PUBLICIDADE
Topo

Caçula do Liverpool tem fama de superdotado e superou Bill Gates no xadrez

Rafael Reis

20/12/2019 04h00

O Liverpool empatava por 1 a 1 com o Monterrey até os 45 minutos do segundo, quando Trent Alexander-Arnold recebeu passe de Mohamed Salah e teve liberdade suficiente para fazer o cruzamento. Sob pressão do cronômetro e da necessidade da vitória, 99% dos laterais não teriam dúvida e levantariam a bola para a área adversária.

Mas o mais jovem dos titulares da equipe comandada por Jürgen Klopp não faz parte da maioria. Em vez do chuveirinho, optou por um passe rasteiro, preciso, por trás dos marcadores adversários, na direção perfeita para Roberto Firmino dar um leve toque e balançar as redes.

Crédito: Divulgação

O lance que decidiu a semifinal do Mundial de Clubes, na quarta-feira, e colocou os Reds no caminho do Flamengo mostra bem por que o inglês de 21 anos é hoje considerado o melhor lateral direito do planeta.

Alexander-Arnold é superdotado, uma pessoa com nível de inteligência acima da média das outras pessoas. Sua capacidade de raciocínio, que hoje faz diferença nos gramados, foi aperfeiçoada durante um longo tempo de dedicação ao xadrez.

O lateral foi apresentado ao esporte quando tinha nove anos. Seu pai introduziu-o ao jogo de tabuleiro para que o garoto tivesse alguma coisa para fazer quando o clima não permitisse que ele saísse pelas ruas chutando uma bola de futebol.

O hoje camisa 66 do Liverpool gostou tanto da brincadeira que até aceitou participar no ano passado de um amistoso contra o norueguês Magnus Carlsen, campeão mundial de xadrez.

Evidentemente, Alexander-Arnold foi derrotado. No entanto, ele teve desempenho melhor que o gênio norte-americano Bill Gates, que também encarou um desafio contra o mestre e líder do ranking mundial – durou 17 jogadas, contra apenas nove do proprietário da Micrososft.

"Eu não diria que é preciso ser inteligente [para jogar futebol]. Mas você precisa ter conhecimento do jogo e daquilo que o cerca. Isso é importante para conseguir se antecipar às jogadas e fazer a melhor leitura do que está acontecendo em campo", disse o lateral, ao jornal "Independent".

A esperteza de Alexander-Arnold, um garoto criado na própria base do Liverpool e que estreou como profissional há apenas três anos, já fez várias vítimas. A mais famosa delas, o Barcelona.

Nas semifinais temporada passada da Liga dos Campeões, o inglês posicionou a bola na marca do escanteio, virou as costas e caminhava para deixar a cobrança para outro jogador. Ao perceber que a defesa catalã estava mal posicionada na área, voltou atrás e bateu rapidamente para Divock Origi marcar.

Essa foi apenas uma das 32 assistências já dadas pelo lateral em 129 jogos com a camisa do Liverpool.  Em 2019, nenhum jogador que disputa o Campeonato Inglês deu mais passes para gol que ele (20).

Liverpool e Flamengo decidem amanhã, a partir das 14h30 (de Brasília), em Doha (Qatar), o Mundial de Clubes de 2019. Os Reds buscam seu primeiro título com esse status. Já a equipe brasileira venceu o Intercontinental de 1981, justamente contra seu adversário deste ano.


Mais de Cidadãos do Mundo

Aos 19, Messi fez contra o Real Madrid o 1º dos seus 53 "hat-tricks"; veja
Por que Cristiano Ronaldo é só o 35º colocado na Chuteira de Ouro?
A história do holandês que jogou Mundial de óculos, fez gol e virou canção
7 estrangeiros que estão livres para reforçar seu time em janeiro

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Rafael Reis