Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

7 brasileiros em baixa na Europa para seu time repatriar para 2020

Rafael Reis

11/10/2019 04h00

A temporada 2019 do futebol nacional começou a entrar na reta final. A Copa do Brasil já conheceu seu vencedor, o Athletico Paranaense. A Libertadores está nas semifinais. E a briga pelo título do Campeonato Brasileiro parece que está com seus pretendes bem definidos.

Restando apenas dois meses no ano, chegou a hora de os dirigentes dos clubes nacionais iniciarem o planejamento dos seus elencos para 2020.

Uma boa possibilidade para encontrar reforços de alta qualidade técnica é procurar jogadores que não vivem bons momentos em clubes dos principais campeonatos nacionais da Europa e estão dispostos a serem repatriados.

O "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo sete opções de brasileiros que andam em baixa no Velho Continente para seu time trazer de volta ao futebol nacional na próxima temporada.

FRED
Meia
26 anos
Manchester United (ING)

Crédito: Divulgação

Apesar de só estar no United há pouco mais de um ano, o ex-jogador do Internacional não tem clima para permanecer muito tempo por lá. Fred joga pouco pelos Red Devils (foi titular em apenas quatro partidas na temporada) e, quando vai a campo, é massacrado pela imprensa inglesa. Isso não significa que ele não seja um bom jogador. Mas seu futebol simplesmente não se encaixa nas exigências de um dos integrantes do Big 6 da Premier League. Apesar de ter contrato até 2023, Fred dificilmente vai cumpri-lo até o fim. Voltar ao Brasil no próximo ano pode ser a chance de ele dar uma reviravolta na carreira e voltar a fazer parte dos planos da seleção.

RAFAEL
Lateral direito
29 anos
Lyon (FRA)

Crédito: Carlos Rodrigues/Getty Images

Revelado na base do Fluminense, foi contratado pelo Manchester United ao lado do irmão gêmeo, Fábio, antes mesmo de estrear como profissional e chegou a viver bons momentos no gigante inglês. No entanto, jamais conseguiu atingir o que se esperava dele: jogar o suficiente para assumir o posto de titular da lateral direita da seleção brasileira. Em sua quinta temporada no Lyon, demorou dois meses para ter sua primeira oportunidade de ir a campo e disputou apenas os 70 minutos da derrota por 1 a 0 para o Saint-Étienne, no último fim de semana, resultado que custou o emprego do técnico Sylvinho.

JUAN JESUS
Zagueiro
28 anos
Roma (ITA)

Crédito: Reprodução

Com a dificuldade da seleção brasileira em renovar seu miolo de zaga para a Copa do Mundo de 2022, Juan Jesus poderia ser um nome interessante para ser testado por Tite. Mas, para ganhar essa oportunidade, ele precisaria ter mais minutos em campo pela Roma. Hoje, o ex-Internacional é a quarta opção do técnico Paulo Fonseca para o setor e está atrás dos titulares Federico Fazio e Gianluca Mancini, assim como do inglês Chris Smalling, primeiro reserva. Voltar ao Brasil no próximo ano para jogar em um dos grandes do país seria uma chance concreta de mudar esse cenário.

SANDRO
Volante
30 anos
Genoa (ITA)

Crédito: Reprodução

Quem deseja um volante de alto poder de marcação, força física sem perder qualidade técnica e experiência de sobra para liderar seu meio-campo em 2020 deve dar uma olhada para a Itália. Sandro, jogador de quase 20 partidas pela seleção brasileira, está completamente esquecido no Genoa. O ex-Internacional e Tottenham não disputa uma partida oficial desde o dia 18 de maio e não foi sequer relacionado para o banco nesta temporada. Apesar de ter contrato até 2021, deve ser liberado facilmente pelo clube italiano, já que não faz parte dos seus planos para o futuro.

BOSCHILIA
Meia
23 anos
Monaco (FRA)

Crédito: Divulgação

O meia, que despontou como uma grande promessa no São Paulo, foi negociado com o Monaco em 2015 e sofreu muito com problemas físicos no Principado. Talvez por isso, até hoje não conseguiu se firmar no futebol francês. Depois de ter sido emprestado ao Nantes na temporada passada, retornou ao clube alvirrubro, mas tem passado a maior parte do tempo no banco ou fora da relação para as partidas. Com apenas 125 minutos jogados na temporada, Boschilia deve começar a cogitar a chance de retornar ao Brasil em buscar de um recomeço na carreira.

THIAGO MAIA
Volante
22 anos
Lille (FRA)

Crédito: Getty Images

Evolução. Isso é tudo que um jovem jogador brasileiro espera quando desembarca cedo na Europa. Mas a trajetória de Thiago Maia no Lille tem sido justamente a oposta. O ex-volante do Santos foi titular absoluto na sua temporada de estreia, passou a se revezar entre o time principal e o banco no segundo ano na França e, agora, virou reserva de vez. A situação certamente não agrada o jogador de 22 anos, que tem mercado de sobra no Brasil e sabe que teria vaga cativa em praticamente todos os clubes importantes do país.

PAULINHO
Meia-atacante
19 anos
Bayer Leverkusen (ALE)

Crédito: Getty Images

Comparado a Vinícius Júnior quando ambos estavam na base, o garoto revelado pelo Vasco está tendo uma evolução bem mais lenta na Europa que o antigo adversário e parceiro. Em sua segunda temporada pelo Bayer Leverkusen, Paulinho continua sendo apenas um reserva pouco utilizado e contabiliza três jogos e somente 53 minutos em campo em 2019/2020. O brasileiro ainda é tratado pela equipe alemã como uma aposta para o futuro. Por isso, dificilmente seria vendido de volta para cá neste momento. Mas um empréstimo para acelerar seu desenvolvimento físico e técnico não é uma possibilidade tão impossível assim.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Por onde andam 7 brasileiros que jogaram no Chelsea?
Marquinhos se consolida como volante no PSG e vira problema para seleção
Para reconquistar PSG, Neymar esquece companheiros e aciona "modo fominha"
Por onde andam 7 brasileiros que jogaram no Manchester United?

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Blog do Rafael Reis