Blog do Rafael Reis

7 crias do Atlético-MG que hoje fazem sucesso (ou não) fora do Brasil

Rafael Reis

Por onde anda aquele garoto que brilhou nas categorias de base do meu time e logo foi vendido para o exterior? Será que ele virou um jogador importante por lá? Ou será que se tornou apenas mais um dentre tantos brasileiros espalhados pelo Mundo da Bola?

É para responder perguntas como essas que o “Blog do Rafael Reis” mostra desde julho os paradeiros das crias dos 12 maiores clubes do Brasil.

No último capítulo da série, localizamos sete jogadores formados no Atlético-MG, time que tem priorizado nos últimos anos as grandes contratações e deixado um pouco de lado as crias de sua base.

BERNARD
Meia-atacante
24 anos
Shakhtar Donetsk (UCR)

Mais badalada revelação da base do Atlético-MG nesta década, o meia-atacante fez parte do elenco campeão da Libertadores de 2013 e disputou a Copa do Mundo no ano seguinte, quando ganhou de Luiz Felipe Scolari o apelido de “alegria nas pernas”. Negociado com o Shakhtar por 25 milhões de euros (R$ 93 milhões, na conversão atual), Bernard é a maior venda da história do clube mineiro. Na Ucrânia há quatro anos, o camisa 10 jamais conseguiu se transformar no protagonista do time, mas hoje pelo menos é titular do atual campeão nacional.

JEMERSON
Zagueiro
25 anos
Monaco (FRA)

Atualmente a cria do Atlético-MG com maior sucesso no exterior, o zagueiro passou seis anos no clube de Belo Horizonte, pelo qual se sagrou campeão da Libertadores-2013, antes de se mudar para o Monaco, no começo de 2016. Em sua segunda temporada na Europa, Jemerson venceu, como titular, o Campeonato Francês e chegou à semifinal da Liga dos Campeões da Europa. Apesar de não ser a primeira opção de Tite, tem chances de disputar a Copa do Mundo-2018.

LEANDRO CASTÁN
Zagueiro
30 anos
Roma (ITA)

Apesar de ter se tornado conhecido nacionalmente no Corinthians, o zagueiro começou sua carreira como profissional em Minas Gerais e jogou por dois anos no Atlético-MG antes de se transferir para o futebol da Suécia, em 2007. Recuperado de uma cirurgia no cérebro, Castán tem contrato com a Roma até 2019. Na última temporada, foi emprestado para o Torino, onde começou a recuperar o ritmo de jogo.

KLÉBER
Atacante
27 anos
Estoril (POR)

O centroavante pouco atuou pelo Atlético-MG e fez apenas um gol com a camisa alvinegra antes de se mudar para Portugal, aos 19 anos, para viver o melhor momento de sua carreira. Kléber chegou a viver grande fase no Porto antes de ser emprestado para o Palmeiras, em 2013, e depois rebaixado para o time B do clube do norte português. Atualmente, veste a camisa do Estoril, décimo colocado na última liga lusitana.

JOÃO PEDRO
Meia
25 anos
Cagliari (ITA)

Um daqueles casos clássicos de garotos que são vendidos para o exterior antes mesmo de se firmarem no futebol nacional, o meio-campista disputou só 15 partidas pelo Atlético-MG até ser negociado com o Palermo, da Itália. João Pedro também vestiu as camisas de Vitória de Guimarães, Peñarol, Santos e Estoril. Desde 2014, defende as cores do Cagliari, onde vive a fase mais produtiva de sua carreira.

WESCLEY
Meia
25 anos
Vissel Kobe (JAP)

Promovido ao time principal do Atlético-MG em 2010, o meia permaneceu sob contrato com o clube até o início de 2017. Mas, durante esses sete anos, foi emprestado para oito clubes diferentes (jogou duas vezes no Ceará). Essa peregrinação só terminou em janeiro, quando Wescley foi negociado com o futebol japonês. No Vissel Kobe, o brasileiro tem sido deixado no banco nas últimas rodadas.

RAFAEL MIRANDA
Volante
33 anos
Vitória de Guimarães (POR)

O volante disputou mais de 150 partidas pelo Atlético-MG na década passada e fez parte do elenco campeão da Série B de 2006. Rafael Miranda está na segunda passagem por Portugal. Entre 2010 e 2013, jogou pelo Marítimo e, desde o ano passado, defende o Vitória de Guimarães, que disputa com o Braga o posto de quarta força do futebol português na atualidade.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– 7 crias do Cruzeiro que hoje fazem sucesso (ou não) fora do Brasil
– Mais caçado da Europa, Neymar apanha 72% mais no PSG
– Da China a Portugal: por onde andam 7 crias da base do Inter?
– Em 10 anos, país da Copa gasta quase R$ 1 bilhão em jogadores brasileiros