Blog do Rafael Reis

9 times que disputam campeonatos nacionais fora dos seus países

Rafael Reis

Imagine Palmeiras e Corinthians disputando o Campeonato Argentino, Internacional e Grêmio medindo forças com Peñarol e Nacional no Uruguaio ou mesmo Atlético-MG e Cruzeiro se arriscando no Paraguaio.

Por mais pitorescas que pareçam, situações como essas não têm nada de ilegal e nem são proibidas pelo regulamento da Fifa. Pelo contrário, são mais comuns do que você pode imaginar.

Dezenas e dezenas de clubes espalhados ao redor do planeta disputam atualmente campeonatos nacionais de países que não são os seus. E alguns deles, você certamente conhece.

Apontamos abaixo nove casos de times de futebol que competem em ligas nacionais estrangeiras.

MONACO

Para o mundo do futebol, o semifinalista da Liga dos Campeões da Europa é um clube francês. No entanto, Monaco é um país independente da França, governado pelo príncipe Albert 2º e com cerca de 38 mil habitantes. Com uma população tão pequena, a micronação não tem condições de organizar um campeonato nacional de futebol minimamente decente e sequer possui uma seleção reconhecida pela Fifa. Por isso, o clube que leva o nome do país disputa desde 1933 o Campeonato Francês e tem, inclusive, direto de representar a França em competição internacionais.

SWANSEA CITY

Integrante da primeira divisão inglesa desde 2011 e campeão da Copa da Liga Inglesa em 2013, o Swansea é de País de Gales, território que faz parte do Reino Unido, mas que, no futebol, é independente da Inglaterra. O clube compete na liga vizinha porque se profissionalizou antes de existir futebol profissional em sua terra natal. Até 1995, o Swansea também jogava a Copa de Gales. A participação dos “ingleses”, no entanto, foi proibida posteriormente.

CARDIFF CITY

Outro dos seis clubes galeses que atualmente disputam as ligas profissionais ou semiprofissionais da Inglaterra, o Cardiff encontra-se atualmente na segunda divisão inglesa, mas passou pela Premier League em 2013/14. Curiosamente, seu elenco é muito mais inglês que galês. São apenas dois jogadores do país onde está sediado, contra 14 representantes da nação vizinha.

VADUZ

O lanterna do Campeonato Suíço é o único clube profissional de futebol de Liechtenstein, principado de 37 mil habitantes que faz fronteira com Áustria e Suíça. Apesar de disputar a liga do vizinho, o Vaduz também joga contra times amadores na Copa de Liechtenstein e venceu 18 das últimas 19 edições da competição.

SAN MARINO

Outro exemplo de time de um micropaís (San Marino tem 33 mil habitantes) que optou por fazer parte de uma liga mais forte. A equipe da cidade de Serravalle disputa hoje a quarta divisão italiana, mas já chegou até mesmo a jogar a segundona. O clube não participa do Campeonato de San Marino, que define o representante do país nas competições europeias.

WELLINGTON PHOENIX

Apesar de já ter disputado duas Copas do Mundo, a última em 2010, a Nova Zelândia não conta com uma liga profissional de futebol. É por isso que o Wellington Phoenix optou desde sua fundação, em 2007, por disputar a A-League, o campeonato da Austrália. A decisão faz com que o clube não apenas participe de uma liga de um país que não é o seu, como também faça parte de uma confederação diferente daquela onde está a Nova Zelândia –apesar de estar localizada na Oceania, a Austrália é filiada à Confederação Asiática de Futebol.

TORONTO FC

o atual vice-campeão da Major League Soccer, a principal liga profissional do futebol dos Estados Unidos, não vem dos EUA, mas sim do Canadá. O Toronto FC disputa a MLS desde 2007 e dá sequência a uma tradição de franquias canadenses disputando ligas norte-americanas de diferentes esportes. A cidade de Toronto também tem representantes na MLB (beisebol), na NBA (basquete), na NHL (hóquei sobre o gelo) e na NLL (lacrosse).

VANCOUVER WHITECAPS

Fundado em 1974, estreou na MLS em 2012. Assim como os outros times do Canadá que disputam ligas profissionais no Estados Unidos, o Vancouver Whitecaps também joga anualmente o Campeonato Canadense, que define o representante do país na Concachapions. A equipe foi campeã em 2015 e acumula seis vices.

MONTRÉAL IMPACT

Caçula entre os times canadenses que disputam a MLS, a franquia foi fundada em 2010 e foi vice-campeã da Concachampions em 2015. É o único dos times da Major League Soccer que não tem o inglês como língua oficial, mas sim o francês, já que Montréal fica em uma região do Canadá que foi colonizada pela França.


Mais de Clubes

– Ex-Corinthians, Zizado agora é líder do Chinês… e com um time ''pobre''
– Por que gigantes europeus, como o Dortmund, tem ações na Bolsa?
– Fim das retrancas: Europa vê a maior ''chuva de gols'' dos últimos 39 anos
– Quem foi Jorge Wilstermann, que dá nome a rival do Palmeiras nesta quarta?