Blog do Rafael Reis

Lembra do Osio? 6 jogadores europeus que atuaram no futebol brasileiro

Rafael Reis

O futebol brasileiro nunca esteve tão aberto para jogadores estrangeiros. Só na primeira divisão nacional, são 65 atletas de outras cidadanias vestindo camisas como as de Flamengo, Palmeiras, Corinthians, São Paulo, Cruzeiro…

Só que a maioria deles vem dos mesmos poucos países de sempre: Argentina, Colômbia, Chile, Uruguai, Equador, Paraguai… enfim, da América do Sul.

Importar um jogador europeu ainda continua sendo uma espécie de tabu para os clubes brasileiros. Em 2017, apenas dois atletas nascidos na Europa disputam a Série A: o turco Colim Kazim-Richards (Corinthians) e o alemão Alexander Baumjohann (Coritiba).

Relembre abaixo seis europeus que cruzaram o Atlântico para defender clubes brasileiros nas últimas décadas.

DEJAN PETKOVIC
Sérvio
45 anos
Meia
Jogou por Vitória, Flamengo, Vasco, Fluminense, Goiás, Santos e Atlético-MG

Jogador europeu que mais sucesso fez no futebol brasileiro, o meia desembarcou por aqui em 1997, quando trocou o Real Madrid pelo Vitória (sim, é verdade). Ao longo de 22 anos, Petkovic se tornou ídolo de várias torcidas no Brasil e conquistou cinco títulos estaduais, além da Série A de 2009 (Flamengo). Apesar de ter sido um dos melhores cobradores de falta do planeta em sua geração, teve vida curta na seleção iugoslava e nunca disputou uma Copa do Mundo. Com residência fixada no Brasil, já trabalhou como técnico de Atlético-PR, Criciúma, Sampaio Corrêa e Vitória.

CLARENCE SEEDORF
Holandês
41 anos
Meia
Jogou pelo Botafogo

Quarto colocado na Copa do Mundo-1998 e semifinalista das Euros de 2000 e 2004 pela seleção holandesa, o ex-meia de Real Madrid, Inter de Milão e Milan deu seus últimos chutes como profissional vestindo a camisa do Botafogo. Seedorf defendeu o time do Rio de Janeiro entre 2012 e 2014 e conquistou o título estadual de 2013. Três anos atrás, já ídolo da torcida botafoguense, decidiu deixar o clube para se arriscar como treinador do Milan, uma experiência que não durou muito e nem deu grandes frutos.

MARCO OSIO
Italiano
51 anos
Meia
Jogou pelo Palmeiras

Pouco lembrado até mesmo pelo torcedor palmeirense, o ex-meia da Lazio teve uma passagem rápida pelo clube brasileiro no auge da era Parmalat e participou, como reserva, da conquista do Campeonato Paulista de 1996. Após retornar à Itália, Osio se arrastrou durante mais cinco temporadas por clubes pequenos locais e, desde 2001, trabalha como treinador de equipes de divisões inferiores do Calcio.

JOSÉ DOMINGUEZ
Português
43 anos
Meia-atacante
Jogou pelo Vasco

Companheiro de Luís Figo e Rui Costa em alguns poucos jogos da seleção portuguesa na década de 1990 (três, para ser mais exato), o meia-atacante de passagens por Sporting, Tottenham e Kaiserslautern foi anunciado com pompa pelo Vasco em 2005, mas pouco jogou no Brasil devido a uma contusão no joelho que o obrigou a abandonar a carreira. Após a aposentadoria, Dominguez virou treinador. Seu trabalho mais recente foi no Recreativo Huelva, da Espanha, em 2015.

FRAN MÉRIDA
Espanhol
27 anos
Meia
Jogou pelo Atlético-PR

Uma das grandes promessas da base do Arsenal e da seleção espanhola na década passada, o meia chegou a fazer parte da lista de desejos de Real Madrid e Milan, mas nunca conseguiu explodir. Em 2013, depois de fracassar em vários clubes, inclusive no Atlético de Madri, Fran Mérida veio parar no Atlético-PR. A passagem do espanhol por Curitiba, no entanto, esteve longe de merecer algum destaque. Atualmente, o meia defende o Osasuna, da segunda divisão da Espanha.

MARIUSZ PIEKARSKI
Polonês
42 anos
Meia
Jogou por Atlético-PR, Flamengo e Mogi Mirim

O meia desembarcou no futebol brasileiro em 1996, ao lado do volante Krzystof Nowak (morto em 2005), ambos contratados pelo Atlético-PR, e gostou tanto do país que permaneceu por aqui até 1998. Depois da aposentadoria, trabalhou como empresário e passou a levar jogadores brasileiros para a Polônia, como o lateral e meia Roger Guerreiro (ex-Corinthians). Piekarski não teve uma carreira das mais brilhantes na Europa e defendeu a seleção polonesa apenas duas vezes.


Mais de Cidadãos do Mundo

Tem até ex-Barça: 7 atletas acusados de envolvimento com tráfico de drogas
Parceria com Neymar funciona, e Cavani faz gols como nunca na carreira
Demolidor de brasileiros, ameaça ao Santos acumula gols, brigas e confusões
Estoniano lidera 1ª parcial da Chuteira de Ouro; Falcao e Cavani são top 10