Universidad Católica (EQU)

Crédito: Reprodução

O camisa 16 da Universidad Católica já foi especulado pelo Santos no meio do ano e continua sendo uma boa para a maior parte dos clubes da primeira divisão brasileira. Cifuente marcou nada menos do que 37 gols nesta edição do Campeonato Equatoriano e se tornou o segundo maior artilheiro da história país em um único ano (o recorde pertence a Jaime Kaviedes, que fez 43 em 1998).


Mais de Cidadãos do Mundo

Por onde andam 7 ex-jogadores do Real Madrid que ''sumiram''?
7 ''loucuras'' para seu clube fazer no Mercado da Bola em 2019
Com CR7 no topo, conheça os 10 jogadores de maior sucesso no Instagram
Final da Libertadores custa R$ 7 mil para torcedores argentinos


7 jogadores para seu clube repatriar do futebol asiático em 2019
Comentários 3

Rafael Reis

Onde seu clube irá buscar reforços para a próxima temporada? Nas categorias de base? Em times da segunda ou da terceira divisão? Talvez no arquirrival? Ou até mesmo no exterior, já que os países sul-americanos sempre produzem bons jogadores e os clubes europeus normalmente têm um ou outro brasileiro querendo voltar para casa?

Mas é possível também encontrar opções de atletas para contratar lá do outro lado do mundo. China e Japão são dois países que investem bastante em brasileiros. E o trânsito é de mão de dupla: sempre há alguém chegando e também os que estão saindo.

Assim, o “Blog do Rafael Reis” apresenta abaixo sete opções de jogadores que estão no mercado asiático para o seu time de coração repatriar em 2019.

DIEGO TARDELLI
Atacante
33 anos
Shandong Luneng (CHN)

Um dos sonhos de consumo do mercado brasileiro para o próximo ano, o atacante anunciou na última quarta-feira que está de saída do Shandong Luneng, clube que defende desde o começo de 2015 e pelo qual anotou mais de 50 gols. Diego Tardelli está na mira de Corinthians e Atlético-MG. No entanto, existe também a possibilidade de ele não retornar ao Brasil e assinar com outro clube na China.

RICARDO GOULART
Atacante
27 anos
Guangzhou Evergrande (CHN)

Crédito: AFP Photo/STR

Outro objetivo antigo dos times mais endinheirados do país, o ex-jogador do Cruzeiro acumulou três títulos chineses, uma Liga dos Campeões da Ásia e um prêmio de melhor jogador do continente durante as quatro temporadas em que vestiu a camisa do Guangzhou Evergrande. A proximidade do fim do seu contrato, que termina em janeiro de 2020, facilita uma possível saída.

GIL
Zagueiro
31 anos
Shandong Luneng (CHN)

Crédito: Divulgação

Assim como Goulart, tem mais um ano de contrato no futebol chinês. Gil sempre aparece na lista de possíveis compras dos clubes brasileiros que precisam de um zagueiro de alto nível para chegar como titular. No primeiro semestre, o ex-Corinthians chegou a ter uma conversa com o Palmeiras. Nesta janela de transferências, é bem provável que outros times o procurem para falar sobre a possibilidade de um retorno.

RAMIRES
Meia
31 anos
Jiangsu Suning (CHN)

Crédito: VCG/Getty Images

Eis aqui uma grande oportunidade. O ex-jogador do Cruzeiro defendeu a seleção brasileira em duas Copas do Mundo (2010 e 2014), foi campeão da Liga dos Campeões da Europa pelo Chelsea (2012) e é uma das dez contratações mais caras da história do futebol chinês. Mesmo com esse currículo riquíssimo, o brasileiro ficou sem espaço no Jiangsu Suning na última temporada. O meia não disputa uma partida oficial desde maio, já que não foi inscrito na segunda metade do campeonato nacional porque seu clube estourou o limite de estrangeiros.

ALAN KARDEC
Atacante
29 anos
Chongqing Dangdai Lifan (CHN)

Crédito: Divulgação

O centroavante vive grande momento na China. Com 16 gols em 28 partidas, ficou no top 10 dos artilheiros da última temporada da Superliga. O que poderia ajudar Alan Kardec a voltar ao Brasil é o fato de seu clube, Chongqing Dangdai Lifan, não ser tão forte assim. No recém-encerrado campeonato, a equipe lutou contra o rebaixamento até o fim e só escapou do descenso nos critérios de desempate.


Atacante
31 anos
Nagoya Grampus (JAP)

Crédito: Divulgação

O primeiro dos quatro anos de contrato do centroavante no Japão foi ótimo. Jô foi o artilheiro da J-League e ajudou o Nagoya Grampus a escapar do rebaixamento. Um retorno para o Brasil já na próxima temporada dificilmente teria razões financeiras ou de adaptação ao Oriente. O atacante só volta para casa agora se ainda nutrir esperanças de jogar pela seleção brasileira e quiser encurtar o caminho para uma convocação.

SOUZA
Volante
30 anos
Cerezo Osaka (JAP)

Crédito: Divulgação

O ex-volante de Palmeiras, Cruzeiro e Santos acabou de encerrar sua terceira temporada no Japão, país onde já conquistou dois títulos de copas nacionais. O grande atrativo para uma possível volta ao Brasil em 2019 é o fim do seu contrato com o Cerezo Osaka. O vínculo de Souza termina no último dia deste ano. Ou seja, ele está livre para assinar com quem quiser visando a próxima temporada.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Em quais clubes da Europa os craques do futebol brasileiro se encaixariam?
7 destaques que o futebol brasileiro pode perder para o exterior em 2019
Neymar entra no top 10 da Chuteira de Ouro e fica a 5 gols da liderança
7 brasileiros ''esquecidos'' no exterior para seu time contratar em 2019


Por onde andam 7 ex-jogadores do Real Madrid que “sumiram”?
Comentários 9

Rafael Reis

Como está a carreira daquele jogador que já teve seus momentos de glória em um dos grandes clubes do futebol europeu, mas que hoje anda um tanto quanto sumido, vestindo uma camisa menos tradicional e atuando por um campeonato que gera menos repercussão midiática?

É para responder a essa pergunta que o “Blog do Rafael Reis” publica desde o fim de novembro a seção “Por Onde Anda? – Times Brasileiros”. Durante as próximas semanas, revelaremos os paradeiros de vários jogadores que estão nessa situação.

Nesta quinta-feira, mostramos os destinos de sete ex-jogadores do Real Madrid. Na semana que vem, será a vez de desvendarmos os paradeiros de atletas que passaram pelo Atlético de Madri.

PEPE
Zagueiro
35 anos
Português
Besiktas (TUR)

Crédito: Javier Soriano/AFP Photo

O alagoano que se naturalizou português e formou com Sergio Ramos uma das duplas de zaga mais vencedoras da história do Real Madrid deixou a Espanha no ano passado para buscar novos ares na reta final de sua carreira. Hoje, Pepe é uma das maiores estrelas do Campeonato Turco e lidera a defesa do Besiktas, um dos grandes do país. Só que na atual temporada, o time do zagueiro tem deixado a desejar: é só o terceiro colocado na liga e está seis pontos atrás do líder, Basaksehir.

FÁBIO COENTRÃO
Lateral esquerdo
30 anos
Português
Rio Ave (POR)

Crédito: Getty Images

Em seus primeiros dias de Real, o lateral português chegou a colocar Marcelo no banco de reservas. Mas o sucesso de Coentrão durou pouco. Com sérias deficiências defensivas, o jogador foi perdendo espaço na equipe espanhola e acabou emprestado para Monaco e Sporting. Sem conseguir recuperar o bom futebol, foi liberado no começo da temporada para defender o nanico Rio Ave, onde tem atuado como meia-atacante pela direita.

JESÉ
Meia-atacante
25 anos
Espanhol
Paris Saint-Germain (FRA)

Crédito: Javier Soriano/AFP Photo

Pouca gente se lembra, mas o jogador que surgiu muito bem no Real no começo da década e desandou depois de uma cirurgia no joelho ainda faz parte do elenco do PSG. Jesé foi contratado pelos franceses em 2016, mas disputou apenas 14 partidas. Após empréstimos para Las Palmas e Stoke City, voltou para o clube. Só que Jesé não está nos planos do técnico Thomas Tuchel, tanto que não foi inscrito na Liga dos Campeões e nem relacionado para nenhum jogo oficial desta temporada.

EMMANUEL ADEBAYOR
Atacante
34 anos
Togolês
Basaksehir (TUR)

Crédito: Efe

O centroavante ficou pouco tempo na Espanha, apenas o primeiro semestre de 2011, quando foi emprestado pelo Manchester City ao Real. Hoje em dia, o togolês, que passou a maior parte da carreira na Premier League inglesa, faz sucesso na Turquia. Adebayor é uma das estrelas do Basaksehir, nova força do futebol do país, líder do campeonato nacional e que conta também com Gael Clichy (ex-City e Arsenal) e Arda Turan (ex-Barcelona e Atlético de Madri).

NURI SAHIN
Volante
30 anos
Turco
Werder Bremen (ALE)

Crédito: Angel Martinez/Getty Images

Considerado uma das maiores promessas do futebol europeu entre o fim da década passada e o começo da atual, foi contratado pelo Real em 2011, mas não deu muito certo por lá. Após um retorno ao Borussia Dortmund, clube que o revelou, Sahin se mudou no começo desta temporada para o Werder Bremen, onde tem conseguido manter uma sequência interessante de boas atuações.

ÁLVARO NEGREDO
Atacante
31 anos
Espanhol
Al-Nasr (EAU)

Crédito: AFP/Getty Images

Campeão europeu pela Espanha em 2012, o centroavante fez mais sucesso no Valencia e no Sevilla do que propriamente no Real, onde desembarcou no final das categorias de base e teve poucas oportunidades no time principal. Até a temporada passada, Negredo atuava na Turquia. Mas, em setembro, decidiu ir para o Oriente Médio e atuar no Al-Nasr, uma das equipes mais poderosas dos Emirados Árabes.

ROYSTON DRENTHE
Meia
31 anos
Holandês
Sparta Roterdã (HOL)

Crédito: Pierre-Philippe Marcou/AFP

Aos 20 anos, Drenthe já vestia a tradicional camisa do Real Madrid e jogava ao lado de Sergio Ramos, Marcelo e Fabio Cannavaro. Pérola do futebol holandês, aliava técnica e força física. Só que essas características foram insuficientes para mantê-lo jogando em alto nível. O meia se afundou, chegou a jogar nos Emirados Árabes e, dois anos atrás, anunciou a aposentadoria para tentar viver da música. Como a carreira de rapper também não deu muito certo, voltou ao futebol no começo de 2018 e agora bate ponto na Série B holandesa.


Mais de Cidadãos do Mundo

7 ''loucuras'' para seu clube fazer no Mercado da Bola em 2019
Com CR7 no topo, conheça os 10 jogadores de maior sucesso no Instagram
Final da Libertadores custa R$ 7 mil para torcedores argentinos
Por onde andam 7 ex-jogadores do Barcelona que ''sumiram''?