Blog do Rafael Reis

Não é só Rooney: China ainda tem 9 vagas abertas para estrangeiros

Rafael Reis

A seis dias do fechamento da janela de transferências para a China, o mercado que se tornou a sensação do futebol mundial ainda tem nove vagas abertas para jogadores estrangeiros disputarem sua primeira divisão na próxima temporada.

Isso porque Beijing Guoan, Changchun Yatai, Chongqing Lifan, Guizhou HFZC, Henan Jianye, Jiangsu Suning, Shandong Luneng e Tianjin Quanjian não preencheram a cota de atletas gringos a que têm direito.

Cada clube da primeira divisão chinesa pode inscrever cinco jogadores oriundos de outros países na temporada 2017 da Superliga, sendo que um deles precisa necessariamente ser asiático. Atletas de Hong Kong, Macau e Taiwan são considerados como locais e não ocupam vagas de estrangeiro.

Mas, na hora de ir a campo, apenas três gringos podem ser escalados. E aí, não importa se eles são oriundos da Ásia, ou de qualquer outro continente.

Dos oito clubes que ainda têm vagas abertas para estrangeiro, apenas um, o Shadong Luneng, precisa apenas de um asiático. E pelo menos três possuem poderio financeiro para realizar contratações de impacto na Europa.

O Beijing Guoan, por exemplo, conta com um titular da seleção brasileira, o meia Renato Augusto. O Jiangsu Suning tem Ramires e Alex Teixeira, dois dos reforços mais caros da história do futebol chinês. E o Tianjin Teda conta com Alexandre Pato e Axel Witsel, peça importante da seleção da Bélgica.

Esses três clubes já foram apontados pela imprensa inglesa como possíveis destinos para Wayne Rooney. O craque do Manchester United recebeu uma polpuda proposta salarial de 5 milhões de euros (R$ 16 milhões) mensais para se juntar à Superliga Chinesa ainda nesta janela.

Ainda de acordo com os ingleses, a conclusão do negócio é apenas uma questão de tempo. E o clube que o atacante irá defender pode até ser algum que já tenha completado suas vagas para estrangeiros –nesse caso, um gringo precisaria ser negociado ou afastado do elenco para liberar sua vaga ao astro.

A última vez que a primeira divisão chinesa não preencheu todas as vagas para estrangeiros não asiáticos foi em 2014, quando o Dalian Aerbin usou apenas três jogadores de outros continentes.

Ou seja, os próximos dias devem ser de movimentação intensa no Mercado da Bola do gigante asiático

O Campeonato Chinês começa no dia 3 de março, com o confronto entre Guizhou HFZC e Liaoning Whowin. O Guangzhou Evergrande, time dirigido por Luiz Felipe Scolari, é o atual hexacampeão.


Mais de Clubes

– Igreja Católica é dona da poderosa Juventus de Turim? Verdade ou boato?
– Dependência? Como o Real ''ignora'' a seca de gols de CR7 na Champions
– Em três anos, China acumula prejuízo de R$ 2,4 bilhões no Mercado da Bola
– Janela europeia bate recorde e aumenta em 47,7% gastos com reforços