Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

Vai ter briga: derrota do Barcelona no clássico faz bem para Champions

Rafael Reis

2003-04-20T16:06:00

03/04/2016 06h00

Mais do que a grande fase vivida por Casemiro, o bom trabalho de reconstrução de time feito por Zidane e a ressurreição de Bale, a vitória por 2 a 1 do Real Madrid sobre o Barcelona, sábado, no Camp Nou, pelo Campeonato Espanhol, mostrou que haverá sim uma disputa pelo título da Liga dos Campeões.

O primeiro bicampeonato europeu de um time desde as conquistas consecutivas do Milan em 1989 e 1990 não está tão nas mãos do Barça quanto torcedores e analistas admiradores do futebol de Messi, Neymar e Suárez imaginavam.

Não é nem o resultado do clássico que deixa essa lição. Mas, sim, a forma como ele foi construído.

Messi

O Real não só derrotou o Barcelona dentro do Camp Nou, como o fez com um jogador a menos, sendo prejudicado pela arbitragem, que anulou um gol legal de Bale, e dominando taticamente completamente o adversário.

Ou seja, mostrou ao mundo que é possível vencer a fera catalã. E não em um jogo atípico, armando uma retranca absurda, contando com a sorte ou com várias expulsões do adversário, mas sim o encarando de frente.

Também ensinou que, com muita inteligência, atenção e disciplina tática, dá para segurar o melhor ataque do planeta. O Real fez com que Messi e Neymar passassem despercebidos em campo. Suárez, o melhor do trio no sábado, foi só um pouco pior.

Antes da derrota no Camp Nou, o Barcelona havia balançado as redes com um dos seus três principais atacantes nas últimas 17 partidas (com exceção do empate por 1 a 1 contra o Valencia, pela Copa do Rei, quando nenhum deles jogou).

Evidentemente, o time catalão continua sendo uma das maiores potências do mundo e tem totais condições de repetir a conquista da Liga dos Campeões da temporada passada. Afinal, ninguém fica 39 partidas invicto à toa.

Mas Bayern de Munique, Benfica, Atlético de Madri, Wolfsburg, Manchester City, Paris Saint-Germain e o próprio Real Madrid, os outros times que começam nesta terça a definir os semifinalistas do torneio europeu, têm motivos para sorrir.

Eles descobriram algo que é óbvio, mas que não parecia ser tão evidente assim: que o Barcelona, por melhor que seja, não é invencível.


Mais de Opinião

– Já começou: se a Fifa não impedir, Qatar terá "seleção de aluguel" em 2022
Soberba brasileira na Libertadores não faz mais nenhum sentido
– Copa do Mundo com 40 seleções até faz sentido, mas não é uma boa
– Por que Cristiano Ronaldo anda tão irritado?

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Mais Blog do Rafael Reis