Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

5 provas que Cristiano Ronaldo "ressuscitou" em 2018

Rafael Reis

2003-04-20T18:04:00

03/04/2018 04h00

O Real Madrid aposta em Cristiano Ronaldo para conseguir um bom resultado contra a Juventus, nesta terça-feira, às 15h45 (de Brasília), fora de casa, no primeiro jogo das quartas de final da Liga dos Campeões da Europa.

Sim, isso parece notícia velha, já que desde 2009, quando desembarcou na Espanha, o atacante português é o grande nome do maior vencedor da história do torneio interclubes mais importante do planeta.

Mas, até alguns meses atrás, Cristiano Ronaldo não parecia o jogador que já conquistou por cinco vezes o prêmio de melhor do mundo. Na primeira metade da atual temporada, CR7 fez poucos gols, quase não decidiu partidas e levantou dúvidas sobre seu futuro.

Mas tudo mudou depois da virada do ano. O astro voltou a jogar bem, calou seus críticos e, aos 33 anos, é novamente a aposta número 1 do Real não só para eliminar a Juventus, na reedição da final do ano passado, como também para conduzir o time dirigido por Zinédine Zidane a mais um título continental.

Apresentamos abaixo cinco provas de que Cristiano Ronaldo "ressuscitou" em 2018:

+ GOLS
Na primeira metade da temporada, CR7 marcou 16 gols em 22 jogos. A média de 0,73 gol por partida seria espetacular para 99% dos atacantes do futebol mundial, mas estava bem abaixo do padrão do craque do Real Madrid. Prova disso é seu desempenho desde janeiro. Nos últimos três meses, ele jogou 15 vezes pelo clube espanhol e meteu 19 bolas nas redes. Ou seja, 1,27 gol a cada 90 minutos, um crescimento de 74% em relação ao semestre anterior.

PODER DE DECISÃO
Cristiano Ronaldo passou em branco contra o Barcelona, no primeiro turno do Espanhol, e não conseguiu fazer o Real Madrid vencer nenhum dos dois confrontos contra o Tottenham, seu adversário mais difícil da fase de grupos da Champions. Depois da virada do ano, voltou a ser decisivo nos jogos mais importantes: fez três dos cinco gols do Real contra o PSG, pelas oitavas do torneio continental, e brilhou no 4 a 1 sobre o Valencia, sensação da temporada na Espanha.

FUTURO
Acompanhar a imprensa de Madri é sempre um bom termômetro para entender como anda a fase de cada jogador do Real. Na primeira metade da temporada, era normal ver em jornais como "As" e "Marca" matérias falando sobre a possível saída de Cristiano Ronaldo e até mesmo uma troca com o Paris Saint-Germain do português por Neymar. Esses rumores esfriaram um pouco nas últimas semanas. A razão? O reencontro do camisa 7 com o bom futebol.

AVALIAÇÃO
De acordo com o "WhoScored?", site que contabiliza as estatísticas dos principais campeonatos do planeta e avalia as atuações dos jogadores a partir desses dados, Cristiano Ronaldo tem 8,60 como nota média nas partidas que disputou neste ano. A nota é uma das mais altas do mundo, semelhante às de Messi e Neymar. Já na primeira metade da temporada, seu desempenho havia sido bastante inferior: 7,46.

PARTICIPAÇÃO
O futebol de Cristiano Ronaldo cresceu em 2018 por vários motivos. Um dos principais é que o português passou a ser mais participativo em campo. Segundo o "WhoScored"?, a média de bolas recebidas a cada partida pelo jogador subiu de 27,3, no primeiro semestre da temporada, para 29,5, desde janeiro. Parece pouco, mas é um crescimento bem relevante, que beira os 10%.


Mais de Cidadãos do Mundo

Dia da Mentira: 5 grandes "fake news" do futebol mundial
Afastado há um ano, meia-atacante recebeu R$ 20 mi do PSG para não jogar
Capitão do México usa rede social para provar que está vivo
Tite colocou o Brasil de volta nos trilhos, diz rival de estreia na Copa

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Mais Blog do Rafael Reis