PUBLICIDADE
Topo

Não é só a Red Bull: 5 empresas que possuem múltiplos times de futebol

Rafael Reis

27/11/2019 04h00

A presença do Red Bull Salzburg e do RB Leipzig é uma das atrações da Liga dos Campeões da Europa nesta temporada. Pela primeira vez, dois times que pertencem ao mesmo dono disputam simultaneamente a principal competição interclubes do planeta.

A situação traz uma série de conflitos éticos que, por enquanto, estão sendo evitados porque as duas equipes não se encontraram dentro de campo.

Enquanto o clube austríaco ocupa a terceira colocação do Grupo E e enfrenta hoje o Genk, da Bélgica, a equipe alemã lidera o Grupo G e mede forças com o Benfica para já assegurar sua classificação antecipada para a fase final do torneio.

Mas a Red Bull não é a única empresa que possui vários clubes espalhados por diversos cantos do planeta. O "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo cinco conglomerados que se utilizam da mesma prática. E alguns deles possuem times do primeiro escalão do futebol mundial.

RED BULL

Crédito: Divulgação

O projeto que tem dois times nesta edição da Champions é mesmo o mais conhecido de todos. A empresa austríaca investe no futebol desde 2005, quando comprou o Salzburg e fez dele vencedor de dez das últimas 13 temporadas no país. Além da "equipe matriz" e do Leipzig, a Red Bull conta com mais duas operações: uma nos EUA e outra no Brasil. O New York Red Bulls nunca ganhou a MLS (Major League Soccer), mas já teve astros como Thierry Henry vestindo sua camisa e é uma importante peça no marketing da empresa. Já por aqui, depois de anos navegando pelas divisões inferiores do futebol nacional, a Red Bull selou uma parceria com o Bragantino e acabou de conseguir o acesso para a elite do Brasileiro.

CITY FOOTBALL GROUP

Crédito: Divulgação

Capitalizado por um fundo de investimentos ligado à família real de Abu Dhabi, representada pela figura do xeque Mansour bin Zayed Al Nahyan, o grupo construiu fama global ao transformar o Manchester City, um time tradicionalmente de segundo escalão na Inglaterra, em uma das potências do futebol mundial. Apesar de ainda não ter ganho a Liga dos Campeões, os Citizens já faturaram quatro títulos da Premier League desde que foram adquiridos pelos árabes, em 2008. Nos últimos anos, o City Football Group iniciou um trabalho de expansão global e foi fundando ou comprando participações em clubes de vários lugares do mundo. Atualmente, ele é proprietário ou acionista de times nos EUA (New York City), na Austrália (Melbourne City), no Japão (Yokohama Marinos), no Uruguai (Torque), na Espanha (Girona) e na China (Sichuan Jiuniu).

SUNING GROUP

Crédito: Divulgação

A vice-liderança do Campeonato Italiano e a contratação de jogadores caros do mercado internacional, como Romelu Lukaku e Diego Godín, pela Inter de Milão tem uma explicação. Desde 2016, quase 70% das ações do clube nerazzurro está nas mãos de chineses. O Suning Group é simplesmente a segunda maior holding de capital 100% privado do país mais populoso do planeta. Além da Inter, essa empresa também administra o Jiangsu Suning, equipe chinesa que conta com o zagueiro Miranda e o atacante Éder, dois jogadores que, não por coincidência, atuavam na Inter antes de se aventurarem na Ásia.

KROENKE SPORTS & ENTERTAINMENT

Crédito: Divulgação

O Manchester City não é o único clube importante da Inglaterra que possui irmãos no exterior. O Arsenal, uma das potências do país inventor do futebol e vencedor de 13 títulos da primeira divisão nacional, é "mano" do Colorado Rapids, um dos times mais tradicionais do soccer norte-americano. Ambos têm como acionista majoritário a Kroenke Sports & Entertainment, uma holding dos Estados Unidos que investe pesado no mercado esportivo. Além de times de futebol, a empresa é dona do Denver Nuggets (basquete), do Los Angeles Rams (futebol americano), do Colorado Avalanche (hóquei), do Colorado Mammoth (lacrosse) e de outra inúmeras iniciativas ligas aos mundo do esporte, da mídia e do entretenimento.

AEG

Crédito: Divulgação

Um dos 50 homens mais ricos dos Estados Unidos, de acordo com a revista "Forbes", Philip Anschutz é talvez o principal responsável pela popularização do soccer. Sua empresa de entretenimento, a AEG, foi uma das fundadoras da MLS (Major League Soccer). Ao longo dos últimos 20 anos, a holding foi dona de pelo menos sete franquias que disputavam a elite do futebol nos EUA. Atualmente, a AEG é a proprietária do Los Angeles Galaxy, time que levou aos EUA verdadeiros popstars da bola, como David Beckham e Zlatan Ibrahimovic. Já na Europa, a empresa é acionista do Hammarby, terceiro colocado no último Campeonato Sueco.


Mais de Clubes

Liverpool, Xavi e Coca-Cola: o que espera o Flamengo no Mundial de Clubes?
Fla com R$ 314 mi e River, R$ 223 mi; Libertadores terá o campeão mais caro
"Europeu", Flamengo tem 4 vezes mais jogos de Champions que o River
Para agradar torcida, Boca sonha com Felipão e Felipe Melo para 2020

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Rafael Reis