Blog do Rafael Reis

Da China a Portugal: por onde andam 7 crias da base do Inter?

Rafael Reis

Por onde anda aquele garoto que brilhou nas categorias de base do meu time e logo foi vendido para o exterior? Será que ele virou um jogador importante por lá? Ou será que se tornou apenas mais um dentre tantos brasileiros espalhados pelo mundo da bola?

É para responder perguntas como essas que o “Blog do Rafael Reis” mostra desde julho os paradeiros das crias dos 12 maiores clubes do Brasil.

No décimo capítulo da série, localizamos sete jogadores formados no Internacional, um dos times brasileiros que mais valorizam seu trabalho de formação de atletas. Na próxima quarta-feira, será a vez do Cruzeiro.

ALEXANDRE PATO
Atacante
27 anos
Tianjin Quanjian (CHN)

Estreou no time profissional do Inter com 17 anos e teve um início de carreira arrasador, com 12 gols nas 27 primeiras partidas que disputou. Foi negociado com o Milan antes mesmo de atingir a maioridade e tinha tudo para ser o camisa 9 da seleção brasileira por pelo menos uma década. Mas Pato nunca atingiu o nível que se esperava dele e, após passagens por Corinthians, São Paulo, Chelsea e Villarreal, hoje é um dos astros do Campeonato Chinês pelo Tianjian Quanjian, estreante na primeira divisão.

ALISSON
Goleiro
24 anos
Roma (ITA)

Titular do gol da seleção brasileira, foi tetracampeão gaúcho pelo Internacional entre 2013 e 2016 antes de se mandar para a Roma, no meio do ano passado. Passou sua primeira temporada na Roma sentado no banco de reservas, o que fez com que seu posto na seleção passasse a ser seriamente questionado. Com a saída de Szczesny para a Juventus, deve assumir a meta da equipe italiana nesta temporada.

MURIEL
Goleiro
30 anos
Belenenses (POR)

Irmão mais velho de Alisson, o goleiro recebeu oportunidades no time adulto antes do caçula e foi titular do Inter entre 2011 e 2013. Após empréstimo para o Bahia no ano passado, acabou liberado para assinar como o Belenenses, de Portugal. Aos 30 anos e com uma década de carreira como profissional, disputa pela primeira vez um campeonato nacional na Europa.

TAISON
Meia-atacante
29 anos
Shakhtar Donetsk (UCR)

Despontou no Internacional em 2009 e fez parte do time campeão da Libertadores no ano seguinte, quando acabou negociado com o Metalist Kharkiv por 6,3 milhões de euros (R$ 23,3 milhões, na cotação atual). Desde 2013 no Shakhtar Donetsk, clube mais vitorioso da Ucrânia nos últimos tempos, entrou no radar do técnico Tite, com quem já havia trabalhado no Inter, e passou a fazer parte de convocações da seleção brasileira.

LUIZ ADRIANO
Atacante
30 anos
Spartak Moscou (RUS)

Apareceu no time adulto do Internacional mais ou menos na mesma época de Pato e, assim como ele, não teve vida longa no clube gaúcho. Em 2007, um ano depois de ser promovido à equipe profissional, já foi negociado com o Shakhtar. Luiz Adriano permaneceu na Ucrânia por oito anos e foi escolhido o melhor jogador da fase de grupos da Champions na temporada 2014/15. Após passagem infeliz pelo Milan, o atacante brasileiro se transferiu para o Spartak Moscou no início do ano.

FRED
Volante
24 anos
Shakhtar Donetsk (UCR)

Uma das últimas crias da base do Inter a despontar no cenário internacional, foi negociado com o Shakhtar em 2013 por 15 milhões de euros (pouco mais de R$ 55 milhões) e chegou a fazer parte de convocações da seleção brasileira. Uma suspensão por doping o deixou afastado do futebol por vários meses entre 2016 e 2017 e acabou prejudicando o andamento de sua carreira.

SANDRO
Volante
28 anos
Antalyaspor (TUR)

Campeão da Libertadores-2010 pelo Internacional, teve vida razoavelmente longa na seleção brasileira e disputou a Copa América-2011 e os Jogos Olímpicos de Londres-2012. Atuou durante quatro temporadas no Tottenham e chegou a jogar a segunda divisão inglesa pelo Queens Park Rangers. Em janeiro, transferiu-se para o Antalyaspor, da Turquia, onde tem se alternado entre o time titular e o banco de reservas.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– Em 10 anos, país da Copa gasta quase R$ 1 bilhão em jogadores brasileiros
– Maior artilheiro da pré-Champions é brasileiro e arrasta fãs para igreja
– Do Japão à seleção russa: por onde andam 7 crias da base do Grêmio?
– Brasileiros já movimentaram R$ 2,2 bi nesta janela; veja os 10 mais caros