Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

PSG, Barcelona, Brasil: Qual é a melhor opção para o futuro de Neymar?

Rafael Reis

2018-06-20T19:04:00

18/06/2019 04h00

Em entrevista à edição desta terça-feira à revista "France Football", o presidente do Paris Saint-Germain, Nasser al-Khelaifi, afirmou que está farto do "comportamento de celebridade" de alguns dos seus jogadores e que as "portas estão abertas" para que eles deixem o clube.

A declaração foi entendida por muita gente como um ultimato a Neymar, que durante as últimas temporadas acumulou confusões fora de campo, sofreu com problemas físicos e não conseguiu sequer fazer o time se aproximar da conquista da Liga dos Campeões.

Crédito: Divulgação

Mas, se o futuro do principal nome do futebol brasileiro parece cada dia mais distante da capital francesa, qual seria a melhor saída para a sequência de sua carreira?

O problema para o camisa 10 é que suas opções são bastante limitadas. Afinal, poucos são os clubes no planeta capazes de arcar com o valor de sua transferência e com seu salário astronômico (66,7 milhões de euros anuais, ou R$ 292 milhões a cada 12 meses, segundo a revista "Forbes").

E o mercado com mais poderio financeiro para bancar um reforço esse calibre, a Inglaterra, não tem nenhum interesse em contratá-lo –boa parte da torcida inglesa simplesmente não suporta Neymar por considerá-lo um jogador que simula demais.

Juventus e Bayern de Munique, outros dois gigantes com orçamento suficiente para esse negócio, tampouco se mostraram dispostos nos últimos anos a abrigar o atacante.

Assim, as possibilidades "normais" que sobrariam a Neymar seriam se transferir para o Real Madrid ou retornar ao Barcelona.

Como o Real já contratou um jogador de status e características semelhantes ao brasileiro (o belga Eden Hazard), resta ao astro do futebol pentacampeão mundial, se realmente quiser ir embora do PSG, o caminho de volta à Catalunha.

Ainda que jogar novamente no Barcelona e retomar o papel de escudeiro de luxo de Lionel Messi seja um atestado que sua busca pelo protagonismo na França deu muito errado, essa ainda é a melhor opção para o futuro da carreira de Neymar.

No Camp Nou, o brasileiro não precisaria se adaptar a um estilo jogo de que desconhece, reencontraria uma torcida que, pelo menos no passado, já o amou e estaria em um clube mais acostumado a enquadrar seus craques e controlar seus egos.

Distante da obrigação de ser o melhor e de liderar um time tomado por um ambiente intoxicado à conquista da Champions, Neymar talvez consiga reencontrar seu lugar na prateleira de cima do futebol mundial.

Se não for embora do PSG e continuar no círculo vicioso responsável por reduzir assustadoramente sua importância no cenário global, isso dificilmente acontecerá. A tendência é que o craque seja cada dia mais aquele jogador que poderia ter sido muito mais.

Outras possíveis opções para o futuro de Neymar, como aceitar alguma proposta megalomaníaca da China ou voltar durante alguns meses para o futebol brasileiro para defender o Flamengo, seriam ainda piores.

A primeira seria um atestado de que o atacante está mais preocupado em ganhar dinheiro do que em construir uma história vitoriosa no futebol. Já a segunda hipótese o afastaria da elite da modalidade e faria dele uma espécie de rei caolho em terra de cegos.


Mais de Opinião

– Messi foi o melhor do mundo na temporada; conheça os 5 craques de 2018/19
– Liverpool é hexa porque amadureceu e deixou de ser só o time kamikaze
– Alguém ainda tem coragem de chamar Klopp e Pochettino de perdedores?
– 
Colocar Messi no mesmo patamar de Pelé já deixou de ser heresia

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Mais Blog do Rafael Reis