Blog do Rafael Reis

5 brasileiros sem contrato para seu time se reforçar no 2º semestre
Comentários 40

Rafael Reis

A janela de transferências não está aberta apenas na Europa. O futebol brasileiro também vive um período em que é permitida a inscrição de novos jogadores.

Por isso, é hora dos clubes daqui analisarem bem seus elencos e partirem em busca de reforços para as retas finais da Libertadores e da Copa do Brasil, assim como para a sequência do Campeonato Brasileiro.

Mostramos abaixo cinco opções de jogadores brasileiros que estavam no exterior e estão sem contrato para a próxima temporada. Ou seja, que podem ser contratados sem a necessidade de pagamento dos direitos econômicos.

Quem sabe algum deles apareça no seu clube de coração no segundo semestre…

NILMAR
Atacante
32 anos
Último clube: Al-Nasr (EAU)

Um dos campeões de especulações em quase todas as janelas de transferências, o atacante não deve continuar nos Emirados Árabes. Em litígio com o Al-Nasr, Nilmar chegou a ameaçar acionar a Fifa para antecipar o fim do seu contrato antes de receber os salários atrasados que o clube lhe devia. O Internacional, clube onde o jogador despontou para o cenário brasileiro, conversa sobre a possibilidade de contratá-lo.

LUCAS LEIVA
Volante
30 anos
Último clube: Liverpool (ING)

A passagem de dez anos do volante brasileiro pelo Liverpool está perto de um ponto final. Como o clube inglês não renovou seu contrato, Lucas Leiva tem corrido em busca de um novo clube para defender a partir de julho. No Brasil, o jogador vem conversando há meses com o Grêmio, time que o fez despontar para o futebol. O Trabzonspor, da Turquia, é outra opção para seu futuro.

JÚLIO BAPTISTA
Meia
35 anos
Último clube: Orlando City (EUA)

Jogador com passagens por Real Madrid, Arsenal e Roma, a cria das categorias de base do São Paulo está parada desde outubro do ano passado, quando não teve seu contrato com o Orlando City renovado. Na temporada em que atuou ao lado do seu amigo Kaká no futebol dos EUA, Júlio Baptista disputou 24 partidas e fez seis gols.

CHARLES
Atacante
33 anos
Último clube: Málaga (ESP)

O centroavante paraense tem experiência internacional de sobra. Afinal, foram 14 anos atuando no futebol espanhol, as duas últimas com a camisa do Málaga. Charles, que teve seu desempenho na última temporada prejudicado por uma contusão no joelho, está fora do Brasil desde 2001. Talvez seja a hora de voltar para casa.

LÚCIO
Zagueiro
39 anos
Último clube: FC Goa (IND)

O ex-capitão da seleção brasileira disputou as duas últimas temporadas da Superliga Indiana pelo FC Goa, time dirigido por Zico. Mas a competição, que não tem nem três meses de duração, foi a única atividade física profissional do zagueiro desde a rescisão do contrato com Palmeiras, no primeiro semestre de 2015. É necessário também saber se Lúcio ainda deseja ter uma vida usual de jogador profissional em seu país natal.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Denilson tirou recorde de Ronaldo e já foi jogador mais caro do mundo
Já começou: os 10 brasileiros mais caros desta janela de transferências
– Seleção dos reforços mais caros da história tem só 1 brasileiro; veja time
– Ídolo na Europa, zagueiro brasileiro admite chance de jogar pela Holanda


Janela já movimentou R$ 4,5 bi em transferências; Bundesliga lidera gastos
Comentários 1

Rafael Reis

A menos de uma semana da abertura da janela de transferências para o futebol europeu, o Mercado da Bola já movimentou mais de 1,2 bilhão de euros (R$ 4,5 bilhões) em compras e vendas de jogadores para a temporada 2017/18.

Apesar de o período de concretização de transferências internacionais nas principais ligas do planeta começar oficialmente apenas no sábado, os grandes clubes da Europa já estão em pleno vapor à caça de reforços para as competições dos próximos meses.

Contrariando uma tendência das últimas temporadas, o campeonato “mais gastão” de 2017/18 não é a Premier League inglesa, mas sim a Bundesliga alemã.

Até a última segunda-feira, os 18 clubes da primeira divisão do atual campeão mundial de futebol haviam gasto juntos 298 milhões de euros (R$ 1,1 bilhão) na chegada de novos jogadores, pouco mais que os 288,9 milhões de euros (R$ 1 bilhão) desembolsados pelos 20 times que disputam o Campeonato Inglês.

Mas, curiosamente, só dois dos dez negócios mais caros da janela haviam sido protagonizados por equipes alemãs, as compras dos franceses Corentin Tolisso e Kingsley Coman pelo Bayern de Munique.

Já os ingleses eram responsáveis por seis das dez contratações mais caras para a próxima temporada, inclusive a ida do meia-atacante português Bernardo Silva para o Manchester City, a líder do ranking dos grandes negócios de 2017/18.

Das dez ligas mais gastonas da temporada, nove são de países localizados na Europa. A exceção é o Campeonato Mexicano, que aparece na sétima colocação na lista, com investimento de 35,9 milhões de euros (R$ 134 milhões) em transferências.

O top 10 também conta com uma segunda divisão, a da Inglaterra, que já gastou 33,4 milhões de euros (R$ 124,8 milhões) em reforços e aparece no oitavo lugar entre todas as ligas nacionais do planeta.

O “Blog do Rafael Reis” publicada semanalmente, sempre às terças-feiras, um balanço da janela de transferências da temporada 2017/18, com as principais negociações e valores desembolsados em compras e vendas de jogadores.

Saiba agora tudo que está rolando no Mercado da Bola.

AS 10 LIGAS QUE MAIS GASTARAM NA TEMPORADA 2017/18
1º – Campeonato Alemão – 298,8 milhões de euros
2º – Campeonato Inglês – 288,9 milhões
3º – Campeonato Italiano – 263,9 milhões
4º – Campeonato Francês – 101,8 milhões
5º – Campeonato Espanhol – 76,1 milhões
6º – Campeonato Belga – 44,8 milhões
7º – Campeonato Mexicano – 35,9 milhões
8º – Campeonato Inglês (2ª divisão) – 33,4 milhões
9º – Campeonato Português – 27,8 milhões
10º – Campeonato Turco – 14,8 milhões
TOTAL:
1,2 bilhão de euros (R$ 4,5 bilhões)

AS 10 CONTRATAÇÕES MAIS CARAS DA TEMPORADA 2017/18
1º – Bernardo Silva (POR/Manchester City) – 50 milhões de euros
2º – Mohamed Salah (EGI, Liverpool) – 42 milhões de euros
3º – Corentin Tolisso (FRA/Bayern de Munique) – 41,5 milhões
4º – Ederson (BRA/Manchester City) – 40 milhões
5º – André Silva (POR/Milan) – 38 milhões
6º – Victor Lindelöf (SUE/Manchester United) – 35 milhões
7º – Jordan Pickford (ING/Everton) – 28,5 milhões
8º – Davy Klaasen (ING/Everton) – 27 milhões
9º – Youri Tielemans (FRA/Monaco) – 25 milhões
10º – Kingsley Coman (FRA/Bayern de Munique) – 21 milhões

OS 10 BRASILEIROS MAIS CAROS DA TEMPORADA 2017/18
1º – Ederson (Manchester City) – 40 milhões de euros
2º – Bruno Peres (Roma) – 12,5 milhões
3º – Luiz Araújo (Lille) – 10,5 milhões
4º – Vitor Hugo (Fiorentina) – 8 milhões
Juan Jesus (Roma) – 8 milhões
6º – Lyanco (Torino) – 6 milhões
7º – Marlon (Barcelona) – 5 milhões
William (Wolfsburg) – 5 milhões
9º – Marçal (Lyon) – 4,5 milhões
Guilherme (La Coruña) – 4,5 milhões

OS 10 CLUBES QUE MAIS CONTRATARAM NA TEMPORADA 2017/18
1º – Bayern de Munique (ALE) – 90,5 milhões de euros
2º – Manchester City (ING) – 90 milhões
3º – Milan (ITA) – 82 milhões
4º – Everton (ING) – 55,5 milhões
5º – Juventus (ITA) – 47,5 milhões
6º – Borussia Dortmund (ALE) – 44 milhões
7º – Liverpool (ING) – 42 milhões
8º – Monaco (FRA) – 36 milhões
9º – Roma (ITA) – 35,5 milhões
10º – Manchester United (ING) – 35 milhões

OS 10 CLUBES QUE MAIS VENDERAM NA TEMPORADA 2017/18
1º – Benfica (POR) – 81,8 milhões de euros
2º – Monaco (FRA) – 62,5 milhões
3º – Porto (POR) – 45 milhões
4º – Lyon (FRA) – 43 milhões
5º – Roma (ITA) – 42 milhões
6º – Juventus (ITA) – 38,5 milhões
7º – Torino (ITA) – 36,6 milhões
8º – Anderlecht (BEL) – 27,2 milhões
9º – Freiburg (ALE) – 26,5 milhões
10º – Wolfsburg (ALE) – 25 milhões

Fonte: Transfermarkt


Mais de Clubes

Portugueses dominam ranking de clubes que mais faturam com venda de atletas
– City é quem mais investiu em reforços desde 2007; veja o top 10 dos gastões
– Conheça a temida torcida que inspirou inglês a enfrentar 3 terroristas
– Real e Juve gastaram R$ 3,8 bi para montar elencos finalistas da Champions


Champions começa com time de vilarejo de 867 pessoas e estádios minúsculos
Comentários Comente

Rafael Reis

Leirvík é uma cidade de 867 habitantes localizado na costa leste de Eysturoy, a segunda maior das Ilhas Faröe. O povoado foi fundado no século 9 por vikings e chegou a ser dizimado pela Peste Negra, em 1349.

É desse minúsculo vilarejo de pescadores habituados a enfrentar temperaturas negativas que vem um dos oito clubes que abrem nesta terça-feira a temporada 2017/18 da Liga dos Campeões da Europa.

O Vikingur Gota, clube fundado há nove anos depois da fusão do Leirvík IF com o time de um outro nanico povoado localizado a 5 km, é o atual campeão da Ilhas Faröe e vai estrear na Champions.

O time, composto basicamente por atletas amadores que trabalham com pesca ou no setor de serviços das cidades vizinhas, enfrenta na primeira rodada da fase preliminar da competição continental o Trepça’89, primeiro representante de Kosovo na história do torneio.

Devido ao tamanho do evento, a partida não será disputada no Serpugerdi Stadium, sua casa. O Leirvík viajou para Torshavn, a capital das Ilhas Faröe, e irá jogar no Tórsvollur, o maior estádio do país, com capacidade para 6.500 pessoas.

Mas outros jogos da rodada de abertura da Champions terão palcos ainda menos imponentes.

O TNS, de Gales, e o Hibernians, de Malta, farão seus jogos contra Eurocopa FC (Gibraltar) e FCI Talinn, da Estônia, em arenas com capacidade inferior a 3 mil torcedores, ou seja, menores que o estádio da Rua Javari, a bucólica casa do Juventus, em São Paulo.

A primeira rodada da fase preliminar da Liga dos Campeões reúne os vencedores dos dez campeonatos nacionais de pior ranking na Uefa (Ilhas Faröe, Kosovo, Malta, Estônia, Armênia, Andorra, Gales, Gibraltar, Irlanda do Norte e San Marino).

No total, a Champions conta com quatro rodadas de mata-mata até a definição dos 32 clubes que irão disputar a partir de setembro a fase de grupos da principal e mais badalada competição interclubes do planeta.

A definição do próximo campeão europeu está marcada para o dia 26 de maio de 2018, em Kiev (Ucrânia). O Real Madrid venceu as duas últimas edições do torneio e tentará ser o primeiro tricampeão consecutivo desde a década de 1970.


Mais de Clubes

Portugueses dominam ranking de clubes que mais faturam com venda de atletas
– City é quem mais investiu em reforços desde 2007; veja o top 10 dos gastões
– Conheça a temida torcida que inspirou inglês a enfrentar 3 terroristas
– Real e Juve gastaram R$ 3,8 bi para montar elencos finalistas da Champions


Denílson tirou recorde de Ronaldo e já foi jogador mais caro do mundo
Comentários 13

Rafael Reis

Qual foi o último brasileiro a ocupar o posto de jogador de futebol mais caro do mundo? Ronaldo, Rivaldo, Kaká, Ronaldinho Gaúcho, todos eleitos em algum momento da carreira o melhor do planeta? Ou talvez Neymar, a maior estrela contemporânea do país?

A resposta certa não é nenhuma das opções citadas acima e possivelmente vai te deixar de olhos bem arregalados.

Em 1997, Denílson, então uma jovem promessa de 19 anos que brilhava na ponta esquerda do São Paulo, acertou sua transferência para o Betis. O valor do negócio foi histórico: US$ 32 milhões (R$ 106 milhões, na cotação atual).

O hoje comentarista da Band, que ainda permaneceu no Morumbi por uma temporada e só se mudou para a Espanha depois da Copa do Mundo-1998, tirou de outro brasileiro o posto de até tempo a contratação mais cara de todos os tempos.

Semanas antes da transferência de Denílson ser selada, Ronaldo havia trocado o Barcelona pela Inter de Milão, onde ganhou o apelido de Fenômeno, por US$ 28,8 milhões (R$ 96 milhões), o equivalente à sua multa rescisória, acrescida de uma multa imposta pela Fifa.

O reinado do ex-jogador do São Paulo como maior reforço da história também não durou muito. Em 1999, a Inter quebrou mais uma vez o recorde mundial do Mercado da Bola ao pagar US$ 45 milhões (R$ 150 milhões) pelo centroavante italiano Christian Vieri, então na Lazio.

Denílson permaneceu no Betis até 2005. Foram seis temporadas e mais atuando na Espanha e alguns meses emprestado ao Flamengo (2000). No total, ele disputou mais de 180 partidas pelo time alviverde e marcou menos de 15 gols.

O brasileiro jamais conseguiu mostrar em Sevilha um futebol condizente com o posto de contratação mais cara da história. Durante sua passagem por lá, o Betis chegou até a cair para a segunda divisão.

Depois de deixar a Espanha, Denílson ainda jogou por Bordeaux, Al Narr (Arábia Saudita), FC Dallas, Palmeiras, Itumbiara e passou por Vietnã e Grécia. Em 2010, aos 32 anos, decidiu abandonar o futebol para trabalhar como comentarista.

Desde sua histórica transferência do Betis para o São Paulo, outros seis jogadores quebraram o recorde de reforço mais caro da história. Hoje, o dono do posto é o meia francês Paul Pogba, contratado no ano passado pelo Manchester United por 105 milhões de euros (R$ 392 milhões).

A marca tem tudo para ser derrubada nesta janela de transferências. Kylian Mbappé, Cristiano Ronaldo, Eden Hazard e Romelu Lukaku têm sido especulados para trocar de clube nos próximos meses em transações com valores ainda maiores do que o pago por Pogba.

Quanto aos brasileiros, a transferência de Denílson já não aparece nem mais entre as dez mais caras da história. O maior valor já desembolsado por um representante do futebol pentacampeão mundial foram os 88,2 milhões de euros (R$ 329 milhões) gastos pelo Barcelona para tirar Neymar do Santos, em 2013.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Já começou: os 10 brasileiros mais caros desta janela de transferências
– Seleção dos reforços mais caros da história tem só 1 brasileiro; veja time
– Ídolo na Europa, zagueiro brasileiro admite chance de jogar pela Holanda
''Vinícius Jr.'' dos anos 2000, Lulinha cita choro e depressão no Corinthians


Top 10 de brasileiros mais caros da história tem “chineses” e garoto do Fla
Comentários 8

Rafael Reis

Dois melhores do mundo, dois zagueiros, duas crias das categorias de base do Santos, três “chineses” e uma promessa de 16 anos que ninguém ainda sabe se irá vingar no futebol profissional.

É esse o grupo das dez contratações mais caras de todos os tempos envolvendo jogadores brasileiros, de acordo com levantamento do “Transfermarkt”, site especializado no Mercado da Bola.

O primeiro lugar no ranking está longe de ser uma surpresa. Negociado pelo Santos com uma Barcelona em uma transação que até hoje levanta suspeitas e que lhe provocou uma série de problemas judiciais, Neymar não é apenas o atleta brasileiro mais caro que já existiu, como também o protagonista da quinta maior transferência da história do futebol.

Segundo o “Transfermarkt”, sua contratação pelo clube catalão movimentou 88,2 milhões de euros (R$ 330 milhões, na cotação atual), menos apenas que as negociações de Paul Pogba (Manchester United), Gareth Bale e Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e Gonzalo Higuaín (Juventus).

Até a ida de Neymar para o Barça, o brasileiro mais caro da história era Kaká, negociado em 2009 pelo Milan com o Real Madrid por 65 milhões de euros (R$ 242 milhões). O ex-São Paulo e Ronaldo são os únicos jogadores que já foram eleitos melhor do mundo na lista dos 10 maiores negócios envolvendo representantes do futebol pentacampeão mundial.

O que chama atenção no ranking é a presença pesada de transferências realizadas nos últimos dois anos por clubes chineses. A terceira (Oscar), a quarta (Hulk) e a quinta (Alex Teixeira) maiores contratações de brasileiros na história foram pagas pelos novos ricos do Extremo Oriente.

Outra “estranheza” do top 10 dos grandes negócios protagonizados por brazucas é a presença de uma contratação que, na prática, ainda nem aconteceu.

O meia-atacante garoto Vinícius Júnior, de 16 anos, recentemente promovido para o time principal do Flamengo, foi negociado no mês passado com o Real Madrid por 45 milhões de euros (R$ 168 milhões), a sétima transferência mais cara de um brasileiro na história.

Mas o garoto só vai se mudar para a Espanha depois de atingir a maioridade, em julho do próximo ano. Há ainda a possibilidade de ele permanecer no Flamengo mais um pouco, até 2019.

As 10 transferências mais caras de jogadores brasileiros na história:

1º – Neymar (2013, Santos-Barcelona) – 88,2 milhões de euros
2º – Kaká (2009, Milan-Real Madrid) – 65 milhões
3º – Oscar (2017, Chelsea-Shanghai SIPG) – 60 milhões
4º – Hulk (2017, Zenit-Shanghai SIPG) – 55,8 milhões
5º – Alex Teixeira (2016, Shakhtar Donetsk – Jiangsu Suning) – 50 milhões
6º – David Luiz (2014, Chelsea-PSG) – 49,5 milhões
7º – Ronaldo (2002, Inter de Milão-Real Madrid) – 45 milhões
Vinícius Júnior (2018 ou 2019, Flamengo-Real Madrid) – 45 milhões
9º – Robinho (2008, Real Madrid-Manchester City) – 43 milhões
10º – Thiago Silva (2012, Milan-PSG) – 42 milhões

Fonte: Transfermarkt


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Já começou: os 10 brasileiros mais caros desta janela de transferências
– Seleção dos reforços mais caros da história tem só 1 brasileiro; veja time
– Ídolo na Europa, zagueiro brasileiro admite chance de jogar pela Holanda
''Vinícius Jr.'' dos anos 2000, Lulinha cita choro e depressão no Corinthians


Goleiro da Nova Zelândia chegou a trocar futebol por carreira como modelo
Comentários Comente

Rafael Reis

Quem é o muso da Copa das Confederações? Cristiano Ronaldo? Alexis Sánchez? André Silva? Marc-André ter Stegen?

O principal candidato ao posto, no entanto, não é dos jogadores mais conhecidos desta edição. E passou as duas primeiras rodadas da competição bem escondido, sentado discretamente no banco de reservas.

Terceira opção do gol da Nova Zelândia, Tamati Williams tem hoje 33 anos, joga no RKC Waalwijk, da segunda divisão holandesa e conseguiu construir uma carreira consolidada no futebol. Mas, tempos atrás, chegou a largar o esporte para viver da sua beleza.

Em 2007, quando defendia o Auckland City, atualmente o time mais poderoso do futebol da Oceania, o arqueiro decidiu tirar um período sabático no futebol para trabalhar como modelo.

Williams desfilou e fez ensaios fotográficos para marcas importantes do mundo da moda, como Calvin Klein e Esprit, e chegou a participar de um episódio do reality show “America’s Next Top Model”.

O goleiro trabalhou como modelo em cinco países diferentes: Austrália, Estados Unidos, França e Itália, além, é claro, da Nova Zelândia.

Atualmente, a moda ficou em segundo plano. O neozelandês ainda faz ensaios eventuais como modelo. Mas o futebol voltou a ser sua prioridade. Ou melhor, uma de suas prioridades.

Williams é um apaixonado por natureza e aproveita o tempo livre para estudar sobre o tema. E ele leva a sério essa atividade, tanto que é pós-graduado em zoologia e conservação biológica.

Na seleção, a história do goleiro não rende tantos holofotes quanto os que iluminaram seu caminho na moda. O camisa 23 disputou apenas uma partida com a camisa dos “All Whites”. E foram somente três minutos de um amistoso contra a África do Sul, em 2014.

No restante do tempo, Williams ficou bem escondido, sentado discretamente no banco de reservas, à espera de uma oportunidade de provar que não é só mais um rostinho bonito na seleção da Nova Zelândia.


Mais de Cidadãos do Mundo

Dybala lidera ranking de valorização de mercado; G. Jesus é o 1º brasileiro
Por onde andam campeões da C. das Confederações pré-domínio do Brasil?
7 estrangeiros que estão na Europa para reforçar seu time no Brasileiro
Sonho de ter Cristiano Ronaldo transforma estrelas em ''moedas de troca''


Como Cristiano Ronaldo conseguiu travar a janela de transferências
Comentários 8

Rafael Reis

Aubameyang no Paris Saint-Germain, Lukaku no Chelsea, Morata no Manchester United, Hazard e Mbappé no Real Madrid.

As principais novelas do futebol europeu para a próxima temporada já não apresentam novidades há alguns dias. E o culpado por essa pasmaceira toda é um só: Cristiano Ronaldo.

A possível saída do astro português do Real simplesmente travou a janela de transferências.

Afinal, os principais clubes do planeta não querem desperdiçar a oportunidade de contratar o melhor jogador do mundo na atualidade. Por isso, colocaram em stand-by qualquer outro negócio que possa ameaçar a chegada do camisa 7.

Foi o que fez, por exemplo, o PSG, clube apontado pela imprensa espanhola como favorito para tirar Cristiano Ronaldo de Madri.

O time francês negocia há meses com o Borussia Dortmund a contratação de Aubameyang, artilheiro do último Campeonato Alemão. O valor do negócio giraria em torno de 70 milhões de euros (R$ 260 milhões).

A transferência parecia bem encaminhada, mas esfriou nos últimos dias. Motivo: a proposta de 150 milhões de euros (R$ 556 milhões) que será apresentada por CR7 tornam a compra do goleador da Bundesliga inviável do ponto de vista econômico –apesar de muito rico, o PSG precisa obedecer ao fair-play financeiro.

Algo semelhante acontece com o Chelsea e seu desejo de acertar com Lukaku, atualmente no Everton, para substituir Diego Costa. O possível custo da contratação do belga, algo superior a 100 milhões de euros (R$ 370 milhões), inviabilizaria a contratação do astro do Real Madrid.

Em meio a essa situação, a decisão dos atuais campeões ingleses foi a mais óbvia de todas: deixar Lukaku esperando, concentrar esforços em CR7 e já pensar em um plano B para seu comando de ataque (Lewandowski).

Outro jogador que está com seu destino conectado ao do astro português é Morata. O espanhol tem um namoro avançado com o Manchester United há tempos. Mas o clube inglês também sonha com a recontratação de Cristiano Ronaldo e se vê em um dilema: será que o Real Madrid abriria mão de dois dos seus atacantes simultaneamente e, para piorar, para o mesmo time?

Por fim, há a lista de reforços do próprio Real. O atual bicampeão europeu deseja pelo menos dois novos nomes para sua linha de frente: o meia-atacante belga Hazard, do Chelsea, e a revelação francesa Mbappé, do Monaco.

Realizar uma dessas contratações não é problema, é algo que cabe no orçamento e na montagem do time do técnico Zinédine Zidane. Mas adicionar duas novas estrelas ao elenco só deve ser possível se Cristiano Ronaldo for embora.

A avaliação é clara: a janela de transferências da temporada 2017/18 só vai destravar depois que CR7 decidir seu futuro.


Mais de Opinião

– Entenda por que esta pode ser a última Copa das Confederações da história
– Show dos Milhões: entenda por que o mercado da bola inflacionou tanto
– Agora sim, Cristiano Ronaldo é inquestionável como melhor do mundo
– Por que o Brasil produz os melhores laterais da Champions (e do mundo)?


Dybala lidera ranking de valorização de mercado; G. Jesus é o 1º brasileiro
Comentários 5

Rafael Reis

Vice-artilheiro da Juventus na temporada passada, com 19 gols, e finalista da Liga dos Campeões da Europa, Paulo Dybala é o jogador que mais se valorizou no futebol mundial nos últimos 18 meses.

De acordo o Transfermarkt, site especializado em transferências de jogadores, o valor de mercado do atacante argentino aumentou em 37 milhões de euros (R$ 138 milhões) desde janeiro do ano passado.

Na avaliação dos especialistas do site, o preço real estimado de Dybala subiu de 28 milhões de euros (R$ 103,7 milhões), no início de 2016, para os atuais 65 milhões de euros (R$ 241 milhões).

Ao longo dos últimos meses, o atacante de 23 anos chegou a ser cotado para protagonizar uma transferência milionária para Real Madrid ou Barcelona. No entanto, seu empresário já disse que a tendência é ele permanecer na Juventus.

O segundo jogador que mais se valorizou no planeta desde o início do ano passado também não deve fazer parte desta janela de transferências.

O meia inglês Dele Alli, que teve um incremento de 35 milhões de euros (R$ 129 milhões) em seu valor de mercado no período, dificilmente deixará o Tottenham nos próximos meses.

Entre os dez jogadores que, de acordo com o Transfermarkt, mais se valorizaram desde janeiro de 2016, cinco são franceses: Mbappé, Kanté, Dembélé, Griezmann e Pogba. Há ainda dois argentinos, um inglês, um gabonês e um espanhol na lista.

O Brasil não aparece dentro do top 10 das maiores valorizações do mundo da bola. O primeiro representante do futebol mundial no ranking, Gabriel Jesus, ocupa somente a 21ª colocação.

Apesar de ter sido negociado pelo Palmeiras com o Manchester City por 32 milhões de euros (R$ 118 milhões), o camisa 9 da seleção tem de preço estimado em 25 milhões de euros (R$ 92,6 milhões), uma valorização de 21 milhões de euros (R$ 77,8 milhões) em relação a janeiro de 2016.

Maiores valorizações do futebol mundial (avaliação atual entre parênteses):

1º – Paulo Dybala (ARG/Juventus): +37 milhões de euros (65 mi)
2º – Dele Alli (ING/Tottenham): +35 milhões (40 mi)
3º – Kylian Mbappé (FRA/Monaco): +34,95 milhões (35 mi)
4º – N’Golo Kanté (FRA/Chelsea): +33 milhões (40 mi)
5º – Ousmane Dembélé (FRA/B. Dortmund): +32,75 milhões (33 mi)
6º – Pierre-Emerick Aubameyang (GAB/B. Dortmund): +30 milhões (65 mi)
7º – Antoine Griezmann (FRA/Atlético de Madri): +30 milhões (80 mi)
8º – Saúl Ñíguez (ESP/Atlético de Madri): +30 milhões (40 mi)
9º – Gonzalo Higuaín (ARG/Juventus): +28 milhões (28 mi)
10º – Paul Pogba (FRA/Manchester United): +25 milhões (80 mi)
21º Gabriel Jesus (BRA/Manchester City): +21 milhões (25 mi)
49º
Casemiro (BRA/Real Madrid): +15 milhões (30 mi)
59º
Fabinho (BRA/Monaco): +15 milhões (25 mi)
107º
Alex Sandro (BRA/Juventus): +11 milhões (35 mi)


Mais de Cidadãos do Mundo

Por onde andam campeões da C. das Confederações pré-domínio do Brasil?
7 estrangeiros que estão na Europa para reforçar seu time no Brasileiro
Sonho de ter Cristiano Ronaldo transforma estrelas em ''moedas de troca''
Como a novela ''Rebelde'' ajudou Ochoa a se transformar em astro no México


Por onde andam campeões da C. das Confederações pré-domínio do Brasil?
Comentários 1

Rafael Reis

Copa das Confederações é aquela competição disputada pelas seleções campeãs de cada continente e que acaba sempre do mesmo jeito, com o Brasil no lugar mais alto do pódio e levantando o troféu.

Durante tempos, essa piada fez todo sentido. Afinal, foram três conquistas consecutivas da única seleção pentacampeã mundial de futebol: 2005, 2009 e 2013.

Mas piada cairá por terra neste ano, já que o Brasil não participa da Copa das Confederações-2017, que está sendo disputada desde o último fim de semana na Rússia.

É hora então de lembrar da última seleção que faturou o torneio antes do início da hegemonia brasileira. Em 2003, a França ficou com a taça depois de derrotar Camarões, na prorrogação de uma final marcada por homenagens a Marc-Vivien Foé, volante camaronês que havia morrido em campo durante a disputa da competição.

Quatorze anos depois, o que andam fazendo os jogadores franceses que conquistaram aquela Copa das Confederações? É isso que você descobrirá logo abaixo.

POR ONDE ANDA – FRANÇA (2003)

Fabien Barthez (45 anos) – O goleiro, que nunca foi uma unanimidade na França, tem uma vida bastante intensa desde que deixou o futebol profissional, há dez anos. Barthez virou piloto de carros, participou de competições de Porsche e até disputou a tradicional 24 horas de Le Mans. Também trabalhou como dirigente e presidente de honra do Luzenac, clube que chegou a subir para a segunda divisão francesa em 2014, mas que perdeu na Justiça o direito de disputá-la.

Willy Sagnol (40 anos) – Lateral direito do Bayern de Munique por quase uma década, acumulou bons empregos desde a aposentadoria, em 2008. Sagnol foi diretor esportivo da Federação Francesa de Futebol, treinou as seleções sub-20 e sub-21 do seu país e comandou o Bordeaux durante quase dois anos. Na próxima temporada, será assistente técnico de Carlo Ancelotti no Bayern.

Marcel Desailly (48 anos) – Apelidado de “The Rock” (A Pedra ou a Rocha, em tradução para o português), o ex-zagueiro de Milan e Chelsea emendou uma carreira de comentarista de futebol logo após pendurar as chuteiras, em 2004, e também participou de inúmeras campanhas beneficentes. Atualmente, Desailly faz parte da academia Laureus, que escolhe os vencedores e entrega o prêmio conhecido informalmente como “Oscar do esporte”.

William Gallas (39 anos) – Zagueiro com passagem por Chelsea, Arsenal e Tottenham, encerrou a carreira há apenas três anos, defendendo o Perth Glory, da Austrália. No momento, tem se dedicado a trabalhos voluntários. Neste fim de semana, irá participar de uma partida beneficente para arrecadar fundos para uma organização que investe em educação em Benin, na África.

Bixente Lizarazu (47 anos) – O lateral esquerdo de origem basca é um dos principais comentaristas de futebol da França na atualidade. Lizarazu trabalha na TV, no rádio e também escreve para o “L’Equipe”, principal jornal esportivo do país. Nas horas vagas, ainda encontra tempo para se dedicar a duas outras paixões: o jiu-jitsu (já foi campeão europeu em 2009) e o surfe.

Olivier Dacourt (42 anos) – O volante, que na época se destacava com a camisa da Roma, não teve vida longa na seleção francesa. Foram apenas três anos e 21 partidas a serviço dos “Bleus”. Após pendurar as chuteiras, Dacourt construiu uma carreira como comentarista de futebol na TV. O ex-jogador já trabalhou para a Eurosport e atualmente faz parte do elenco do Canal+.

Benoit Pedretti (36 anos) – Um daqueles casos clássicos de promessa que não vingou, o meia rodou por Olympique de Marselha, Lyon, Auxerre e Lille, entre outros clubes franceses. Ainda em atividade, defendeu nas duas últimas temporadas o Nancy. Titular da equipe durante a maior parte do Campeonato Francês, não conseguiu evitar seu rebaixamento para a segunda divisão.

Ludovic Giuly (40 anos) – Camisa 10 da França na Copa das Confederações, foi campeão europeu com o Barcelona em 2006 e também defendeu Roma, Monaco e Paris Saint-Germain. Dedicou os últimos três anos de sua carreira ao Monts d’or Azergues, time que disputa a quarta divisão francesa. Em 2013, o estádio do clube passou a ser chamado de Ludovic Giuly em sua homenagem.

Sylvain Wiltord (43 anos) – O ex-atacante do Arsenal disputou duas Copas do Mundo (2002 e 2006) e marcou respeitáveis 26 gols com a camisa da seleção francesa. Aposentado desde 2012, participou dois anos atrás de um reality show de sobrevivência na TV da França que ficou marcado por um acidente de helicóptero que matou dez pessoas, incluindo três participantes.

Djibril Cissé (35 anos) – Estrela teen do futebol francês no início da década passada, o caçula da França na Copa das Confederações teve uma carreira marcada por polêmicas e chegou a ser preso no escândalo de extorsão contra o meia Mathieu Valbuena. Aposentado desde 2015, Cissé já participou de um filme, lançou uma linha de roupas e perfumes e participou da versão francesa do “Dança dos Famosos”.

Thierry Henry (39 anos) – Melhor jogador da Copa das Confederações-2003 e autor do gol do título, o ex-atacante francês é o artilheiro máximo do Arsenal em todos os tempos, com 228 gols. Astro do New York Red Bulls e do futebol dos EUA por quatro temporadas, está aposentado desde 2014. No ano passado, estreou em uma nova função, a de auxiliar-técnico da seleção da Bélgica.

Robert Pirès (43 anos) – Reserva na decisão contra o Camaronês, o meia ascendência portuguesa fez parte do lendário Arsenal campeão inglês invicto em 2003/04 e ainda jogou por Villarreal e Aston Villa até deixar o futebol profissional, em 2011. Três anos depois, Pirès abandonou a aposentadoria para disputar as duas primeiras temporadas da Superliga Indiana. O francês também comenta jogos esporadicamente para a Sky Sports.

Lilian Thuram (45 anos) – Um dos remanescentes do time que havia sido campeão mundial cinco anos antes, o lateral direito se tornou uma importante nome no combate contra o racismo desde a aposentadoria, em 2008. Thuram é hoje embaixador da Unicef e uma voz relevante no cenário francês. Ao longo da carreira pós-futebol, o ex-jogador já liderou protestos contra o ex-presidente Nicolas Sarkozy e foi curador de uma exposição de museu.

Olivier Kapo (36 anos) – Nascido na Costa do Marfim, disputou apenas nove partidas com a camisa da França. Uma espécie de peregrino da bola, jogou profissionalmente em oito países diferentes. Está sem jogar desde 2015, quando deixou o Korona Kielce, da Polônia. Na semana passada, disputou um amistoso contra a Itália com a seleção de másters da França.

Jacques Santini (65 anos) – Técnico responsável pelo primeiro título francês da história do Lyon, em 2002, assumiu a seleção depois da Copa do Mundo daquele ano e durou só até a Eurocopa, em 2004. Após deixar o cargo, trabalhou pouco como treinador. Foram alguns meses à frente do Tottenham e uma temporada no comando do Auxerre. Desde então, migrou para cargos diretivos. O mais recente, no Paris FC, onde ficou até 2014.


Mais de Cidadãos do Mundo

Sonho de ter Cristiano Ronaldo transforma estrelas em ''moedas de troca''
Como a novela ''Rebelde'' ajudou Ochoa a se transformar em astro no México
Novato da seleção alemã já foi suspenso por comentário machista
Por onde andam os jogadores da Alemanha que foi tri mundial na Copa-1990?


7 estrangeiros que estão na Europa para reforçar seu time no Brasileiro
Comentários 6

Rafael Reis

Seu time de coração precisa de um atacante? Quer um novo zagueiro para chamar de seu? Ou talvez um meio-campista para suprir a carência na criação de jogadas ofensivas? Por que não um goleiro?

Com opções escassas e caras no mercado nacional, os times brasileiros têm olhado cada vez mais para o exterior na hora de realizar suas contratações.

Conheça abaixo 7 jogadores estrangeiros que disputaram a última temporada na Europa e são contratações viáveis (tanto do ponto de vista financeiro, quanto técnico) para clubes brasileiros no segundo semestre deste ano.

JONATHAN CALLERI
Atacante
23 anos
Argentina
West Ham (ING)

Destaque do São Paulo no primeiro semestre do ano passado, foi para a Inglaterra e marcou apenas um gol em 21 partidas. Com o fim do empréstimo ao West Ham, Calleri voltará ao Deportivo Maldonado, clube uruguaio que serve apenas como “ponte” para transferências de jogadores e onde seu contrato está registrado. São Paulo e Palmeiras já manifestaram interesse no atacante. Mas, a princípio, a negociação só deve acontecer se seus empresários não conseguirem emplacá-lo em um time médio na Europa.

MARTÍN CÁCERES
Zagueiro
30 anos
Uruguai
Southampton (ING)

O zagueiro e lateral uruguaio disputou apenas uma partida durante toda a temporada passada. Culpa dos problemas físicos, que insistem em prejudicar o andamento de sua carreira. Mas Cáceres é um jogador muito acima da média e seria titular em qualquer time do futebol brasileiro. Seu contrato com o Southampton chega ao fim na próxima semana, e ele ficará livre para assinar com um novo clube. No início do ano, o Vasco chegou a sondar sua situação. Agora, é a hora de uma nova investida.

GUILLERMO OCHOA
Goleiro
31 anos
México
Granada (ESP)

Destaque mexicano na última Copa do Mundo, o goleiro não consegue repetir na Europa o sucesso que faz com a camisa da seleção. Rebaixado com o Granada no último Campeonato Espanhol, Ochoa é outro que fica sem contrato a partir do início de julho. O arqueiro mexicano interessa ao Flamengo. Mas sua prioridade, pelo menos por enquanto, é continuar na Espanha –tem o Las Palmas como destino mais provável.

CAMILO ZÚÑIGA
Lateral
31 anos
Colômbia
Watford (ING)

Lembrado no Brasil por ter tirado Neymar da reta final da Copa do Mundo-2014, o lateral colombiano teve uma temporada cheia de altos e baixos do Watford, clube inglês para o qual foi emprestado na última temporada. Zúñiga tem mais um ano de contrato com o Napoli, mas dificilmente será aproveitado pelo time italiano e pretende retornar para o futebol sul-americano. Oportunidade de ouro para um clube brasileiro conseguir um reforço com vasta experiência internacional.

JUAN ITURBE
Meia-atacante
24 anos
Paraguai
Torino (ITA)

Chamado de “Messi paraguaio” no início da carreira, não conseguiu decolar no futebol europeu e acabou passando a maior parte da temporada passada no banco de reservas do Torino. Apesar de ter contrato com a Roma até 2019, não faz parte dos planos imediatos (e nem futuros) da equipe da capital italiana. Se nada melhor aparecer (inclusive uma proposta de algum clube brasileiro), Iturbe deve encontrar refúgio no futebol mexicano no segundo semestre.

JEFFERSON FARFÁN
Atacante
32 anos
Peru
Lokomotiv Moscou (RUS)

Velho conhecido dos clubes brasileiros, já fez parte da lista de compras de Palmeiras, Corinthians, Flamengo e Fluminense, mas nunca jogou por aqui. Aos 32 anos e depois de uma minitemporada em que marcou um gol em oito partidas na Rússia, esse momento talvez tenha chegado. O contrato de Farfán com o Lokomotiv Moscou termina no dia 30 e ele está oficialmente à procura de um novo clube.

GONZALO RODRÍGUEZ
Zagueiro
33 anos
Argentina
Fiorentina (ITA)

Tem experiência de sobra para comandar qualquer defesa do futebol brasileiro. Afinal, são 13 anos atuando no futebol europeu e mais de 150 partidas disputadas com as camisas de Villarreal e Fiorentina. Ex-seleção argentina, Rodríguez é mais um dos integrantes do clube dos jogadores que ficam sem contrato na próxima semana. Nome interessante para os clubes que precisam de um xerifão para liderar seu elenco.


Mais de Cidadãos do Mundo

Sonho de ter Cristiano Ronaldo transforma estrelas em ''moedas de troca''
Como a novela ''Rebelde'' ajudou Ochoa a se transformar em astro no México
Novato da seleção alemã já foi suspenso por comentário machista
Por onde andam os jogadores da Alemanha que foi tri mundial na Copa-1990?