PUBLICIDADE
Topo

Brasil pode ter remanescentes do ouro, "gringos" e ex-Corinthians em Tóquio

Rafael Reis

22/08/2016 06h00

Campeões olímpicos de futebol com a seleção brasileira na Rio-2016, Thiago Maia e Gabriel Jesus podem ter a chance de defender nos Jogos de Tóquio-2020 o título conquistado nos pênaltis no último sábado.

O volante do Santos e o atacante do Palmeiras, já negociado com o Manchester City, são os únicos dos 18 jogadores do grupo do técnico Rogério Micale que ainda terão idade olímpica daqui quatro anos.

Jesus

Caçulas do time olímpico do Brasil, Thiago e Jesus nasceram em 1997, ano limite para participar do futebol nos Jogos de Tóquio, caso não haja nenhuma mudança nas regras de inscrição.

A experiência da inédita conquista da medalha de ouro os coloca como possíveis lideres do time que buscará o bicampeonato no Japão. Um time que, de certa forma, já começou a ser construído.

A convocação da seleção sub-20 para dois amistosos contra a Inglaterra, no próximo mês, feita pelo próprio Micale, já deu os primeiros indícios de quem pode fazer parte da próxima equipe olímpica brasileira.

O grupo, formado por jogadores que, assim como Thiago e Jesus nasceram a partir de 1997, conta com alguns nomes bem conhecidos do torcedor brasileiro e fortes candidatos a participar de Tóquio-2020.

Entre os nomes mais famosos da equipe estão o meia Gerson, que trocou o Fluminense pela Roma, o atacante Malcom, revelado pelo Corinthians e que hoje defende o Bordeaux, o centroavante Felipe Vizeu, do Flamengo, e o lateral esquerdo Guilherme Arana, do Corinthians.

Outro jogador conhecido que pode fazer parte do próximo projeto olímpico é quase um "estrangeiro". O zagueiro Lyanco, do São Paulo, já atuou pelo time sub-19 da Sérvia, país de origem de sua família paterna, mas agora aceitou a convocação do Brasil.

Mas ele não é o único. Os meias Werick Maciel e Lucas de Veja, que atuam nas categorias de base do Barcelona e não foram convocados para a seleção sub-20, são outros casos de nomes que podem atuar na Tóquio-2020 desde que a CBF os convença a jogar pela seleção –ambos interessam à Espanha.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– Astro maior, Neymar vale mais que 14 das 16 seleções dos Jogos Olímpicos
Ilsinho até estranha liberdade nos EUA: "aqui é outra qualidade de vida"
Copa Sul-Americana ajuda venezuelanos a driblar escassez de remédios
– Reforço do São Paulo já foi melhor da Liga Europa, mas não joga há 7 meses
– Quem serão os campeões de 2016/17? Participe do "Bolão do Futebol Europeu"

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Rafael Reis