Blog do Rafael Reis

“Terceiro atacante”, Paulinho finaliza como centroavante no Barcelona

Rafael Reis

Contratação mais contestada do Barcelona para a temporada 2017/18, Paulinho conquistou a torcida e a imprensa catalã ao mostrar dentro de campo que é mais do que um mero meio-campista.

O jogador de 29 anos, que estava “escondido” na China e custou 40 milhões de euros (R$ 157,4 milhões), tornou-se uma espécie de terceiro atacante no esquema do técnico Ernesto Valverde.

O brasileiro já balançou as redes seis vezes em 22 partidas pelo Barça e só fica atrás de Lionel Messi (19) e Luis Suárez (10) na tabela de artilheiros do clube na atual temporada.

O camisa 15 também é o terceiro jogador do elenco do time catalão que mais chuta a gol. De acordo com o “Who Scored?”, site especializado nas estatísticas do futebol, o ex-corintiano tem média de 1,4 finalização por partida.

Novamente, Paulinho só tem desempenho inferior ao dos integrantes da consagrada dupla de ataque culé. Messi finaliza em média 6,4 vezes por jogo e Suárez, 3,9.

Mas é uma outra estatística que melhor mostra que o titular da seleção brasileira é mais atacante que meio-campista no líder do Campeonato Espanhol.

Quase 86% de todas as finalizações de Paulinho nos jogos do Barcelona são feitas de dentro da área. E o mais impressionante: mais de 20% acontecem na pequena área, território quase que exclusivo dos centroavantes (e dos zagueiros durante as cobranças de escanteio).

Nem Messi, nem Suárez, homens que sempre atuaram no setor ofensivo, frequentam tanto as proximidades do gol adversário na hora de finalizar.

Apenas 60,9% dos chutes do craque argentino são dados de dentro da área (6,3% na pequena área). Já no caso do camisa 9 uruguaio, as finalizações na área adversária representam 79,5% do total (15,4% na pequena área).

A capacidade de Paulinho de deixar a linha de meio-campistas, onde normalmente é escalado, para se infiltrar no ataque e fazer companhia a Messi e Suárez virou uma válvula de escape para o jogo do Barcelona nesta temporada.

Isso porque a venda de Neymar para o Paris Saint-Germain e a grave contusão sofrida por Dembélé deixaram o time órfão de um terceiro atacante.

Valverde até tentou completar o trio ofensivo com Deulofeu ou Paco Alcácer, mas a estratégia não surtiu efeito. A solução então foi recorrer ao 4-4-2 e explorar o que Paulinho tem de melhor: a infiltração na área adversária.

O recurso não tem dado certo só para o brasileiro, que caiu nas graças do torcedor que tanto desconfiou da sua contratação, mas para a equipe toda.

O Barcelona lidera o Campeonato Espanhol, com 45 pontos conquistados dos 51 possíveis. A vantagem para o Atlético de Madri, segundo colocado, já é de nove pontos. Já o Real Madrid, seu rival mais tradicional, está 14 pontos atrás.

Nesta quinta-feira, o time disputa sua primeira partida em 2018. O adversário é o Celta, em Vigo, e o confronto vale pelas oitavas de final da Copa do Rei.

FINALIZAÇÕES DOS JOGADORES DE ATAQUE DO BARCELONA

Lionel Messi – 6,4 por jogo (60,9% dentro da área, 6,3% da pequena área)
Luis Suárez – 3,9 por jogo (79,5% dentro da área, 15,4% da pequena área)
Paulinho – 1,4 por jogo (85,7% dentro da área, 21,4% da pequena área)


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– Em campo no Réveillon, ex-Palmeiras diz que merece chance na seleção
– Mercado da Bola: 7 brasileiros que podem mudar de time na janela de janeiro
– Goleador brasileiro na Europa mal fala português e vai jogar na Inglaterra
– Há 10 anos, Kaká deu ao Brasil seu último título de melhor jogador do mundo