Blog do Rafael Reis

7 crias do Fluminense que hoje brilham (ou não) no futebol do exterior

Rafael Reis

Por onde anda aquele garoto que brilhou nas categorias de base do meu time e logo foi vendido para o exterior? Será que ele virou um jogador importante por lá? Ou será que se tornou apenas mais um dentre tantos brasileiros espalhados pelo Mundo da Bola?

É para responder perguntas como essas que o “Blog do Rafael Reis” mostra desde julho os paradeiros das crias dos 12 maiores clubes do Brasil.

No sexto capítulo da série, localizamos sete jogadores formados no Fluminense, o clube brasileiro que se orgulha do seu centro de treinamento para jovens jogadores, localizado em Xerém. Na próxima quarta-feira, será a vez do Vasco.

MARCELO
Lateral esquerdo
29 anos
Real Madrid (ESP)

Segundo na linha sucessória dos capitães do clube mais vitorioso do mundo, Marcelo é titular da seleção brasileiro, acumula três títulos de Liga dos Campeões da Europa pelo Real Madrid e é um dos principais laterais esquerdos do planeta. Essa história de sucesso começou no Rio de Janeiro, quando tinha 14 anos e chegou às categorias de base do Fluminense. Aos 17, foi promovido para o time profissional e, menos de dois anos depois, negociado com o Real.

RAFAEL
Lateral direito
27 anos
Lyon (FRA)

Foi descoberto pelo Manchester United ainda na adolescência e, ao lado do irmão gêmeo, Fábio, mudou para a Inglaterra antes mesmo de estrear no time principal do Fluminense. Depois de sete temporadas defendendo os “Red Devils”, foi negociado em 2015 com o Lyon. Na última temporada, alternou-se entre a equipe titular e o banco do clube francês.

FÁBIO
Lateral esquerdo
27 anos
Middlesbrough (ING)

Assim como seu irmão gêmeo, não chegou a jogar pelo time profissional do Fluminense e nem conseguiu se firmar no Manchester United. Fábio permaneceu contratado do gigante inglês até 2014, quando foi liberado gratuitamente para o Cardiff. Rebaixado com o Middlesbrough na temporada passada, deve disputar a segunda divisão inglesa em 2017/18.

MARLON
Zagueiro
21 anos
Barcelona (ESP)

Mais uma revelação da base do Fluminense que foi para o exterior antes mesmo de estourar no futebol nacional. O zagueiro não chegou a jogar nem 80 partidas pelo clube que o revelou até ser emprestado ao Barcelona B no ano passado. Na Espanha, Marlon caiu nas graças de Luis Enrique, que o promoveu para o time principal. Mesmo com a saída do treinador, o clube catalão exerceu a cláusula de compra do jogador, que vai atuar ao lado de Messi e Suárez nesta temporada.

GERSON
Meia
20 anos
Roma (ITA)

Jogador badalado nas categorias de base do Fluminense, acabou negociado com a Roma por 16,6 milhões de euros (R$ 61,6 milhões) após um ano atuando no time principal, mas ainda continuou no Rio de Janeiro até o meio de 2016. Sua primeira temporada na Europa passou longe de empolgar. Gerson disputou 11 partidas com a equipe profissional e só balançou as redes quando reforçou o time primavera, uma espécie de elenco sub-20 do clube italiano.

KENEDY
Lateral esquerdo
21 anos
Chelsea (ING)

Contratado pelo Chelsea em 2015, rendeu 8 milhões de euros (quase R$ 30 milhões) ao Fluminense e teve uma primeira temporada com muitos minutos em campo na Inglaterra. Mas, após a chegada do técnico Antonio Conte, Kenedy perdeu espaço no atual campeão da Premier League e foi emprestado ao Watford. De volta ao Chelsea, foi cortado da pré-temporada do clube na Ásia após postar um vídeo em seu perfil no Instagram ridicularizando um segurança chinês.

SAMUEL
Atacante
26 anos
Hatta Club (EAU)

Peça importante na conquista do Campeonato Brasileiro de 2012, ano em que foi promovido ao time profissional, perdeu espaço no Fluminense e acabou acumulando uma série de empréstimo. Após rodar por Estados Unidos, Goiás, Pernambuco e pelo interior paulista, foi parar no Oriente Médio. Desde o ano passado, defende o Hatta Club, clube de pouca expressão que foi o décimo colocado no último campeonato nacional dos Emirados Árabes.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– ''Novo Ronaldinho'' enfrentou olhares e toques por ser negro no País da Copa
– Por sonho de melhor do mundo, Neymar ignora história de prêmio da Fifa
– 7 crias do Flamengo que hoje brilham (ou não) no futebol do exterior
– Infarto do pai mudou a história de sombra brasileira de Casillas