Blog do Rafael Reis

Arquivo : cr7

5 escândalos que arranharam a imagem de CR7 antes da acusação de estupro
Comentários Comente

Rafael Reis

Eleito cinco vezes o melhor jogador do mundo e um dos maiores nomes do futebol no século XXI, o português Cristiano Ronaldo vive hoje o momento mais delicado de sua carreira. Mas isso não tem nada ver com o que tem feito com a camisa da Juventus.

O camisa 7 está sendo acusado de ter praticado sexo sem consentimento pela professora norte-americana de educação física Kathryn Mayorga.

O estupro teria acontecido em 2009, mas o caso ficou adormecido durante anos devido a um acordo extrajudicial costurado entre os advogados do jogador e a suposta vítima.

O caso só veio à tona no ano passado, quando a revista alemã “Der Spiegel” descobriu a existência dessa acusação. A investigação foi reaberta pela polícia dos EUA no último dia 1º de outubro.

CR7 nega ter praticado qualquer violação e diz que a relação sexual com Kathryn foi consensual.

Relembre abaixo outros cinco escândalos envolvendo o astro português:

CRIANÇAS SEM MÃE

Dos quatro filhos de Cristiano Ronaldo, apenas a caçula, Alana Martina, é fruto de um relacionamento público do jogador. Cristianinho e os gêmeos Mateo e Eva Maria simplesmente foram anunciados à imprensa, sem que fossem revelados os nomes de suas mães. A identidade delas é um mistério porque, na prática, o atacante “comprou” as crianças: pagou para as progenitoras se afastarem das crianças e não contarem nada para ninguém. De acordo com o jornal britânico “Daily MIrror”, o silêncio da mãe do filho mais velho de CR7, supostamente uma garçonete que vivia nos EUA, custou 12 milhões de euros (R$ 52 milhões) ao astro.

SUPOSTO ABUSO SEXUAL

Antes do caso atual explodir, o craque da Juventus já havia sido acusado anteriormente de abuso sexual. Em 2005, quando tinha 20 anos e jogava pelo Manchester United, o português precisou depor em uma delegacia de Londres sob um suposto abuso sexual cometido por ele contra uma mulher em um hotel de luxo inglês. CR7 alegou que a acusação não passava de uma “armação”, e o caso acabou sendo arquivado.

DESTRUIDOR DE FERRARI

Em 2009, dias depois de ser eleito pela primeira vez na carreira o melhor jogador do mundo, o então camisa 7 do Manchester United destruiu a Ferrari 599 GTB Fiorano F1 a caminho do treino. O atacante bateu o automóvel avaliado em 250 mil euros (mais de R$ 1 milhão) dentro de um túnel em Manchester. Apesar de o carro ter ficado bastante danificado, Cristiano Ronaldo escapou ileso do acidente.

AMEAÇAS CONTRA URACH

De acordo com a brasileira Andressa Urach, Cristiano Ronaldo ameaçou “mandar gente atrás dela” depois que a modelo revelou à imprensa inglesa que havia tido relações sexuais com o astro português. Urach também afirmou ter sido trancada durante três horas e meia pelos seguranças de CR7 para que não tirasse uma foto ao lado do jogador. Após se tornar evangélica, ela admitiu ter inventado várias histórias para aumentar sua fama, mas confirmou que aquilo que falou sobre o atacante é verdade.

AMIGO CONDENADO

Um dos melhores amigos de Cristiano Ronaldo durante sua passagem pelo Real Madrid tem ficha suja na Justiça e até já foi condenado a prisão. O lutador de kickboxing Badr Hari, que vivia recebendo o atacante em sua casa, no Marrocos, foi condenado a dois anos de reclusão em 2017 por agredir um homem em uma casa noturna, seis anos atrás. A amizade entre os dois deu uma “esfriada” depois do escândalo.


Mais de Cidadãos do Mundo

Sem diálogo com a Fifa, engenheiro processa entidade por autoria do VAR
Como fascismo criou o 1º esquadrão da história do futebol europeu
Dia do Professor: 7 “mestres” que revolucionaram o futebol mundial
Dia das Crianças: 7 craques que começaram a brilhar cedo no mundo da bola


4 motivos para Cristiano Ronaldo ser eleito o melhor jogador do mundo
Comentários Comente

Rafael Reis

Cristiano Ronaldo, Luka Modric ou Mohamed Salah: qual desses três será o eleito o melhor jogador do mundo na temporada 2017/18?

A resposta para esta pergunta será dada na próxima segunda-feira (24), quando a Fifa anuncia os vencedores do “The Best”, seu prêmio anual concedido aos destaques em diferentes categorias do mundo da bola.

A partir deste sábado, apresentamos os pontos fortes de cada finalista, os motivos pelos quais cada um deles merece ser eleito o jogador número um do planeta.

Para começar, Cristiano Ronaldo. O atacante de 33 anos, que trocou o Real Madrid pela Juventus ao fim da última temporada, é o único dos candidatos que já esteve no pódio do prêmio.

Atual bicampeão, o astro busca ser eleito o melhor do mundo pela sexta vez na carreira, deixar Lionel Messi para trás e se tornar o maior vencedor da eleição da Fifa em todos os tempos.

REI DA CHAMPIONS

Pela sexta temporada consecutiva, o camisa 7 foi o artilheiro da Liga dos Campeões da Europa, a principal competição interclubes do planeta. Cristiano Ronaldo fez 15 gols na campanha do terceiro título seguido conquistado pelo Real Madrid. Em toda a história da competição, somente duas vezes um jogador balançou as redes mais do que o CR7 de 2017/18. E, em ambas as ocasiões, foi o próprio astro português o responsável pelo feito (17 gols em 2013/14 e 16 em 2015/16).

FARO ARTILHEIRO

Dos três finalistas ao prêmio de melhor do planeta, o gajo foi quem mostrou o maior faro artilheiro ao longo da temporada passada. Cristiano Ronaldo marcou 54 vezes em 54 jogos por Real Madrid e seleção portuguesa, média de um gol por partida. A média de Salah ficou em 0,86 bola na rede a cada 90 minutos disputados. Já a de Modric, que joga mais atrás e naturalmente faz bem menos gols, foi de 0,09 tento por apresentação.

HORA H

Cristiano Ronaldo decidiu praticamente “sozinho” dois dos quatro confrontos do Real na fase de mata-matas da Champions. Nas oitavas de final contra o Paris Saint-Germain, fez três gols e deu uma assistência na vitória por 5 a 2 sobre os franceses (placar agregado). O português repetiu a dose no 4 a 3 (também agregado) sobre a Juventus, que vale aos espanhóis a ida para a semifinal da competição.

ESPETÁCULO

Tudo bem que a Fifa tem um prêmio específico para gol mais bonito do ano (e Cristiano Ronaldo é um dos indicados). Mas, se o público do futebol curte mesmo é um bom espetáculo, nenhum lance de 2017/18 supera a bicicleta dada pelo camisa 7 no jogo de ida do confronto com a Juventus, pelas quartas de final da Champions. O lance foi simplesmente uma das bicicletas mais plásticas da história recente do futebol.


Mais de Cidadãos do Mundo

Salah é o símbolo do Islã para o mundo, diz 1º técnico de astro egípcio
Como CR7 superou famas de “cai-cai” e mimado para virar quase unanimidade
Ex-Liverpool apronta no Big Brother inglês e coloca casamento em risco
7 personalidades do futebol que já falaram mal de Neymar


“Muito melhor que CR7”, português hoje ganha a vida em liga para amadores
Comentários Comente

Rafael Reis

Nos seus primeiros dias de Manchester United, Cristiano Ronaldo não teve vergonha de falar para os jornalistas ingleses que cobriam o dia-a-dia do clube: “Se vocês acham que sou bom, esperem para ver Fábio Paím”.

Quinze anos se passaram desde essa profecia. Quinze anos que provaram que, como adivinho, CR7 é mesmo um grande jogador de futebol.

Enquanto Ronaldo fez história conquistando todos os títulos possíveis com o United e com o Real Madrid, levou sua seleção à conquista da Eurocopa-2016, foi eleito por cinco vezes o melhor do planeta e acabou de ser contratado pela Juventus, seu apadrinhado hoje atua no futebol amador de Portugal.

Aos 30 anos, Paím é hoje a atração da Associação Desportiva de São Pedro da Cova, time de uma cidadezinha de 15 mil habitantes que disputa a Divisão de Elite da região do Porto, um equivalente à quarta divisão portuguesa.

Nessa competição, os clubes não são obrigados a pagar sequer o salário mínimo (676,7 euros, ou R$ 2.900) para seus jogadores, o que faz com que alguns deles não vivam exclusivamente do futebol e tenham outros empregos para completar a renda.

Paím não está no São Pedro da Cova porque o futebol não lhe deu chances. Pelo contrário, muitas oportunidades lhe bateram na porta. Mas se transformaram em carros luxuosos (teve “Ferrari, Lamborghini, Porsche, Maserati”), mulheres e muito álcool.

“Tenho colegas que deixaram de jogar bola, perderam tudo e não sabem o que fazer. Eu estou aqui. Já perdi tudo há oito ou nove anos, mas continuo aqui. O dinheiro deixa de entrar, mas as contas continuam. E grandes! As minhas agora são pequeninas, tive de me adaptar”, disse, em entrevista ao jornal português “Record”, em abril.

Filho de pais angolanos, Paím era a grande atração das categorias de base do Sporting no começo do século e costumava levar milhares de torcedores ao estádio para vê-lo em ação jogando por equipes sub-15 e sub-17.

Dono de uma habilidade muito acima da média, assinou com o empresário Jorge Mendes, o mesmo de Cristiano Ronaldo, e ficou milionário ainda na adolescência. Aos 16 anos, ele ainda nem era profissional, mas já tinha salário maior do que metade do elenco adulto do Sporting.

Só que o dinheiro mexeu com sua cabeça. Paím trocou os treinos pelas baladas, e seu futebol murchou rapidamente. A maior prova disso é que ele jamais disputou uma partida oficial pela equipe principal do Sporting.

Antes de deixar o clube de Lisboa, o então jovem português foi emprestado para seis times diferentes, mas em nenhum deles conseguiu comprovar seu potencial. O prestígio de Jorge Mendes lhe deu até uma oportunidade no Chelsea durante a gestão do técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari. Mas Paím não chegou a entrar em campo.

Em 11 anos de carreira, o “Cristiano Ronaldo que não vingou” defendeu nada menos do que 21 clubes. Ele jogou em Malta, na Lituânia, em Luxemburgo e até passou pelas divisões inferiores do Rio de Janeiro no ano passado (treinou no nanico Paraíba do Sul).

Mas a história foi sempre a mesma: muita expectativa na chegada e uma saída sem deixar saudades.

“Querem que seja sincero? Eu não era melhor do que o Cristiano Ronaldo. Eu era muito melhor. Só que ele trabalhava muito mais do que eu”, completa Paím.


Mais de Cidadãos do Mundo

Efeito Simeone: 25% dos técnicos do Campeonato Espanhol são argentinos
5 novelas para acompanhar na reta final da janela de transferências
Atacante da Copa-2014 trocou uma Miss Nigéria por outra. Verdade ou lenda urbana?
Balcão de Negócios: 190 jogadores mudaram de clube após Copa-2018


Sem Zidane e CR7, o que esperar do Real Madrid na nova temporada?
Comentários Comente

Rafael Reis

Zinédine Zidane foi o primeiro abandonar o barco. Cristiano Ronaldo seguiu o mesmo caminho e se mandou para a Juventus. Luka Modric tem uma proposta para também se mandar para a Itália e defender a Inter de Milão.

Sem seu arquiteto fora de campo, carente do seu o jogador mais decisivo dentro das quatro linhas e ainda correndo o risco de perder seu maior articular de jogadas, o Real Madrid desperta dúvidas para a nova temporada.

Será que o atual tricampeão europeu terá forças para brigar pelo quarto título consecutivo da Champions? Ou a realidade para 2018/19 é se contentar com um papel de coadjuvante no cenário continental?

Bem, pelo menos por enquanto, o panorama não parece dos mais favoráveis para os espanhóis… mesmo que consiga manter Modric, o melhor jogador da Copa do Mundo, como vem prometendo o presidente Florentino Pérez.

O time mais vitorioso do planeta terá de se adaptar ao novo técnico, Julen Lopetegui, construir um outro estilo de jogo e achar alguém capaz de substituir CR7 na situação que ele era mais útil: decidir as partidas mais difíceis.

O problema número um para essa reconstrução é que os jogadores de maior qualidade técnica do elenco do Real já estão na reta final da carreira. Sergio Ramos, Modric e Marcelo já entraram na casa dos 30 anos. Bale e Kroos também não são mais garotos. Restam Isco, 26, e Varane, 25.

A segunda dificuldade é que a atuação madridista nesta janela de transferências está bem aquém daquela que os torcedores (e também a imprensa espanhola) imaginavam.

O goleiro Thibaut Courtois e os atacantes Eden Hazard e Robert Lewandowski, nomes mais comentados como possíveis reforços do Real nos últimos meses, ainda não chegaram e parecem cada dia mais distantes de um acerto.

Já Neymar, que também protagonizou uma longa novela e era cotado para deixar o Paris Saint-Germain e retornar à Espanha, praticamente caiu no esquecimento.

Os reforços que realmente desembarcaram em Madri são mais apostas para o futuro do que propriamente soluções para o presente.

O lateral direito Álvaro Odriozola deve ser um reserva de luxo para Dani Carvajal. O goleiro ucraniano Andriy Lunin e o brasileiro Vinícius Júnior, ambos ainda adolescentes, não têm nem certeza que serão mantidos no elenco principal durante toda a temporada.

A esperança madridista é que os últimos 27 dias da janela de transferências mudem esse cenário e que o clube consiga alguns reforços que façam o clube deixar de ser uma grande incógnita para 2018/19.

Porque, por enquanto, essa é a realidade do vencedor das últimas três edições da Champions.


Mais de Opinião

– Vice na Rússia, Croácia deve sofrer com renovação e é incógnita na Copa-2022
– França larga como favorita para Copa-2022 e deve ter 3 novos titulares
– Pela 3ª Copa consecutiva, título vai para a melhor seleção do planeta
– Mbappé, Hazard, Kane: Alguém pode tirar prêmio de melhor do mundo de CR7?


Mercado da Bola Internacional: quem chega e sai nos grandes europeus
Comentários Comente

Rafael Reis

Quer saber as mudanças nos elencos dos principais clubes europeus para a temporada 2018/19? Esse espaço, publicado todas as quintas-feiras, lista os negócios mais importantes feitos pelos times do Velho Continente mais conhecidos e queridos no Brasil nesta janela de transferência.

Confira então quem chegou e quem saiu das principais equipes do mundo:

LIVERPOOL (ING)

Chegam:
Alisson (G, BRA, Roma) – 75 milhões de euros
Naby Keita (M, GUI, RB Leipzig) – 60 milhões de euros
Fabinho (V, BRA, Monaco) – 50 milhões de euros
Xherdan Shaqiri (MA, SUI, Stoke City) – 14,7 milhões de euros

Saem:
Emren Can (M, ALE, Juventus) – sem custo
Ádám Bogdan (G, HUN, Hibernian) – emprestado


JUVENTUS (ITA)

Chegam:
Cristiano Ronaldo (A, POR, Real Madrid) – 117 milhões de euros
João Cancelo (LD, POR, Valencia) – 40,4 milhões de euros
Mattia Perin (G, ITA, Genoa) – 12 milhões de euros
Andrea Favilli (A, ITA, Ascoli) – 7,5 milhões de euros
Giangiacomo Magnani (Z, ITA, Perugia) – 5 milhões de euros
Emre Can (M, ALE, Liverpool) – sem custo

Saem:
Kwadwo Asamoah (LE, GAN, Inter de Milão) – sem custo
Stephan Lichtsteiner (LD, SUI, Arsenal) – sem custo
Gianluigi Buffon (G, ITA, Paris Saint-Germain) – sem custo


PARIS SAINT-GERMAIN (FRA)

Chegam:
Gianluigi Buffon (G, ITA, Juventus) – sem custo

Saem:
Javier Pastore (M, ARG, Roma) – 24,7 milhões de euros
Yuri Berchiche (LE, ESP, Athletic Bilbao) – 24 milhões de euros
Thiago Motta (V, ITA) – aposentado
Hatem Ben Arfa (MA, FRA) – sem clube


BARCELONA (ESP)

Chegam:
Clément Lenglet (Z, FRA, Sevilla) – 35,9 milhões de euros
Arthur (M, BRA, Grêmio) – 31 milhões

Saem:
Andrés Iniesta (M, ESP, Vissel Kobe) – sem custo
Paulinho (M, BRA, Guangzhou Evergrande) – empréstimo


MANCHESTER UNITED (ING)

Chegam:
Fred (M, BRA, Shakhtar Donetsk) – 59 milhões de euros
Diogo Dalot (LD, POR, Porto) – 22 milhões de euros
Lee Grant (G, ING, Stoke City) – 1,7 milhão de euros

Saem:
Daley Blind (LE, HOL, Ajax) – 16 milhões de euros
Michael Carrick (V, ING) – aposentado


REAL MADRID (ESP)

Chegam:
Vinícius Jr. (A, BRA, Flamengo) – 45 milhões de euros
Álvaro Odriozola (LD, ESP, Real Madrid) – 30 milhões de euros
Andriy Lunin (G, UCR, Zorya Luhansk) – 8,5 milhões de euros

Saem:
Cristiano Ronaldo (A, POR, Juventus) – 117 milhões de euros
Achraf Hakimi (LD, MAR, Borussia Dortmund) – emprestado


MANCHESTER CITY (ING)

Chegam:
Riyad Mahrez (MA, ALG, Leicester) – 67,8 milhões de euros
Philippe Sandler (Z, HOL, Zwolle) – 2,5 milhões de euros

Saem:
Yaya Touré (M, CMF) – sem clube


ATLÉTICO DE MADRI (ESP)

Chegam:
Thomas Lemar (M, FRA, Monaco) – 70 milhões de euros
Rodri (V, ESP, Villarreal) – 20 milhões de euros
Antonio Adán (G, ESP, Betis) – 1 – milhão de euros

Saem:
Gabi (V, ESP, Al-Saad) – sem custo
Fernando Torres (A, ESP, Sagan Tosu) – sem custo
Axel Werner (G, ARG, Huesca) – emprestado


CHELSEA (ING)

Chegam:
Jorginho (M, ITA, Napoli) – 57 milhões de euros

Saem:
Eduardo (G, POR, Vitesse) – emprestado
Matej Delac (G, CRO, Horsens) – sem custo


ARSENAL (ING)

Chegam:
Lucas Torreira (V, URU, Sampdoria) – 30 milhões de euros
Bernd Leno (G, ALE, Bayer Leverkusen) – 25 milhões de euros
Sokratis (Z, GRE, Borussia Dortmund) – 16 milhões de euros
Mattéo Guendouzi (M, FRA, Lorient) – 8 milhões de euros
Stephan Lichtsteiner (LD, SUI, Juventus) – sem custo

Saem:
Jack Wilshere (M, ING, West Ham) – sem custo
Santi Cazorla (M, ESP, Villarreal) – sem custo
Per Mertesacker (Z, ALE) – aposentado


INTER DE MILÃO (ITA)

Chegam:
Radja Nainggolan (M, BEL, Roma) – 38 milhões de euros
Lautaro Martínez (A, ARG, Racing) – 23 milhões de euros
Federico Dimarco (LE, ITA, Sion) – 7 milhões de euros
Matteo Politano (MA, ITA, Sassuolo) – emprestado
Stefan de Vrij (Z, HOL, Lazio) – sem custo
Kwadwo Asamoah (LE, GAN, Juventus) – sem custo

Saem:
Davide Santon (LE, ITA, Roma) – 9,5 milhões de euros
Éder (A, ITA, Jiangsu Suning) – 5,7 milhões de euros


MONACO (FRA)

Chegam:
Willem Geubbels (MA, FRA, Lyon) – 20 milhões de euros
Antonio Barreca (LE, ITA, Torino) – 12 milhões de euros
Pelé (V, GBI, Rio Ave) – 10 milhões de euros
Ronaël Pierre-Gabriel (LD, FRA, Saint-Étienne) – 6 milhões de euros
Samuel Grandsir (MA, FRA, Troyes) – 3 milhões de euros
Jonathan Panzo (Z, ING, Chelsea) – 3 milhões de euros
Sofiane Diop (MA, FRA, Rennes) – sem custo
Wilson Isidor (MA, FRA, Rennes) – sem custo

Saem:
Thomas Lemar (M, FRA, Atlético de Madri) – 70 milhões de euros
Fabinho (V, BRA, Liverpool) – 50 milhões de euros
Terence Kongolo (Z, HOL, Hudesfield) – 20 milhões de euros


MILAN (ITA)

Chegam:
Ivan Strinic (LE, CRO, Sampdoria) – sem custo
Pepe Reina (G, ESP, Napoli) – sem custo
Alen Halilovic (MA, CRO, Hamburgo) – sem custo

Saem:
Marco Storari (G, ITA) – sem clube


BAYERN DE MUNIQUE (ALE)

Chegam:

Leon Goretzka (M, ALE, Schalke 04) – sem custo

Saem:
Tom Starke (G, ALE) – aposentado


NAPOLI (ITA)

Chegam:
Fabián Ruiz (M, ESP, Betis) – 30 milhões de euros
Simone Verdi (MA, ITA, Bologna) – 25 milhões de euros
Alex Meret (G, ITA, Udinese) – 22 milhões de euros
Vinícius Morais (A, BRA, Real Massamá) – 4 milhões de euros
Orestis Karnezis (G, GRE, Udinese) – 2,5 milhões de euros
Amin Younes (MA, ALE, Ajax) – sem custo
Amato Ciciretti (MA, ITA, Benevento) – sem custo

Saem:
Jorginho (M, ITA, Chelsea) – 57 milhões de euros
Pepe Reina (G, ESP, Milan) – sem custo
Christian Maggio (LD, ITA, Sampdoria) – sem custo
Luigi Sepe (G, ITA, Parma) – emprestado
Leandrinho (MA, BRA, Atlético-MG) – emprestado
Rafael Cabral (G, BRA) – sem clube
Hrvoje Milic (LE, CRO) – sem clube


ROMA (ITA)

Chegam:
Javier Pastore (M, ARG, Paris Saint-Germain) – 24,7 milhões de euros
Justin Kluivert (A, HOL, Ajax) – 17,3 milhões
Grégoire Defrel (A, FRA, Sassuolo) – 15 milhões
Davide Santon (LE, ITA, Inter de Milão) – 9,5 milhões de euros
Ante Coric (MA, CRO, Dínamo Zagreb) – 6 milhões de euros
William Bianda (Z, FRA, Lens) – 6 milhões de euros
Antonio Mirante (G, ITA, Bologna) – 4 milhões de euros
Daniel Fuzato (G, BRA, Palmeiras) – 500 mil euros
Bryan Cristante (MC, ITA, Atalanta) – emprestado
Iván Marcano (Z, ESP, Porto) – sem custo

Saem:
Alisson (G, BRA, Roma) – 75 milhões de euros
Radja Nainggolan (M, BEL, Inter de Milão) – 38 milhões de euros
Bruno Peres (LD, BRA, São Paulo) – emprestado
Bogdan Lobont (G, ROM) – aposentado


BORUSSIA DORTMUND (ALE)

Chegam:
Abdou Diallo (Z, FRA, Mainz) – 28 milhões de euros
Thomas Delaney (M, DIN, Werder Bremen) – 20 milhões de euros
Marius Wolf (M, ALE, Eintracht Frankfurt) – 5 milhões de euros
Eric Oelschlägel (G, ALE, Werder Bremen) – sem custo
Marwin Hitz (G, SUI, Augsburg) – sem custo
Achraf Hakimi (LD, MAR, Real Madrid) – empréstimo

Saem:
Andriy Yarmolenko (MA, UCR, West Ham) – 20 milhões de euros
Sokratis (Z, GRE, Arsenal) – 15 milhões de euros
Gonzalo Castro (M, ALE, Stuttgart) – 5 milhões de euros
Erik Durm (LD, ALE, Huddersfield) – sem custo
Felix Passlack (LD, ALE, Norwich) – empréstimo
Roman Weidenfeller (G, ALE) – aposentado


TOTTENHAM (ING)

Chegam:
ninguém

Saem:
ninguém


Mais de Clubes

– Conheça os reforços mais caros da história dos grandes clubes da Europa
– Novo lar de CR7 investe R$ 1 bi em reforços; veja os 10 clubes mais gastões
– Janela movimenta R$ 8 bi em reforços antes de abrir; veja lista das ligas
– Flamengo é o 5º em ranking de maiores vendedores do planeta; veja top 10


Novo lar de CR7 investe R$ 1 bi em reforços; veja os 10 clubes mais gastões
Comentários Comente

Rafael Reis

Responsável por tirar Cristiano Ronaldo do Real Madrid, a Juventus é o clube de todo o planeta que mais investiu em reforços até o momento na janela de transferências para a temporada 2018/19.

A atual heptacampeã italiana já gastou 221,9 milhões de euros (R$ 1 bilhão) na aquisição de novos jogadores para tentar voltar a conquistar a Liga dos Campeões da Europa depois de 23 anos.

A maior parte desse dinheiro (117 milhões de euros, ou R$ 530 milhões) foi torrada com a chegada de apenas um jogador, Cristiano Ronaldo, a contratação mais cara da história do clube de Turim.

Além do português pentacampeão do prêmio de melhor do mundo, a Juve contratou o goleiro italiano Mattia Perin (Genoa), o lateral direito português João Cancelo (Inter de Milão) e o meia alemão Emre Can (Liverpool), além de alguns garotos que devem ser emprestados a equipes menores.

A “Velha Senhora” também precisou abrir a carteira para manter Douglas Costa no elenco. O atacante foi emprestado pelo Bayern de Munique na temporada passada e só vai permanecer na Itália porque o clube aceitou pagar os 40 milhões de euros (R$ 180 milhões) de sua cláusula de compra.

O segundo colocado no ranking de clubes mais gastões do Mercado da Bola na atual janela de transferências é o Paris Saint-Germain, justamente o destino de Gianluigi Buffon, goleiro que era capitão e ídolo da Juve até a última temporada.

O PSG não precisou pagar nada pelos direitos econômicos do seu novo arqueiro. Em compensação, investiu 180 milhões de euros (R$ 813,9 milhões) para ter Kylian Mbappé, campeão da Copa-2018 com a seleção francesa.

A transferência do Monaco foi acordada ainda na temporada passada, e o atacante inclusive defendeu a equipe da capital francesa por empréstimo em 2017/18. Mas o negócio final só foi concretizado no início deste mês devido às regras do fair play financeiro.

Liverpool, Roma e West Ham, clube inglês que contratou o meia brasileiro Felipe Anderson, destaque da Lazio, nos últimos anos, completam o top 5 de times de maior investimento no Mercado da Bola.

A atual janela de transferências já movimentou 3,4 bilhões de euros (R$ 15,4 bilhões), o equivalente a 66,7% dos 5,1 bilhões de euros (R$ 23 bilhões) de julho e agosto do ano passado –período que quebrou todos os recordes históricos em transações de jogadores.

OS 10 CLUBES MAIS GASTÕES DA TEMPORADA 2018/19
1º – Juventus (ITA) – 221,9 milhões de euros
2º – Paris Saint-Germain (FRA) – 180 milhões
3º – Liverpool (ING) – 124,7 milhões
4º –  Roma (ITA) – 101,5 milhões
5º – West Ham (ING) – 95 milhões
6º – Atlético de Madri (ESP) – 91 milhões
7º – Real Madrid (ESP) – 89,3 milhões
8º – Napoli (ITA) – 84 milhões
9º – Manchester United (ING) – 82,7 milhões
10º – Arsenal (ING) – 79 milhões

AS 10 CONTRATAÇÕES MAIS CARAS DA TEMPORADA 2018/19
1º – Kylian Mbappé (FRA, Paris Saint-Germain) – 180 milhões
2º – Cristiano Ronaldo (POR, Juventus) – 117 milhões
3º – Thomas Lemar (FRA, Atlético de Madri) – 70 milhões
4º – Riyad Mahrez (ALG, Manchester City) – 67,8 milhões
5º – Naby Keita (GUI, Liverpool) – 60 milhões
6º – Fred (BRA, Manchester United) – 59 milhões
7º – Jorginho (ITA, Chelsea) – 57 milhões
8º – Fabinho (BRA, Liverpool) – 50 milhões
9º – Vinícius Jr. (BRA, Real Madrid) – 45 milhões
10º – João Cancelo (POR, Juventus ) – 40,4 milhões
TOTAL: 3,4 bilhões de euros

OS 10 BRASILEIROS MAIS CAROS DA TEMPORADA 2018/19
1º – Fred (BRA, Manchester United) – 59 milhões de euros
2º – Fabinho (BRA, Liverpool) – 50 milhões de euros
3º – Vinícius Jr. (BRA, Flamengo) – 45 milhões
4º – Douglas Costa (BRA, Juventus) – 40 milhões
5º – Felipe Anderson (BRA, West Ham) – 38 milhões
6º – Arthur (BRA, Grêmio) – 31 milhões
7º – Paulinho (BRA, Bayer Leverkusen) – 18,5 milhões
8º – Matheus Cunha (BRA, RB Leipzig) – 15 milhões
9º – Bernardo (BRA, Brighton) – 10 milhões
Danilo (BRA, Nice) – 10 milhões

OS 10 CLUBES QUE MAIS VENDERAM NA TEMPORADA 2018/19
1º – Monaco (FRA) – 329 milhões
2º – Real Madrid (ESP) – 132,5 milhões
3º – Napoli (ITA) – 86 milhões
4º – RB Leipzig (ALE) – 72,8 milhões
5º – Inter de Milão (ITA) – 72,7 milhões
6º – Leicester (ING) – 67,8 milhões
7º – Porto (POR) – 65 milhões
8º – Paris Saint-Germain (FRA) – 64 milhões
9º – Roma (ITA) – 59,3 milhões
10º – Shakhtar Donetsk (UCR) – 59 milhões

AS 10 LIGAS MAIS GASTONAS DA TEMPORADA 2018/19
1º – Campeonato Inglês – 826,9 milhões de euros
2º – Campeonato Italiano – 819,7 milhões
3º – Campeonato Espanhol – 517,5 milhões
4º – Campeonato Alemão – 371,1 milhões
5º – Campeonato Francês – 328 milhões
6º – Campeonato Inglês (2ª divisão) – 93,2 milhões
7º – Campeonato Chinês – 55,2 milhões
Campeonato Holandês – 55,2 milhões
9º – Campeonato Português –54,6 milhões
10º – Campeonato Belga – 54,5 milhões


Mais de Clubes

– Janela movimenta R$ 8 bi em reforços antes de abrir; veja lista das ligas
– Flamengo é o 5º em ranking de maiores vendedores do planeta; veja top 10
– Mercado da Bola movimenta R$ 6,2 bi antes da Copa; veja clubes mais gastões
– Próxima Champions começa no meio da Copa; conheça dos clubes classificados


Os 7 trintões mais caros da história do futebol mundial
Comentários Comente

Rafael Reis

Foi-se o tempo em que os jogadores de futebol na casa dos 30 anos eram tratados como atletas em fim de carreira e que só tinham a experiência a oferecer para projetos vitoriosos de clubes ou seleções.

Hoje em dia, a situação é bem diferente. Os trintões levantam taças, faturam prêmios de melhor do mundo e movimentam como nunca o mercado global de transferências.

A saída de Cristiano Ronaldo, 33, do Real Madrid para a Juventus, chamou a atenção para esse fenômeno. Afinal, jamais na história um jogador de idade tão elevada havia custado tanto –117 milhões de euros (R$ 527 milhões).

Apresentamos abaixo os sete trintões que protagonizaram os maiores negócios da história do futebol mundial. E vale ressaltar que cinco deles foram contratados por clubes italianos, o recanto número um dos veteranos.

CRISTIANO RONALDO
33 anos
117 milhões de euros
2018
Real Madrid (ESP) – Juventus (ITA)

Eleito cinco vezes o melhor jogador do planeta, o astro português encerrou sua passagem de nove anos pelo Real Madrid depois de emendar três títulos consecutivos da Liga dos Campeões da Europa. Para ter um já veterano CR7, a Juventus pagou 100 milhões de euros (R$ 451 milhões) ao clube espanhol, 5 milhões de euros (R$ 22,5 milhões) aos times responsáveis pela formação do jogador e mais 12 milhões de euros (R$ 54,1 milhões) em comissões. Nunca na história do futebol um trintão saiu tão caro.

LEONARDO BONUCCI
30 anos
42 milhões de euros
2017
Juventus (ITA) – Milan (ITA)

Antes da histórica transferência de Cristiano Ronaldo, o posto de jogador na casa dos 30 anos mais caro de todos os tempos pertencia a um zagueiro. Leonardo Bonucci foi contratado no ano passado pelo Milan, dois meses após seu 30º aniversário, para ser o pilar da reconstrução do time italiano. No entanto, o defensor nem de longe lembrou o jogador que tanto sucesso fez pela Juventus, falhou demais e decepcionou em sua temporada de estreia com a camisa rossonera.

RADJA NAINGGOLAN
30 anos
38 milhões de euros
2018
Roma (ITA) – Inter de Milão (ITA)

Principal ausência na convocação da seleção belga para a Copa do Mundo-2018, o meia de hábitos polêmicos para um jogador profissional de futebol (como fumar excessivamente) terá uma casa nova na próxima temporada. Após quatro anos, 203 jogos e 33 gols pela Roma, Nainggolan defenderá a Inter de Milão. O negócio foi selado em junho, um mês depois de o meio-campista virar trintão.

GABRIEL BATISTUTA
31 anos
36,1 milhões de euros
2000
Fiorentina (ITA) – Roma (ITA)

Durante 17 anos, o jogador trintão mais caro da história do futebol foi o mesmo: Gabriel Batistuta. O segundo maior artilheiro da seleção argentina (atrás apenas de Lionel Messi) trocou a Fiorentina pela Roma quando já tinha 31 anos e ajudou o clube da capital a conquistar o título italiano logo em sua temporada de estreia. “Batigol”, como era conhecido, ficou na Roma por pouco tempo. No início de 2003, já se transferiu para a Inter de Milão.

ANTHONY MODESTE
30 anos
29 milhões de euros
2018
Colônia (ALE) – Tianjin Quanjian (CHN)

O companheiro de ataque de Alexandre Pato no futebol chinês nunca defendeu sua seleção, mas mesmo assim é o quinto trintão mais caro de todos os tempos. O francês Modeste foi contratado por empréstimo pelo Tianjin Quanjian no ano passado e marcou sete vezes em oito jogos em sua primeira temporada no Oriente. Com isso, o clube da China resolveu efetuar sua opção de compra e manter o jogador.

SAMUEL ETO’O
30 anos
27 milhões de euros
2011
Inter de Milão (ITA) – Anzhi (RUS)

O atacante camarões do Konyaspor (TUR) já é veterano há bastante tempo. Em 2011, quando já havia entrado na casa dos 30 anos, foi atraído pelos petrodólares do Anzhi, que pretendia montar um esquadrão de futebol na Rússia, e deixou a Inter de Milão. Mas o projeto do clube do Daguestão, que contou também com os brasileiros Roberto Carlos, Jucilei e Diego Tardelli e com o técnico holandês Guus Hiddink, não decolou. E Eto’o foi embora para o Chelsea em 2013, aos 32 anos.

DIEGO MILITO
30 anos
25 milhões de euros
2009
Genoa (ITA) – Inter de Milão (ITA)

O centroavante argentino é um daqueles casos raros de jogador que atingiu o auge de sua carreira já como “trintão”. Milito só deixou o Genoa para defender a Inter de Milão, time onde se sagraria campeão europeu e viraria um centroavante temido mundialmente depois do seu 30º aniversário. A passagem pela Inter durou cinco temporadas e foi sucedida por um retorno ao Racing, time que o projetou para o futebol e pelo qual ainda faturou um Campeonato Argentino antes da aposentadoria.


Mais de Cidadãos do Mundo

Só Neymar movimentou mais dinheiro que CR7 em transferências na história
Por onde andam os jogadores da Croácia que foi 3ª colocada na Copa-1998?
Fenômeno da França, Mbappé supera início de carreira de Messi e CR7
Como técnico foi de segundo pior da história a ídolo russo em 3 semanas


Só Neymar movimentou mais dinheiro que CR7 em transferências na história
Comentários Comente

Rafael Reis

Anunciado na última terça-feira como reforço da Juventus para as próximas quatro temporadas, Cristiano Ronaldo se tornou o segundo jogador da história do futebol que mais movimentou dinheiro em mudanças de clube.

Com os 105 milhões de euros (R$ 406 milhões) pagos ao clube italiano ao Real Madrid, o atacante português de 33 anos soma agora 218 milhões de euros (mais de R$ 990 milhões) em transferências acumuladas durante a carreira. Os dados são do Transfermarkt.

CR7 só movimentou menos dinheiro no Mercado da Bola que Neymar. O brasileiro, o jogador mais caro de todos os tempos, fez girar 310,2 milhões de euros (R$ 1,4 bilhão) nas suas mudanças do Santos para Barcelona e, posteriormente, Paris Saint-Germain.

No caso de Cristiano Ronaldo, a transferência para a Juventus é sua terceira mudança de endereço desde que se tornou profissional.

O português estreou pelo Sporting aos 17 anos e permaneceu por lá apenas por uma temporada. Em 2003, foi contratado pelo Manchester United por 19 milhões de euros (R$ 86,3 milhões, na cotação atual) com a missão de ser o substituto de David Beckham, transferido para o Real.

Ronaldo seguiu o mesmo caminho e também se mandou para Madri, mas só depois de seis anos, três títulos ingleses, uma Liga dos Campeões e um prêmio de melhor jogador do mundo com a consagrada camisa 7 vermelha.

Para tirar o astro de Manchester, o Real teve desembolsar em 2009 uma quantia que jamais havia sido paga por um atleta de futebol: 94 milhões de euros (R$ 409 milhões). O valor permaneceu como recorde até 2013, quando o clube espanhol gastou 101 milhões de euros (R$ 459 milhões) para ter o galês Gareth Bale.

Em nove temporadas na Espanha, Ronaldo se tornou um dos nomes mais vencedores da história do Real e o maior artilheiro do clube em todos os tempos. Foram 451 gols em 438 partidas, além de quatro títulos de Champions e outras quatro vitórias na eleição de melhor do planeta.

Com o valor de mercado já reduzido devido à idade elevada, o português não teve mais como protagonizar uma transferência na casa dos 222 milhões de euros (R$ 1 bilhão), como a de Neymar para o PSG na última temporada.

No entanto, a ida para a Juventus faz de CR7 o primeiro trintão a ter uma negociação na casa dos 100 milhões de euros.

Antes dele, o veterano mais caro da história havia sido o zagueiro italiano Leonardo Bonucci, comprado pelo Milan na temporada passada, quando tinha 30 anos, por 42 milhões de euros (R$ 190,8 milhões).

JOGADORES QUE MAIS MOVIMENTARAM GRANA EM TRANSFERÊNCIAS

1 – Neymar (BRA) – 310,2 milhões de euros
2 – Cristiano Ronaldo (POR) – 218 milhões
3 – Kylian Mbappé (FRA) – 180 milhões
4 – Ángel di María (ARG) – 179 milhões
5 – Zlatan Ibrahimovic (SUE) – 169,1 milhões
6 – Philippe Coutinho (BRA) – 141,8 milhões
7 – Gonzalo Higuaín (ARG) – 141 milhões
8 – James Rodríguez (COL) – 140,6 milhões
9 – Romelu Lukaku (BEL) – 138,6 milhões
10 – Ousmane Dembélé (FRA) – 130 milhões

Fonte: Transfermarkt

Mais de Cidadãos do Mundo

Fenômeno da França, Mbappé supera início de carreira de Messi e CR7
Como técnico foi de segundo pior da história a ídolo russo em 3 semanas
Fora da fase final, África “emplaca” um time inteiro nas quartas
Não é só futebol… Bélgica tem atleta com MBA e goleiro formado em política


Mbappé, Hazard, Kane: Alguém pode tirar prêmio de melhor do mundo de CR7?
Comentários Comente

Rafael Reis

Kylian Mbappé, Eden Hazard, Kevin de Bruyne, Luka Modric, Harry Kane. Um (ou talvez até dois) deles estará ao lado de Cristiano Ronaldo na cerimônia de entrega do prêmio de melhor jogador do mundo, no dia 24 de setembro, em Londres.

Mas será que algum dos destaques individuais da Copa do Mundo será capaz de impedir o hexacampeonato do craque do Real Madrid e da seleção portuguesa?

Apesar da queda prematura na Rússia-2018, CR7 ainda é o favorito para ganhar a eleição do “The Best”. O terceiro título de Champions consecutivo conquistado pelo Real Madrid e a indefinição sobre quem é o craque da Copa são seus maiores trunfos.

Para desbancar o astro português do topo do planeta, os outros pleiteantes ao prêmio precisam primeiro conseguir unificar uma candidatura.

Só mesmo um jogador que parte expressiva do planeta tenha certeza absoluta que foi o grande nome da Copa (e que consequentemente centralize os votos de técnicos, atletas, jornalistas e torcedores) poderá será páreo na disputa com Ronaldo.

Só que esse nome ainda não existe. Modric foi o destaque da primeira fase do Mundial, mas caiu de produção nos mata-matas. Mbappé teve uma atuação de gala contra a Argentina, mas vem sendo menos decisivo que Griezmann na maioria dos jogos da França.

Kane é o artilheiro da competição, só que tem feito mais gols do que propriamente jogado bem. De Bruyne só deixou de ser discreto pela Bélgica quando passou a atuar mais adiantado, nas quartas de final contra o Brasil.

Talvez o jogador mais regular da Copa seja Hazard. O capitão belga mostrou bom futebol em todas as partidas que disputou, mas nem sempre foi o jogador mais importante de sua seleção, já que De Bruyne, Romelu Lukaku e Thibaut Courtois dividem com ele o protagonismo da equipe vermelha.

Ou seja, esta semana será decisiva para a definição dos rumos do prêmio de melhor do mundo.

Se alguém conseguir uma grande atuação individual na semifinal, repetir a dose na decisão e levar sua seleção à conquista do título, o reinado de Cristiano Ronaldo pode ficar seriamente ameaçado.

Caso contrário, veremos mais uma vez o português sendo consagrado como o maior craque do planeta. E Mbappé, Hazard, De Bruyne, Modric e Kane terão de aplaudi-lo das cadeiras da cerimônia da Fifa.


Mais de Opinião

– Por que Neymar desperta tanta antipatia?
– Quem vai ganhar a Copa? Sinceramente, não tenho a menor ideia
– Por que “geração belga” desperta tanto amor e ódio na Copa?
– Com “muro” na defesa, futebol da Copa do Mundo parece até handebol


Na final pela 6ª vez, CR7 sonha com recordes de lendas do Real
Comentários Comente

Rafael Reis

É de olho em recordes de duas lendas da história do Real Madrid (e consequentemente do futebol mundial) que Cristiano Ronaldo disputa contra o Liverpool, neste sábado, em Kiev (Ucrânia), a sexta final de Liga dos Campeões da Europa de sua carreira.

O astro português, que faturou o título continental em 2008, 2014, 2016 e 2017 e também foi vice em 2009, sonha em alcançar marcas históricas de Alfredo di Stéfano e Ferenc Puskás.

A dupla vestiu a camisa do Real mas décadas de 1950 e 1960 e fez parte do esquadrão mais vitorioso da história da Champions, a equipe que conquistou as cinco primeiras edições da competição, entre 1956 e 1960.

O primeiro recorde pode ser batido pelo atual camisa 7 do time espanhol já neste sábado, mas depende de uma grande atuação contra o Liverpool.

Cristiano Ronaldo está a três gols de igualar Di Stéfano e Puskás como maior artilheiro da história das finais do torneio continental.

Ao longo da carreira, o português já marcou quatro vezes em finais de Champions. Já o argentino e o húngaro meterem sete bolas nas redes cada em partidas que valiam o título mais cobiçado do futebol de clubes.

A outra marca sonhada por CR7 pertence apenas a Di Stéfano e vai demorar pelo menos mais um ano para ser igualada.

O craque da contemporaneidade já marcou em três finais diferentes da competição (2008, 2014 e 2017), duas a menos do que o argentino, que fez gol nas decisões dos cinco primeiros títulos do Real Madrid.

Campeão por Manchester United e Real, Cristiano Ronaldo já é o maior goleador da história da Champions. O português soma 120 gols em 152 partidas pelo torneio –o segundo colocado, Lionel Messi, marcou 20 vezes a menos.

O camisa 7 foi o artilheiro isolado ou dividiu a artilharia das últimas cinco edições do torneio continental. Neste ano, ele também ocupa a liderança do ranking, com 15 gols, cinco a mais que os vice-líderes, os também finalistas Mohamed Salah e Roberto Firmino, do Liverpool.

A Champions é também a competição que tem sido essencial para Cristiano Ronaldo ser eleito o melhor jogador do mundo. Nos quatro anos que faturou o troféu, ele também ganhou a Bola de Ouro – sua outra vitória na eleição aconteceu em 2013, quando o Real parou nas semifinais.


Mais de Cidadãos do Mundo

5 jogadores que deram errado na nova “era de ouro” do Real Madrid
Como um “pai” para Salah, 1º técnico vê egípcio tão bom quanto Messi e Cr7
Copa do Mundo terá seu primeiro jogador nascido nos anos 2000?
Champions pode ser 1º troféu para mais da metade do elenco do Liverpool