Topo

Por que Fernandinho está levando a culpa pela crise do Manchester City?

Rafael Reis

03/12/2019 04h00

Dos últimos cinco jogos que disputou, o Manchester City só venceu um. Sete dos oito adversários mais recentes que cruzaram seu caminho conseguiram balançar as redes. E a desvantagem para o Liverpool, líder do Campeonato Inglês, já é de 11 pontos.

O atual bicampeão da Premier League vive seu pior momento desde a contratação do técnico Pep Guardiola, há três anos e meio. E a responsabilidade pela crise instaurada no Etihad Stadium tem caído nas costas de um brasileiro.

Crédito: Getty Images

O declínio do time que encantou o planeta nas últimas temporadas coincide com uma transformação tática feita pelo treinador espanhol: a transformação do até então volante Fernandinho em zagueiro.

Homem de confiança de Guardiola desde sua chegada ao futebol inglês, o brasileiro foi deslocado do meio-campo para a zaga logo no começo da temporada, quando os Citizens perderam Aymeric Laporte e John Stones por lesão e ficaram com apenas um zagueiro de ofício à disposição, o argentino Nicolás Otamendi.

Desde então, o time número um da Inglaterra nos últimos anos nunca mais foi o mesmo.

O aproveitamento do time, que era de 84,7% na temporada passada, caiu para 71,2% nos últimos quatro meses. A frequência de gols sofridos saltou de 0,64 por partida para 0,95 a cada 90 minutos. E os tropeços foram se acumulando.

Só em novembro, a equipe azul celeste empatou com Atalanta, Shakhtar Donetsk e Newcastle. Além disso, foi derrotada pelo Liverpool no confronto direto entre os dois clubes mais poderosos do país no momento.

Para jornalistas ingleses e torcedores do City, uma parte considerável da responsabilidade por essa sequência de resultados ruins está na utilização de Fernandinho como zagueiro.

De acordo com as críticas, o brasileiro não tem porte físico (1,76 m e menos de 70 kg) para enfrentar centroavantes adversários dentro da área e nem cacoete para jogar na última linha da defesa. Além disso, suas leitura de jogo e saída de bola estaria fazendo uma falta danada no meio-campo.

Mas, Guardiola não pensa assim. Apesar dos recentes tropeços e da recuperação de Stones, que está apto a jogar há quase dois meses, tem mantido o veterano de 34 anos como beque.

"Acho que Dinho está jogando muito nessa posição. Então, neste momento, prefiro ele como zagueiro. É por isso que ele está sendo escalado", afirmou o treinador no sábado, após o empate por 2 a 2 com o Newcastle.

Na terceira colocação do Inglês, com menos pontos que Liverpool e Leicester, o City volta a campo hoje, contra o Burnley, fora de casa. Fernandinho deve novamente começar no miolo de zaga, a menos que seja preservado para o clássico contra o Manchester United, no sábado.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Casemiro é o melhor brasileiro da temporada em "escolha de robôs"; entenda
Por onde andam 7 brasileiros que jogaram na Juventus?
Sem Neymar, Brasil tem menor número de gols na Champions em 17 anos
Melhor brasileiro na Chuteira de Ouro já até deixou de ser brasileiro

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Blog do Rafael Reis