Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

Rainha dos reforços grátis, Juve monta meio de R$ 500 mi sem gastar nada

Rafael Reis

03/07/2019 04h00

O novo técnico da Juventus, Maurizio Sarri, pode escalar na temporada 2019/20 um trio de meio-campo avaliado em 115 milhões de euros (R$ 500 milhões), mas que não custou sequer um centavo à atual octocampeã italiana.

O galês Aaron Ramsey, o alemão Emre Can e o francês Adrien Rabiot desembarcaram em Turim graças à esperteza da diretoria bianconera de enxergar oportunidades de mercado em jogadores em reta final de contrato.

Crédito: Divulgação

Os dois primeiros assinaram pré-contratos com o clube quando estavam no último semestre dos vínculos com seus antigos times. Já Rabiot foi anunciado na última segunda-feira, um dia depois da sua ligação com o Paris Saint-Germain chegar oficialmente ao fim.

Da trinca de meio-campistas, o único que já completou uma temporada na Itália é Can. O alemão era reserva do Liverpool em janeiro de 2018, quando fechou acordo com a Juve para se transferir gratuitamente no término do seu contrato, seis meses depois.

Na Velha Senhora, o alemão ganhou importância. Disputou 37 partidas e foi titular durante a maior parte do seu ano de estreia. De acordo com o "Transfermarkt", seu valor estimado de mercado na atualidade está na casa de 40 milhões de euros (R$ 174 milhões).

Essa também é a avaliação de Ramsey. O galês foi o primeiro reforço anunciado pela Juve para a próxima temporada. O acordo foi selado ainda em janeiro, quando o jogador revelou ao Arsenal que não tinha intenção de renovar e que apenas cumpriria seu contrato até o fim.

Com Rabiot (35 milhões de euros, ou R$ 152 milhões, segundo o "Transfermarkt"), o negócio foi um pouco diferente, mas também não envolveu pagamento de compensação financeira por direitos econômicos.

O francês estava em guerra com a diretoria do PSG há mais de um ano por não querer assinar uma renovação de contrato e está sem jogar desde dezembro por causa disso. Apesar de ter sido "dado como certo" pela imprensa espanhola como reforço de Barcelona e Real Madrid, não selou pré-contrato com ninguém por lá.

Foi só depois que seu vínculo com o clube parisiense chegou ao fim, no último domingo, que Rabiot efetivamente acertou seu futuro e se mandou para Turim.

Nos três casos, a Juve não teve de pagar nada às antigas equipes dos seus reforços. Precisou "apenas" arcar com as luvas (bonificação por assinatura de contrato) e salários dos jogadores. Segundo a imprensa italiana, no caso de Rabiot, o prêmio foi de 10 milhões de euros (R$ 43,5 milhões) e os rendimentos anuais ficarão na casa de 7 milhões de euros (R$ 30,5 milhões).

Também foi em uma negociação, sem indenização a nenhuma agremiação, desse tipo que o clube repatriou o goleiro Gianluigi Buffon. Depois de rescindir com o PSG, o veterano de 41 anos decidiu voltar a Turim para a última temporada de sua carreira antes de ganhar um lugar na diretoria.

Além dos reforços gratuitos, o time que tem Cristiano Ronaldo como estrela máxima realizou até o momento apenas mais uma contratação nesta janela de transferências, o lateral esquerdo Luca Pellegrini, que pertencia à Roma, estava emprestado ao Cagliari e custou 22 milhões de euros (R$ 96 milhões).

Em compensação, já arrecadou 98 milhões de euros (R$ 427 milhões) com a venda de jogadores que, na maioria dos casos, já estavam cedidos a equipes menores da Itália e não faziam parte dos planos de Sarri para a próxima temporada.


Mais de Clubes

– Janela mal abriu e já movimentou R$ 10,6 bi; veja as 10 ligas mais gastonas
– Janela já movimentou R$ 8,2 bilhões; veja os 10 clubes que mais faturaram
– Por que os clubes ingleses estão tão discretos na janela de transferências?
– Janela já movimentou R$ 6,9 bilhões; conheça os 10 clubes mais gastões

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Mais Blog do Rafael Reis