Blog do Rafael Reis

Terra de “velhinhos”, Libertadores-2018 tem até remanescente da Copa-2002

Rafael Reis

Roque Santa Cruz estreou na seleção principal do Paraguai há 19 anos. Em 2002, disputou a Copa do Mundo na Coreia do Sul e no Japão. No Bayern de Munique, clube que defendeu entre 1999 e 2007, chegou a atuar ao lado de Oliver Kahn, Élber e até Lothar Matthäus.

Aos 36 anos, o centroavante do Olimpia (PAR) estreia nesta segunda-feira na Libertadores-2018, contra o Montevideo Wanderers (URU). E, apesar da idade elevada, não tem motivo nenhum para se sentir um tiozão.

O atacante não está nem entre os 20 jogadores mais velhos que vão disputar a competição interclubes mais importante da América do Sul nesta temporada.

É isso mesmo: a Libertadores, que dá início nesta noite à sua fase preliminar, até parece em alguns momentos um torneio de veteranos.

Dos 1.388 jogadores que compõem os elencos profissionais dos 47 clubes inscritos no torneio continental, 359 já entraram na casa dos 30 anos. Isso significa 25,8% do total dos atletas.

A Libertadores-2018 tem até espaço para “quarentões”. O atacante peruano Ysrael Zúñiga, do Melgar, já festejou seu 41º aniversário. O também peruano Leao Butrón, goleiro do Alianza Lima, e o arqueiro argentino Cristián Muñoz, do Universidad Concepción, estão com 40 anos.

Para se ter uma ideia de como a competição sul-americana é a “terra dos velhinhos”, é legal fazer uma comparação com Liga dos Campeões da Europa.

Nas últimas três temporadas, apenas um “quarentão” disputou a Champions: o goleiro ucraniano Oleksandr Shovkovsky, que foi a campo com 41 anos e 8 meses, em 2016, pelo Dínamo de Kiev contra o Napoli.

O recorde de jogador mais velho a participar da Libertadores pertence a um brasileiro e foi batido no ano passado. Zé Roberto jogou pelo Palmeiras contra o Barcelona de Guayaquil no dia do seu aniversário de 43 anos.

O lateral esquerdo se aposentou em dezembro, mas o brasileiro mais velho desta edição da Libertadores também é do Palmeiras: o goleiro Fernando Prass, de 39 anos e cinco meses.

Outros dois brasileiros aparecem no top 10 da idade da competição: o lateral direito Léo Moura, do Grêmio, com 39 anos e dois meses, o atacante Emerson, recém-contratado pelo Corinthians, que tem um mês a menos, e Juan, zagueiro do Flamengo que completa 39 anos em fevereiro.

OS 10 JOGADORES MAIS VELHOS DA LIBERTADORES-2018

1 – Ysrael Zúñiga (A, PER, Melgar) – 41 anos e 5 meses
2 – Leao Butrón (G, PER, Alianza Lima) – 40 anos e 10 meses
3 – Cristián Muñoz (G, ARG, Universidad Concepción) – 40 anos e 6 meses
4 – Pablo Escobar (A, BOL, The Strongest) – 39 anos e 7 meses
5 – Fernando Prass (G, BRA, Palmeiras) – 39 anos e 5 meses
6 – Róbinson Zapata (G, COL, Independiente Santa Fé) – 39 anos e 3 meses
7 – Léo Moura (LD, BRA, Grêmio) – 39 anos e 2 meses
Daniel Vaca (G, BOL, The Strongest) – 39 anos e 2 meses
9 – Emerson (A, BRA, Corinthians) – 39 anos e 1 mês
10 – Juan (Z, BRA, Flamengo) – 38 anos e 11 meses


Mais de Cidadãos do Mundo

Por que a Juventus pode ter de negociar com Kim para contratar reforço?
Por onde andam os jogadores campeões mundiais por rival do Brasil na Copa?
Na Arábia Saudita, até comemoração de gol é motivo para prisão
Sonho do Real Madrid, Kane alcança italiano e vira o artilheiro da Europa