Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

Por onde andam 7 brasileiros que jogaram no Arsenal?

Rafael Reis

17/10/2019 04h20

É difícil contar a história dos principais clubes da Europa sem citar jogadores brasileiros. Afinal, os representantes do futebol pentacampeão mundial vêm há décadas desempenhando papel de destaque no Velho Continente.

Muitos deles foram protagonistas, os caras que brilharam nos momentos mais importantes. Outros tiveram função de coadjuvante, e há até mesmo o grupo de grandes decepções.

Desde agosto e ao longo dos próximos meses, o "Blog do Rafael Reis" vai contar essa história.

Semanalmente, mostramos brasileiros de todos os tipos e qualidades que passaram pelos clubes mais poderosos da Europa e também identificaremos o que eles andam fazendo da vida atualmente.

Nesta semana, vamos abordar sete jogadores tupiniquins que vestiram em algum momento da carreira a camisa do Arsenal. Na próxima quinta, será a vez do Tottenham, vice-campeão da última Liga dos Campeões da Europa.

EDU GASPAR
Ex-meia
41 anos

Crédito: Divulgação

Integrante do elenco que conquistou o título invicto do Campeonato Inglês em 2004, defendeu o Arsenal durante quatro temporadas e disputou 127 partidas pelos Gunners. Desde a aposentadoria, em 2010, tem construído uma carreira de sucesso como cartola. Edu foi gerente de futebol do Corinthians no vitorioso período entre 2011 e 2016, com direito às conquistas da Libertadores e do Mundial de Clubes. Migrou para a seleção brasileira com Tite e ficou por lá até o meio deste ano, quando aceitou convite do Arsenal para voltar à Inglaterra e assumir o cargo de diretor técnico do clube.

GILBERTO SILVA
Ex-meia
43 anos

Crédito: Divulgação

É o brasileiro de maior sucesso da história do Arsenal. Contratado depois de se destacar na Copa do Mundo de 2002, jogou durante seis temporadas em Londres e permaneceu quase o tempo todo como titular. No total, Gilberto Silva esteve em campo 244 vezes pelo clube, no qual se sagrou campeão inglês invicto em 2004. Aposentado no fim de 2013, o ex-volante voltou ao futebol em 2016 para trabalhar como diretor de futebol no Panathinaikos, da Grécia. A experiência, no entanto, durou só sete meses. Hoje em dia, Gilberto Silva administra uma série de negócios em Minas Gerais e participa de vários eventos ligados ao mundo do esporte.

GABRIEL PAULISTA
Zagueiro
28 anos

Crédito: Kirsty Wigglesworth/AP

Foi jogador do Arsenal durante apenas duas temporadas e meia. Mesmo tendo feito só 64 partidas pelos Gunners, conseguiu no período em que estava em Londres suas três convocações para a seleção brasileira, mas não chegou a ir a campo em nenhuma delas. Em 2017, sem espaço no time titular, acabou negociado com o Valencia, onde permanece até hoje. Na temporada passada, faturou seu primeiro título pelo clube, a Copa do Rei, conquistada após vitória sobre o Barcelona na decisão.

ANDRÉ SANTOS
Ex-meia
36 anos

Crédito: Getty Images

O então lateral esquerdo chegou ao Arsenal em 2011, após se destacar com as camisas de Corinthians e Fenerbahce, mas não conseguiu repetir esse sucesso todo na Inglaterra. Durante os dois anos em que foi jogador dos Gunners, André Santos sofreu com problemas físicos e teve dificuldade em se adaptar às obrigações defensivas de um lateral na Premier League. Depois que foi embora do Arsenal, nunca mais retomou o nível que o levou à seleção. Já transformado em meio-campista, passou nos últimos anos pela Índia, pela Suíça e por times de divisões inferiores do Brasil. Ele se aposentou em dezembro de 2018, depois de disputar a Série B pelo Figueirense.

JÚLIO BAPTISTA
Ex-meia
38 anos

Crédito: Divulgação

Conhecido como "La Bestia" pelo corpanzil que assustava os adversários, defendeu o Arsenal durante apenas uma temporada, mas deixou saudades. Emprestado pelo Real Madrid, disputou 35 jogos e marcou dez gols pelos Gunners em 2006/2007. Júlio Baptista foi tão bem em Londres que acabou reconquistando espaço no elenco merengue e permaneceu por lá por mais um ano. A cria da base do São Paulo estendeu bastante a carreira e jogou profissionalmente até o primeiro semestre deste ano. Depois de deixar o Cluj, da Romênia, Júlio Baptista anunciou a aposentadoria. Agora, ele é um dos embaixadores globais do Campeonato Espanhol.

DENÍLSON
Meia
31 anos

Crédito: Getty Images

Tirado do São Paulo pelo Arsenal quando tinha apenas 18 anos, o volante parecia que marcaria época com a camisa do clube londrino. Denilson até foi jogador dos Gunners durante bastante tempo (cinco temporadas) e disputou um número legal de partidas (153), mas nunca conseguiu sair do status de promessa para o de realidade. Em 2011, voltou ao futebol brasileiro para jogar no time que o revelou. E, desde então, vem rodando bastante. Seu último clube foi o Botafogo-SP, pelo qual disputou o Campeonato Paulista deste ano. Em abril, ele teve seu contrato rescindido.

WELLINGTON SILVA
Atacante
26 anos

Crédito: Getty Images

Assim como Denilson, também saiu cedo do Brasil e terminou sua formação como jogador no Arsenal. Mas, ao contrário do volante, não chegou a jogar no time principal dos ingleses em partidas oficiais e foi emprestado inúmeras vezes para ganhar experiência (passou por Levante, Alcoyano, Ponferradina, Murcia, Almería e Bolton). Atualmente, tem contrato com o Fluminense, mas está cedido ao Internacional, onde vive a fase mais sólida de sua carreira. Wellington Silva não é titular da equipe gaúcha, mas pelo menos vem sendo aproveitado com boa frequência.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

7 brasileiros em baixa na Europa para seu time repatriar para 2020
Por onde andam 7 brasileiros que jogaram no Chelsea?
Marquinhos se consolida como volante no PSG e vira problema para seleção
Para reconquistar PSG, Neymar esquece companheiros e aciona "modo fominha"

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Blog do Rafael Reis