Topo
Blog do Rafael Reis

Blog do Rafael Reis

Torcedores: Abandonou a namorada no hotel e se mandou Argentina adentro

Rafael Reis

2014-02-20T16:07:40

14/02/2016 07h40

Você colocaria em risco seu namoro devido à paixão que sente por um time de futebol?

Pois foi isso que o programador Mário Rodrigues, 33, fez no ano passado para conseguir ver de perto pela primeira vez na vida o Racing (ARG).

Torcedor do tradicional time de Avellaneda e também do XV de Piracicaba, clube da cidade onde vive, ele viajou com a namorada para Buenos Aires em agosto para realizar o sonho de assistir a um jogo da sua equipe de coração.

Chegando lá, a decepção. A tabela do Campeonato Argentino que havia visto no Brasil estava errada.

O Racing não jogaria em casa contra o Arsenal de Sarandí, como ele imaginava. A partida daquele sábado seria contra o Unión Santa Fé, a quase 300 km da capital argentina.

E o que Mário fez? É melhor ele mesmo contar.

"Fui à Avellaneda comprar uns produtos oficiais do Racing. Cheguei lá e encontrei um cara chamado Marco, que começou a se interessar pelo XV. Fizemos amizade e ele me disse que ia de carro para Santa Fé para ver o jogo à paisana, já que não havia lugar para a torcida visitante."

Mario Rodrigues

"Aí, não teve erro. Deixei minha namorada no hotel e peguei a estrada de carona rumo ao interior da Argentina."

O torcedor do Racing jura que o relacionamento sobreviveu ao abandono em Buenos Aires. Mas reconhece que aquela viagem teve um preço.

"Tive que deixar uns 2 mil pesos [aproximadamente R$ 540, na cotação atual] para ela comprar uma bolsa de couro. Foi o que me custou aquele dia que deixei ela sozinha", diverte-se.

A história da paixão de Mário pelo Racing é curiosa. Ele próprio admite que começou a torcer primeiro para a torcida do clube argentino do que propriamente para o time de futebol que ela apoiava.

"Comecei a frequentar caravanas do XV em jogos fora de casa e passei a dar valor para as torcidas organizadas. Aí, comecei a procurar por festas de torcidas na internet. Quando me deparei com a Guarda Imperial [barra brava do Racing], fiquei apaixonado. De repente, percebi que estava acompanhando todos os jogos e torcendo demais por aquele clube."

A nova paixão fez Mário até mudar de ideia sobre um assunto que tanto lhe incomodava: o fato de alguém poder torcer para dois times ao mesmo tempo.

"Como eu só torcia para o time da minha cidade, criticava muito os mistos, aqueles que torciam para o XV e para uma equipe de São Paulo. Mas, agora, estou do outro lado da moeda. Parei de criticar e virei o criticado."

"Costumo brincar que o XV é minha esposa, mas o Racing é minha amante".

E a namorada, como sua própria história prova, fica de lado no meio desse embate de relacionamentos.


A seção "Torcedores" é publicada semanalmente e traz histórias de brasileiros que torcem para clubes de outros países. Se você é apaixonado por um time estrangeiro e quer ter seu caso publicado, escreva para rafaelmdosreis@gmail.com

Sobre o Autor

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

Sobre o Blog

Este espaço conta as histórias dos jogadores que fazem do futebol uma paixão mundial. Não só dos grandes astros, mas também dos operários normalmente desconhecidos pelo público.

Mais Blog do Rafael Reis