Blog do Rafael Reis

Arquivo : biro-biro

Como foi o desempenho das novidades do futebol brasileiro para 2019?
Comentários Comente

Rafael Reis

A torcida do São Paulo comemorou a chegada de Hernanes como se fosse um título. O apoiador do Palmeiras se encheu de esperanças com Carlos Eduardo, sua nova opção ofensiva. Já o do Botafogo, ficou aliviado depois da contratação de Diego Cavalieri.

Os três jogadores citados acima, assim como vários outros que aportaram no futebol brasileiro nas últimas semanas, chegam credenciados pelo rótulo de atletas que estavam no “exterior”.

Mas quem estava acompanhando de perto o que eles andavam fazendo dentro de campo? Será que essas caras novas devem mesmo provocar expectativa positiva nos torcedores dos clubes daqui?

Para ajudar a responder essa pergunta, o “Blog do Rafael Reis” conta abaixo como foi o desempenho no futebol estrangeiro de sete dez reforços importantes contratados por clubes brasileiros para 2019.

HERNANES
Meia
33 anos
São Paulo

Crédito: Daniel Vorley/Agif

O meia defendeu o Hebei Fortune durante cinco meses em 2017, foi emprestado ao São Paulo e retornou ao clube para disputar a temporada passada completa. Na segunda passagem pela China, esteve em campo em 14 partidas, marcou quatro gols e deu somente uma assistência. O meia chegou a ficar dois meses sem atuar devido a uma lesão e ao limite de estrangeiros do Fortune, que terminou o Campeonato Chinês na sexta colocação.

CARLOS EDUARDO
Meia-atacante
22 anos
Palmeiras

Crédito: André Costa/Estadão Conteúdo

Revelado pelo Goiás e destaque do primeiro turno da Série B do ano passado, ficou apenas um semestre no Pyramids. Lá, disputou dez jogos, fez um gol e deu passe para outro. Na maioria das partidas, começou no banco de reservas. Em três delas, nem saiu de lá. Quando foi negociado com o Palmeiras, seu time era vice-líder do Campeonato Egípcio.

MAURO BOSELLI
Atacante
33 anos
Corinthians

Crédito: Reprodução

Um dos principais reforços do Corinthians para 2019, o centroavante argentino foi três vezes artilheiro do Campeonato Mexicano e marcou 118 gols em 203 partidas pelo León, clube que defendeu de 2013 até o fim do ano passado. Antes, Boselli também jogou no Boca Juniors, no Estudiantes e teve passagens por Espanha (Málaga), Itália (Genoa e Palermo) e Inglaterra (Wigan). No entanto, não conseguiu ter na Europa o mesmo sucesso que fez no México.

BIRO-BIRO
Meia-atacante
24 anos
São Paulo

Crédito: Divulgação

Passou os últimos três anos jogando na segunda divisão da China. Pelo Shanghai Shenxin, disputou 68 partidas, balançou as redes 39 vezes e deu seis assistências. Em 2016, seu ano mais goleador, terminou a competição na terceira colocação da tabela de artilheiros. Apesar do bom desempenho ofensivo, não conseguiu levar sua equipe à elite chinesa e se despediu do clube com o 11º lugar da temporada passada.

FELIPE PIRES
Meia-atacante
23 anos
Palmeiras

Crédito: Fábio Menotti/Ag. Palmeiras

Foi para a Europa quando tinha 18 anos e ainda fez a reta final da sua formação de base no RB Leipzig, da Alemanha. Também atuou no Liefering, no Red Bull Salzburg e no Austria Viena, todos do futebol austríaco, além do alemão FSV Frankfurt. Apesar de ser contratado do Hoffenheim desde 2015, sempre foi emprestado para outras equipes e jamais defendeu o clube em uma partida oficial. Nas duas últimas temporadas, fez 16 gols e deu 19 assistências pelo Austria Viena.

MICHEL MACEDO
Lateral direito
28 anos
Corinthians

Crédito: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Dos últimos dez anos de carreira, passou oito atuando no futebol espanhol. Foram seis temporadas no Almería e mais duas no Las Palmas, clube que defendeu até o meio de 2018. Lá, participou de 54 jogos e não fez gols. Em compensação, distribuiu seis assistências e foi expulso uma vez. Com Michel Macedo, o Las Palmas escapou do rebaixamento no Campeonato Espanhol na primeira temporada (14º colocado), mas acabou caindo na segunda, quando foi o 19º.

TIAGO VOLPI
Goleiro
28 anos
São Paulo

Crédito: Divulgação

Passou quatro temporadas no México e virou ídolo do Querétaro, clube pelo qual conquistou o Torneio Apertura de 2016 e a Supercopa MX do ano seguinte. Volpi disputou 157 partidas pelo clube, sofreu 211 gols e acumulou 40 jogos sem ser vazado. No final de sua passagem pelo Querétaro, já era o capitão do time.

DIEGO CAVALIERI
Goleiro
36 anos
Botafogo

Crédito: Divulgação

O ex-goleiro com passagem pela seleção brasileira ficou seis meses desempregado antes de assinar com o Botafogo. Mas mesmo no Crystal Palace, seu último clube, Cavalieri nem chegou a ir a campo. O brasileiro chegou ao Campeonato Inglês em março e viu de fora as últimas dez rodadas da competição. Em seis jogos, ficou no banco de reservas. Nos outros quatro, não foi nem relacionado pelo técnico Roy Hodgson.

WALTER MONTOYA
Meia
25 anos
Grêmio

Crédito: Lucas Uebel/Grêmio

Cria das categorias de base do Rosario Central, o argentino teve uma rápida passagem de pouco sucesso pelo Sevilla em 2017. Logo na sequência, transferiu-se para o Cruz Azul, clube pelo qual se sagrou campeão do Torneio Apertura do Campeonato Mexicano. Depois do meio do ano, perdeu espaço no time e foi parar no banco de reservas. Nesta temporada, disputou apenas nove partidas e deu um passe para gol.

MARCO RÚBEN
Atacante
32 anos
Athletico-PR

Crédito: Ricardo Malazan/AP

O centroavante, que já esteve na mira de boa parte dos grandes clubes brasileiros, desembarca no país após fazer história com a camisa do Rosario Central. Marco Rúben vestiu o uniforme azul e dourado durante os últimos quatro anos e marcou 43 vezes. Mas o artilheiro do Campeonato Argentino em 2015 não vive seu melhor momento e está sem anotar um golzinho desde maio.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

7 brasileiros em fim de contrato que já podem assinar com um novo time
6 destaques da Copa São Paulo que hoje estão “desaparecidos” no exterior
Na Turquia, Robinho chama mais a atenção por cartões do que por gols
5 brasileiros que podem mudar de clube no exterior na janela de janeiro


Por onde andam 7 ex-jogadores do Fluminense que estão no exterior?
Comentários Comente

Rafael Reis

Como está a carreira daquele jogador que passou por seu time de coração e que hoje defende algum time no exterior, mas não aqueles que aparecem quase que semanalmente na TV brasileira, como Barcelona, Manchester City ou Chelsea?

É para responder a essa pergunta que o “Blog do Rafael Reis” publica desde o mês passado a seção “Por Onde Anda? – Times Brasileiros”. Durante 12 semanas, vamos revelar os paradeiros de vários jogadores que estão nessa situação.

Hoje, mostramos os destinos de sete ex-jogadores do Fluminense. Na semana que vem, será a vez de fazermos a mesma coisa com atletas que atuaram no Vasco.

MARLON
Zagueiro
23 anos
Sassuolo (ITA)

Uma das principais revelações da base do Fluminense nos últimos anos, fez sucesso na seleção sub-20 e permaneceu como titular do clube durante duas temporadas. Em 2016, acabou negociado com o Barcelona e passou a defender a equipe B dos catalães. Sem espaço no time de cima, foi emprestado para o Nice e, no início desta temporada, negociado com o Sassuolo, onde tem sido titular absoluto.

OSVALDO
Atacante
31 anos
Buriram United (TAI)

Após jogar no Fluminense entre 2015 e 2017, Osvaldo voltou ao futebol nordestino no ano passado e defendeu Sport e Fortaleza. Em junho, aceitou um incomum convite para se transferir para a Tailândia. Na campanha que levou o Buriram United ao bicampeonato nacional, o jogador fez dupla de ataque com outro brasileiro, Diogo (ex-Palmeiras, Santos e Flamengo).

SAMUEL
Atacante
27 anos
Al-Nasr (EAU)

Integrante do elenco que ajudou o Flu a ser campeão brasileiro em 2012, passou os últimos quatro anos do seu contrato com o time carioca acumulando um empréstimo atrás do outro e chegou a jogar até nos Estados Unidos. Samuel está em sua terceira temporada nos Emirados Árabes. Depois de fazer sucesso pelo Hatta, assinou com um dos grandes do país, o Al-Nasr, três vezes campeão nacional.

BIRO BIRO
Meia-atacante
23 anos
Shanghai Shenxin (CHN)

Transformado em profissional pelo Fluminense, passou três anos no clube sem conseguir muito destaque. Em 2015, foi emprestado para a Ponte Preta e, aí sim, estourou. Seu sucesso em Campinas atraiu o interesse do futebol chinês. Biro-Biro mudou para o Oriente, mas foi defender uma equipe da segunda divisão. Apesar de manter uma média de mais de dez gols por ano, tem falhado na tentativa de colocar seu time na elite.

FERNANDO BOB
Volante
30 anos
Minnesota United (EUA)

Revelado na base do Fluminense, participou da campanha do título brasileiro de 2010 e foi emprestado para seis clubes diferentes durante sua passagem pelas Laranjeiras. Fernando Bob renasceu na Ponte Preta e de uma alavancada em sua carreira. Já trintão, migrou há pouco mais de um mês para os Estados Unidos e rapidamente virou titular do Minnesota United.

TARTÁ
Meia-atacante
29 anos
Foolad (IRA)

Habilidoso, surgiu como promessa de craque há mais de uma década, mas não conseguiu provar o potencial que parecia ter. Fez parte do elenco do Flu na conquista do Campeonato Brasileiro de 2010 e permaneceu vinculado ao clube até 2013. Depois de passar por Japão, Coreia do Sul e Tailândia, transferiu-se neste ano para um mercado praticamente inexplorado por jogadores brasileiros, o Irã.

THIAGO CARLETO
Lateral esquerdo
29 anos
Al-Ittihad (ARA)

O lateral famoso pelos chutes fortes de perna esquerda teve uma passagem de relativo sucesso pelo Flu em 2012 e foi campeão brasileiro pelo clube. Atualmente, está seu quarto ciclo no exterior. Depois de jogar na Espanha, em Portugal e no Paraguai, Carleto se transferiu no meio do ano para a Arábia Saudita para jogar ao lado de Romarinho e Jonas (ex-Flamengo) no Al-Ittihad.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

PSG transforma Marquinhos em volante e dá dor de cabeça para Tite
Por onde andam 7 ex-jogadores do Flamengo que estão no exterior?
Brasileiro mantém liderança da Chuteira de Ouro; Neymar entra no top 25
Por onde andam 7 ex-jogadores do Santos que estão no exterior?


7 reforços brasileiros para seu time resgatar da China em 2018
Comentários Comente

Rafael Reis

Principal jogador do Corinthians na conquista do seu sétimo título brasileiro, Jô desembarcou no clube paulista no finalzinho do ano passado, depois de uma passagem rápida e do pouco sucesso pela China.

Se até pouco tempo atrás o país mais populoso do mundo era temido pelos clubes brasileiros pelos jogadores que eles poderiam roubar, agora a China virou uma ótima fonte de reforços para as equipes daqui.

As novas regras para diminuir a presença de estrangeiros do futebol do Gigante Asiático e a sede insaciável dos times de lá por nomes cada vez mais conhecidos internacionalmente abre a possibilidade de as equipes brasileiras buscarem de volta alguns dos atletas que foram tentar a sorte do outro lado do mundo.

Apresentamos abaixo sete jogadores que podem ser repatriados imediatamente para reforçar o futebol pentacampeão mundial no próximo ano.

A lista exclui alvos considerados irreais, como Hulk, Oscar e Ricardo Goulart, que possuem um mercado maior no exterior e salários incompatíveis com o país.

RALF
Volante
33 anos
Beijing Guoan

Campeão da Libertadores e bi brasileiro pelo Corinthians, o volante está na China desde o ano passado e ficará sem vínculo com o Beijing Guoan no final de dezembro. Apesar de ter sumido do radar da seleção brasileira, Ralf não foi mal no Oriente e sempre foi titular absoluto de sua equipe. A tendência é que o volante retorne ao futebol brasileiro, já que é uma boa opção para quem deseja um meio-campista forte na marcação e bastante experiente.

DIEGO TARDELLI
Atacante
32 anos
Shandong Luneng

O ex-jogador do Atlético-MG não pode reclamar do seu último ano na China. Tardelli recuperou espaço no Shandong Luneng, marcou 15 gols em 18 partidas e até foi lembrado pela seleção. Apesar de ter contrato por mais um ano na Ásia, o jogador sempre tem seu nome envolvido em rumores sobre um possível retorno ao futebol brasileiro. Desta vez, quem namora o atacante é o Flamengo, um dos poucos clubes daqui que conseguiriam bancar seu salário.

GIL
Zagueiro
32 anos
Shandong Luneng

Assim como Diego Tardelli, seu companheiro no Shandong Luneng, o mais provável é que Gil permaneça no futebol chinês em 2018. Só que o defensor sempre fala que pretende voltar ao Brasil depois do fim do seu contrato (janeiro de 2020), e uma antecipação desse projeto poderia ajudá-lo em uma última tentativa de recuperar espaço na seleção e disputar a Copa do Mundo. No segundo semestre deste ano, o Palmeiras chegou a considerar a possibilidade de contratá-lo.

ALOÍSIO
Atacante
29 anos
Hebei Fortune

Um dos atacantes brasileiros mais bem-sucedidos da história do futebol chinês, o “Boi Bandido” acumula mais de 120 partidas e 60 gols por lá. Só que essa passagem pode estar chegando ao fim. O contrato de Aloísio com o Hebei Fortune termina em dezembro, e há vários clubes no Brasil que gostariam de tê-lo em seu elenco no próximo ano. A prioridade, o atacante não esconde de ninguém, é do São Paulo.

ALAN KARDEC
Atacante
28 anos
Chongqing Lifan

O ex-centroavante de Vasco, Santos, Palmeiras e São Paulo joga em um dos clubes de menor poderio financeiro da primeira divisão chinesa, vem de uma temporada cheia de altos e baixos e chegou a ficar três meses sem balançar as redes. O vínculo de Kardec com o Chongqing Lifan vai até o fim de 2018, mas pode ser negociado caso algum time brasileiro de primeiro escalão queira tê-lo em seu elenco no próximo ano.

BIRO BIRO
Meia-atacante
22 anos
Shanghai Shenxin

O meia-atacante havia acabado de fazer um grande Campeonato Brasileiro pela Ponte Preta quando foi negociado pelo Fluminense com um clube da segunda divisão chinesa, no fim de 2015. Dois anos se passaram desde então, e nada mudou. O Shanghai Shenxin continua fora da elite, situação que pode desmotivar Biro Biro a continuar por lá. Se encontrar um clube disposto a lhe pagar um bom salário por aqui, uma negociação pode acontecer.

ALAN
Meia-atacante
28 anos
Guangzhou Evergrande

Campeão das últimas três temporadas chinesas com a camisa do Guangzhou Evergrande, o ex-jogador do Fluminense chegou a frequentar o banco em algumas partidas deste ano e não terá mais o compatriota Luiz Felipe Scolari como comandante em 2018 (o italiano Fabio Cannavaro irá assumir como técnico da equipe). A situação, aliada à saudade provocada pelos sete anos atuando longe do Brasil, favorece um possível retorno.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– 1º brasileiro campeão da Copa vestia azul e era filho de presidente da Lusa
– 7 brasileiros que estão no banco na Europa para seu time repatriar em 2018
– “Rei do Passe”: Conheça o meia que Tite está prestes a perder para a Itália
– Firmino elogia “rival” Gabriel Jesus e ainda não se vê na Copa-2018


5 jogadores que podem voltar da China para reforçar seu time em 2017
Comentários Comente

Rafael Reis

Salários altíssimos, muito acima daqueles pagos no futebol brasileiro, pouca pressão dos torcedores e a possibilidade de participar do projeto de desenvolvimento do esporte no país mais populoso do mundo. À primeira vista, jogar na China pode parecer uma beleza.

Mas essa é só a aparência. Mandar-se para a Ásia pode até render alguns milhões extras na conta bancária, mas está longe de ser essa maravilha toda.

Tanto que está cheio de jogadores brasileiros que fizeram o caminho rumo à China e agora estão loucos para retornar para cá no próximo ano.

O primeiro deles já chegou. Ainda no começo do mês passado, o Corinthians anunciou Jô, ex-Jiangsu Suning, como seu primeiro reforço para 2017.

Apresentamos abaixo cinco nomes que, assim como o ex-centroavante da seleção brasileira, não teriam muitos problemas em trocar o futebol chinês por um clube brasileiro a partir de janeiro.

DIEGO TARDELLI
Atacante
31 anos
Shandong Luneng
Na China desde 2015
Diego Tardelli
Afastado do elenco principal do Shandong desde o meio do ano, quando o clube estourou o limite de estrangeiros que poderia inscrever no Campeonato Chinês, vive uma situação delicada. Graças ao bom futebol mostrado no primeiro um ano e meio com a camisa laranja, ele acredita que essa situação está revertida e que ele jogará normalmente em 2017. Mas, times interessados em seu futebol aqui no Brasil não faltam: Palmeiras, Corinthians e o Atlético-MG, time onde é ídolo.

WAGNER
Meia
31 anos
Tianjin Teda
Na China desde 2015
Wagner
O meia, ex-Fluminense e Cruzeiro, chegou a ser dado como certo no Corinthians para a próxima temporada. No entanto, problemas jurídicos esfriaram a negociação e recolocaram Wagner no mercado. Assim como Tardelli, ele também está sem jogar devido ao limite de estrangeiros alcançado pelo clube que defendia na China. Mas, incomodado com a situação, Wagner pediu a rescisão do seu contrato. Sem saber se terá de indenizar o Tianjin Teda, o Corinthians ficou receoso de completar a contratação do meia, abrindo a possibilidade de ele defender outra equipe em 2017.

LUIS FABIANO
Atacante
36 anos
Tianjin Quanjian
Na China desde 2016
Luis Fabiano
Artilheiro da segunda divisão chinesa, com 22 gols, o veterano centroavante não quis renovar contrato no Oriente. A volta do camisa 9 ao futebol brasileiro é o caminho mais provável. O que falta é definir o clube. O primeiro time que levantou o dedinho e manifestou o interesse foi a Ponte Preta, onde o jogador iniciou a carreira como profissional. Depois, Vasco e Santos seguiram o mesmo caminho e entraram na disputa pelo atacante.

RALF
Volante
32 anos
Beijing Guoan
Na China desde 2016
Ralf
Um dos participantes da debandada corintiana rumo à China depois da conquista do título brasileiro do ano passado, Ralf não teria em tese porque sair do Beijing Guoan. O brasileiro foi titular durante toda temporada e até fez gol no Oriente. Apesar disso, assim que terminou o Campeonato Chinês, o volante fez questão de visitar o antigo clube, alimentando os rumores de que tem na cabeça uma volta para casa.

BIRO-BIRO
Meia-atacante
22 anos
Shangai Shenxin
Na China desde 2016
Biro-Biro
Um dos destaques da Ponte Preta no Brasileiro no ano passado, marcou 18 gols em sua temporada de estreia no Shangai Shexin e concorreu ao prêmio de melhor jogador da segunda divisão chinesa. Tudo lindo, se não fosse por um porém. Apesar do alto investimento, seu clube não foi além da décima colocação nesta temporada e continuará por pelo menos mais um ano fora da elite. O fracasso pode abrir espaço para um negociação de Biro-Biro. Desde, é claro, que o clube interessado aceite desembolsar um bom dinheiro por ele.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– A um ponto do título brasileiro, Moisés foi “rei do vice” na Croácia
– Jogador mais caçado da Champions é brasileiro… e não é o Neymar
Brasileiro é suspenso por 9 meses por agredir bandeirinha em Portugal
– 6 brasileiros que são os reforços mais caros da história de clubes europeus


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>