Blog do Rafael Reis

Arquivo : Pulisic

Janela já movimentou R$ 2,6 bi em janeiro; veja os brasileiros mais caros
Comentários Comente

Rafael Reis

A janela de transferências de janeiro já movimentou ao redor do planeta cerca de 607 milhões de euros (quase R$ 2,6 bilhões). Desse total, pelo menos 29% corresponde a negócios envolvendo jogadores brasileiros.

De acordo com o site “Transfermarkt”, especializado no Mercado da Bola, as compras e empréstimos de representantes do futebol pentacampeão mundial nas últimas semanas já fizeram girar pelo menos 176 milhões de euros (R$ 750 milhões).

Crédito: Divulgação

Não à toa, três brasileiros estão no top 10 de maiores negócios do mundo no período.

O meia Paulinho, que estava emprestado pelo Barcelona ao Guangzhou Evergrande, teve seus direitos econômicos adquiridos pelo clube chinês por 42 milhões de euros (R$ 179 milhões) e é o segundo no ranking.

Outro reforço do Evergrande, o meia Anderson Talisca ocupa o quinto lugar, com 19,2 milhões de euros (R$ 81,6 milhões). Lucas Paquetá, que deixou o Flamengo para defender o Milan, é o terceiro, com 35 milhões (R$ 148 milhões).

O negócio mais caro da janela de janeiro no planeta foi a venda do meia norte-americano Christian Pulisic, do Borussia Dortmund, para o Chelsea. O jogador, no entanto, continuará na Alemanha por empréstimo até o fim da temporada.

No mercado nacional, nenhuma transação superou os 15 milhões de euros (R$ 63,8 milhões) desembolsados pelo Flamengo para tirar o meio-campista uruguaio Giorgian de Arrascaeta do Cruzeiro.

Já o brasileiro mais caro negociado entre dois clubes do país foi o centroavante Pablo, ex-Athletico-PR, que foi contratado por 6 milhões de euros (pouco mais de R$ 25,5 milhões) pelo São Paulo.

A janela de transferências dos principais países da Europa (Espanha, Itália, Inglaterra, Alemanha e França) vai até o dia 31 de janeiro. No Brasil, o mercado para a chegada de jogadores vindos do exterior fica aberto até o começo de abril.

OS 10 BRASILEIROS MAIS CAROS DA JANELA DE JANEIRO/2019

1 – Paulinho (BRA, Guangzhou Evergrande) – 42 milhões de euros
2 – Lucas Paquetá (BRA, Milan) – 35 milhões
3 – Talisca (BRA, Guangzhou Evergrande) – 19,2 milhões
4 – Ayrton Lucas (BRA, Spartak Moscou) – 7 milhões
5 – Pablo (BRA, São Paulo) – 6 milhões
6 – Carlos Eduardo (BRA, Palmeiras) – 5,7 milhões
7 – Rodrigo Caio (BRA, Flamengo) – 5 milhões
8 – Matheus Fernandes (BRA, Palmeiras) – 4 milhões
9 – Marcão (BRA, Galatasaray) – 3,5 milhões
10 – Mayke (BRA, Palmeiras) – 3,5 milhões

AS 10 CONTRATAÇÕES MAIS CARAS

1 – Christian Pulisic (EUA, Chelsea) – 64 milhões de euros
2 – Paulinho (BRA, Guangzhou Evergrande) – 42 milhões
3 – Lucas Paquetá (BRA, Milan) – 35 milhões
4 – Dominic Solanke (ING, Bournemouth) – 21,2 milhões
5 – Talisca (BRA, Guangzhou Evergrande) – 19,2 milhões
6 – Amadou Haidara (MAL, RB Leipzig) – 18 milhões
7 – Brahim Díaz (ESP, Real Madrid) – 17,3 milhões
8 – Leonardo Balerdi (ARG, Borussia Dortmund) – 15,5 milhões
9 – Giorgian de Arrascaeta (URU, Flamengo) – 15 milhões
10 – Diego Lainez (MEX, Betis) – 14 milhões
TOTAL: 607 milhões


Mais de Brasileiros pelo Mundo

5 destaques de times menores da Europa para seu clube contratar
Como foi o desempenho das novidades do futebol brasileiro para 2019?
7 brasileiros em fim de contrato que já podem assinar com um novo time
6 destaques da Copa São Paulo que hoje estão “desaparecidos” no exterior


Por que a janela de transferências de janeiro na Europa está tão fria?
Comentários Comente

Rafael Reis

Em janeiro de 2018, o Barcelona contratou Philippe Coutinho, o Liverpool revolucionou sua zaga com Virgil van Dijk, o Atlético de Madri repatriou o ídolo Diego Costa, o Manchester City investiu em Aymeric Laporte e o Arsenal levou para a Inglaterra o atacante Pierre-Emerick Aubameyang. Cada um desses cinco negócios movimentou pelo menos 60 milhões de euros (R$ 260 milhões).

Na atual janela de transferências, apenas uma transação alcançou esse patamar: a saída do meia-atacante norte-americano Christian Pulisic do Borussia Dortmund rumo ao Chelsea. Todas as outras mudanças de clube registradas no planeta até o momento não chegaram sequer aos 45 milhões de euros (R$ 195 milhões).

A diferença nos valores e no impacto das contratações realizadas em janeiro do ano passado para as do início de 2019 é enorme. Mas por que será que a atual janela de transferências anda tão fria?

Para começar, é preciso entender que o mercado de inverno na Europa não costuma ser utilizado para montagem de elencos. Seu intuito é fazer apenas pequenos ajustes, com compras, vendas e empréstimos pontuais de jogadores.

O que aconteceu em 2018, com vários grandes negócios sendo fechados, foi completamente atípico. Prova disso é que cinco das seis transações mais caras já realizadas no planeta em janeiro foram feitas no ano passado.

Dois fatores que inflaram aquele período de transferências e que se repetem no atual são os reflexos de uma transação histórica (no caso, a ida de Neymar para o Paris Saint-Germain) e a proximidade da Copa do Mundo.

A contratação do astro brasileiro pelo PSG, em agosto de 2017, impactou a janela de janeiro do ano seguinte, já que o Barcelona, antigo clube do craque, investiu pesado na busca de um substituto para o jogador (Philippe Coutinho).

Além disso, Diego Costa forçou a barra para deixar o Chelsea e retornar ao Atlético de Madri para não perder a chance de ficar fora do Mundial da Rússia. Outros jogadores menos badalados fizeram o mesmo e também ajudaram a movimentar a janela.

Sem esses fatores, o mercado de janeiro de 2019 poderia se beneficiar das fases negativas vividas por Real Madrid e Bayern de Munique, dois gigantes endinheirados, para ganhar volume.

Mas nem isso está acontecendo. Apesar de estar distante da briga pelo título espanhol e ter ameaçada até mesmo a vaga para a próxima edição da Liga dos Campeões, o Real só contratou até agora uma promessa para o futuro (Brahim Díaz, ex-Manchester City) e não parece ter nenhum grande negócio engatilhado para as próximas semanas.

Já o Bayern, que está seis pontos atrás do Borussia Dortmund na Alemanha, até acertou uma contratação expressiva, o lateral direito Benjamin Pavard, campeão mundial com a seleção francesa. No entanto, a transação só será concluída na próxima temporada.

Mesmo ainda faltando meio mês para o encerramento da janela de transferências, já é possível dizer que ela dificilmente alcançará os valores e o impacto do mercado de 12 meses atrás.

O período para contratação de novos jogadores para a segunda metade da temporada 2018/19 se encerra no dia 31 de janeiro para as principais ligas nacionais da Europa, como Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França.


Mais de Cidadãos do Mundo

Janela já movimentou R$ 1,8 bi em reforços; Flamengo está no top 10
Por onde andam 7 ex-jogadores do Liverpool que “sumiram”?
Penta, Messi deixa brasileiro para trás e vira líder da Chuteira de Ouro
As 10 transferências mais caras da história da janela de janeiro


As 10 transferências mais caras da história das janelas de janeiro
Comentários Comente

Rafael Reis

Ao contrário do que acontece no Brasil, a janela de transferências de janeiro não é o principal período de compras e vendas de jogadores naquele que é o principal centro do futebol mundial, a Europa.

Lá no Velho Continente, o mercado de inverno (no Hemisfério Norte) é visto pelos clubes como o momento de fazer mudanças pontuais nos elencos: contratar um atleta para uma posição carente, emprestar algum jovem para ganhar experiência e negociar reservas que estão tendo poucas oportunidades.

Crédito: Divulgação

Mas isso não significa que grandes negócios não sejam fechados nesse período do ano. Pelo contrário, cada vez mais as contratações bombásticas que movimentam o Mercado da Bola também acontecem em janeiro.

Prova disso foi o que aconteceu no ano passado. Nada menos que cinco dos seis maiores negócios da janela de inverno foram fechados em 2018.

O maior deles, a saída do meia brasileiro Philippe Coutinho do Liverpool rumo ao Barcelona, que movimentou 160 milhões de euros (R$ 684,8 milhões). As compras do zagueiro holandês Virgil van Dijk e do centroavante Diego Costa pelos Reds e pelo Atlético de Madri, respectivamente, completam o pódio.

A única transferência no top 10 fechada neste ano é justamente a que impede o domínio completo do mercado de 2018: o meia Christian Pulisic, que acertou a saída do Borussia Dortmund para jogar pelo Chelsea por 64 milhões de euros (R$ 274 milhões), a quinta maior transação já feita em janeiro.

Dos dez negócios mais polpudos feitos no período, oito tiveram como clubes compradores oriundos da Europa. Os dois intrusos na lista são os chineses Shanghai SIPG e Jiangsu Suning, que contrataram os brasileiros Oscar e Alex Teixeira, respectivamente.

Vale lembrar que o calendário do futebol da China é semelhante ao do Brasil, ou seja, suas principais competições começam e terminam no mesmo ano. Assim, o mercado de janeiro é o mais importante para as equipes do gigante do Oriente.

A janela de transferências das ligas mais importantes da Europa (Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França) vai até o dia 31 de janeiro. Então, ainda há bastante tempo para novos negócios milionários alterarem o ranking.

TOP 10 CONTRATAÇÕES DA HISTÓRIA DA JANELA DE JANEIRO

1º – Philippe Coutinho (BRA, 2018, Barcelona): 160 milhões de euros
2º – Virgil van Dijk (HOL, 2018, Liverpool): 84 milhões
3º – Diego Costa (ESP, 2018, Atlético de Madri): 66 milhões
4º – Aymeric Laporte (FRA, 2018, Manchester City): 65 milhões
5º – Christian Pulisic (EUA, 2019, Chelsea): 64 milhões
6º – Pierre-Emerick Aubameyang (GAB, 2018, Arsenal): 63,8 milhões
7º – Oscar (BRA, 2017, Shanghai SIPG): 60 milhões
8º – Fernando Torres (ESP, 2011, Chelsea): 58,5 milhões
9º – Alex Teixeira (BRA, 2016, Jiangsu Suning): 50 milhões
10º – Juan Mata (ESP, 2014, Manchester United): 44,8 milhões

Fonte: Transfermarkt


Mais de Cidadãos do Mundo

7 estrelas em fim de contrato que já podem assinar com um novo time
7 garotos do futebol mundial que merecem sua atenção em 2019
Por onde andam 7 ex-jogadores do Chelsea que “sumiram”?
Argelino desbanca Messi e CR7 para ser artilheiro do mundo em 2018


Revelações: 7 garotos que conquistaram o futebol europeu nesta temporada
Comentários Comente

Rafael Reis

Até algum tempo atrás, eles eram pouco conhecidos no mundo da bola e ainda não sabiam bem o quão longe poderiam chegar através do futebol.

Mas os primeiros sete meses da temporada 2016/17 transformaram radicalmente esse cenário. Esses garotos deixaram de ser simples apostas para se tornarem as novas sensações do futebol europeu e os objetos de desejo dos clubes mais poderosos do mundo.

Conheça abaixo as sete principais revelações da temporada europeia e os motivos pelos quais todo o mundo anda de olhos bem abertos nesses meninos.

KYLIAN MBAPPÉ
Atacante
Francês
Monaco (FRA)
18 anos

Não é à toa que esse garoto de origem camaronesa vem sendo chamado de novo Thierry Henry. O atacante já destronou dois recordes que pertenciam ao antigo ídolo do Arsenal e da seleção francesa: os de jogador do Monaco mais jovem a estrear (16 anos, 11 meses e 12 dias) pelo time principal e a balançar as redes (17 anos e 2 meses). Na partida de ida do confronto de oitavas de final com o Manchester City, Mbappé marcou seu primeiro gol na Liga dos Campeões. Arsenal, City e Manchester United já admitiram ter interesse no garoto francês.

THOMAS LEMAR
Meia
Francês
Monaco (FRA)
21 anos

Outra revelação do empolgante líder do Campeonato Francês que está na mira do futebol inglês, deve receber propostas na casa de 34 milhões de euros (R$ 115 milhões) de Chelsea e Manchester City. Fã de Andrés Iniesta, o meia nascido em Guadalupe tem estilo semelhante ao do veterano ídolo do Barcelona. Lemar estreou pela seleção francesa principal em novembro, no amistoso contra Costa do Marfim.

ANDREA BELOTTI
Atacante
Italiano
Torino (ITA)
23 anos

Não são muitos os atacantes capazes de marcar 22 gols nas primeiras 27 rodadas de um campeonato tão duro quanto o Italiano. Ainda mais, atuando por um clube que não é dos mais fortes do país… e com apenas 23 anos. Andrea Belotti quer ser o segundo jogador do Torino a conquistar a artilharia do Calcio nos últimos 39 anos. A vaga de titular da seleção italiana, ele já tem. E, se depender de Pep Guardiola, a camisa do Manchester City está prestes a chegar em sua casa.

MATTIA CALDARA
Zagueiro
Italiano
Atalanta (ITA)
22 anos

Uma das razões pelas quais a Atalanta é a sensação do futebol italiano nesta temporada e briga por classificação para as competições europeias, o zagueiro é fruto das categorias de base do clube de Bergamo, uma das mais produtivas do país. O brilho de Caldara no segundo semestre de 2016 foi rapidamente notado pela Juventus, que pagou em janeiro 15 milhões de euros (R$ 51 milhões) para contar com o jogador a partir de 2018.

CHRISTIAN PULISIC
Meia-atacante
Norte-americano
Borussia Dortmund (ALE)
18 anos

Estrangeiro mais jovem a balanças as redes no Campeonato Alemão e jogador mais novo a marcar pela seleção dos EUA na era moderna, esse descendente de croatas está acostumado a quebrar recordes. Apesar de ter estreado na equipe principal do Borussia Dortmund ainda na temporada passada, foi nesta que Pulisic se tornou uma peça importante no elenco de Thomas Tuchel. Jürgen Klopp, seu antigo chefe na Alemanha, morre de vontade de leva-lo para o Liverpool.

ANDRÉ SILVA
Atacante
Português
Porto (POR)
21 anos

Cristiano Ronaldo passou a carreira toda no aguardo de um companheiro de ataque de alto nível na seleção portuguesa. Agora, aos 32 anos, a espera parece estar finalmente chegando ao fim. André Silva apareceu como um fenômeno no Porto. Em sua primeira temporada integral no elenco principal, já marcou 20 gols. Convocado pela primeira vez para a seleção em setembro, já marcou quatro vezes em cinco jogos com a camisa da campeã europeia.

YOURI TIELEMANS
Meia
Belga
Anderlecht (BEL)
19 anos

Já faz tempo que o meia é apontado como a próxima grande revelação da Bélgica. Mas, quatro anos depois de estrear ainda adolescente no Anderlecht, Tielemans parece ter dado o passo definitivo para começar a deixar de ser um jogador “para o futuro”. Apesar de não ser um  homem de ataque, o garoto acumula incríveis 17 gols e 10 assistências nesta temporada. Com a Bélgica ficando demais para ele, a transferência para o exterior é só uma questão de tempo. O Arsenal surge atualmente como seu destino mais provável.


Mais de Cidadãos do Mundo

Por onde andam os jogadores do Atlético Nacional campeão da Libertadores?
Quarentões da Libertadores jogam na linha e são “donos” de times
Messi se isola na liderança da Chuteira de Ouro; CR7 entra no top 10
5 nomes para você e seu clube prestarem atenção na Libertadores


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>