PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Estatísticas mostram: Brasil é o "melhor em tudo" na Copa América

Rafael Reis

06/07/2019 04h00

O Brasil não é favorito para derrotar o Peru, neste domingo, no Maracanã, e conquistar a Copa América-2019 apenas pela histórica diferença técnica entre os dois países ou pela goleada por 5 a 0 aplicada no confronto da primeira fase, há duas semanas.

A seleção comandada por Tite chega à decisão da competição da Conmebol em uma incomum situação de domínio completo.

Crédito: Divulgação

De acordo com o "WhoScored?", site especializado nas estatística esportivas, o Brasil é a melhor equipe da Copa América em todos os fundamentos normalmente utilizados para avaliar o desempenho de um time de futebol.

Para começar, a seleção pentacampeã mundial ainda está invicta na competição. A campanha que a conduziu até a decisão teve três vitórias (Bolívia, Peru e Argentina) e dois empates (Venezuela, na fase de grupos, e Paraguai, nas quartas, quando obteve a classificação nos pênaltis).

Os comandados de Tite ainda têm o melhor ataque do torneio, com dez gols em cinco partidas, ainda que metade deles tenha sido marcado em apenas uma partida, justamente contra os peruanos, adversários na decisão.

Mas o ponto forte do Brasil tem sido a defesa. Alisson não foi vazado sequer uma vez ao longo da Copa América. E, contando amistosos, a seleção já está há mais de 680 minutos sem sofrer gols.

A seleção da casa também é aquela que mais cria oportunidades durante as partidas. Em média, os jogadores da equipe canarinho finalizam 17,6 vezes por partida –o Uruguai, segundo colocado, ostenta 16,3 chutes a cada 90 minutos.

Na posse de bola, tampouco há oponente para o Brasil na competição. A equipe de Tite controla a bola durante 61,4% dos seus jogos e acertou até o momento 88,8% de todos os passes que tentou.

Quem mais se aproxima do desemprenho brasileiro na posse de bola é o Chile, com 54,3%. Já nos passes certos, a Argentina ocupa a segunda colocação, com precisão de 83,1%.

Até nos dribles, mesmo desfalcado de Neymar, normalmente seu principal jogador nesse fundamento, o Brasil sobra. Gabriel Jesus, Firmino, Everton e cia. têm média de 19,2 vitórias em duelos individuais com seus marcadores por partida. A Colômbia é a segunda seleção nesse ranking, com 15,5 dribles por jogo.

Essa é a 46ª edição da Copa América. O Uruguai é o maior campeão da história do torneio, com 15 títulos, um a mais que a Argentina. O Brasil já levantou o troféu oito vezes (1919, 1922, 1949, 1989, 1997, 1999, 2004 e 2007), enquanto o Peru, seu adversário na final deste domingo, ficou com a taça em duas oportunidades (1939 e 1975).

A competição continental será novamente disputada no próximo ano. Em 2020, o torneio será dividido em duas sedes (Colômbia e Argentina) e contará com a presença de Austrália e Qatar como seleções convidadas.

OS NÚMEROS DO BRASIL NA COPA AMÉRICA

Melhor ataque: 10 gols (média de 2 por jogo)
Melhor defesa: 0 gol
Mais finalizações: 17,6 por jogo
Mais posse de bola: média de 61,4%
Melhor passe: média de 88,8% de acerto
Mais dribles: 19,2 por jogo

Fonte: WhoScored?


Mais de Seleções:

– Como o Brasil ajudou a transformar o Peru em uma seleção competitiva
– Como seleção feminina virou símbolo de campanha pró-aborto na Argentina
– Um ano depois, renovação brasileira é menor que média das seleções da Copa
– Decadente desde 2013, Brasil vira 4ª (ou 5ª) força sul-americana no sub-20

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.