Blog do Rafael Reis

Vice na Rússia, Croácia deve sofrer com renovação e é incógnita na Copa-22

Rafael Reis

A Croácia conquistou torcedores do planeta inteiro no último mês com um futebol cheio de técnica e determinação, sagrou-se vice-campeã da Copa-2018 e obteve o maior feito de toda sua história.

Mas isso não significa que a seleção da camisa quadriculada terá vida fácil nos próximos quatro anos. Seu futuro parece um tanto quanto nebuloso. E até mesmo a ausência no Mundial do Qatar não será nenhuma surpresa.

O principal problema para o técnico Zltako Dalic (ou para qualquer outro que venha a substitui-lo) é que os principais nomes da equipe estão na reta final da carreira. E os integrantes da nova geração não parecem tão bons quanto eles.

O meia Luka Modric, maestro da seleção na Rússia, já terá 36 anos na próxima Copa. Mesmo que continue na equipe, dificilmente terá condições físicas de atuar no alto nível a que os torcedores croatas e do Real Madrid estão acostumados.

O goleiro Danijel Subasic, o lateral esquerdo Ivan Strinic, o meia Ivan Rakitic e o atacante Mario Mandzukic, outros pilares da equipe vice-campeã mundial, também já entraram na casa dos 30 anos e vivem situação semelhante.

Mesmo jogadores um pouco mais novos, como os zagueiros Dejan Lovren e Domagoj Vida, além do meia-atacante Ivan Perisic, todos de 29 anos, já não são tão jovens assim e chegarão no Mundial-2022 como veteranos.

A solução será apostar em uma nova geração. Só que ela não dá pinta de ser tão talentosa quanto a atual e está sofrendo para se firmar no cenário europeu.

A grande esperança dessa safra de jovens era o meia-atacante Alen Halilovic. Aos 18 anos, ele era comparado a Messi e acabou contratado pelo Barcelona. Quatro temporadas depois, chegou ao Milan sem custos no começo deste mês e após passagens de pouco brilho por Sporting Gijón, Hamburgo e Las Palmas.

Outros nomes que devem fazer do ciclo 2018-22 da Croácia ainda precisam mostrar algo em times de um escalão superior.

Esse é o caso do zagueiro Filip Benkovic, 21, que ainda atua no Dínamo Zabreb, mas está na mira do Chelsea.

Os meias Ante Coric, 21, recém-chegado à Roma, e Mario Pasalic, 23, que pertence ao Chelsea, mas foi emprestado ao Spartak Moscou na temporada passada, também têm de se destacar em um nível mais alto para aumentar a esperança da Croácia para 2022.

Por enquanto, repito, o futuro croata não parece tão bom quanto seu presente.

Possível Croácia para 2022: Lovre Kalinic; Vrsaljko, Lovren, Benkovic (Caleta-Car) e Pivaric; Brozovic, Kovacic e Coric (Pasalic); Rebic, Kramaric e Perisic (Pjaca)


Mais de Opinião

– França larga como favorita para Copa-2022 e deve ter 3 novos titulares
– Pela 3ª Copa consecutiva, título vai para a melhor seleção do planeta
– Mbappé, Hazard, Kane: Alguém pode tirar prêmio de melhor do mundo de CR7?
– Por que Neymar desperta tanta antipatia?