Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

Por onde andam 7 ídolos históricos do Real Madrid?

Rafael Reis

2011-04-20T19:04:20

11/04/2019 04h20

Eles já penduraram as chuteiras e abandonaram o futebol profissional. Mesmo assim, continuam sendo amados e idolatrados pelos torcedores dos clubes onde marcaram gols, fizeram defesas milagrosas, conquistaram títulos importantes e escreveram seus nomes na história.

Desde a última quinta-feira, o "Blog do Rafael Reis" publica semanalmente a seção "Por Onde Andam os ídolos?". Ao longo dos próximos meses, mostraremos os paradeiros dos maiores nomes de todos os tempos dos times mais importantes do futebol europeu.

Hoje, apresentamos o destino de sete ídolos históricos do Real Madrid. Na próxima semana, será a vez de fazer o mesmo com jogadores que construíram a trajetória do Atlético de Madri.

RAÚL
41 anos
Ex-atacante
Espanhol

Crédito: Getty Images

Recordista de jogos (741) e segundo maior artilheiro (323 gols) da história do clube, é tão identificado com a camisa merengue que passou boa parte da carreira s endo chamado de Raúl Madrid. O camisa 7 atuou na equipe principal do Real durante 16 temporadas e conquistou seis títulos espanhóis e três edições da Liga dos Campeões. Aposentado desde 2015, retornou à capital espanhola para trabalhar nas categorias de base do clube. Desde março, dirige o time sub-18 do Real.

ROBERTO CARLOS
46 anos
Ex-lateral esquerdo
Brasileiro

Crédito: Getty Images

Assim como Raúl, foi símbolo do madridismo durante as décadas de 1990 e 2000 e carrega até hoje uma porção de recordes. O brasileiro é o estrangeiro que mais defendeu o Real em todos os tempos, com 527 partidas oficiais espalhadas por 11 temporadas. Depois de pendurar as chuteiras, Roberto Carlos se aventurou como técnico e comandou times na Rússia, na Turquia e na Índia. A nova carreira está parada desde 2015. Hoje, o ex-lateral atua no Real como uma espécie de embaixador internacional do clube e também como coordenador da base.

ZINÉDINE ZIDANE
46 anos
Ex-meia
Francês

Crédito: Reprodução

O destino de um dos maiores símbolos do "Projeto Galáctico", que encheu o Real Madrid de craques no início da década passada, todo mundo sabe. Zidane está hoje sentado no banco de reservas do clube onde viveu o auge de sua carreira como jogador. O francês dirigiu a equipe de 2016 até o final da temporada passada, período em que conquistou o tricampeonato da Liga dos Campeões e virou um dos treinadores mais badalados do planeta. Em março, após menos de dez meses de afastamento, aceitou retornar ao cargo para recolocar a casa em ordem.

RONALDO
42 anos
Ex-atacante
Brasileiro

Crédito: Reprodução

Apesar de também ter jogado no Barcelona, foi no Real Madrid que Ronaldo passou mais tempo no futebol espanhol e acabou criando uma identificação maior. O Fenômeno foi contratado logo após a conquista da Copa do Mundo-2002 e vestiu o uniforme branco durante cinco temporadas, período no qual ganhou dois títulos espanhóis. Mais de uma década depois de deixar o Real, Ronaldo ainda tem negócios no país e é dono do Valladolid, clube da primeira divisão local. Também atua como comentarista da TV Globo nos jogos da seleção brasileira.

FERNANDO HIERRO
51 anos
Ex-zagueiro
Espanhol

Crédito: Divulgação

Apesar de ter sido um jogador de defesa, que se revezou ao longo da carreira entre o miolo de zaga e o posto de volante, Hierro ultrapassou a casa de 100 gols pelo Real Madrid. Exímio cobrador de faltas e batedor de pênaltis oficial do clube durante boa parte dos 14 anos em que atuou no clube, Hierro ganhou três edições da Liga dos Campeões (1998, 2000 e 2002). O ídolo merengue já fez um pouco de tudo desde a aposentadoria: foi diretor esportivo da federação espanhola e do Málaga, trabalhou como auxiliar-técnico no Real e treinou a seleção da Espanha na última Copa do Mundo.

FRANCISCO GENTO
85 anos
Ex-atacante
Espanhol

Crédito: Divulgação

Único jogador da história que ganhou seis edições da Liga dos Campeões, Gento fez parte daquele time do Real Madrid que marcou época na Europa entre o final da década de 1950 e o começo dos anos 1960. Contemporâneo de Alfredo di Stéfano e Ferenc Puskás, o atacante que jogou durante 18 temporadas na equipe da capital espanhola e disputou as Copas do Mundo de 1962 e 1966 é hoje o maior símbolo vivo do madridismo. Não à toa, ocupa o posto de presidente honorário do Real.

HUGO SÁNCHEZ
60 anos
Atacante
Mexicano

Crédito: Divulgação

Em uma época em que o México ainda engatinhava no cenário do futebol mundial, era difícil acreditar que um jogador daquele país conseguiria se tornar ídolo de um clube do tamanho do Real. Mas foi isso que Hugo Sánchez fez entre 1985 e 1992. Com 208 gols marcados com a camisa merengue, ele até hoje aparece no top 10 dos maiores artilheiros da história madridista. Aposentado desde a década de 1990, Sánchez trabalhou durante 12 anos como técnico e chegou a dirigir a seleção mexicana em duas oportunidades.


Mais de Cidadãos do Mundo

Futebol moderno: atacantes lideram ranking de mais faltosos da temporada
Caras novas: as 7 principais revelações da temporada europeia
Por onde andam 7 ídolos históricos do Barcelona?
Alguém ainda pode impedir o hexa de Messi na Chuteira de Ouro?

 

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Mais Blog do Rafael Reis