PUBLICIDADE
Topo

Como ex-auxiliar de Tite transformou o Lyon em sensação da Europa

Rafael Reis

22/08/2019 04h00

Na primeira rodada do Campeonato Francês, um confortável 3 a 0 sobre o Monaco, mesmo jogando fora de casa. No segundo jogo, o placar foi ainda mais expressivo: goleada por 6 a 0 ante o Angers.

Com 100% de aproveitamento e dono dos melhores ataque e defesa deste início de temporada nas cinco principais ligas nacionais da Europa, o Lyon está com tudo.

Crédito: Divulgação

E quem está por trás do time que se tornou sensação do futebol do Velho Continente nos primeiros dias de 2019/20 é uma dupla de brasileiros recém-chegados ao país vencedor da última Copa do Mundo.

Ex-auxiliar de Tite no Corinthians e na seleção, Sylvinho abandonou a ideia de dirigir a equipe olímpica no Brasil nos Jogos de Tóquio-2020 para ter no Lyon sua primeira oportunidade de trabalhar como treinador.

O responsável por sua contratação foi Juninho Pernambucano, maior jogador da história do clube, que deixou o país no final de maio para assumir o cargo de diretor esportivo.

Juntos, eles têm provocado uma verdadeira revolução na equipe da região central da França.

A dupla compensou a saída de três dos protagonistas do time nos últimos anos (Tanguy Ndombélé, Ferland Mendy e Nabil Fekir) com o aumento de brasileiros no elenco. Agora, são cinco jogadores com DNA tupiniquim no grupo de 27 atletas.

O zagueiro Marcelo, o lateral esquerdo Marçal e o lateral direito Rafael, que já estavam lá na temporada passada, ganharam a companhia dos meio-campistas Thiago Mendes e Jean Lucas, contratados de Lille e Flamengo, respectivamente.

O desempenho tático também mudou. O 4-2-3-1, que era utilizado por Bruno Genésio, antecessor de Sylvinho, foi trocado pelo 4-3-3, o esquema mais utilizados entre as equipes mais poderosas da Europa.

Resumindo, com o treinador brasileiro, o Lyon trocou um armador de jogadas pela faixa central (Fekir ou Memphis Depay) por um meia com características mais defensivas. No caso, Thiago Mendes.

Com isso, passou a controlar mais o ritmo das partidas. Nas duas primeiras rodadas do Francês, teve 60,6% de posse de bola e 91,6% de acerto no passe, segundo dados do site "WhoScored?", especializado nas estatísticas do futebol.

Um ganho considerável em relação aos 58,2% de posse e 85,9% de precisão nos toques, registrados na temporada passada.

Crédito: Divulgação

A formação mais equilibrada imposta por Sylvinho deu ao trio de ataque mais liberdade para brilhar. Moussa Dembélé, o centroavante da equipe, já marcou três vezes nesta temporada. Depay, um dos homens de velocidade pelos lados do campo, também.

Com sete títulos consecutivos conquistados entre 2002 e 2008, os únicos de sua história, o Lyon ainda é o maior campeão francês deste século –o Paris Saint-Germain acumula seis troféus no período.

Nos últimos dez anos, no entanto, a equipe tem ficado longe da briga pela taça e só foi vice-campeã em três oportunidades (2010, 2015 e 2016). Na última temporada, terminou a Ligue 1 na terceira colocação, com 19 pontos a menos que o PSG.

O próximo compromisso do Lyon é só na terça-feira, quando visita o Montpellier, que ainda não venceu no Francês, para confirmar o posto de sensação da Europa neste início de temporada.

 

Veja os selecionáveis que mudaram de time na janela europeia

UOL Esporte


Mais de Brasileiros pelo Mundo

7 brasileiros conhecidos espalhados por torneios de 2ª divisão no exterior
Com mais gols que Mbappé, Gabigol é o maior artilheiro sub-23 do planeta
Após período de seca, Brasil exporta técnico e cartolas para a Europa
7 brasileiros para acompanhar de perto na nova temporada europeia

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Rafael Reis