Blog do Rafael Reis

“Tiozão” do Schalke, ex-seleção faz sucesso como zagueiro artilheiro

Rafael Reis

Para os jogadores do Schalke 04, ele é uma espécie de “tiozão”, o cara mais velho do elenco, sempre disposto a dar conselhos para os (muitos) jogadores jovens do clube. Já para o restante do futebol alemão, um outro apelido lhe cai melhor: artilheiro.

Naldo, 35, é (e sempre foi) zagueiro. Mas possui um gosto um tanto quanto peculiar para os jogadores de sua posição: a fome de gol.

Em 12 anos disputando a Bundesliga, a primeira divisão germânica, o ex-jogador de Werder Bremen e Wolsfburg foi às redes 44 vezes.

Só na atual temporada, já foram cinco gols, mais do que qualquer outro zagueiro que disputa algum dos cinco principais campeonatos nacionais da Europa (Inglês, Espanhol, Alemão, Italiano e Francês).

No elenco do Schalke 04, apenas um jogador tem mais gols do que ele nesta edição da Bundesliga: o centroavante Guido Burgstaller, autor de nove tentos.

Mas, afinal, qual o segredo para esse sucesso todo no ataque? O 1,98 m de altura certamente ajuda, mas não faz trabalho sozinho.

“Sempre fui um zagueiro que faz muitos gols, e a maioria é de cabeça. Além da altura, é preciso ter um posicionamento bom. Em todo jogo existe uma marcação especial sobre mim, então preciso me posicionar bem e ter um bom tempo de bola. É isso, o tempo de bola é muito importante”, afirma.

Revelado pelo RS Futebol, projeto que o técnico Paulo César Carpegiani mantinha na região de Porto Alegre (RS), Naldo disputou apenas duas temporadas no Juventus antes de migrar para a Europa, em 2005.

Na terra da atual seleção campeã mundial, o zagueiro ganhou duas Copas da Alemanha (2009, com Werder Bremen, e 2015, com o Wolfsburg), foi vice de uma Copa da Uefa (2009, com o Werder), hoje Liga Europa, e se credenciou para defender a seleção brasileira.

“Joguei só quatro partidas [entre 2007 e 2009]. Na minha época, havia o Lúcio e o Juan. Mas acho que eu poderia ter tido mais oportunidades na seleção. Infelizmente, seis meses antes da Copa-2010, acabei me machucando”, relembra.

Aos 35 anos, Naldo é mais velho até que o seu atual treinador, o alemão Domenico Tedesco, 32. Mas aposentadoria é uma ideia que ainda passa longe, muito longe de sua cabeça.

“Tenho muita bola pela frente. O Zé Roberto e o Juan demonstraram bem isso. Idade só existe no documento. Tenho vínculo com o Schalke até 2019 e não acho que esse será o último contrato de minha carreira.”

Com o “tiozão” Naldo em forma na defesa e também lá no ataque, o Schalke sonha em voltar à Liga dos Campeões. A equipe de Gelsenkirchen ocupa a quinta colocação do Campeonato Alemão, mas está só um ponto atrás do vice-líder, Bayer Leverkusen.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– 7 brasileiros que treinaram seleções estrangeiras em Copas
– Ex-Sevilla, Mariano não tem ostracismo na Turquia e ainda sonha com Copa
– Olho neles: 5 brasileiros que jogam por seleções de base de outros países
– Lembrado por briga, zagueiro fala em volta ao Palmeiras para fazer justiça