Blog do Rafael Reis

Arquivo : hazard

7 destaques da Copa que podem mudar de time nesta janela de transferências
Comentários Comente

Rafael Reis

Jogadores que se destacaram na Copa do Mundo saíram na Rússia-2018 valorizados no mercado internacional da bola e com propostas (ou pelo menos sondagens) de clubes interessados em uma transferência.

Alguns até já mudaram de time, como o meia-atacante suíço Xherdan Shaqiri, que trocou o Stoke City pelo Liverpool, e o volante uruguaio Lucas Torreira, ex-Sampdoria, anunciado como reforço do Arsenal.

Mas a maioria ainda está na fase de negociações e deve decidir em breve o rumo que pretende dar à carreira.

Apresentamos abaixo sete jogadores que brilharam no Mundial-2018 e que podem trocar de clube ainda nesta janela de transferências.

EDEN HAZARD
Atacante
27 anos
Belga
Chelsea (ING)

Eleito o segundo melhor jogador da Copa do Mundo, o camisa 10 da Bélgica virou o favorito do Real Madrid para substituir Cristiano Ronaldo, negociado com a Juventus. Segundo o jornal francês “Le10Sport”, o Chelsea já chegou a um acordo com o clube espanhol para vender o seu principal jogador por 190 milhões de euros (R$ 856 milhões). Já a “Sky Sports” italiana afirma que a proposta máxima do Real por Hazard é consideravelmente mais baixa, na casa de 125 milhões de euros (R$ 564 milhões).

THIBAUT COURTOIS
Goleiro
26 anos
Belga
Chelsea (ING)

Vencedor do prêmio “Luva de Ouro”, concedido ao goleiro que mais se destacou no Mundial da Rússia, Courtois também faz parte do pacote de reforços belgas que o Real Madrid deseja contratar. O arqueiro afirmou logo após a Copa que precisava conversar com seu empresário sobre o futuro, abrindo a possibilidade de deixar o Chelsea. Mas, segundo vários jornais ingleses, o time de Londres só está disposto a negociar Courtois caso consiga um substituto à sua altura –o favorito é o italiano Gianluigi Donnarumma, do Milan.

BENJAMIN PAVARD
Lateral direito
22 anos
Francês
Stuttgart (ALE)

Pouco conhecido antes de a Copa começar, Pavard se destacou na lateral direita da França, marcou um golaço contra a Argentina, conquistou o título mundial e entrou na mira de vários clubes importantes da Europa. Apesar de rumores sobre possíveis negociações com Arsenal e Napoli, o destino mais provável do defensor é o Bayern de Munique. De acordo com a TV alemã SWR, os bávaros estão próximos de anunciar a contratação do jogador, que tem uma multa rescisória relativamente baixa no Stuttgart (35 milhões de euros, ou R$ 157 milhões).

HARRY MAGUIRE
Zagueiro
25 anos
Inglês
Leicester (ING)

Um dos responsáveis diretos pela melhor campanha inglesa em Copas do Mundo nos últimos 28 anos, o zagueiro do Leicester conquistou o técnico José Mourinho, que pretende levá-lo para o Manchester United nesta temporada. Segundo o jornal “Telegraph”, os Reds Devils estão dispostos a pagar 56 milhões de euros (R$ 252,4 milhões) por Maguire. No entanto, o Leicester deseja manter o jogador e já lhe ofereceu um novo contrato com aumento salarial.

ANTE REBIC
Atacante
24 anos
Croata
Eintracht Frankfurt (ALE)

Símbolo da entrega em campo mostrada pela Croácia na Copa, o vice-campeão mundial chamou a atenção de vários clubes importantes pela força física aliada a um espírito competitivo normalmente mais visto em defensores do que em atacantes. De acordo com o jornal alemão “Bild”, Manchester United, Arsenal, Tottenham, Napoli e Bayern de Munique disputam a contratação de Rebic. O negócio não deve sair por menos de 50 milhões de euros (R$ 225 milhões).

ALEKSANDR GOLOVIN
Meia
22 anos
Russo
CSKA Moscou (RUS)

Se a campanha dos anfitriões da Copa superou as expectativas iniciais, boa parte da responsabilidade é de Golovin. Jogador de maior qualidade técnica do meio-campo da Rússia, Golovin dificilmente continuará no CSKA Moscou nesta temporada. O vice-presidente do Monaco já admitiu que fez uma proposta pelo meia. Barcelona, Chelsea, Arsenal e Juventus também tiveram seus nomes ligados a Golovin nas últimas semanas.

ALEKSANDAR MITROVIC
Atacante
23 anos
Sérvio
Newcastle (ING)

Apesar de a Sérvia ter parado na fase de grupos da Copa, seu centroavante titular deixou uma ótima impressão. Leão da grande área, de porte físico avantajado e ótimo na jogada aérea, Mitrovic despertou o interesse de times de segundo e terceiro escalão da Europa. Segundo o jornal inglês “Evening Standard”, o Newcastle está disposto a negociar o atacante com o Fulham, clube que ele defendeu por empréstimo na temporada passada. A transação deve ficar em torno de 22 milhões de euros (R$ 100 milhões).


Mais de Cidadãos do Mundo

Além de Alisson: 7 jogadores que mudaram de clube após a Copa-2018
Sem folga! Jogadores da Copa já vão a campo por seus clubes
Os 7 trintões mais caros da história do futebol mundial
Hugo Lloris, o paredão francês, nasceu rico e queria jogar tênis


Mbappé, Hazard, Kane: Alguém pode tirar prêmio de melhor do mundo de CR7?
Comentários Comente

Rafael Reis

Kylian Mbappé, Eden Hazard, Kevin de Bruyne, Luka Modric, Harry Kane. Um (ou talvez até dois) deles estará ao lado de Cristiano Ronaldo na cerimônia de entrega do prêmio de melhor jogador do mundo, no dia 24 de setembro, em Londres.

Mas será que algum dos destaques individuais da Copa do Mundo será capaz de impedir o hexacampeonato do craque do Real Madrid e da seleção portuguesa?

Apesar da queda prematura na Rússia-2018, CR7 ainda é o favorito para ganhar a eleição do “The Best”. O terceiro título de Champions consecutivo conquistado pelo Real Madrid e a indefinição sobre quem é o craque da Copa são seus maiores trunfos.

Para desbancar o astro português do topo do planeta, os outros pleiteantes ao prêmio precisam primeiro conseguir unificar uma candidatura.

Só mesmo um jogador que parte expressiva do planeta tenha certeza absoluta que foi o grande nome da Copa (e que consequentemente centralize os votos de técnicos, atletas, jornalistas e torcedores) poderá será páreo na disputa com Ronaldo.

Só que esse nome ainda não existe. Modric foi o destaque da primeira fase do Mundial, mas caiu de produção nos mata-matas. Mbappé teve uma atuação de gala contra a Argentina, mas vem sendo menos decisivo que Griezmann na maioria dos jogos da França.

Kane é o artilheiro da competição, só que tem feito mais gols do que propriamente jogado bem. De Bruyne só deixou de ser discreto pela Bélgica quando passou a atuar mais adiantado, nas quartas de final contra o Brasil.

Talvez o jogador mais regular da Copa seja Hazard. O capitão belga mostrou bom futebol em todas as partidas que disputou, mas nem sempre foi o jogador mais importante de sua seleção, já que De Bruyne, Romelu Lukaku e Thibaut Courtois dividem com ele o protagonismo da equipe vermelha.

Ou seja, esta semana será decisiva para a definição dos rumos do prêmio de melhor do mundo.

Se alguém conseguir uma grande atuação individual na semifinal, repetir a dose na decisão e levar sua seleção à conquista do título, o reinado de Cristiano Ronaldo pode ficar seriamente ameaçado.

Caso contrário, veremos mais uma vez o português sendo consagrado como o maior craque do planeta. E Mbappé, Hazard, De Bruyne, Modric e Kane terão de aplaudi-lo das cadeiras da cerimônia da Fifa.


Mais de Opinião

– Por que Neymar desperta tanta antipatia?
– Quem vai ganhar a Copa? Sinceramente, não tenho a menor ideia
– Por que “geração belga” desperta tanto amor e ódio na Copa?
– Com “muro” na defesa, futebol da Copa do Mundo parece até handebol


Parece o Brasil: Êxodo de adolescentes moldou “geração belga”
Comentários Comente

Rafael Reis

Toby Alderweireld tinha apenas 15 anos quando foi descoberto por olheiros do Ajax (HOL) atuando pelas categorias de base do pequeno Germinal Beerschot, time de sua cidade natal, Antuérpia.

Antes mesmo de alcançar a maioridade e disputar sua primeira partida profissional, fez as malas e deixou seu país para trás em busca de uma oportunidade melhor de brilhar como jogador de futebol.

A história do zagueiro do Tottenham é muito parecida com a de milhares de garotos brasileiros e mostra uma semelhança enorme entre as duas seleções que se enfrentam nesta sexta-feira, em Kazan, por vaga na semifinal da Copa do Mundo.

Assim como o Brasil, a Bélgica têm um futebol que sofre com o êxodo de jogadores adolescentes. E foi assim, bem distante de suas fronteiras, que a geração que vem empolgando torcedores e analistas ganhou forma.

Dos 23 convocados pelo técnico espanhol Roberto Martínez para a Rússia-2018, 22 atuam no exterior. Desses, nada menos que 17 se transferiram para um clube de outro país antes mesmo de completar 21 anos.

Os recordistas são o zagueiro Thomas Vermaelen e os irmãos Eden e Thorgan Hazard, que foram embora da Bélgica quando tinham só 14 anos. Evidentemente, nenhum deles chegou a disputar o campeonato local.

Aliás, 11 jogadores da atual seleção jamais foram a campo em uma partida da primeira divisão belga. E só quatro deles (Axel Witsel, Marouane Fellaini, Thomas Meunier e Leander Dendocker, o único que ainda atua no país) chegaram a participar de mais de cem jogos da competição.

Em regra, assim como acontece no futebol brasileiro, os jogadores belgas mal despontam no cenário nacional e já são contratados por clubes de cenários mais importantes e ricos da Europa.

Foi o que aconteceu com os principais integrantes da atual geração. O goleiro Thibaut Courtois, o meia Kevin de Bruyne e o atacante Romelu Lukaku foram contratados pelo Chelsea quando tinham 19, 21 e 18 anos, respectivamente.

O resultado dessa política é que, apesar de ter uma das oito seleções mais fortes da Copa-2018 e de sonhar com o inédito título mundial, a Bélgica tem um futebol local que não faz nem cócegas às potências.

A última vez que um clube belga chegou às quartas de final da Liga dos Campeões da Europa foi 24 anos atrás, com o Anderlecht. Na última temporada, o clube foi novamente o representante do país no torneio, mas se despediu ainda na fase de grupos, com uma vitória em seis jogos e saldo negativo de 15 gols.

Ou seja, Brasil e Bélgica tem bem mais semelhanças no futebol do que o encontro nas quartas de final da Copa-2018 faz imaginar.


Mais de Cidadãos do Mundo

Não é só Jesus: cinco camisas 9 que passaram em branco em Copa do Mundo
Janela abre com R$ 11 bi em transferências; veja os 10 jogadores mais caros
“Furacão” inglês foi dispensado no Arsenal e esquentou banco na 2ª divisão
“Geração belga” já movimentou R$ 3,3 bilhões no Mercado da Bola


“Geração belga” já movimentou R$ 3,3 bilhões no Mercado da Bola
Comentários Comente

Rafael Reis

A aclamada geração que recolocou a Bélgica no mapa do futebol mundial e transformou o país de 11 milhões de habitantes em uma das sensações da Copa-2018 já movimentou 741,2 milhões de euros (mais de R$ 3,3 bilhões) no Mercado da Bola.

Esse é o valor da soma de todas as transferências protagonizadas ao longo da carreira dos 23 jogadores que integram o elenco da seleção belga na Rússia-2018.

A equipe, que venceu os três jogos que disputou até o momento e teve a melhor campanha da fase de grupos da Copa, joga nesta segunda-feira contra o Japão, em Rostov, por vaga nas quartas de final.

Mas, antes mesmo de fazer sucesso nos gramados russos, a Bélgica já havia conquistado o reconhecimento do mercado internacional do futebol.

Não à toa, mais de metade (12) dos convocados pelo técnico espanhol Roberto Martínez para o Mundial atuam na primeira divisão inglesa, o campeonato nacional mais rico e badalado do planeta.

Esse é um dos motivos pelos quais os jogadores belgas ficaram tão caros. Só como comparação, o elenco inteiro da Espanha, campeã mundial de 2010, só movimentou até hoje 393,5 milhões (R$ 1,7 bilhão) em transferências.

O “rei do mercado” para os belgas é o centroavante Romelu Lukaku. O vice-artilheiro do Mundial, com quatro gols, já fez girar 138,6 milhões de euros (R$ 624 milhões) em trocas de clube.

O atacante de 25 anos começou a carreira no Anderlecht. Aos 18, foi contratado pelo Chelsea, onde praticamente não jogou. Em 2013, foi emprestado ao Everton, que posteriormente comprou seus direitos econômicos. Um ano atrás, acabou negociado com o Manchester United.

O meia Kevin de Bruyne, maestro da seleção, também cumpriu uma trajetória semelhante. Os 106,5 milhões de euros (quase R$ 480 milhões) que movimentou ao longo da carreira incluem uma transferência do Genk para o Chelsea, um empréstimo ao Werder Bremen, uma venda ao Wolfsburg e a transação com o Manchester City, clube que defende atualmente.

Mas nem só das libras do mercado inglês vive o futebol belga. Os “Diabos Vermelhos” também contam com dois jogadores que se renderam ás fortunas pagas pela China.

O meia Axel Witsel (Tianjin Quanjian) e o ala esquerdo Yannick Carrasco (Dalian Yifang), titulares da equipe na Copa, jogam no Oriente há menos de dois anos e estão entre os dez reforços internacionais mais caros da história do país.

E a conta belga tem tudo para crescer depois do Mundial. O goleiro Thibaut Courtois e o atacante Eden Hazard, ambos do Chelsea, fazem parte da lista de compras do Real Madrid para a próxima temporada.

Segundo o jornal espanhol “Marca”, o atual tricampeão europeu planeja oferecer 35 milhões de euros (R$ 157 milhões) pelo arqueiro, que só tem mais um ano de contrato na Inglaterra, e 120 milhões de euros (R$ 540,4 milhões) pelo camisa 10, que se tornaria o jogador belga mais caro da história.


Mais de Cidadãos do Mundo

Chucky, Chicharito, Tecatito: Entenda os apelidos dos jogadores do México
7 destaques da fase de grupos da Copa que estão na mira de grandes clubes
Reservas perdem importância e só fazem 9% dos gols da Copa
Pontaria despenca, e Rússia-2018 vira Copa do chute para fora


Por que a “geração belga” desperta tanto amor e ódio na Copa?
Comentários Comente

Rafael Reis

Faça uma busca pela expressão “geração belga” nas redes sociais. Você provavelmente irá se deparar com uma enxurrada de perfis se derretendo em elogios a Eden Hazard, Romelu Lukaku e Kevin de Bruyne e também com um volume imenso de pessoas acusando a seleção comandada por Roberto Martínez de uma ser “fraude”.

Opiniões ponderadas sobre a verdadeira capacidade técnica da equipe que enfrenta a Inglaterra, nesta quinta-feira, às 15h (de Brasília), em Kaliningrado, no confronto que irá definir o primeiro colocado do Grupo C da Copa do Mundo, são raras, praticamente inexistentes.

Mas por que será que a Bélgica, um país sem tanta tradição assim no futebol e quase sem vínculos afetivos (para o bem ou para mal) com torcedores brasileiros, está despertando emoções e avaliações tão conflitantes na Rússia-2018?

Com um grupo de jogadores de qualidade técnica bem acima da sua média histórica, a seleção belga representa um confronto que sempre vem à tona na época dos Mundiais.

De um lado, estão aquelas pessoas que acompanham o dia a dia do futebol internacional, que veem os jogos dos Campeonatos Inglês, Francês e Italiano e que sabem de cor a escalação de times como Everton e Olympique de Marselha.

Para eles, os belgas são uma realidade já bastante consolidada no futebol mundial, já que De Bruyne é o maestro do Manchester City, Thibaut Courtois é há anos um dos melhores goleiros do planeta e Toby Alderweireld e Jan Vertonghen formam a sólida zaga do Tottenham.

Desde a Copa passada, este grupo elegeu a Bélgica como símbolo do seu conhecimento. Falar bem e apostar no sucesso dos “Red Devils” virou cool, um jeito de mostrar aos amiguinhos que você realmente entende do futebol jogado longe dos gramados brasileiros.

Mas toda ação tem uma reação. Ao mesmo tempo em que caiu nas graças dos consumidores vorazes do futebol internacional, a “geração belga” virou uma espécie de piada para quem acompanha pouco o futebol europeu e prefere ver os jogos do Campeonato Brasileiro.

Esses torcedores acusam a Bélgica de ser uma queridinha da “geração Nutella” e de quem acha que o futebol jogado dentro de campo pode ser explicado pelo que acontece nos games.

Essa turma faz questão lembrar que, por mais badalada que seja, a atual geração belga ainda não conquistou nenhum feito realmente impressionante. Na última Copa do Mundo, foi eliminada nas quartas de final pela Argentina. Na Euro-2016, decepcionou ao cair ante País de Gales.

Além disso, jamais emplacou um dos seus astros como finalista do prêmio de melhor do planeta.

Na Copa-2018, pelo menos por enquanto, a Bélgica tem merecido mais elogios que críticas. A seleção passou sem sustos pelos seus dois primeiros compromissos (Panamá e Tunísia), já marcou oito gols e mostrou um futebol dos mais bonitos da competição.

Só que seus críticos já têm uma resposta na ponta da língua para esses elogios. Os adversários que os belgas tiveram até o momento eram fracos demais, e o verdadeiro Mundial da Rússia começa nesta quinta, contra a Inglaterra.

De alguma forma, eles não estão errados. É a partir de hoje que a Bélgica vai mostrar se é realmente uma candidata ao título ou apenas uma seleção formada por jogadores famosos que caíram na graça de parte do público.


Mais de Opinião

– Com “muro” na defesa, futebol da Copa do Mundo parece até handebol
– França tem o melhor elenco da Copa-2018, mas título será surpresa
– Copa do Mundo deve definir “loucuras” da próxima janela de transferências
– Por que Firmino é o melhor “camisa 10” brasileiro da atualidade?


Copa em família: Conheça os parentes que vão jogar o Mundial da Rússia
Comentários Comente

Rafael Reis

Disputar uma Copa do Mundo já é uma experiência marcante para qualquer jogador de futebol. Agora, imagina participar da competição ao lado de uma pessoa que você ama, um integrante de sua família…

Essa será a realidade de alguns poucos privilegiados do Mundial da Rússia, que conseguirão dividir vestiário com um ente querido. Mas há também parentes que se estarão em lados opostos do gramado.

Apresentamos abaixo cinco famílias que terão mais de um representante na Copa-2018. São irmãos (até gêmeos), primos e ex-cunhados.

EDEN E THORGAN HAZARD
Irmãos
27 e 25 anos
Bélgica

O mais velho é uma das grandes estrelas do futebol mundial e ostenta a braçadeira de capitão da seleção belga. O mais novo joga no Borussia Mönchengladbach e tem apenas dez partidas disputadas pelos Diabos Vermelhos. Os Hazard tem futebol no sangue: eles são filhos de um casal de ex-jogadores e têm mais dois irmãos menores, Kylian e Ethan, que também decidiram se dedicar à modalidade.

ANTON E ALEKSEI MIRANCHUK
Irmãos
22 anos
Rússia

Gêmeos, assim como Frank e Ronald de Boer, que disputaram juntos as Copas de 1994 e 1998, os irmãos Miranchuk são a grande esperança da Rússia para o futuro. A dupla foi importante na conquista do título nacional desta temporada pelo Lokomotiv Moscou e acabou se garantindo na seleção. Os dois jogadores são meio-campistas. Mas, enquanto Anton é destro, Aleksey tem a perna esquerda como a principal.

GIOVANI E JONATHAN DOS SANTOS
Irmãos
29 e 28 anos
México

Pela primeira vez, os irmãos Dos Santos estarão juntos em uma Copa do Mundo. Filhos do ex-jogador brasileiro Zizinho, Giovani e Jonathan começaram nas categorias de base do Barcelona, jogaram lado a lado no Villarreal e hoje defendem o Los Angeles Galaxy. O mais velho tem mais experiência pela seleção e vai para seu terceiro Mundial. Já o caçula é estreante em Copas.

GELSON E MANUEL FERNANDES
Primos
31 e 32 anos
Suíça e Portugal

Integrantes de uma família cabo-verdiana que produziu pelo menos seis jogadores profissionais que hoje atuam na Europa, os primos se separaram quando chegaram no Velho Continente. Gelson foi para a Suíça, começou a carreira no Sion e hoje defende o Eintracht Frankfurt. Manuel desembarcou em Portugal, jogou pelo Benfica e agora veste a camisa do Lokomotiv Moscou. Na Copa-2018, serão adversários.

DAVID OSPINA E JAMES RODRÍGUEZ
Ex-cunhados
29 e 26 anos
Colômbia

O goleiro e o principal jogador da seleção colombiana não são propriamente parentes, mas fizeram parte da mesma família durante seis anos. James Rodríguez foi casado com Daniela Ospina, irmã do camisa 1, entre 2011 e 2017. O relacionamento chegou ao fim em julho, mas o ex-casal continua tão próximo que são fortes os rumores de uma reconciliação. James e David, pelo que se sabe, também continuam se entendendo bem.


Mais de Cidadãos do Mundo

Coisa de brasileiro? 7 jogadores da Copa que são conhecidos pelo apelido
Polêmica sobre masturbação encerrou casamento de rival de estreia do Brasil
Comparado a Maradona em 94, saudita ficou preso e foi açoitado em público
Sem contrato: 7 jogadores que vão ficar desempregados durante a Copa


Sonho de ter Cristiano Ronaldo transforma estrelas em “moedas de troca”
Comentários Comente

Rafael Reis

A possível saída de Cristiano Ronaldo do Real Madrid fez alguns dos principais clubes do planeta transformarem estrelas de primeiro escalão do futebol mundial em potenciais moedas de troca.

De acordo com diferentes veículos da imprensa europeia, Chelsea, Manchester United e Milan estão dispostos a incluir craques dos seus elencos atuais na proposta para contar com o português.

No caso do Chelsea, a intenção é aproveitar o interesse do Real pelo belga Eden Hazard, eleito o craque da Premier League duas temporadas atrás, para convencer os espanhóis a mandarem CR7 para Londres.

Segundo o britânico “Daily Express”, a oferta do Chelsea pelo atual melhor jogador do mundo seria de 200 milhões de euros (R$ 737 milhões), além da cessão de Hazard.

A estratégia do Manchester United para resgatar Ronaldo, que já defendeu o clube entre 2003 e 2009, é parecida.

De acordo com o “Daily Mirror”, o time dirigido por José Mourinho admite pagar os mesmos 200 milhões de euros (R$ 737 milhões), acrescidos do goleiro espanhol David de Gea, o melhor da posição na Inglaterra nos últimos três anos e um sonho antigo do Real.

Outro clube que deseja aproveitar o desejo do atual bicampeão europeu de contratar um novo dono para sua camisa 1 é o Milan.

Em entrevista ao “Corriere delo Sport”, no último fim de semana, Massimiliano Mirabelli, diretor de futebol do time italiano, admitiu que pode incluir o goleiro Gianluigi Donnarumma, em litígio com o Milan, em uma proposta por CR7.

Também interessado em contar com o português, o Paris Saint-Germain é exceção. Sem contar com nenhum jogador que está na mira do Real, o time francês deve se limitar a uma oferta financeira para ser o destino do craque. Por enquanto a proposta do PSG gira em torno de 140 milhões de euros (R$ 516 milhões).

Principal astro da conquista das duas últimas edições da Liga dos Campeões pelo Real, Cristiano Ronaldo tem uma multa rescisória na casa de 874 milhões de euros (R$ 3,2 bilhões), ou seja, um valor proibitivo para qualquer clube do mundo.

A chance de CR7 mudar de clube na próxima temporada se tornou o principal assunto da janela de transferências do futebol europeu depois de o jornal português “A Bola” publicar na última sexta-feira que o camisa 7 não planeja voltar a Madri depois da Copa das Confederações.

De acordo com a publicação, o melhor jogador do mundo cansou de sua vida na Espanha. Segundo o jornal, o atacante está irritado com o comportamento da torcida do Real, descontente com o tratamento que tem recebido da imprensa espanhola e não aceitou bem a acusação de sonegação fiscal feita pela Promotoria da capital espanhola.


Mais de Cidadãos do Mundo

Novato da seleção alemã já foi suspenso por comentário machista
Por onde andam os jogadores da Alemanha que foi tri mundial na Copa-1990?
7 astros que podem protagonizar transferências milionárias nesta janela
Mistério e polêmicas: quem é o homem que tem revolucionado o Milan?


7 astros que podem protagonizar transferências milionárias nesta janela
Comentários Comente

Rafael Reis

Até o próximo dia 31 de agosto, os jornais e sites esportivos europeus pouco vão falar de futebol dentro de campo. Em compensação, vão usar páginas e mais páginas para apresentar e discutir reforços e possíveis contratações dos clubes cobertos por eles.

É assim em toda janela de transferências, o período entre julho e agosto (e também em janeiro), em que os times das principais ligas nacionais do planeta podem realizar transações e adquirir novos atletas para seus elencos.

Esse período é sempre bastante movimentado e repleto de expectativa, esperança e até medo para os torcedores. Conheça abaixo as sete negociações mais esperadas da janela para a temporada 2017/18 do futebol europeu:

KYLIAN MBAPPÉ
Atacante
18 anos
Francês
Monaco (FRA)

O garoto sensação da última edição da Liga dos Campeões está na lista de compras de Real Madrid, Arsenal, Chelsea, Paris Saint-Germain e Manchester City. Só que tirar Mbappé do Monaco vai custar caro, muito caro. Se o atacante francês trocar de clube para a próxima temporada, certamente será por um valor superior a 105 milhões de euros (R$ 388 milhões), o que fará dele a contratação mais cara da história do futebol, superando seu compatriota Paul Pogba.

MARCO VERRATTI
Meia
24 anos
Italiano
Paris Saint-Germain (FRA)

O talentoso e baixinho meio-campista italiano é a prioridade de mercado do Barcelona para a próxima temporada. O clube catalão vê em Verratti o nome certo para substituir Andrés Iniesta, capitão da equipe, mas que está na reta final da carreira. De acordo com a imprensa espanhola, o Barça está disposto a pagar até 100 milhões de euros (R$ 370 milhões) para ter o jogador em seu elenco.

ÁLVARO MORATA
Atacante
24 anos
Espanhol
Real Madrid (ESP)

Reserva de luxo do Real Madrid na última temporada, o centroavante espanhol não quer passar mais um ano sentado no banco e já avisou ao clube que não pretende voltar à Espanha depois das férias. Depois de a transferência para o Milan não se concretizar, seu destino mais provável é o Manchester United, que aceita pagar até 70 milhões de euros (R$ 258 milhões) por Morata.

PIERRE-EMERICK AUBAMEYANG
Atacante
27 anos
Gabonês
Borussia Dortmund (ALE)

Um dos artilheiros mais regulares do futebol mundial, já criou raízes no Borussia Dortmund, clube que defende desde 2013. Mas os dias de Aubameyang na Alemanha parecem estar chegando ao fim. O atacante já é tratado na França como provável reforço do Paris Saint-Germain para a próxima temporada, em um negócio de 70 milhões de euros (R$ 258 milhões) por Morata. Mas o Chelsea também tem interesse em contratá-lo.

ROMELU LUKAKU
Atacante
24 anos
Belga
Everton (ING)

Vice-artilheiro do último Campeonato Inglês, o centroavante belga já avisou o Everton que deseja jogar no Chelsea na próxima temporada. Falta o clube de Liverpool liberar, o que deve acontecer se o atual campeão da Premier League depositar em sua conta inacreditáveis 115 milhões de euros (R$ 425 milhões). A obsessão do Chelsea por Lukaku está ligada à saída de Diego Costa, seu centroavante titular, e também ao fato de o belga já ter passado por Stamford Bridge e ter sido desperdiçado no clube.

EDEN HAZARD
Meia-atacante
26 anos
Belga
Chelsea (ING)

Apesar de ter sofrido uma fratura no joelho direito e da previsão de retorno ao futebol apenas em outubro, Hazard é outro que pode mudar de clube nesta janela de transferências. O camisa 10 do Chelsea negocia há anos sua transação para o Real Madrid. O belga é o outro que pode se transformar no jogador mais caro de todos os tempos, já que os espanhóis admitem oferecer até 113 milhões de euros (R$ 417 milhões) pelo astro.

GARETH BALE
Meia-atacante
27 anos
Galês
Real Madrid (Espanha)

Se o Real Madrid contratar Mbappé e Hazard, dificilmente terá espaço dentro de campo e também no orçamento para tantas estrelas. Caso esse cenário se concretize, é provável que o clube se desfaça de Gareth Bale. Apesar de o galês ter manifestado intenção de permanecer no Real, ele faz parte da lista de compras do Manchester United, que o deseja desde os tempos de Tottenham.


Mais de Cidadãos do Mundo

Mistério e polêmicas: quem é o homem que tem revolucionado o Milan?
Janela nem abriu e já movimentou R$ 2,2 bi; veja os reforços mais caros
24 anos depois, por onde andam os jogadores do último título da Argentina?
1º jogador a assumir ser gay sofreu também com racismo e se suicidou


Argentina ultrapassará Bélgica e será líder do próximo ranking da Fifa
Comentários Comente

Rafael Reis

Sai Hazard, volta Messi. Cinco meses depois de a Bélgica se tornar a seleção número 1 do planeta, a próxima edição do ranking da Fifa terá uma nova líder.

A lista, que será divulgada, no dia 7 de abril, trará a Argentina, atual vice-líder, na primeira colocação, logo à frente da seleção europeia.

O time dirigido por Tata Martino assegurou seu retorno ao topo do ranking graças à vitória por 2 a 1 sobre o Chile, fora, na última quinta-feira, pelas eliminatórias sul-americanas da Copa-2018.

Mesmo que seja derrotada na terça pela Bolívia, também pelo qualificatório do Mundial da Rússia, a Argentina aparecerá na próxima edição da lista com pelo menos 1.468 pontos e não poderá ser alcançada por nenhuma outra equipe.

Messi

A Bélgica também ainda entra em campo nesta Data Fifa. Mas, de acordo com o simulador da Fifa, chegará a no máximo 1.426 pontos se vencer o amistoso contra Portugal, na terça, e cairá para o segundo lugar.

Já o terceiro lugar do próximo ranking ainda está indefinido. Alemanha, Chile, Colômbia e até mesmo o Brasil têm chances de aparecer no pódio.

A Argentina liderou o ranking da Fifa entre julho e outubro do ano passado. Em novembro, foi ultrapassada por Bélgica e Alemanha. Desde dezembro, aparece sempre na segunda colocação, atrás dos belgas.

A lista considera todos os resultados obtidos pelas seleções filiadas à entidade nos últimos quatro anos. No entanto, o peso dos jogos na classificação vai diminuindo com o passar do tempo.

A pontuação também depende do tipo de partida que uma equipe disputou. Amistosos valem menos que eliminatórias, que possui um peso inferior à Copa.

Por isso, é normal que seleções que estejam disputando apenas amistosos, como a França, sede da Euro-2016, ocupem colocações bem abaixo do seu real potencial –é, no momento, apenas a 24ª do mundo.


Mais de Seleções:

– Sensação das eliminatórias se inspira em mesmo mentor que guia Dunga
– E o calor? África do Sul planeja usar mangas longas contra zika na Rio-2016
Como e por que a Bélgica fechou 2015 como a melhor seleção do mundo
Argentinos que criticam Messi já devem estar com saudades

 


Com Neymar, geração 1990 chega à Bola de Ouro. Quem serão os próximos?
Comentários Comente

Rafael Reis

A presença de Neymar entre os finalistas da Bola de Ouro-2015 tem toda a cara de passagem de bastão no protagonismo do futebol mundial.

Depois de oito anos consecutivos enfrentando adversários mais velhos ou da mesma geração que eles, Cristiano Ronaldo e Messi irão pela primeira vez disputar o prêmio de melhor do planeta com um jogador nascido nos anos 1990.

Primeiro representante da chamada Geração Z (originários da última década do século passado) a subir no pódio do prêmio, Neymar é de 1992, cinco anos mais novo que Messi e sete mais jovem que Cristiano Ronaldo.

Evidentemente, ele é apenas o primeiro, mas não será o único dos jogadores nascidos nos anos 1990 a disputar o prêmio.

A indicação da Fifa funciona como uma espécie de abertura de portas para que a geração do atacante brasileiro alcance o topo do futebol mundial.

Esse processo irá acontecer naturalmente nos próximos anos, seguindo o declínio físico e técnico de Messi e Cristiano Ronaldo e a evolução natural dos jovens candidatos a protagonistas.

O blog apresenta na sequência alguns dos garotos da Geração Z que podem brigar com Neymar pelo prêmio de melhor do mundo nos próximos anos.

Eden Hazard
Bélgica
Chelsea
Nascido em 1991
O meia-atacante é a principal estrela da seleção da moda, a Bélgica, líder do ranking da Fifa. Extremamente habilidoso, faz sucesso sobretudo entre os adolescentes. Vive uma fase ruim no Chelsea, assim como praticamente todo o elenco comandado por José Mourinho.

Hazard

James Rodríguez
Colômbia
Real Madrid
Nascido em 1991
Assombrou o mundo na Copa do Mundo do ano passado, foi contratado pelo Real Madrid para suceder Cristiano Ronaldo no papel de protagonista da equipe. Apesar de já ter tido alguns bons momentos, ainda não conseguiu explodir na Espanha. Vem sofrendo com problemas físicos.

Paul Pogba
França
Juventus
Nascido em 1993
Pérola desperdiçada pelas categorias de base do Manchester United, esse meia com corpanzil de volante e técnica dos melhores armadores apareceu como um furacão no futebol europeu nas duas últimas temporadas. Com as saídas de Pirlo, Vidal e Tevez, cabe a ele reconstruir dento de campo a Juventus, atual vice-campeã europeia.

Pogba 2

Memphis Depay
Holanda
Manchester United
Nascido em 1994
Teve ótimo desempenho na Copa-2014 mesmo sendo um garoto de apenas 20 anos. Contratado pelo Manchester United no início da temporada, começou muito bem, mas se deslumbrou e entrou em atrito com o técnico Louis van Gaal. Quando amadurecer, será craque pois reúne habilidade, explosão física e uma ótima finalização.

Memphis