Blog do Rafael Reis

6 destaques da Copa São Paulo que hoje estão “desaparecidos” no exterior

Rafael Reis

A Copa São Paulo-2019 começa nesta quarta-feira com a expectativa de sempre: será que esta edição do torneio de base mais importante do país será capaz de revelar algum futuro destaque de um dos grandes clubes do mundo e, consequentemente, da seleção brasileira?

De vez em quando, essa meta é cumprida. Gabriel Jesus, Casemiro e outros nomes que hoje fazem parte das listas de Tite se destacaram em um passado não muito distante na Copinha.

Só que a maior parte dos grandes nomes que despontam no torneio não conseguem alcançar esse nível de fama e desempenho. Alguns até vão jogar no exterior, mas acabam um tanto quanto esquecidos por lá, defendendo times pouco expressivos ou atuando em países menos importantes no cenário internacional.

Apresentamos abaixo seis craques da Copinha que hoje vivem essa situação: de certa forma, estão “perdidos” em algum canto do mundo do futebol.

BRUNO UVINI
Zagueiro
27 anos
Al-Nassr (ARA)

Crédito: Ernesto Rodrigues/Folhapress

Companheiro de Lucas e Casemiro na conquista de 2010, o capitão daquele São Paulo até emplacou um bom início de carreira no Morumbi e chegou a defender Santos e Napoli. Mas as últimas temporadas de Bruno Uvini não tem correspondido ao que se esperava do zagueiro na época das categorias de base. Resultado: hoje ele disputa o pouco expressivo Campeonato Saudita.

LUCAS GAÚCHO
Atacante
27 anos
Jorge Wilstermann (BOL)

Crédito: Luiz Pires/Vipcomm

Artilheiro e campeão da Copinha de 2010 pelo São Paulo, o centroavante quase não jogou no Morumbi depois que foi promovido ao time profissional e virou uma espécie de peregrino da bola. Nos últimos sete anos, Lucas Gaúcho passou por Espanha, Tailândia, Vietnã, Omã, Lituânia, Japão e Israel. Desde janeiro passado, o brasileiro defende o Jorge Wilstermann, clube boliviano pelo qual já marcou 15 gols.

ADRYAN
Meia
24 anos
Sion (SUI)

Crédito: Alexandre Loureiro/Vipcomm

Camisa 10 do Flamengo campeão do torneio de base em 2011, foi promovido à equipe adulta por Vanderlei Luxemburgo logo depois da competição. Comparado a Zico, o maior ídolo da história do clube, o garoto não conseguiu deslanchar e iniciou, três anos depois, uma série de empréstimos que o levou para Itália (Cagliari), Inglaterra (Leeds) e França (Nantes). Em 2017, assinou com o Sion, da Suíça, time onde ainda não deslanchou.

GIVA
Meia-atacante
25 anos
Badalona (ESP)

Crédito: Robson Ventura/Folhapress

Um dos tantos “novos Neymar” que apareceram no Santos nos últimos anos, foi o artilheiro do time na conquista da Copinha em 2013 e acabou tendo uma opção prioritária de compra negociada com o Barcelona. Giva nunca foi para o gigante catalão. Mas isso não significa que não tenha ido parar na Espanha. No segundo semestre de 2015, defendeu o Llagostera, da segunda divisão. Atualmente, joga a terceirona pelo Badalona, curiosamente um clube da mesma região do Barça.

DELLATORRE
Atacante
26 anos
APOEL Nicósia (CHP)

Crédito: Heuler Andrey/Agif

O centroavante foi o goleador da edição de 2011 da Copa São Paulo e levou o Desportivo Brasil, time do fundo de investimentos da Traffic, até as semifinais. Após o torneio, foi negociado com o Internacional, onde não vingou. Dellatorre mostrou um pouco mais de futebol no Atlético-PR, mas também não conseguiu se firmar por lá. Após rodar por Portugal, Inglaterra e Tailândia, o atacante assinou contrato no início do ano passado com o APOEL Nicosia e disputou a fase preliminar da Liga dos Campeões da Europa.

RAFAEL MARTINS
Atacante
29 anos
Zhejiang Greentown (CHN)

Crédito: Divulgação

Maior artilheiro da história da Copa São Paulo, com 16 gols em três participações, o centroavante jogou a competição por Juventus, em 2006, Internacional, em 2007, e Grêmio, em 2008, quando terminou como goleador da edição. Como profissional, seu melhor momento no futebol brasileiro foi a temporada de 2013, em que vestiu a camisa da Chapecoense. No exterior desde o segundo semestre daquele ano, fez carreira jogando na Espanha e em Portugal. Em julho, Rafael Martins mudou de ares e se transferiu para a segunda divisão chinesa.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Na Turquia, Robinho chama mais a atenção por cartões do que por gols
5 brasileiros que podem mudar de clube no exterior na janela de janeiro
Por onde andam os jogadores do último título mundial da América do Sul?
Ex-xodó de Tite, Taison é quem mais erra em domínios de bola na Champions