Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

Goleador no Brasil, Gabigol está pronto para retornar à Europa?

Rafael Reis

27/09/2019 04h20

Artilheiro do Campeonato Brasileiro com mais gols (18) do que jogos (17), Gabriel Barbosa reencontrou o sucesso no Flamengo, vive o melhor momento de sua carreira e até conseguiu voltar a ser convocado para a seleção depois de três anos de ausência.

Mas será que o camisa 9 do time carioca está pronto para retornar à Europa e, enfim, realizar aquilo que tanto se esperava dele: brilhar em um dos clubes mais poderosos do futebol local e fazer frente aos maiores artilheiros do planeta?

Crédito: Thiago Ribeiro/AGIF

Gabigol ainda é jogador da Inter de Milão e possui contrato com os italianos até 2022. Seu empréstimo ao Fla vence em dezembro. De acordo com o jornal "Gazzetta dello Sport", os nerazzurri querem 30 milhões de euros (R$ 137,1 milhões) para vendê-lo.

O valor é uma fortuna para o mercado brasileiro, mesmo para seus times mais endinheirados, como Fla e Palmeiras, mas não é nenhum absurdo para equipes da Europa – o Newcastle, por exemplo, pagou 50% a mais pelo também centroavante brasileiro Joeliton na última janela de transferências.

Ou seja, o preço estabelecido pela Inter é muito mais fácil de ser pago por um clube de Espanha, Alemanha e, principalmente, Inglaterra do que por um representante do futebol pentacampeão mundial. Mas, caso isso aconteça, Gabigol terá de exorcizar o maior dos seus fantasmas.

O atacante de 23 anos passou uma temporada e meia atuando no Velho Continente entre agosto de 2016 e janeiro de 2018. O jogador fracassou em dois países: fez um gol em dez partidas pela italiana Inter e só jogou cinco vezes pelo português Benfica (também foi às redes uma vez).

Os dois fiascos têm enredos semelhantes: Gabigol recebeu poucas oportunidades porque teve dificuldades para se adaptar a novas obrigações táticas e também por conta do jeitão um tanto quanto arrogante que lhe é peculiar.

A primeira dessas deficiências pode estar sendo curada graças à convivência com o técnico Jorge Jesus. Como é comandado por um técnico europeu no Flamengo, o atacante já está se acostumando a exigências dentro de campo que não são tão comuns aqui no Brasil, mas que são rotineiras no Velho Continente.

Por isso, no caso de uma nova transferência para o exterior, talvez ele não sinta tanto o peso da adaptação ao futebol europeu quanto na primeira vez em que se mandou para lá.

Quanto aos aspectos da personalidade de Gabigol, é inegável que o tempo lhe fez bem. O atacante do Fla não perdeu completamente a marra (que os torcedores adoram, aliás), mas está bem mais maduro do que três anos atrás.

Além da diferença natural entre ter 20 e 23 anos, o camisa 9 também provou pela primeira vez na carreira do gosto amargo do fracasso. Ainda que esteja vivendo um grande momento, ele certamente se lembra do que viveu na Itália e em Portugal. E isso fez com que ele aprendesse a abaixar a bola.

Dito tudo isso, é possível concluir que, sim, Gabigol está pronto para voltar à Europa e ainda tem tempo de sobra para construir uma carreira das bonitas por lá.

No entanto, marcado pela péssima primeira passagem que teve por lá, ele dificilmente conseguirá neste momento uma proposta de um time de primeiro escalão. Se quiser jogar em um Barcelona, Real Madrid ou Liverpool da vida, ele terá antes que roer o osso em uma equipe menor para convencer um gigante de que é um investimento que merece ser feito.


Mais Opinião

– 4 motivos para Van Dijk ser eleito o melhor do mundo
– 4 motivos para Messi ser eleito o melhor do mundo
– 4 motivos para Cristiano Ronaldo ser eleito o melhor do mundo
– Quando o Brasil vai voltar a ter um jogador eleito o melhor do mundo?

 

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Blog do Rafael Reis