Blog do Rafael Reis

Quanto ganha um árbitro para trabalhar na Copa do Mundo?

Rafael Reis

Principal competição de futebol do planeta, a Copa do Mundo movimenta alguns bilhões de dólares e enche os cofres da Fifa e das 32 federações nacionais participantes.

Só que não são apenas os dirigentes que ganham dinheiro com o torneio. Patrocinadores, jogadores, técnicos, integrantes de comissões técnicas, operários, funcionários da organização e responsáveis pela arbitragem também ficam com uma fatia desse bilionário bolo.

Mas quanto desse dinheiro vai para os árbitros, os homens encarregados de tomar as decisões mais polêmicas do Mundial e que, de certa forma, vão decidir o futuro das seleções na Rússia-2018?

O valor do cachê recebido pelos juízes da Copa não é padronizado. A Fifa paga cotas diferentes para árbitros que estão em momentos distintos da carreira. Ou seja, apitadores com carreira consolidada ganham mais do que aqueles que vêm de países pouco expressivos e estão estreando na competição.

Na Rússia-2018, os árbitros de primeiro escalão, como o alemão Felix Brych, que trabalhou na final da última Liga dos Campeões da Europa, o turco Cüneyt Çakir e o argentino Nestor Pitana, receberão US$ 70 mil (R$ 232 mil), além de um extra de US$ 3 mil (quase R$ 10 mil) por partida apitada.

Esses valores representam uma alta expressiva em relação ao cachê pago nas duas últimas edições do torneio (2010 e 2014), quando os juízes faturaram entre US$ 35 mil (R$ 116 mil) e US$ 50 mil (R$ 165 mil).

Já os assistentes mais gabaritados irão receber um cachê fixo de US$ 25 mil (R$ 83 mil), além de uma bonificação de US$ 2 mil (R$ 6,6 mil) por cada jogo em que trabalharem.

No total, 36 árbitros e 63 assistentes foram selecionados pela Fifa para a Copa do Mundo.

No fim de abril, eles participarão de um seminário de duas semanas na Itália. Só depois disso, a entidade irá anunciar quais juízes trabalharão no gramado e quais ficarão na operação do sistema de vídeo, uma das novidades da Rússia-2018.

Pelo segundo Mundial consecutivo, a arbitragem brasileira será representada pelo mesmo trio: o árbitro principal Sandro Meira Ricci, além dos assistentes Emerson de Carvalho e Marcelo van Gasse.

A Copa-2018 começa no dia 14 de junho, com a partida entre Rússia e Arábia Saudita, no estádio Luzhniki, em Moscou. A final está marcada para 15 de julho e será disputada no mesmo palco da abertura.


Mais de Cidadãos do Mundo

Lewandowski entra na briga por Chuteira de Ouro; Salah mantém ponta
5 provas que Cristiano Ronaldo ''ressuscitou'' em 2018
Dia da Mentira: 5 grandes ''fake news'' do futebol mundial
Afastado há um ano, meia-atacante recebeu R$ 20 mi do PSG para não jogar