Blog do Rafael Reis

Esperança alemã, Reus perdeu 45% dos jogos nos últimos 4 anos por lesão

Rafael Reis

Marco Reus temeu até o último momento não conseguir disputar a Copa do Mundo-2018. Não que o meia-atacante do Borussia Dortmund estivesse correndo contra o tempo para se recuperar de uma lesão. Mas o trauma de quatro anos atrás e o longo histórico de problemas físicos eram suficientes para deixá-lo apreensivo.

Mas o jogador de 29 anos conseguiu. Pela primeira vez na carreira, está jogando um Mundial. E, neste sábado, às 15h (de Brasília), contra a Suécia, em Sochi, deve ser a novidade da Alemanha para tentar se recuperar da derrota na estreia para o México.

O camisa 11 germânico é um dos jogadores mais talentosos de sua geração. Mas também um dos que mais frequentam os departamentos médicos.

Ao longo dos últimos quatro anos, Reus só conseguiu participar de 111 das 203 partidas disputadas pelo Dortmund, clube que defende desde 2012. Nos outros 45% dos jogos, estava se recuperando de alguma lesão ou sendo preservado por desgaste físico.

De acordo com o site “Transfermarkt”, o alemão sofreu 24 contusões desde a temporada 2014/15. Foram vários problemas musculares, contusões no tornozelo, uma lesão no dedão do pé, uma inflamação no púbis e uma ruptura no ligamento cruzado do joelho.

A sequência interminável de lesões minou a carreira internacional do jogador. Reus já esteve na mira de clubes como Real Madrid, Liverpool e Tottenham. Todos, no entanto, desistiram de contratá-lo por não confiarem na sua estrutura física.

As lesões também atrapalharam bastante sua trajetória na seleção. O meia-atacante estreou pela Alemanha em 2011 e, no ano seguinte, foi semifinalista da Eurocopa. Depois, vieram as decepções.

Em 2014, logo após ser eleito o melhor jogador do Campeonato Alemão, Reus sofreu uma ruptura nos ligamentos do tornozelo esquerdo durante o último amistoso pré-Copa e perdeu a chance de se sagrar campeão mundial. Dois anos mais tarde, uma pubalgia o tirou da Euro-2016.

A atual temporada começou só em janeiro, já que ele se recuperava de uma cirurgia no joelho. Desde o começo de abril, o jogador não sofre nenhuma contusão.

Mesmo assim, Reus começou a Copa no banco. Na derrota por 1 a 0 para o México, entrou no segundo tempo e jogou os 30 minutos finais. Após a partida, figuras históricas do futebol alemão, como Lothar Matthäus, capitão no título de 1990, cobraram sua escalação como titular.

O técnico Joachim Löw parece concordar com essa opinião e deve escalar o camisa 11 na vaga de Mesut Özil contra a Suécia. Se não vencer a partida deste sábado, a Alemanha pode ficar em situação delicada ou até mesmo ser eliminada precocemente do Mundial russo.


Mais de Cidadãos do Mundo

Guerra e refugiados transformam Suíça x Sérvia em ''panela de pressão''
Destaque da Croácia já disputou Circuito Mundial de vôlei de praia
Como capitão da seleção virou símbolo de luta feminista no Irã
Cinco gols em um só jogo: conheça o último russo artilheiro de Copa