Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

Como a Red Bull manda no Alemão mesmo sem estar na liderança do campeonato

Rafael Reis

17/10/2019 04h00

O RB Leipzig ocupa a quarta colocação no Campeonato Alemão. Nas primeiras sete rodadas da competição, acumulou quatro vitórias, dois empates e uma derrota. Com 14 pontos conquistados, está a dois do líder, Borussia Mönchengladbach.

Apesar de ainda não ter seu time oficial ocupando o posto mais alto da classificação, a Red Bull têm motivos de sobra para estar rindo à toa neste início de temporada do país tetracampeão mundial.

Crédito: Divulgação

Afinal, a empresa austríaca de energéticos tem todo o direito de bater no peito e dizer que, pelo menos nessas rodadas inaugurais da Bundesliga 2019/2020, é ela quem está ditando as regras do futebol germânico.

Os técnicos dos quatro primeiros colocados do Alemão possuem conexões íntimas com a companhia.

Marco Rose (Mönchengladbach), Oliver Glasner (Wolfsburg) e Nico Kovac (Bayern de Munique) começaram suas carreiras de treinador na academia que ela mantém na Áustria.

Líder do Alemão à frente do surpreendente Mönchengladbach, que fez 16 pontos em sete rodadas, Rose foi contratado pela companhia em 2013 para dirigir o time sub-13 do Red Bull Salzburg e foi subindo degraus dentro da empresa.

Em 2017, ganhou a Uefa Youth League, a versão sub-19 da Liga dos Campeões, e acabou promovido para o time adulto. Em duas temporadas, faturou dois títulos austríacos e levou a equipe até as semifinais da Liga Europa de 2018. No começo desta temporada, acabou se mudando para a Alemanha.

Já Glasner, que soma 15 pontos em seu ano de estreia no Wolfsburg, passou seis meses trabalhando como coordenador esportivo do Salzburg e mais duas temporadas como assistente-técnico da equipe principal. Só em 2014, mais maduro e com estilo de jogo bem desenvolvido, deixou o sistema Red Bull para alçar voos solos em times austríacos.

Kovac, atual campeão alemão pelo Bayern e que soma 14 pontos nesta temporada, entrou no mundo da companhia de energéticos ainda antes de deixar os gramados. O ex-meia jogou as últimas três temporadas de sua carreira pelo Salzburg.

Logo depois de pendurar as chuteiras, treinou times de base do clube austríaco. Entre 2011/2012, foi auxiliar-técnico do time adulto, de onde saiu para dirigir a seleção sub-21 da Croácia e dar início à sua carreira de treinador.

Único do quarteto que lidera a Bundesliga que não foi formado na Áustria, o alemão Julian Nagelsmann era o nome dos sonhos da Red Bull para comandar o Leipzig.

A prova disso é que a diretoria do clube o contratou ainda em junho de 2018, mas aceitou esperar que ele cumprisse o último ano inteiro do seu acordo com o Hoffenheim antes de assumir o novo cargo, o que aconteceu nesta temporada.

Além dos quatro técnicos mostrados acima, outros dois treinadores "made in Red Bull" estão trabalhando nesta edição do Alemão: o austríaco Adi Hütter, do Eintracht Frankfurt, nono colocado, e Achim Beierlorzer, do recém-promovido Colônia, 17º.


Mais de Cidadãos do Mundo

Mulher de Vardy e supostas traições explicam volta de Rooney à Inglaterra
Por onde andam 7 "professores" famosos do futebol mundial que sumiram?
Cristiano Ronaldo vai virar o maior artilheiro da história das seleções?
Dia das Crianças: 5 garotos que já estão brilhando no futebol mundial

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Blog do Rafael Reis