Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

Quarentões da Libertadores jogam na linha e são "donos" de times

Rafael Reis

2008-03-20T17:04:00

08/03/2017 04h00

Aqueles que ainda pensam que lugar de jogador veterano é no gol devem dar uma espiadinha na Libertadores-2017.

A competição interclubes mais importante da América do Sul, cuja fase de grupos teve início na última terça-feira, conta com três atletas inscritos que já entraram na casa dos 40 anos… e todos eles atuam na linha.

O mais velho deles é também o mais conhecido do torcedor brasileiro. Aos 42 anos e oito meses, Zé Roberto tentará alcançar com a camisa do Palmeiras um dos poucos títulos que faltam em sua carreira.

O veterano é titular absoluto do atual campeão brasileiro, seja atuando como lateral esquerdo ou no meio-campo, e, apesar de não carregar a braçadeira de capitão, é um dos líderes do elenco.

Apesar da longa carreira, Zé Roberto não disputou tantas Libertadores assim. Esta será apenas a quinta participação do veterano na competição. Na melhor delas, em 2007, chegou à semifinal com o Santos.

Remanescente da Copa do Mundo-1998, assim como o brasileiro, o argentino Juan Sebastián Verón, que completa 42 anos nesta quinta-feira, é outra das atrações da competição sul-americana nesta temporada.

O ex-volante de Manchester United, Chelsea e Inter de Milão encerrou uma aposentadoria de dois anos e meio para voltar a vestir a camisa do Estudiantes na Libertadores.

Verón não teve problemas para convencer o técnico Nelson Vivas a lhe dar uma nova oportunidade. Isso porque, desde outubro de 2014, o meio-campista é o presidente do clube de La Plata.

Ao contrário de Zé Roberto, o argentino já possui uma Libertadores no currículo. Em 2009, ele liderou o Estudiantes na campanha que encerrou um jejum de 39 anos sem o título continental, na decisão contra o Cruzeiro.

O terceiro "quarentão" do torneio continental é o menos conhecido de todos. Aos 40 anos e sete meses, o atacante Ysrael Zúñiga é capitão e ídolo do Melgar, time peruano que irá enfrentar River Plate, Emelec e Independiente Medellín na fase de grupos.

Profissional desde 1995, o atacante é um dos maiores artilheiros da história do futebol do Peru –tem 152 gols no campeonato nacional, mesma marca de Teófilo Cubillas, ídolo dos anos 1960, 1970 e 1980.

Zúñiga não é mais titular do Melgar, mas ainda faz seus golzinhos e já marcou duas vezes em 2017, ano que deve marcar sua despedida do futebol profissional.


Mais de Cidadãos do Mundo

Messi se isola na liderança da Chuteira de Ouro; CR7 entra no top 10
5 nomes para você e seu clube prestarem atenção na Libertadores
5 brasileiros, 5 argentinos: os 10 jogadores mais caros da Libertadores
Por onde andam os jogadores do Barcelona "campeão de tudo" em 2009?

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Mais Blog do Rafael Reis