Topo

Trocar de técnico vira mania na Europa, e Itália já demite igual o Brasil

Rafael Reis

07/11/2019 04h00

Foi-se o tempo em que demitir técnicos com campeonatos em andamento e jogos a serem disputados já no próximo fim de semana era quase que uma exclusividade dos dirigentes do futebol brasileiro.

Apesar de a atual temporada ainda estar no seu terço inicial, todas as cinco principais ligas nacionais da Europa (Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França) já registraram pelo menos uma mudança de treinador durante 2019/20.

Crédito: Ansa

E o Campeonato Italiano foi além nesse cenário: já conseguiu igualar o número de técnicos derrubados do Brasileirão.

Só nas primeiras 11 rodadas desta temporada, o Calcio viu cinco treinadores perderem seus empregos. O último foi Eugenio Corini, que comandava o Brescia até a derrota por 2 a 1 para o Hellas Verona, no domingo.

Além da equipe do atacante Mario Balotelli, Genoa, Udinese e os tradicionalíssimos Milan e Sampdoria também decidiram trocar de comando técnico com a competição em andamento na Itália.

O número de mudanças (cinco) é exatamente o mesmo registrado pelo Brasileiro-2019 na 11ª rodada.

Até o final de julho, quando a Série A nacional chegou a esse momento, só haviam perdido seus cargos Marcos Gomes Valadares (interno do Vasco até a chegada de Vanderlei Luxemburgo), Abel Braga (Flamengo), Marcelo Cabo (CSA), Geninho (Avaí) e Ney Franco (Chapecoense).

Agora, na 30ª rodada, o Brasil já registrou 21 mudanças de treinadores. Possivelmente, esse número não será alcançado por nenhum campeonato europeu nesta temporada (a Itália cortou 12 cabeças em 2018/19). Mas, eles estão tentando…

O futebol espanhol, que também já foi sinônimo de estabilidade e ainda Diego Simeone no comando do Atlético de Madri desde 2011, teve quatro demissões até o momento em 2019/20. E, na França, o brasileiro Sylvinho perdeu o emprego no Lyon depois de somente 11 partidas oficiais.

Do primeiro escalão europeu, só Inglaterra e Alemanha continuam sendo bem pacientes com os treinadores. Mas nem elas escaparam da guilhotina deste começo de temporada.

O Bayern de Munique, maior clube germânico, optou por rescindir com o croata Nico Kovac depois de tomar 5 a 1 do Eintracht Frankfurt, no último sábado. Já o Watford, lanterna da Premier League, mudou de comando ainda no começo de setembro.

E já há outros treinadores na corda bamba nesses países. O espanhol Unai Emery, por exemplo, está por um fio no Arsenal e o holandês Peter Bosz vem sendo pressionado pela falta de resultados no Bayer Leverkusen.

TÉCNICOS DEMITIDOS NA EUROPA

Itália – 5
Eusebio di Francesco (Sampdoria)
Marco Giampaolo (Milan)
Aurelio Andreazzoli (Genoa)
Igor Tudor (Udinese)
Eugenio Corini (Brescia)

Espanha – 4
Marcelino Toral (Valencia)
David Gallego (Espanyol)
Mauricio Pellegrino (Leganés)
Fran Escribá (Celta)

França – 3
Ghislain Printant (Saint-Étienne)
Sylvinho (Lyon)
Alain Casanova (Toulouse)

Inglaterra – 1
Javi García (Watford)

Alemanha – 1
Niko Kovac (Bayern de Munique)


Mais de Clubes

Times do Brasil têm abismo com Europa no "padrão City" de posse virar chute
"Gigante adormecido" da França tem melhor defesa da Europa; veja o top 10
Com dois times na Liga dos Campeões, Red Bull é doping no futebol?
Rei das goleadas, City tem o melhor ataque da Europa; veja o top 10

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Blog do Rafael Reis