Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

Messi foi o melhor do mundo na temporada; conheça os 5 craques de 2018/19

Rafael Reis

2004-06-20T19:04:00

04/06/2019 04h00

A Fifa só irá anunciar quem foi o melhor jogador do mundo na temporada 2018/19 daqui três meses e meio. A cerimônia "The Best" está marcada para o dia 23 de setembro e será realizada em Milão (Itália).

Mas, como os principais campeonatos nacionais do planeta e a Liga dos Campeões da Europa já chegaram ao fim, é possível antecipar um pouco essa escolha.

Independentemente do que aconteça na Copa América, no Final Four da Liga das Nações e nas eliminatórias da Eurocopa-2020, esses foram os cinco melhores jogadores do mundo na temporada 2018/19, de acordo com avaliação feita pelo "Blog do Rafael Reis".

1º – LIONEL MESSI (ARG)

Crédito: Luis Gene/AFP

Ainda não foi desta vez que o craque argentino voltou ao alto do pódio da Liga dos Campeões. Mas, mesmo caindo nas semifinais da Champions, o camisa 10 do Barcelona jogou mais bola do que qualquer outra pessoa do planeta ao longo da temporada. Em 2018/19, Messi foi campeão espanhol, faturou pela sexta vez na carreira a Chuteira de Ouro e terminou a Champions como artilheiro. No total, disputou 50 partidas oficiais pelo Barcelona e marcou 51 vezes. O argentino só não brilhou ainda mais porque o Barça não ajudou. Messi foi a estrela de uma equipe de jogo coletivo bastante estéril e que dependia exclusivamente do seu brilho. Por isso, merece ser consagrado como melhor jogador do mundo.

2º – VIRGIL VAN DIJK (HOL)

Crédito: Divulgação

Desde a vitória do italiano Fabio Cannavaro na eleição de 2006, nenhum zagueiro conseguiu ser escolhido como craque número um do planeta. Para muita gente, o tabu pode acabar nesta temporada. Van Dijk foi o melhor jogador do melhor time de 2018/19. Praticamente imbatível por cima, firme por baixo e um monstro nas antecipações, o holandês liderou o sistema defensivo do Liverpool. Na decisão da Liga dos Campeões, ganhou praticamente todas as disputas com Harry Kane, o astro do Tottenham e seu adversário na final. Se não tivesse a genialidade de Messi como rival, seria um vencedor mais que justo para o prêmio da Fifa.

3º – MOHAMED SALAH (EGI)

Crédito: Paul Childs/Reuters

Principal peça ofensiva do vencedor da Liga dos Campeões, o egípcio merece repetir seu resultado de 2018, quando ficou em terceiro lugar no The Best. Na atual temporada, Salah fez 17 gols a menos do que na anterior (27, contra 44), mas continuou sendo decisivo e teve um grande crescimento do ponto de vista tático. Um dos três artilheiros do Campeonato Inglês, o atacante que marcou o primeiro gol do Liverpool na final da Champions ganhou versatilidade: deixou de ser apenas o jogador que precisa atuar aberto por um dos lados do campo para invadir a área em diagonal e virou também um cara que pode quebrar o galho como centroavante, se necessário.

4 – RAHEEM STERLING (ING)

Crédito: Phil Noble/Reuters

Se eu fosse dirigente de um grande clube europeu, certamente não usaria uma parte expressiva do meu orçamento para contratar Sterling. Mas, é preciso admitir que, nas mãos de Pep Guardiola, o atacante inglês vira um dos melhores jogadores do mundo. O camisa 7 do Manchester City foi o protagonista da equipe mais regular da temporada e participou de incríveis 43 gols em 2018/19 –25 marcados por ele próprio e 18 assistências. Uma marca para lá de expressiva para um jogador que, até pouco tempo atrás, era famoso por geralmente tomar as decisões erradas dentro de campo.

5 – CRISTIANO RONALDO (POR)

Crédito: Marco Bertorello/AFP

O primeiro ano de Cristiano Ronaldo na Juventus não foi tão bom quanto as três temporadas anteriores, que terminaram com títulos da Champions pelo Real Madrid e, em duas delas, prêmios de melhor jogador do mundo. Mesmo assim, o português merece um posto no top 5 dos maiores craques de 2018/19. Aos 34 anos, CR7 adaptou-se rápido ao futebol italiano, foi o protagonista de mais uma conquista da Juve no Calcio e também teve seus momentos de brilho na Liga dos Campeões –conseguiu um hat-trick nas oitavas de final contra o Atlético de Madri e marcou nos dois jogos das quartas ante o Ajax.


Mais de Opinião

– Liverpool é hexa porque amadureceu e deixou de ser só o time kamikaze
– Alguém ainda tem coragem de chamar Klopp e Pochettino de perdedores?
– 
Colocar Messi no mesmo patamar de Pelé já deixou de ser heresia
– Mesmo que não vença a Champions, Messi já é o melhor do mundo

 

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Mais Blog do Rafael Reis