Blog do Rafael Reis

Rival do Brasil na Copa, Sérvia é máquina de triturar técnicos

Rafael Reis

A seleção brasileira irá encerrar sua participação na primeira fase da Copa do Mundo-2018 contra o time dirigido por Mladen Krstajic. Pelo menos, é nisso que acredita Tite e os outros integrantes de sua comissão técnica.

Mas não será nenhuma surpresa se até o dia 27 de junho, quando as duas equipes se encontram em Moscou, os sérvios já tiverem um novo comandante.

Afinal, o país nascido da dissolução da antiga Iugoslávia é uma verdadeira máquina de triturar treinadores.

Nos últimos oito anos, a seleção europeia teve oito técnicos diferentes –e um deles, Radovan Curcic, teve duas passagens pelo banco de reservas. No mesmo período, o Brasil foi dirigido apenas por Dunga, Mano Menezes, Luiz Felipe Scolari e Tite. E a Alemanha se manteve o tempo todo com Joachim Löw.

A alta rotatividade no banco de reservas sérvio produz algumas situação no mínimo curiosas.

Dick Advocaat, que já dirigiu Holanda, Coreia do Sul, Rússia e Bélgica ao longo da carreira, durou só quatro partidas no cargo em 2014. E Slavoljub Muslin foi demitido mesmo depois de classificar a equipe para a Copa-2018.

O motivo principal da queda do treinador foram as divergências entre ele e a federação sobre como deveria ser o elenco que o país vai levar à Rússia neste ano.

Enquanto Muslin queria um time mais experiente em campo, seus chefes cobravam dele mais espaço para os garotos que foram campeões mundiais sub-20 em 2015, especialmente para o meia Sergej Milinkovic-Savic, destaque da Lazio.

O último treinador que passou mais de 20 jogos à frente da Sérvia foi Radomir Antic, ex-Barcelona e Atlético de Madri, que dirigiu a equipe 28 vezes entre 2008 e a Copa do Mundo de 2010, última participação do país na competição.

Krstajic, o atual técnico da Sérvia, está no cargo desde o fim de outubro e acumula até agora duas partidas: vitória sobre a China e empate contra a Coreia do Sul.

Ex-zagueiro do Werder Bremen e do Schalke 04, ele disputou o Mundial de 2006 como jogador, fazia parte da comissão técnica de Muslim e está em sua primeira experiência como treinador.

Uma experiência que dificilmente terá uma longa duração. Afinal, na seleção da Sérvia, todo técnico sempre está com o emprego em risco.

Brasileiros e sérvios estão no Grupo E da Copa do Mundo e também enfrentarão Suíça e Costa Rica na primeira fase.

TÉCNICOS DA SÉRVIA (DESDE 2010)

Radomir Antic – 28 jogos (2008-2010)
Vladimir Petrovic – 13 jogos (2010-2011)
Radovan Curcic – 5 jogos (2011-2012)
Sinisa Mihajlovic – 19 jogos (2012-2013)
Ljubinko Drulovic – 4 jogos (2014)
Dick Advocaat – 4 jogos (2014)
Radovan Curcic – 11 jogos (2014-2016)
Slavoljub Muslin – 15 jogos (2016-2017)
Mladen Krstajic – 2 jogos (desde 2017)


Mais de Seleções:

– Como guerra e fome transformaram seleção suíça em ameaça real ao Brasil
– Para ranking da Fifa, grupo do Brasil é o mais difícil do século
– Quais são os adversários mais frequentes do Brasil na 1ª fase da Copa?
– Rival do Brasil na Copa tem ''geração de ouro'' que ainda não desabrochou