PUBLICIDADE
Topo

Relembre 7 jogadores famosos que se aposentaram em 2019

Rafael Reis

29/12/2019 04h00

2019 foi um ano de reviravoltas no futebol internacional. O Liverpool voltou a conquistar a Liga dos Campeões da Europa e travou uma linda briga cabeça a cabeça com o Manchester City pelo título inglês. Lionel Messi recuperou a hegemonia no prêmio de melhor jogador do mundo. E Neymar teve de lidar com vários problemas físicos e com um pesado escândalo na vida pessoal.

Mas o ano também foi de despedidas. Vários nomes que fizeram a história da modalidade no início deste século encerraram a carreira ao longo dos últimos 12 meses.

O "Blog do Rafael Reis" relembra abaixo sete jogadores importantes que anunciaram a aposentadoria em 2019 e já estão deixando saudades nos torcedores.

ARJEN ROBBEN
35 anos
Holandês
Ex-Chelsea, Real Madrid e Bayern de Munique

Crédito: Emmanuel Dunand/AFP

Um dos jogadores mais habilidosos deste século, o holandês conseguiu marcar seu nome no futebol mundial, mesmo tendo uma estrutura física que nunca lhe ajudou. Robben conviveu com as mais variadas lesões ao longo da sua trajetória nos gramados e foi bastante prejudicado por elas. Ainda assim, defendeu o Bayern de Munique por uma década, venceu uma Liga dos Campeões e foi um dos destaques da Holanda no vice-campeonato da Copa do Mundo de 2010. Ao término da última temporada, deixou o clube alemão, onde viveu os melhores anos de sua carreira e logo depois anunciou a aposentadoria.

XAVI HERNÁNDEZ
39 anos
Espanhol
Ex-Barcelona

Crédito: Alejandro García/Efe

Peça-chave do Barcelona e da seleção espanhola que deixaram o mundo boquiaberto entre o fim da década passada e o começo da atual, o meia já andava longe dos holofotes desde 2015, quando trocou a Catalunha pelo Qatar. Xavi ainda jogou quatro temporadas no Al-Sadd antes de efetivamente pendurar as chuteiras, no meio do ano. Na sequência, ele já estreou em uma nova carreira: assumiu o comando do clube qatari e trabalhou como técnico no último Mundial de Clubes.

WESLEY SNEIJDER
35 anos
Holandês
Ex-Real Madrid e Inter de Milão

Crédito: Jamie McDonald/Getty Images

Para muita gente, o meio-campista holandês deveria ter sido o vencedor do prêmio de melhor jogador do mundo de 2010. Naquele ano, Sneijder liderou a Inter de Milão à conquista da Champions e foi vice da Copa com a seleção. Mesmo assim, não ficou nem entre os três indicados na eleição da Fifa. Esse foi o auge do jogador que, assim como Xavi, passou a reta final de sua carreira no país-sede do próximo Mundial. Sneijder se despediu do futebol depois de uma temporada de muitos gols no Al-Gharafa, do Qatar.

BASTIAN SCHWEINSTEIGER
35 anos
Alemão
Ex-Bayern de Munique e Manchester United

Crédito: Peter Powell/Efe

Veterano de três Copas do Mundo e líder do meio-campo alemão na conquista do tetra em 2014, Schweinsteiger fez história no Bayern de Munique, clube que defendeu nos seus primeiros 13 anos como profissional. Depois de uma experiência fracassada no Manchester United, rumou para os Estados Unidos e jogou por dois anos e meio no Chicago Fire. Na América, o meia não ganhou título, mas entrou duas vezes na seleção da MLS (Major League Soccer). Em outubro, o alemão anunciou que não renovaria seu contrato porque não pretendia mais jogar em 2020.

FERNANDO TORRES
35 anos
Espanhol
Ex-Atlético de Madri, Liverpool, Milan e Chelsea

Crédito: Juan Medina/Reuters

Conhecido como "El Niño" ("O Menino", em português) pelo sucesso imediato que fez assim que foi promovido ao time profissional do Atlético de Madri, Torres entrou para a história ao fazer o gol que deu o título da Eurocopa de 2008 à Espanha. O jogador entrou em declínio técnico muito cedo. Até por isso, muitas vezes não é lembrado como o grande atacante que foi. Seu último clube foi o Sagan Tosu, do Japão, onde esteve de julho de 2018 a agosto deste ano.

PETR CECH
37 anos
Tcheco
Ex-Chelsea e Arsenal

Crédito: John Sibley/Reuters

O tcheco foi um dos grandes goleiros deste século e marcou época no Chelsea, clube que defendeu durante 11 temporadas e pelo qual conquistou quatro títulos ingleses e um da Liga dos Campeões. Mas a trajetória de Cech ficou marcada mesmo pela lesão na cabeça, sofrida em 2006, que o obrigou a jogar de capacete durante todo o restante de sua carreira. Em maio, o então goleiro do Arsenal aposentou as luvas e também a proteção depois de ser derrotado por 4 a 1 pelo Chelsea na final da Liga Europa. Uma semana depois, ele já estava dando expediente no algoz como assessor técnico e de desempenho.

JUAN
40 anos
Brasileiro
Ex-Bayer Leverkusen, Roma, Internacional e Flamengo

Crédito: Thiago Ribeiro/AGIF

Veterano de duas Copas do Mundo (2006 e 2010) e com uma carreira que durou dez anos na Europa, o zagueiro voltou ao Flamengo em 2016 e ficou mais três temporadas e meia no clube onde começou a jogar profissionalmente. Juan disputou a reta final do Campeonato Carioca e se aposentou na primeira rodada do Brasileirão, em abril. Na vitória sobre o Cruzeiro, que marcou seu adeus aos gramados, ele entrou já nos acréscimos, só mesmo para ser celebrado pela torcida.


Mais de Cidadãos do Mundo

5 astros gringos que podem trocar de clube na janela de janeiro
Para robôs, só Neymar se aproxima do desempenho de Messi na temporada
Caçula do Liverpool tem fama de superdotado e superou Bill Gates no xadrez
Aos 19, Messi fez contra o Real Madrid o 1º dos seus 53 "hat-tricks"; veja

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Rafael Reis