Blog do Rafael Reis

Arquivo : atletico de madri

Raio-X da semi: o que mudou em Real e Atlético desde a final da Champions?
Comentários Comente

Rafael Reis

Trezentos e trinta e nove dias depois de decidirem pela segunda vez em três anos o título da Liga dos Campeões da Europa, Real Madrid e Atlético de Madri voltam a se encontrar nesta terça-feira pela competição interclubes mais valiosa do planeta.

Mas o que está em jogo desta vez ainda não é o posto de campeão continental, conquistado nos pênaltis pelo Real em 2016, mas sim o direito de disputar a final no dia 3 de junho, em Cardiff, País de Gales.

Confira um raio-x do que mudou e do que permanece igual nos dois maiores clubes da capital espanhola em relação à decisão da Liga dos Campeões da temporada passada.

ESCALAÇÃO

Os 22 jogadores que foram titulares em San Siro, no ano passado, continuam nos elencos de Atlético e Real Madrid. Mas isso não significa que as equipes irão repetir as escalações da decisão nesta terça-feira. No caso do Atlético, o volante Augusto Fernández e o lateral direito Juanfran estão machucados e não têm condições de jogo. Além disso, o meia-atacante belga Yannick Ferreira-Carrasco, reserva em 2016, é hoje peça fundamental na equipe. Já o Real ainda tem o mesmo time base de 12 meses atrás. No entanto, dois dos titulares usuais do time, o zagueiro Pepe e o galês Gareth Bale, estão no departamento médico.

TÉCNICO

Continuam os mesmos de um ano atrás. Diego Simeone segue intocável à frente do Atleti, time que assumiu o comando em 2011 e transformou em um gigante europeu. Já Zidane, agora em sua segunda temporada à frente do Real, começou a deixar de ser visto como um ex-jogador de sucesso que dirige um dos maiores clubes do mundo para ser reconhecido como um treinador vitorioso, que mal estreou na carreira e já levantou uma Champions.

CAMPANHA EUROPEIA

Na edição anterior da Champions, o Real Madrid foi a equipe de melhor campanha da fase de grupos, com cinco vitórias e um empate. Já desta vez, o Atlético dividiu com o Barcelona o posto de time de mais sucesso da etapa de grupos (cada um somou 15 pontos). No geral, já contando os mata-matas, a campanha europeia atleticana em 2016/17 é ligeiramente superior a do Real: 7 vitórias, 2 empates e 1 derrota, contra 6 vitórias, 3 empates e 1 derrota (no tempo normal) do adversário.

TEMPORADA

Após conquistar o título europeu, o Real Madrid encorpou e ficou mais forte. Já o Atlético continua poderoso nos confrontos mais importantes, mas já não mantém mais uma regularidade de bons resultados. Enquanto o aproveitamento merengue subiu de 76,3% para 78,6% na atual temporada, o colchonero caiu de 70,7% para 67,9%. Isso fica claro na classificação do Espanhol. No ano passado, Atlético e Real disputaram o título ponto a ponto com o Barcelona. Desta vez, a briga está apenas entre Barça e os atuais campeões continentais –o Atleti luta pelo terceiro lugar com o Sevilla.

PODER DE FOGO

A maior diferença do Atleti da temporada passada para atual está na parte ofensiva. A equipe colchonera, que era conhecida pela dificuldade em balançar as redes, principalmente quando precisava tomar a iniciativa do jogo, aprendeu nos últimos meses a atacar mais e melhor. Com isso sua média de gols subiu de 1,56 para 1,81 por partida. O Real também melhor seu poderio de fogo, que já era alto: na atual temporada, marca em média 2,86 gols por jogo, contra 2,71 da anterior.

DEPENDÊNCIA

Griezmann e Cristiano Ronaldo ainda são os grandes jogadores de Atlético e Real, respectivamente. No entanto, os semifinalistas da Champions já não são mais tão dependentes dos seus camisas 7 quanto eram um ano atrás. Entre gols e assistências, Griezmann participou ativamente de 36,3% dos gols do Atleti na atual temporada, contra 43,8% de participação em 2015/16. No caso do Real, a queda foi muito mais impressionante. A participação de CR7 nos gols do campeão europeu despencou de 46,8% para 29,1%.

DEFESA

As duas equipes reduziram a eficiência defensiva nos últimos meses. No caso do Real, a retaguarda piorou demais. Não à toa, o time, que sofreu em média 0,73 gol por jogo na temporada passada, agora vê seus adversários balançarem a rede 1,26 vez por partida. Tradicional ponto alto do trabalho de Simeone, a defesa do Atleti também piorou, mas nem tanto quanto a do rival. Sua média de gols recebidos subiu de 0,54 para 0,75 por apresentação.


Mais de Clubes

– Ex-Corinthians, Zizao agora é líder do Chinês… e com um time “pobre”
– Por que gigantes europeus, como o Dortmund, tem ações na Bolsa?
– Fim das retrancas: Europa vê a maior “chuva de gols” dos últimos 39 anos
– Quem foi Jorge Wilstermann, que dá nome a rival do Palmeiras nesta quarta?


Mais goleador que Neymar, turco do Barça teve gripe suína e doença cardíaca
Comentários Comente

Rafael Reis

Provável substituto de Neymar na escalação do Barcelona nesta terça-feira, contra o Atlético de Madri, na partida de volta das semifinais da Copa do Rei, Arda Turan, 30, já passou por diversos apuros de saúde ao longo da vida.

O meia-atacante turco já sofreu um colapso cardíaco, teve gripe suína e escapou ileso de um grave acidente automobilístico.

Turan

O primeiro problema que poderia ter custado sua vida foi detectado nove anos atrás, quando ele ainda defendia o Galatasaray.

Durante uma partida contra o Istambul Basaksehir, pelo Campeonato Turco, Turan passou mal e precisou ser levado para o hospital. O diagnóstico foi uma arritmia cardíaca, uma disfunção na velocidade ou ritmo dos batimentos do coração que pode levar à morte.

No ano seguinte, o turco enfrentou mais um grave problema de saúde. Ele foi contaminado na pandemia do vírus H1N1, chamado popularmente “gripe suína” e que na época provocava um pânico de proporções globais.

Turan se recuperou rapidamente da doença. Como contraiu o vírus durante uma Data Fifa, não chegou a desfalcar o Galatarasaray em uma única partida.

Ainda em 2009, dois anos antes de trocar o futebol turco pelo Atlético de Madri e começar a construir sua fama internacional, o meia-atacante teve o terceiro momento que poderia ter abreviado sua vida.

O hoje camisa 7 do Barcelona se envolveu em um grave acidente de carro ao dirigir em alta velocidade pelas ruas de Istambul. O automóvel, uma de suas paixões, ficou destruído, mas o jogador nada sofreu.

Apesar de ser reserva do clube catalão desde sua contratação, em julho de 2015, Turan é o terceiro principal artilheiro do Barça na temporada. O turco já marcou 13 gols em 2016/17, menos apenas que Messi (31) e Suárez (22).

Neymar, a quem ele deve substituir na partida de hoje, só marcou nove vezes desde as férias do meio do ano passado. O brasileiro não enfrenta o Atlético porque recebeu seu terceiro cartão amarelo no confronto de ida, na semana passada.

Após vencer por 2 a 1 em Madri, o Barcelona pode até ser derrotado por 1 a 0 no Camp Nou que será um dos finalistas da Copa do Rei. Caso o Atlético vença por 2 a 1, a decisão da vaga irá para a prorrogação.


Mais de Cidadãos do Mundo

Pago pela Coca e erro de cartório: 6 histórias de Kazim, o turco corintiano
Suárez e zebra holandesa alcançam Auba e dividem ponta da Chuteira de Ouro
Como um jogador chinês “meia boca” fez história por custar R$ 68 milhões
Abuso sexual, álcool e agressão: conheça o bad boy da Copa Africana

 


Craque da Euro e inquebrável: 5 razões para Griezmann ser o melhor do mundo
Comentários Comente

Rafael Reis

Único estreante entre os finalistas do prêmio de melhor jogador do mundo, o atacante francês Antoine Griezmann, 25, teve um 2016 inesquecível.

O camisa 7 do Atlético de Madri foi vice-campeão europeu (Liga dos Campeões) tanto por seu clube, quanto pela seleção (Eurocopa).

Mas o sucesso ainda não deve ser suficiente para lhe dar o posto de maior craque do futebol mundial. O francês entra como azarão na disputa com Cristiano Ronaldo e Lionel Messi pelo prêmio da Fifa, cujo vencedor será anunciado na próxima segunda-feira, em Zurique (SUI).

Mas, acredite, há sim motivos para apontar Griezmann como o melhor jogador de 2016. Conheça abaixo alguns deles:

REI DOS PRÊMIOS INDIVIDUAIS
Griezmann
Quem disse que Griezmann não ganhou nada em 2016? O camisa 7 pode até não ter levantado nenhum troféu com o Atlético de Madri e nem com a seleção francesa, mas foi o rei dos prêmios individuais. O atacante foi eleito o melhor jogador de duas das três grandes competições que disputou ao longo do ano: Eurocopa e Campeonato Espanhol. Definitivamente, não é pouco.

GOL VALE MAIS
Griezmann marcou 37 gols em 2016, bem menos que os 59 de Messi e os 55 de Cristiano Ronaldo. Mas, enquanto o argentino e o português atuam em times que são verdadeiras máquinas de fazer gol, o francês joga no Atlético de Madri, uma equipe cujo ponto forte está na defesa e que cria muito menos oportunidades de gol que as outras grandes da Espanha. Por isso, dá para considerar que os gols de Griezmann têm peso maior que os dos rivais de prêmio.

CURVA ASCENDENTE
Enquanto Messi e Cristiano Ronaldo estão estabelecidos no topo do futebol mundial há mais de meia década e já não mostram mais um crescimento de desempenho, Griezmann vem melhorando temporada após temporada. Prova disso é que o atacante francês não ficou nem entre os 23 indicados que poderiam ser votados no prêmio de melhor do mundo de 2015 e, agora, é um dos finalistas.

INQUEBRÁVEL
Griezmann
Griezmann disputou incríveis 68 partidas em 2016 e só desfalcou o Atlético de Madri em uma rodada do Campeonato Espanhol e em jogos das fases preliminares da Copa do Rei, quando são mesmo escalados times mistos. Mais velhos, Messi e Cristiano Ronaldo enfrentaram problemas físicos e ganharam mais descansos. O argentino atuou em 62 jogos e o português, em 57.

SEM REJEIÇÃO
Os seguidos anos de disputa entre Cristiano Ronaldo e Messi pelo protagonismo do futebol mundial provocaram uma rivalidade enorme entre eles. Há muitos fãs do português que detestam o argentino e vice-versa. Griezmann é uma terceira via no meio dessa briga. Não tem tantos fãs quanto a dupla, mas também não sofre com a rejeição de ninguém.


Mais do Melhor do Mundo

CR7 chorava quando perdia e respondia provocações com pedradas, conta amigo
Messi já recebeu algum cartão vermelho?
Pênalti é gol? Griezmann não acertou nem metade das cobranças na carreira


Pênalti é gol? Griezmann não acertou nem metade das cobranças na carreira
Comentários Comente

Rafael Reis

Antoine Griezmann é um dos três finalistas ao prêmio de melhor jogador do mundo em 2016. No entanto, é melhor não requisitá-lo para a cobrança de um pênalti importante.

É que o camisa 7 do Atlético de Madri, apesar de ser um dos atacantes mais letais e temidos da atualidade, está longe de ser um exímio batedor de pênaltis. Muito pelo contrário.

Griezmann

Ao longo de toda sua carreira como profissional, o francês de 25 anos mais desperdiçou do que acertou penalidades.

Desde que foi promovido para o time principal da Real Sociedad, em 2009, Griezmann cobrou oito pênaltis no tempo normal de partidas oficiais, mas só converteu três.

Sua taxa de acerto chega a ser ridícula: 37,5%. Só como comparação: Messi e Cristiano Ronaldo, seus adversários no prêmio da Fifa, costumam acertar mais de 78% dos pênaltis que se dispõem a cobrar.

A dificuldade do astro francês em transformar tiros livres diretos de 11 m em gols já prejudicou seriamente o Atlético de Madri.

No segundo tempo da decisão da última edição da Liga dos Campeões da Europa, Griezmann mandou uma cobrança no travessão –o clássico contra o Real Madrid terminou empatado no tempo normal, e a equipe de Cristiano Ronaldo levou a melhor nos penais, apesar de o francês, aí sim, ter acertado seu pênalti.

Na atual temporada, o desempenho do camisa 7 nos pênaltis tem sido ainda pior.

Griezmann errou as duas cobranças que tentou: contra o Bayern de Munique, de Manuel Neuer, em setembro, pela Champions, e ante o Valencia, do brasileiro Diego Alves, em outubro, no Espanhol.

Graças ao desempenho ruim do francês, o Atlético de Madri não tem mais hoje um cobrador oficial de pênaltis e faz um revezamento de batedores. Além de sua principal estrela, Gabi, Fernando Torres, Kévin Gameiro e Saúl Ñíguez já efetuaram cobranças nesta temporada.

O resultado da eleição da Fifa para melhor jogador do mundo em 2016 será anunciado na próxima segunda-feira, em Zurique (Suíça), cidade-sede da entidade. Cristiano Ronaldo, que já levou a Bola de Ouro da revista “France Football” é o favorito. Griezmann e Messi correm por fora.


Mais de Cidadãos do Mundo

Ano de despedidas: 6 jogadores que se aposentaram do futebol em 2016
Messi supera Cristiano Ronaldo e é o artilheiro de 2016
Futebol italiano emplaca 3 no top 10 da Chuteira de Ouro; Aubameyang lidera
Afinal, quem é a mãe do filho de Cristiano Ronaldo?


Cor de gramados gera desavença e faz clubes do Espanhol levarem bronca
Comentários Comente

Rafael Reis

A cor dos gramados dos estádios que recebem jogos da primeira divisão do Campeonato Espanhol se tornou um motivo de desavença entre os clubes e a entidade que organiza a competição.

Os times espanhóis, entre eles Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madri, foram repreendidos pela La Liga por não conseguirem deixar seus campos de jogo suficientemente verdes, ao gosto das redes de TV.

Camp Nou

A bronca foi dada pelo diretor de marketing da liga espanhola, Adolfo Bara, que revelou durante o a convenção mundial da Soccerex, nesta semana, em Manchester que a obrigatoriedade de manter os campos de futebol bem verdinhos faz parte das cobranças que a entidade faz a seus filiados.

“Quando você assiste a um jogo da Liga, a luz às vezes está boa, outras vezes, não. O gramado às vezes está verde, outras vezes está amarelo. Não há consistência”, afirmou o dirigente.

“Agora em setembro mesmo, a grama estava amarela em alguns estádios. Estamos conversando com os clubes para termos certeza de que isso irá mudar e que eles irão exibir gramas em um verde intenso.”

A cobrança por gramados mais verdes é apenas uma das medidas da Liga para tentar tornar um produto de marketing mais valioso e agradável para a televisão.

A entidade também orienta os clubes a melhorar a iluminação das placas de publicidade, pintar os estádios para evitar uma imagem de degradação e concentrar torcedores nas áreas filmadas pelas câmeras (para que a TV não exiba imagens de espaços vazios nas arquibancadas).

Os clubes que desrespeitarem essas orientações podem inclusive ser multados pela Liga.

A rigidez da entidade visa é uma tentativa do Espanhol de se aproximar da Premier League inglesa, competição que serve como modelo de gestão e marketing esportivo para o mundo do futebol.

Apesar de contar com os dois melhores jogadores do mundo (Messi e Cristiano Ronaldo) e ter vencido as três últimas edições da Liga dos Campeões da Europa, o futebol espanhol gera menos dinheiro que o Inglês.

Isso fica claro, por exemplo, nos valores dos contratos de TV das duas ligas. O Espanhol é o segundo campeonato nacional que mais fatura com os direitos de transmissões, com 1,6 bilhão de euros (R$ 5,8 bilhões) por ano. Só que o acordo da Premier League inglesa distribui aos clubes por temporada algo em torno de 2,3 bilhões de euros (R$ 8,3 bilhões).


Mais de Clubes

– Naming rights de time? Acredite: líder do Turco vendeu seu próprio nome
– Até casa de apostas é dona de time na 1ª divisão da Inglaterra
– Barcelona irá montar time de futebol feminino nos EUA
– Cabeça de touro e boicote: caçula da Alemanha é alvo de ódio de adversários


Guia do Campeonato Espanhol: reforços, estrelas, favoritos e brasileiros
Comentários Comente

Rafael Reis

Nome oficial: La Liga
Período de disputa: 19/08/2016 a 21/05/2017
Rodadas: 38
Atual campeão: Barcelona (24 títulos)
Maior campeão: Real Madrid (32 títulos)
Promovidos:  Alavés, Leganés e Osasuna
Rebaixados: Getafe, Levante e Rayo Vallecano
NA TV: ESPN e Fox Sports dividem a transmissão do campeonato


O FAVORITO
Barcelona
Messi
A quantidade de talento que o Barcelona possui, sobretudo no setor ofensivo, com o trio Messi, Suárez e Neymar, faz com que o time espanhol seja praticamente imune a equipes mais fracas, mesmo que às vezes sofra em confrontos diretos com os adversários de primeiro escalão. Em um campeonato de pontos corridos, não perder pontos bobos é a chave para o título, que mais uma vez deve ir para a Catalunha.

A ZEBRA
Sevilla
Sampaoli
Campeão das três últimas edições da Liga Europa, o clube perdeu o técnico Unai Emery para o PSG. O que seria em tese uma grande perda acabou virando uma grande tacada do Sevilla, que fechou com o badalado Jorge Sampaoli para a função. Acompanhar o trabalho do ex-treinador do Chile, em sua primeira passagem por uma liga nacional do Velho Continente, será um dos atrativos da temporada.

O CRAQUE
Cristiano Ronaldo
Cristiano Ronaldo
A maré nunca esteve tão positiva para CR7 em seu já tradicional duelo particular com Lionel Messi. Cristiano Ronaldo ganhou a Liga dos Campeões, faturou a Eurocopa, seu primeiro título com a seleção portuguesa, e tem tudo encaminhado para voltar a ser eleito o melhor jogador do mundo. Só falta fazer o Real Madrid conquistar o título espanhol, o que não aconteceu nas últimas quatro temporadas.

A CARA NOVA
Ganso
Ganso
Para o futebol mundial, a chegada de Paulo Henrique Ganso ao Sevilla não representa nada. Mas, para o torcedor brasileiro, é uma das grandes histórias da temporada. Há tempos, temos a curiosidade de saber se o futebol de passes refinados, mas baixa intensidade e muita oscilação do antigo meia de Santos e São Paulo, funcionaria na Europa. Agora, chegou a hora de descobrir.


QUEM MAIS GASTOU EM REFORÇOS

1º – Atlético de Madri – 81 milhões de euros
2º – Barcelona – 79,8 milhões de euros
3º – Sevilla – 61,2 milhões de euros
4º – Villarreal – 52,3 milhões de euros
5º – Real Madrid – 30 milhões de euros


AS CONTRATAÇÕES MAIS CARAS

1º – André Gomes (M, POR, Barcelona) – 35 milhões de euros
2º – Kévin Gameiro (A, FRA, Atlético de Madri) – 32 milhões de euros
3º – Álvaro Morata (A, ESP, Real Madrid) – 30 milhões de euros
4º – Nico Gaitán (MA, ARG, Atlético de Madri) – 25 milhões de euros
Samuel Umtiti (Z, CAM, Barcelona) – 25 milhões de euros
6º – Lucas Digne (LE, FRA, Barcelona) – 16,5 milhões de euros
7º – Sime Vrsaljko (LD, CRO, Atlético de Madri) – 16 milhões de euros
8º – Franco Vázquez (MA, ITA, Sevilla) – 15 milhões de euros
9º – Roberto Soriano (M, ITA, Villarreal) – 14,1 milhões de euros
10º – Joaquín Correa (MA, ARG, Sevilla) – 13,5 milhões de euros


SELEÇÃO DOS MAIS VALIOSOS DO CAMPEONATO*

G – Jan Oblak (ESL, Atlético de Madri) – 35 milhões de euros
LD – Daniel Carvajal (ESP, Real Madrid) – 25 milhões de euros
Z – Diego Godín (URU, Atlético de Madri) – 40 milhões de euros
Z – Sergio Ramos (ESP, Real Madrid) – 40 milhões de euros
LE – Jordi Alba (ESP, Barcelona) – 35 milhões de euros
M – Sergio Busquets (ESP, Barcelona) – 60 milhões de euros
M – Koke (ESP, Atlético de Madri) – 60 milhões de euros
MOC – Antoine Griezmann (FRA, Atlético de Madri) – 80 milhões de euros
AD – Lionel Messi (ARG, Barcelona) – 120 milhões de euros
A – Luis Suárez (URU, Barcelona) – 90 milhões
AE – Cristiano Ronaldo (POR, Real Madrid) – 110 milhões de euros

*valores de mercado de acordo com o site Transfermarkt


ESTRANGEIROS

203 jogadores (42,1% do total)

30 argentinos
25 brasileiros
22 franceses
17 portugueses
9 uruguaios


BRASILEIROS

São 25, além de três naturalizados que possuem dupla cidadania: Rodrigo (Valencia), Pepe (Real Madrid) e Celso Borges (La Coruña)

Barcelona: Neymar, Rafinha e Douglas
Real Madrid: Marcelo, Casemiro, Danilo e Lucas Silva
Atlético de Madri: Filipe Luís
Sevilla: Ganso e Mariano
La Coruña: Sidnei e Guilherme
Villarreal: Alexandre Pato
Valência: Aderlan Santos, Diego Alves e Guilherme Siqueira
Betis: Petros
Espanyol: Léo Baptistão
Alavés: Deyverson
Granada: Gabriel Silva
Real Sociedade: Willian José
Leganés: Gabriel
Málaga: Weligton
Las Palmas: Michel


Leia Mais de Campeonatos

– Guia do Campeonato Italiano: reforços, estrelas, favoritos e brasileiros
– Guia do Campeonato Inglês: reforços, estrelas, favoritos e brasileiros
– Guia do futebol na TV: saiba onde assistir a cada campeonato internacional
– Mercado da Bola Internacional: quem chega e sai nos grandes europeus
– Quem serão os campeões de 2016/17? Participe do “Bolão do Futebol Europeu”


Atlético de Madri mira grandes reforços para não perder Simeone e astros
Comentários Comente

Rafael Reis

Vice-campeão europeu pela segunda vez nos últimos três anos, o Atlético de Madri tem objetivos bastante ousados na janela de transferências visando a próxima temporada.

Os colchoneros querem se reforçar com jogadores de primeiro escalão para convencer o elenco atual de que é possível conquistar títulos importantes mesmo permanecendo no clube.

Saiba quem chega e sai nos grandes clubes da Europa para a próxima temporada

O técnico Diego Simeone, alma da reconstrução do Atlético iniciada quase cinco anos atrás, é um desses que precisa de um incentivo para ficar.

O argentino admitiu após a derrota nos pênaltis para o Real Madrid, sábado, na decisão da Champions, que talvez seja hora de mudar de ares e já recebeu uma sondagem da Inter de Milão.

O zagueiro Diego Godín, os meias Koke, Saúl Ñíguez e Yannick Carrasco e principalmente o atacante Antoine Griezmann são alguns dos jogadores do Atlético desejados pelas maiores potências do planeta e que correm risco de sair se o clube não montar um time ainda mais competitivo na próxima temporada.

Até o momento, os espanhóis contrataram apenas o meia-atacante Diogo Jota, 19, revelação do Paços Ferreira, que marcou 12 gols no último Campeonato Português.

Os outros alvos são muito mais pesados. Confira:

ATACANTE MATADOR
Diego Costa
Para não correr risco de perder Simeone, a diretoria do Atlético quer realizar o maior sonho do treinador e trazer de volta para o clube Diego Costa. Há duas temporadas no Chelsea, o centroavante nunca escondeu que não se sente tão em casa em Londres quanto quando vestia a camisa colchonera. A proposta pelo brasileiro naturalizado espanhol pode chegar a 42 milhões de euros (R$ 168 milhões). O segundo alvo do time de Madri para o posto não fica atrás no quesito ousadia: o uruguaio Edison Cavani, uma das principais estrelas do milionário PSG. Há ainda a intenção de renovar o contrato de Fernando Torres.

MEIAS ARGENTINOS

De acordo com as imprensas espanhola e portuguesa, o Atlético está prestes a anunciar a contratação de Nico Gaitán, camisa 10 e melhor jogador do Benfica nas últimas temporadas. O jogador, inclusive, já se despediu do time português. Outro meia argentino que interessa a Simeone é Roberto Pereyra, que perdeu espaço na Juventus na última temporada e busca novos ares.

RETORNOS

O Atlético ainda terá a volta de vários jogadores emprestados para completar seu elenco para a próxima temporada. A defesa contará com os retornos do lateral direito Javi Manquillo (Olympique de Marselha) e do zagueiro uruguaio Emiliano Velázquez (Getafe). Já no ataque, a principal velha novidade será o atacante Léo Baptistão (Villarreal). Resta saber se Simeone ou o novo treinador optará por utilizá-los.


Mais de Clubes

– Saiba quem o Real quer contratar para defender título da Champions
– Leicester cabeça de chave e Guardiola a perigo: conheça a Champions 2016/17
– Como um técnico “alemão” e refugos criaram o melhor time da Libertadores
– Dinheiro chinês e filial na Índia: 5 curiosidades do Atlético de Madri


10 nomes provam que não é preciso ser craque para jogar no Real ou Atlético
Comentários Comente

Rafael Reis

Quem vê Cristiano Ronaldo, Bale e Toni Kroos de um lado, e Griezmann, Koke e Godín do outro, pode até chegar a pensar: “nossa, mas o Atlético de Madri e o Real Madrid só têm craques”.

Mas, apesar dos times fortíssimos que exibem na temporada 2015/16, os finalistas da Liga dos Campeões da Europa também já tiveram dedo podre na hora de escolher jogadores para reforçar seus elencos.

Por isso, listamos abaixo dez caras que estão longe do rótulo de craque, mas que já vestiram a camisa dos maiores clubes da capital espanhola: cinco do Real e mais cinco do Atlético.

CARLOS DIOGO
Lateral direito
Uruguaio
Jogou no Real entre 2005 e 2006
Carlos Diogo
Chegou ao Real por indicação do técnico Vanderlei Luxemburgo, que então dirigia o clube espanhol. De recursos técnicos limitados, disputou míseras 19 partidas pelo time merengue e recebeu quatro cartões amarelos. Ficou mais conhecido quando, atuando pelo Zaragoza, saiu no braço dentro de campo com Luís Fabiano. Aos 32 anos, ainda não está oficialmente aposentado, mas não arranja emprego desde janeiro de 2015.

CATA DÍAZ
Zagueiro
Argentino
Jogou no Atlético entre 2012 e 2013

Certamente não foi pensando no primor técnico que Diego Simeone pediu a contratação do compatriota, então um jogador do Getafe, em 2012. O zagueiro argentino sempre foi bastante tosco com a bola nos pés e um perigo para as canelas e tornozelos dos adversários. Ele passou só uma temporada no Atleti e ficou a maior parte do tempo no banco de Miranda e Godín, esses sim defensores de primeiro escalão. Díaz continua dando seus carrinhos e pontapés no Boca Juniors.

JULIEN FAUBERT
Lateral direito
Martinicano
Jogou no Real em 2009

Ninguém entendeu nada quando o Real Madrid acertou o empréstimo por seis meses do lateral do West Ham. Jogador de pouco brilho mesmo em times menores, ele ficou marcado na Espanha por dois episódios pitorescos: faltou a um treino por achar que se tratava de um dia de folga e foi flagrado tirando um cochilo no banco de reservas durante uma partida contra o Villarreal. Na última temporada, defendeu por três meses o Kilmarnock, penúltimo colocado do Campeonato Escocês.

CLÉBER SANTANA
Meia
Brasileiro
Jogou no Atlético entre 2007 e 2010
Muita gente não lembra, mas o capitão da Chapecoense já vestiu a camisa colchonera. Cléber Santana foi para a Espanha depois de se destacar no Santos em um negócio caro para os padrões da época (6 milhões de euros), mas não conseguiu se firmar no Atlético e acabou emprestado ao Mallorca, onde jogou bem. Em 2010, retornou ao Brasil para defender o São Paulo.

PABLO GARCÍA
Volante
Uruguaio
Jogou no Real entre 2005 e 2006

Outra indicação mal sucedida de Vanderlei Luxemburgo no Real, o volante foi bancado como titular pelo brasileiro no início da temporada 2005/06. De qualidade duvidosa, perdeu espaço no clube depois da demissão de Luxa e começou a ser emprestado para equipes menores. Jogou até 2014 e se aposentou defendendo o Skoda Xanthi, da Grécia.

FLORENT SINAMA-PONGOLLE
Atacante
Francês
Jogou no Atlético entre 2008 e 2010

Artilheiro e eleito o melhor jogador do Mundial sub-17 de 2001, parecia que seria um dos grandes atacantes do início do século 21. Mas só parecia. Chegou ao Atlético depois de decepcionar no Liverpool e se recuperar no Recreativo Huelva. Mas as duas temporadas na capital espanhola provaram que o francês não era mesmo tudo isso. Acabou de ser rebaixado para a segunda divisão escocesa com o Dundee United.

ROYSTON DRENTHE
Meia
Holandês
Jogou no Real entre 2007 e 2010

Chegou ao Real Madrid credenciado por ter sido o melhor jogador da Eurocopa sub-21 de 2007 e apontado como um fenômeno do Feyenoord. Mas ninguém na Espanha conseguiu ver esse talento todo que Drenthe parecia ter. O resto do mundo também não, já que, desde que deixou o clube merengue, sua carreira só decai. Atualmente, joga no Baniyas, dos Emirados Árabes.

FRAN MÉRIDA
Meia
Espanhol
Jogou no Atlético entre 2010 e 2012

Camisa 10 da Espanha em todas as seleções de base, era visto como um dos futuros astros do futebol mundial. Mas, sua carreira, simplesmente não vingou. Chegou ao Atlético depois de ser liberado pelo Arsenal, clube onde se profissionalizou, e não convenceu Diego Simeone. Há três anos, tentou a sorte no futebol brasileiro e assinou com o Atlético-PR. Também não deixou saudades em Curitiba.

THOMAS GRAVESEN
Volante
Dinamarquês
Jogou no Real entre 2005 e 2006
Gravesen
Mais um dos “craques” que Luxemburgo teve o prazer de dirigir no Real Madrid. Não era necessariamente ruim de bola, mas o físico digno de lutador de MMA assustava, assim como a falta de noção em muitos lances. Sua passagem pela Espanha ficou eternizada pela não muito justa briga que teve com Robinho durante um treino. Sim, os dois saíram no braço. A carreira do dinamarquês terminou pouco depois, em 2008, quando ele atuava no escocês Celtic.

GERMÁN BURGOS
Goleiro
Argentino
Jogou no Atlético entre 2001 e 2006

O atual auxiliar e braço direito de Diego Simeone era goleiro… e dos ruins. Apesar de ter ficado no Atlético por cinco temporadas, dos 38 jogos pela seleção argentina e das duas Copas do Mundo que disputou (1998 e 2002), Burgos nunca foi dos arqueiros mais confiáveis. Uma de suas deficiências mais conhecidas era a dificuldade em agarrar a bola. Quando conseguia fazer a defesa, o ex-goleiro normalmente dava rebote. Um mão de pau legítimo, como diz a gíria do futebol.


Mais de Cidadãos do Mundo

Fã de brasileiro e cueca do Bob Esponja: 10 curiosidades sobre Griezmann
Simeone artilheiro e Zidane goleiro? Técnicos ensinaram “mal” seus filhos
Os 7 jogadores mais desejados da janela de transferências da Europa
Jogador gay mais famoso do mundo encontrou aceitação em ex-time de Beckham


Herói dois anos atrás, capitão é recordista de expulsões pelo Real
Comentários Comente

Rafael Reis

Autor do gol aos 48 min do segundo tempo que impediu o título do Atlético de Madri e levou a decisão da Liga dos Campeões da Europa de dois anos atrás para a prorrogação, Sergio Ramos, 30, é um dos melhores zagueiros do mundo. E também está entre os mais violentos.

O capitão e herói da última conquista continental do Real Madrid é o recordista de expulsões na história do clube da capital espanhola.

Jogador do Real desde agosto de 2005, o zagueiro já acumula 21 cartões vermelhos. Ou seja, é tirado de campo pelos árbitros em média duas vezes por temporada.

Sergio Ramos

O recordista anterior, o ex-zagueiro e volante Fernando Hierro, passou 14 anos no clube e foi expulso “somente” 12 vezes.

Só no Campeonato Espanhol, Sergio Ramos tem 16 expulsões. Está a duas de igualar as marcas históricas de Pablo Alfaro, ex-Barcelona e Atlético de Madri, conhecido como “O Carniceiro”, e Xavi Aguado, ex-Zaragoza.

Na atual temporada, o camisa 4 do Real já atingiu sua cota de dois cartões vermelhos anuais.

Ele foi expulso pela primeira vez na 29ª rodada do Espanhol, após levar dois amarelos contra o Las Palmas, cumpriu suspensão de uma partida e retornou ao time acumulando mais uma expulsão (vitória por 2 a 1 sobre o Barcelona).

O curioso é que o recordista de expulsões da história do Real jamais foi excluído de uma partida de seleção. E olha que Sergio Ramos já fez 131 partidas e participou de três Copas do Mundo pela Espanha.

Outro dado curioso é que o capitão é somente o quarto jogador do time com mais faltas na Liga dos Campeões. Ele cometeu nove infrações, contra 22 de Casemiro, 13 de Carvajal e 12 de Cristiano Ronaldo.

Sergio Ramos não é expulso em um jogo da Liga dos Campeões desde a goleada por 4 a 1 sobre o Galatasaray, na fase de grupos da temporada 2013/14, quando recebeu o vermelho ainda aos 26 min do primeiro tempo.

Na atual temporada, levou apenas dois amarelos, contra Paris Saint-Germain, pela fase de grupos, e na partida de ida das oitavas de final ante a Roma.

No outro finalista deste sábado, o Atlético de Madri, o recordista de faltas é o volante Gabri (19), seguido por Saúl Ñíguez (15), Fernando Torres (14) e Koke (12).


Mais de Cidadãos do Mundo

Simeone artilheiro e Zidane goleiro? Técnicos ensinaram “mal” seus filhos
Os 7 jogadores mais desejados da janela de transferências da Europa
Jogador gay mais famoso do mundo encontrou aceitação em ex-time de Beckham
7 destaques da Libertadores que podem pintar no seu time no 2º semestre

 


Fã de brasileiro e cueca do Bob Esponja: 10 curiosidades sobre Griezmann
Comentários Comente

Rafael Reis


Autor de 32 gols na temporada e três na fase final da Liga dos Campeões, o francês Antoine Griezmann, 25, é a principal esperança ofensiva do Atlético de Madri para vencer a decisão de sábado contra o Real Madrid e conquistar pela primeira vez o título europeu.

Contratado há dois anos da Real Sociedad, o jogador se tornou nas mãos de Diego Simeone um dos melhores atacantes do planeta e, de acordo com projeções do site “Transfermarkt”, já vale o dobro dos 30 milhões de euros (R$ 119 milhões, na cotação atual) pagos em 2014.

Griezmann

Veloz, habilidoso e técnico, Griezmann é também uma das esperanças da seleção francesa que disputará em casa no próximo mês a Eurocopa-2016 e sonha com o primeiro título desde a aposentadoria de Zinedine Zidane, curiosamente o treinador do adversário do atacante na final da Liga dos Campeões.

Mas, afinal, quem é esse camisa 7 do Atleti, que tanto tem encantado os torcedores e os amantes do bom futebol? Contamos agora dez histórias de sua vida e carreira para que você o conheça melhor.

1 – SEU ÍDOLO É BRASILEIRO… E SURPREENDENTE
Griezmann e Sonny Anderson
Desde pequeno, Griezmann é fã incondicional de um jogador brasileiro. Mas engana-se quem pensa que ele gosta de Ronaldo, Romário, Rivaldo ou Ronaldinho. Torcedor do Lyon, Antoine se derrete mesmo é por Sonny Anderson, ex-atacante do Vasco que defendeu o time do coração do francês entre 1999 e 2003 e fez parte das duas primeiras conquistas nacionais do clube.

2 – FOI REJEITADO PELO TIME DE INFÂNCIA
O maior sonho do garoto Griezmann era jogar no Lyon. No entanto, o atacante foi rejeitado no teste que fez em seu clube de coração. Sochaux, Auxerre, Montpellier, Saint-Etienne e Metz também não o quiseram. O motivo era sempre mesmo: seu porte considerado franzino demais para um jogador de futebol (tem hoje 1,75 m e 72 kg).

3 – A CHANCE VEIO EM UM BILHETINHO
Descartado pelos principais times do seu país, Griezmann precisou deixar a França para ter uma oportunidade real de se tornar jogador de futebol. Aos 13 anos, foi descoberto por olheiro da Real Sociedad atuando um time pequeno de sua cidade (Macon). O observador colocou um bilhetinho no bolso de Antoine e pediu que ele só o lesse quando chegasse em casa. O papel era um convite para que ele se mudasse para a Espanha e jogasse na base do clube basco.

4 – ANIVERSÁRIO DOS CRAQUES
Griezmann divide sua data de aniversário (21 de março) com outro craque, Ronaldinho. A diferença é que o brasileiro, ex-astro do Barcelona, nasceu em 1980 e é 11 anos mais velho que ele. A data também marca o aniversário do lateral esquerdo espanhol Jordi Alba, do Barça, nascido em 1989.

5 – MÃO NA BOLA
Griezmann basquete
Griezmann não tem tamanho para ser jogador de basquete, mas bem que gostaria. O francês é fanático pelo esporte e um apaixonado pelo Chicago Bulls. Suas redes sociais estão cheias de fotos do atacante vestindo alguma roupa do antigo time de Michael Jordan e tietando os astos atuais da franquia, como Derrick Rose e Joakim Noah.

6 – CALÇA QUADRADA
O atacante do Atlético de Madri não esconde de ninguém que é muito fã do desenho “Bob Esponja”. A paixão de Griezmann pela animação é tamanha que, quando ele defendia a Real Sociedad, sempre ia a campo usando uma cueca do personagem por baixo do calção do time azul e branco.

7 – GOL DENTRO DO CARRO

Em 2010, o atacante comemorou seu primeiro gol no Campeonato Espanhol, em uma vitória por 3 a 0 da Real Sociedad sobre o La Coruña, entrando dentro de um carro que estava estacionado na pista de atletismo do lado de fora do gramado.

8 – DIABINHO
O apelido de Griezmann no mundo do futebol é “Le Petit Diable” (O Pequeno Diabo, em tradução livre para o português), uma referência à baixa estatura e também ao bom futebol que inferniza seus marcadores.

9 – MAU MENINO
O atacante ficou suspenso da seleção francesa entre novembro de 2012 e dezembro de 2013 por fugir junto com mais quatro jogadores da concentração da equipe sub-21 antes de uma partida contra a Noruega, válida pela Eurocopa da categoria. Após a sanção, Griezmann estreou na seleção principal em março de 2014 e ainda foi convocado para a Copa do Mundo.

10  – TERRORISMO
Antoine quase perdeu sua irmã nos atentados terroristas a Paris em novembro do ano passado. Maud Griezmann estava no Bataclan, mas conseguiu sair viva da casa de shows que foi alvo de um dos ataques dos terroristas ligados ao Estado Islâmico.


Mais de Cidadãos do Mundo

Simeone artilheiro e Zidane goleiro? Técnicos ensinaram “mal” seus filhos
Os 7 jogadores mais desejados da janela de transferências da Europa
Jogador gay mais famoso do mundo encontrou aceitação em ex-time de Beckham
7 destaques da Libertadores que podem pintar no seu time no 2º semestre