Blog do Rafael Reis

Sensação da Liga Europa, russo já recebeu oferta de 16 horas de sexo
Comentários 8

Rafael Reis

Autor de quatro gols nas cinco primeiras rodadas da Liga Europa e uma das sensações da competição, o atacante russo Aleksandr Kokorin, do Zenit São Petesburgo, costuma ter um incentivo extra para balanças as redes.

O centroavante já foi alvo de duas promessas inusitadas da atriz pornô Alina Yeremenko, uma estrela de primeira grandeza do cinema adulto europeu: trocar gols por uma maratona sexual.

1481109747151456

Em 2015, a pornstar foi a um programa de TV na Rússia e ofereceu 16 horas de sexo gratuito para Kokorin caso ele marcasse mais cinco gols pelo Dínamo de Moscou naquela temporada.

No ano seguinte, uma nova aposta. O centroavante receberia o mesmo prêmio de Alina se deixasse sua marca pelo menos duas vezes na Eurocopa-2016.

O russo não conseguiu cumprir a meta imposta por Alina, porém isso não quer dizer que outras promessas semelhantes a essas não serão feitas.

Afinal, a atriz não faz questão nenhuma de esconder que Kokorin é o tipo de homem que mais gosta. Solicitada para avaliar os dotes físicos dos integrantes da seleção russa, deu nota 10 para apenas um dos jogadores. Adivinha para quem?

E o atacante também é chegado em uma farra. Dois anos atrás, fotos suas divertindo-se com duas strippers seminuas foram publicadas pela imprensa russa. Ele ainda é adepto de fotos e vídeos de ostentação em suas redes sociais.

Contratado em janeiro para substituir o brasileiro Hulk, que foi negociado com o Shangai SIPG, da China, Kokorin é um dos destaques da bela campanha da equipe russa na Liga Europa.

O atacante ocupa o terceiro lugar na artilharia do torneio, com 4 gols. Ele marcou duas vezes contra o AZ Alkmaar, da Holanda, e mais duas ante o Maccabi Tel-Aviv, de Israel.

Impulsionado pelo bom momento de Kokorin, o Zenit é uma das três equipes com 100% de aproveitamento na Liga Europa. Além dos russos, Schalke 04 e Shakhtar Donetsk também venceram seus cinco primeiros compromissos.

Nesta quinta-feira, a equipe do atacante encerra sua participação na fase de grupos contra o AZ, fora de casa.

Será que Alina estará de olho?


Mais de Cidadãos do Mundo

Na mira do Real Madrid, Aubameyang assume liderança da Chuteira de Ouro
Ele voltou ao futebol após tragédia e agora quer ver Ronaldinho na Chape
Argentina, Alemanha e até Índia têm estrangeiros que defenderam o Inter
Nos anos 1980, lesão salvou astro peruano de acidente aéreo


Mundial de Clubes tem 10 jogadores brasileiros; conheça cada um deles
Comentários 6

Rafael Reis

A 13ª edição do Mundial de Clubes da Fifa começa nesta quarta-feira, com o confronto entre Kashima Antlers (JAP) e Auckland City (NZL). E, pelo terceiro ano seguinte, não contará com a participação de nenhum clube brasileiro.

Mas isso não significa que o futebol pentacampeão mundial ficará sem representantes no Japão. Afinal, dez dos 161 jogadores inscritos na competição nasceram por aqui.

Os atletas brasileiros estão espalhados por cinco dos sete times participantes. Apenas o Atlético Nacional (COL), campeão da Libertadores, e o Auckland City (NZL), vencedor da Liga dos Campeões da Oceania, não têm nenhum brasileiro em seu elenco.

Conheça agora os dez jogadores que representam o Brasil no Mundial de Clubes:

MARCELO
Real Madrid (ESP)
28 anos
Lateral esquerdo
Marcelo
Há dez anos no Real Madrid, o lateral esquerdo da seleção brasileira é um dos melhores jogadores de sua posição na atualidade e uma importante arma ofensiva da equipe espanhola (já deu três assistências na temporada). Marcelo irá disputar seu segundo Mundial de Clubes. Em 2014, foi campeão

CASEMIRO
Real Madrid (ESP)
24 anos
Volante
Casemiro
De revelação criticada e perseguida por torcedores no São Paulo a titular de um dos maiores clubes do mundo. Essa é a trajetória de Casemiro, hoje uma peça importante no esquema do técnico Zinedine Zidane. O volante brasileiro ainda está em processo de recuperação de ritmo de jogo após uma fissura na perna esquerda deixa-lo fora de ação por dois meses.

PEPE
Real Madrid (ESP)
33 anos
Zagueiro
Pepe
Nascido em Maceió e revelado pelo Corinthians Alagoano, transferiu-se para Portugal há 15 anos e, desde 2007, é companheiro de Cristiano Ronaldo na seleção lusitana. No mesmo ano, trocou o Porto pelo Real Madrid, onde está até hoje. Vive um 2016 glorioso, já que ganhou a Eurocopa e a Liga dos Campeões.

DANILO
Real Madrid (ESP)
25 anos
Lateral direito
Danilo
Entre os brasileiros do elenco do Real Madrid, é o de menos destaque. Tirado do Porto na temporada passada, o ex-jogador do Santos tem levado a pior na disputa por posição com Carvajal e costuma ser reserva na maior parte das partidas do time espanhol. Fez um gol nesta temporada.

WILLIAM
América (MEX)
30 anos
Meia
William
Um dos artilheiros da Copa São Paulo de 2004 pelo Palmeiras, teve dificuldades na transição para o time profissional e acabou emprestado para cinco clubes diferentes em um período de apenas três anos. Chegou ao México dois anos atrás e ainda foi companheiro de Ronaldinho no Querétaro antes de assinar com o América.

LEONARDO
Jeonbuk Hyundai (CDS)
30 anos
Meia-atacante
Leonardo
Pouco conhecido no Brasil, é o ídolo do momento no futebol sul-coreano. Leonardo começou a carreira na Desportiva (ES) e migou para Grécia em 2005, aos 18 anos. Em 2012, mudou de continente mais uma vez e foi o Jeonbuk Hyundai. Principal nome na conquista do título asiático, ele marcou dez vezes na Liga dos Campeões e foi o vice-artilheiro do torneio.

EDU
Jeonbuk Hyundai (CDS)
35 anos
Atacante
Edu
Famoso pelo período em que atuou na Alemanha, principalmente no Schalke 04, o centroavante assinou pelo Jeonbuk em julho, após cinco meses desempregado. Veterano, raramente é escalado como titular. Mas sua vasta experiência acaba sendo útil para o elenco do time sul-coreano.

RICARDO NASCIMENTO
Mamelodi Sundowsn (AFS)
29 anos
Zagueiro
Ricardo Nascimento
Caso raro de jogador brasileiro que foi tentar a sorte na África, o defensor foi revelado nas categorias de base do Palmeiras, mas passou a maior parte da carreira vinculado ao Olé Brasil, de Ribeirão Preto. Ricardo Nascimento defendeu cinco clubes de Portugal e também teve uma passagem pela Romênia até ir para o Mamelodi, neste ano.

FABRÍCIO
Kashima Antlers (JAP)
26 anos
Meia-atacante

Cria das categorias de base do Corinthians, atuou por empréstimo em times menores para ganhar experiência. Também teve uma passagem relâmpago pelo Botafogo antes de ir para o exterior. Foi contratado pelo Kashima Antlers nesta temporada.

BUENO
Kashima Antlers (JAP)
21 anos
Zagueiro
Bueno
O defensor tem uma trajetória pouco comum para jogadores brasileiros. Bueno passou em uma peneira feita por uma escola japonesa aqui no Brasil e se mandou para cursar a fase final do ensino médio no Oriente. O destaque nos campeonatos escolares abriu as portas para a J.League. Depois de passar por Shimizu S-Pulse e Vissel Kobe, ele se mudou em 2016 para o Kashima.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

Que clube brasileiro revelou mais jogadores para a Champions? Veja ranking
– 5 jogadores que podem voltar da China para reforçar seu time em 2017
– A um ponto do título brasileiro, Moisés foi “rei do vice” na Croácia
– Jogador mais caçado da Champions é brasileiro… e não é o Neymar


Na mira do Real Madrid, Aubameyang assume liderança da Chuteira de Ouro
Comentários Comente

Rafael Reis

Autor de oito gols nas últimas quatro rodadas do Campeonato Alemão, o atacante gabonês Pierre-Emerick Aubameyang assumiu a liderança do Chuteira de Ouro, prêmio concedido ao maior artilheiro da temporada nas ligas nacionais da Europa.

O camisa 17 do Borussia Dortmund chegou a 30 pontos (15 gols) e desbancou do topo do ranking o russo Evgeni Kabaev, que atua no Sillamae Kalev, da Estônia, e tem 25 pontos (25 gols).

Aubameyang

O pódio do Chuteira de Ouro é, por enquanto, completado pelo francês Anthony Modeste, do Colônia, vice-artilheiro da Bundesliga, com 12 gols (24 pontos).

O bósnio Edin Dzeko (Roma), o argentino Mauro Icardi (Inter de Milão), o brasileiro naturalizado espanhol Diego Costa (Chelsea) e o chileno Alexis Sánchez (Arsenal) são outros nomes importantes no top 10.

Novo líder do prêmio, Aubameyang não passa em branco em uma rodada do Alemão desde o empate sem gols entre Dortmund e Schalke 04, em 29 de outubro.

Desde então, marcou quatro gols contra o Hamburgo, um no Bayern de Munique, outro ante o Eintracht Frankfurt e mais dois frente ao Borussia Mönchengladbach, no último fim de semana.

O bom momento fez com que os rumores sobre uma possível transferência para o Real Madrid voltassem a esquentar. Aubameyang está na capa da edição desta terça-feira do diário “As”, que o classifica como o alvo principal do clube da próxima temporada.

O atual vencedor da Chuteira de Ouro é Luis Suárez, do Barcelona, que somou 80 pontos (40 gols) na última temporada.

O “Blog do Rafael Reis” publica a cada terça-feira uma nova parcial do prêmio.

Confira o top 10 da Chuteira de Ouro

1º – Pierre-Emerick Aubameyang (GAB, Borussia Dortmund) – 30 pontos (15 gols)
2º – Evgeni Kabaev (RUS, Sillamae Kalev) – 25 pontos (25 gols)
3º –Anthony Modeste (FRA, Colônia) – 24 pontos (12 gols)
4º – Edin Dzeko (BOS, Roma) – 24 pontos (12 gols)
5º – Mauro Icardi (ARG, Inter de Milão) – 24 pontos (12 gols)
6º – Vitali Rodionov (BLR, Bate Borisov) – 22,5 pontos (15 gols)
7º – Diego Costa (ESP, Chelsea) – 22 pontos (11 gols)
8º – Alexis Sánchez (CHI, Arsenal) – 22 pontos (11 gols)
9º – Gerard Gohou (CMF, Kairat Almaty) – 22 pontos (22 gols)
10º – Azdren Llullaku (ALB, Gaz Metan) – 21 pontos (14 gols)


Mais de Cidadãos do Mundo

Ele voltou ao futebol após tragédia e agora quer ver Ronaldinho na Chape
Argentina, Alemanha e até Índia têm estrangeiros que defenderam o Inter
Nos anos 1980, lesão salvou astro peruano de acidente aéreo
5 garotos nascidos no ano 2000 que já estrearam em times adultos


Que clube brasileiro revelou mais jogadores para a Champions? Veja ranking
Comentários 22

Rafael Reis

A cada drible de Neymar pelo Barcelona, o torcedor santista se lembra da última era de ouro do clube. Sempre que vê Casemiro dominando o meio-campo do Real Madrid, o são-paulino se lamenta por não ter percebido antes o talento do volante. E todo desarme de Marquinhos no PSG irrita o corintiano por ter deixado o zagueiro escapar tão cedo.

Mas, afinal, qual é o clube brasileiro que mais revelou jogadores para a atual temporada da Liga dos Campeões da Europa, o torneio interclubes mais importante do planeta?

Neymar

Se considerarmos como atleta revelado por um clube aquele que se profissionalizou por lá ou que deixou aquele time direto para o exterior, então o Santos é o campeão na revelação de talentos brasileiros para a elite do futebol mundial.

Sete de suas crias estão na edição 2016/17 da Champions.

Famoso pela utilização massiva de jovens em sua equipe adulta, o Santos aparece no topo da lista graças principalmente à vitoriosa geração de Neymar. Além do atacante do Barcelona, Ganso (Sevilla), André (Sporting) e Rafael Cabral (Napoli) disputam a competição internacional.

Outros dois integrantes da equipe alvinegra no início da década 2010 estão na Liga dos Campeões. No entanto, os laterais Danilo (Real Madrid) e Alex Sandro (Juventus) começaram suas carreiras no América-MG e no Atlético-PR, respectivamente.

Segundo colocado, com seis jogadores na Champions, o São Paulo também está no grupo dos clubes brasileiros que possuem um trabalho destacado na base. Mas, ao contrário dos alvinegros, isso não tem se refletido em títulos para o time adulto.

Só que os são-paulinos não podem reclamar que estão mal representados no torneio. Casemiro é titular do meio-campo do Real Madrid, o atual detentor do título europeu. Lucas tem se destacado no PSG. E Boschilia, apesar de banco, joga no Monaco, uma das sensações desta edição.

Além de Santos e São Paulo, chama a atenção a “presença” do Juventus na Liga dos Campeões. O pequeno clube do bairro paulistano da Mooca revelou três jogadores para a competição: Raffael (Borussia Mönchengladbach), Luizão (Benfica) e Thiago Motta (PSG), mais que Corinthians, Palmeiras, Cruzeiro, Flamengo e muitos outros.

JOGADORES REVELADOS NA CHAMPIONS 2016/17:

1º – Santos: 7
André (Sporting)
Caio Henrique (Atlético de Madri)
Ganso (Sevilla)
Júnior Moraes (Dínamo Kiev)
Marcelo (Besiktas)
Neymar (Barcelona)
Rafael Cabral (Napoli)

2º – São Paulo: 6
Boschilia (Monaco)
Casemiro (Real Madrid)
Ederson (Benfica)
Hernanes (Juventus)
Lucas Moura (PSG)
Marcelinho (Ludogorets)

3º – Atlético-PR: 5

4º – Fluminense: 4

5º – Bahia e Juventus: 3

7º – Corinthians, Coritiba, Guarani, Grêmio, Juventus e Vasco: 2

13º – América-MG, Atlético-MG, Avaí, Cene, Comercial-PI, Corinthians-AL, Cruzeiro, Cuiabá, Desportivo Brasil, Grêmio Pinhalense, Guarani de Venâncio Aires, Figueirense, Flamengo, Internacional, Iraty, Joinville, Palmeiras, Quixadá, Remo, RS Futebol, São Caetano, São Carlos, Ulbra, União Mogi, Vila Nova e Vitória: 1

*Quatro jogadores brasileiros fizeram as categorias de base na Europa


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– 5 jogadores que podem voltar da China para reforçar seu time em 2017
– A um ponto do título brasileiro, Moisés foi “rei do vice” na Croácia
– Jogador mais caçado da Champions é brasileiro… e não é o Neymar
Brasileiro é suspenso por 9 meses por agredir bandeirinha em Portugal


5 jogadores que podem voltar da China para reforçar seu time em 2017
Comentários 7

Rafael Reis

Salários altíssimos, muito acima daqueles pagos no futebol brasileiro, pouca pressão dos torcedores e a possibilidade de participar do projeto de desenvolvimento do esporte no país mais populoso do mundo. À primeira vista, jogar na China pode parecer uma beleza.

Mas essa é só a aparência. Mandar-se para a Ásia pode até render alguns milhões extras na conta bancária, mas está longe de ser essa maravilha toda.

Tanto que está cheio de jogadores brasileiros que fizeram o caminho rumo à China e agora estão loucos para retornar para cá no próximo ano.

O primeiro deles já chegou. Ainda no começo do mês passado, o Corinthians anunciou Jô, ex-Jiangsu Suning, como seu primeiro reforço para 2017.

Apresentamos abaixo cinco nomes que, assim como o ex-centroavante da seleção brasileira, não teriam muitos problemas em trocar o futebol chinês por um clube brasileiro a partir de janeiro.

DIEGO TARDELLI
Atacante
31 anos
Shandong Luneng
Na China desde 2015
Diego Tardelli
Afastado do elenco principal do Shandong desde o meio do ano, quando o clube estourou o limite de estrangeiros que poderia inscrever no Campeonato Chinês, vive uma situação delicada. Graças ao bom futebol mostrado no primeiro um ano e meio com a camisa laranja, ele acredita que essa situação está revertida e que ele jogará normalmente em 2017. Mas, times interessados em seu futebol aqui no Brasil não faltam: Palmeiras, Corinthians e o Atlético-MG, time onde é ídolo.

WAGNER
Meia
31 anos
Tianjin Teda
Na China desde 2015
Wagner
O meia, ex-Fluminense e Cruzeiro, chegou a ser dado como certo no Corinthians para a próxima temporada. No entanto, problemas jurídicos esfriaram a negociação e recolocaram Wagner no mercado. Assim como Tardelli, ele também está sem jogar devido ao limite de estrangeiros alcançado pelo clube que defendia na China. Mas, incomodado com a situação, Wagner pediu a rescisão do seu contrato. Sem saber se terá de indenizar o Tianjin Teda, o Corinthians ficou receoso de completar a contratação do meia, abrindo a possibilidade de ele defender outra equipe em 2017.

LUIS FABIANO
Atacante
36 anos
Tianjin Quanjian
Na China desde 2016
Luis Fabiano
Artilheiro da segunda divisão chinesa, com 22 gols, o veterano centroavante não quis renovar contrato no Oriente. A volta do camisa 9 ao futebol brasileiro é o caminho mais provável. O que falta é definir o clube. O primeiro time que levantou o dedinho e manifestou o interesse foi a Ponte Preta, onde o jogador iniciou a carreira como profissional. Depois, Vasco e Santos seguiram o mesmo caminho e entraram na disputa pelo atacante.

RALF
Volante
32 anos
Beijing Guoan
Na China desde 2016
Ralf
Um dos participantes da debandada corintiana rumo à China depois da conquista do título brasileiro do ano passado, Ralf não teria em tese porque sair do Beijing Guoan. O brasileiro foi titular durante toda temporada e até fez gol no Oriente. Apesar disso, assim que terminou o Campeonato Chinês, o volante fez questão de visitar o antigo clube, alimentando os rumores de que tem na cabeça uma volta para casa.

BIRO-BIRO
Meia-atacante
22 anos
Shangai Shenxin
Na China desde 2016
Biro-Biro
Um dos destaques da Ponte Preta no Brasileiro no ano passado, marcou 18 gols em sua temporada de estreia no Shangai Shexin e concorreu ao prêmio de melhor jogador da segunda divisão chinesa. Tudo lindo, se não fosse por um porém. Apesar do alto investimento, seu clube não foi além da décima colocação nesta temporada e continuará por pelo menos mais um ano fora da elite. O fracasso pode abrir espaço para um negociação de Biro-Biro. Desde, é claro, que o clube interessado aceite desembolsar um bom dinheiro por ele.


Mais de Brasileiros pelo Mundo

– A um ponto do título brasileiro, Moisés foi “rei do vice” na Croácia
– Jogador mais caçado da Champions é brasileiro… e não é o Neymar
Brasileiro é suspenso por 9 meses por agredir bandeirinha em Portugal
– 6 brasileiros que são os reforços mais caros da história de clubes europeus


Ele voltou ao futebol após tragédia e agora quer ver Ronaldinho na Chape
Comentários Comente

Rafael Reis

“Imagina como seria lindo se Ronaldinho decidisse voltar a jogar e defendesse a Chapecoense. Isso ajudaria demais o clube a se levantar depois do que aconteceu e também seria uma forma de agradecimento por tudo que o futebol fez por ele.”

“Quem sabe também não incentivaria outros jogadores aposentados a seguir o mesmo caminho e ajudar a Chapecoense? O Ronaldo ainda tem condições de jogar, o Roberto Carlos, também.”

Cubillas

A sugestão não vem de um torcedor do clube ou de algum simpatizante agoniado com o acidente aéreo que matou 71 pessoas e dizimou o elenco da equipe catarinense. Mas sim de alguém já que fez exatamente aquilo que propõe agora a Ronaldinho.

Vice-artilheiro da Copa do Mundo de 1978 e maior jogador da história do Peru, Teófilo Cubillas encerrou sua carreira em abril de 1986. Um ano e meio depois da aposentadoria, uma tragédia com o avião que carregava o Alianza Lima matou 43 pessoas e vitimou o elenco do clube onde passou a maior parte de sua carreira.

“Eu conhecia todos os garotos que morreram naquela oportunidade, eles eram como meus filhos. Sofri muito com o que aconteceu. Tive também que fazer o reconhecimento dos corpos, cadáveres que ficaram cinco, seis, dez dias na água. Seis corpos nunca apareceram”, disse, em entrevista por telefone.

O sofrimento e a comoção coletiva provocada pelo acidente mexeram com Cubillas, já um veterano de 38 anos. Sua tarefa no Alianza Lima ainda não havia acabado.

“Quando o presidente me convidou para voltar e ser técnico e jogador do time, nem pensei duas vezes. Eu tinha que aceitar. Foi incrível a recepção que tivemos. Todas as partidas com estádio lotado, dentro e fora de casa.”

Por cerca de três meses, ou seja, até o fim do Campeonato Peruano, Cubillas, liderou, sem receber salários ou bonificações, uma equipe montada às pressas, do jeito que havia sido possível: quatro jogadores que haviam escapado do acidente por contusões e suspensões, outros quatro emprestados pelo Colo Colo (CHI), alguns ex-aposentados e outros garotos promovidos das categorias da base da noite para o dia.

O título nacional ficou no quase (foram derrotados por 1 a 0 pelo Universitario na decisão). Mas o principal, eles fizeram, honraram as vítimas do cidente aéreo e não deixaram o Alianza se afundar devido à tragédia.

“Todas as partidas eram emocionantes. Chorávamos muito nos vestiários antes de subir a campo. Mas, quando pisávamos no gramado, o carinho e o amor dos torcedores eram tão grandes que a gente esquecia tudo e nos desdobrávamos para honrá-los. Foram eles que nos deram força para seguir em frente”, explica.

E é com base nessa experiência marcante em sua vida que o ídolo peruano sugere que Ronaldinho deixe de lado sua “aposentadoria” (desde setembro de 2015, quando deixou o Fluminense, só disputa amistosos e participa de eventos) para um ato de solidariedade pela Chapecoense.

“Quando soube o que aconteceu com eles, tudo que vivi voltou à minha mente. Fiquei muito mal, foi um dia horrível. Mas tenho certeza que a Chapecoense vai voltar, vai se reerguer. É em momentos assim que descobrimos que o fair play realmente existe”, completa Cubillas.


Mais de Cidadãos do Mundo

Argentina, Alemanha e até Índia têm estrangeiros que defenderam o Inter
Nos anos 1980, lesão salvou astro peruano de acidente aéreo
5 garotos nascidos no ano 2000 que já estrearam em times adultos
Fifa quer que jogadores usem GPS no uniforme para denunciar impedimento


Ingresso caro gera atrito com Real Madrid e ameaça lotação de clássico
Comentários 1

Rafael Reis

Barcelona e Real Madrid fazem o clássico mais aguardado do mundo, têm em seus elencos os dois melhores jogadores do planeta e são os últimos vencedores da Liga dos Campeões da Europa. Mas, apesar de tantos atrativos, o encontro deste sábado, no Camp Nou, dificilmente terá casa cheia.

Os 600 ingressos destinados aos torcedores do Real encalharam nas bilheterias. E o motivo é aquele velho conhecido nosso: o preço alto.

Camp Nou

A carga destinada à torcida visitante tem valor único: 123 euros (aproximadamente R$ 450). E não pense que ela dá lugar a uma área nobre do Camp Nou.

Os apoiadores do Real acompanharão o jogo de um espaço conhecido como “galinheiro”, localizado na curva do escanteio e no ponto mais alto do estádio. Ou seja, terão uma visão praticamente aérea do clássico.

O preço alto criou um sério atrito entre Real e Barça. O clube da capital criticou os valores cobrados pelo arquirrival e lembrou que no último encontro entre as duas equipes em sua casa, o Santiago Bernabéu, o ingresso para visitante custou “apenas” 80 euros (cerca de R$ 290).

Com isso, parte da torcida madridista resolveu boicotar o clássico, o que deve provocar alguns clarões nas arquibancadas do Camp Nou.

Os outros vazios no estádio, que tem capacidade para receber pouco mais de 99 mil pagantes, estarão ligados a um fenômeno cada vez mais frequente no maior clássico espanhol: o mercado de revenda de ingressos.

Na véspera da partida, sites de cambismo online, como o Viagogo e o Ticketbis, ofereciam ingressos com valores médios entre 300 e 700 euros (de R$ 1.100 a R$ 2.550).

Mas há entradas mais caras, bem mais caras. O recorde que se tem conhecimento no clássico espanhol aconteceu dois anos atrás, quando uma dessas empresas de revenda negociou um camarote para dez pessoas por 180 mil euros (cerca de R$ 655 mil).

Desta vez, a versão brasileira do site Ticketbis tinha ingressos VIP com preço máximo de R$ 23 mil. Já o Viagogo negociava entradas por até R$ 16 mil.

O clássico deste sábado é essencial para o Barcelona não se distanciar da briga pelo título espanhol. A equipe de Messi e Neymar é vice-líder da competição, mas está seis pontos atrás do Real.

Uma derrota em casa significaria ver essa desvantagem subir para nove pontos, tornando complicada a reação na sequência da temporada.


Mais de Clubes

– Salário de trio do Barcelona é maior que folha de 16 times do Espanhol
– Manchester United, Torino, Zâmbia: as maiores tragédias aéreas do futebol
– Como intercâmbio da “família Red Bull” ajuda a explicar sensação Leipzig
– Envolvido em corrupção, time parceiro e “íntimo” da Fifa pode jogar Mundial


Argentina, Alemanha e até Índia têm estrangeiros que defenderam o Inter
Comentários Comente

Rafael Reis

A série “Por onde andam 5 estrangeiros inesquecíveis” mostra os paradeiros dos gringos que, para o bem ou para o mal, destacaram-se nos últimos anos vestindo as camisas dos 12 maiores clubes do Brasil.

Neste 12º e último episódio, listamos 5 nomes nascidos fora do Brasil que estão na história do Internacional e continuam em atividade.

ANDRÉS D’ALESSANDRO
Meia
35 anos
Argentino
No Inter: Desde 2008 (atualmente emprestado)
River Plate (ARG)
D'Ale
Principal ídolo estrangeiro da torcida colorada desde Elías Figueroa, nos anos 1970, fez história no Internacional vestindo a camisa 10 e usando a braçadeira de capitão. No começo do ano, foi emprestado ao River Plate, clube onde começou a carreira, e se tornou um jogador importante no elenco do técnico Marcelo Gallardo. Tão importante que a imprensa argentina passou a questionar se D’Alessandro retornará mesmo ao Inter em janeiro caso o clube gaúcho seja rebaixado para a segunda divisão do Brasileiro. As portas do River estão abertas.

DIEGO FORLÁN
Atacante
37 anos
Uruguaio
No Inter: De 2012 a 2013
Mumbai City (IND)
Forlan
O melhor jogador da Copa do Mundo de 2010 marcou 22 gols em 55 partidas pelo Inter e conquistou o título gaúcho de 2013. Desde que deixou o Brasil, virou uma espécie de peregrino da bola. Defendeu o japonês Cerezo Ozaka, ajudou o Peñarol, time onde começou no futebol, no início dos anos 1990, a ser campeão uruguaio neste ano e se mandou para a “liga dos aposentados” na Índia. Forlán é o capitão e principal jogador do Mumbai City, equipe de melhor campanha da primeira fase da Superliga e, até por isso, favorita ao título da temporada.

PABLO GUIÑAZÚ
Volante
38 anos
Argentino
No Inter: De 2007 a 2012
Talleres (ARG)
Guinazu
Um dos grandes jogadores do Internacional neste século, o volante se tornou símbolo de garra da equipe gaúcha campeã da Libertadores de 2010. Dois anos depois, pediu para mudar de ares alegando motivos “pessoais e familiares”. Ainda voltou ao Brasil para defender o Vasco por dois anos. No início de 2016, depois de mais de uma década no exterior, retornou à Argentina para jogar pelo pequeno Talleres. De cara, ajudou o clube de Córdoba a retornar para a primeira divisão.

CHARLES ARÁNGUIZ
Meia
27 anos
Chileno
No Inter: De 2014 a 2015
Bayer Leverkusen (ALE)
Aranguiz
Titular da seleção chilena e destaque do Inter durante o ano e meio em que vestiu a camisa colorada, rejeitou uma proposta do Leicester para ir jogar no Bayer Leverkusen. No entanto, Aránguiz deu azar na Alemanha. Assim que chegou, sofreu uma contusão no tendão de Aquiles que adiou sua estreia pelo novo clube em oito meses. Só caiu nas graças do Leverkusen nesta temporada, quando enfim ganhou um lugar entre os titulares. No entanto, ainda está longe de ter o mesmo destaque dos tempos de Inter.

IGNACIO SCOCCO
Atacante
31 anos
Argentino
No Inter: 2013
Newell’s Old Boys (ARG)
Scocco
Destaque do Newell’s Old Boys na Libertadores de 2013, virou a sensação do mercado brasileiro três anos atrás. O Inter venceu a disputa com os rivais, principalmente o São Paulo, e ficou com o atacante argentino. Só que Scocco foi apenas uma ilusão. Ficou no Rio Grande do Sul por apenas um semestre e marcou míseros três gols. Depois, encarou por seis meses a Premier League pelo Sunderland e retornou para casa. No Newell’s, voltou a jogar bem. Já marcou cinco gols nesta edição do Campeonato Argentino e briga pela artilharia da competição.


Mais de Cidadãos do Mundo

Griezmann, Bale ou Suárez: quem será finalista do melhor do mundo?
Nos anos 1980, lesão salvou astro peruano de acidente aéreo
5 garotos nascidos no ano 2000 que já estrearam em times adultos
Fifa quer que jogadores usem GPS no uniforme para denunciar impedimento


Salário de trio do Barcelona é maior que folha de 16 times do Espanhol
Comentários Comente

Rafael Reis

Adversário do Real Madrid no clássico deste sábado, o Barcelona pode até ter o trio de ataque mais festejado do futebol mundial. Só que paga caro por isso.

De acordo com levantamento feito pelo diário esportivo “Marca”, o clube catalão gasta apenas com Messi, Neymar e Luis Suárez mais do que as folhas salariais de 16 dos 20 clubes que disputam a primeira divisão espanhola.

Barcelona

Ainda segundo o jornal, o Barça desembolsa anualmente 125 milhões de euros (R$ 450 milhões) no pagamento dos salários brutos (valor que inclui o que vai para o bolso dos jogadores e também para o governo) dos três atacantes sul-americanos.

De todas as equipes participantes do Espanhol, apenas Real Madrid (631 milhões de euros), Atlético de Madri (280 milhões) e Sevilla (129 milhões), além do próprio Barcelona (695 milhões), gastam mais do que isso com seu salários.

Clubes importantes do país campeão do mundo de 2010, como Athletic Bilbao (114 milhões), Valencia (90 milhões) e Villarreal (88 milhões), têm orçamentos menores do que aquele é reservado ao trio de ataque catalão.

Também de acordo com o “Marca”, Messi e Neymar têm rendimentos idênticos. Cada um deles recebe um salário bruto de 50 milhões de euros (R$ 180 milhões).  Suárez, com a já apalavrada renovação do seu contrato, passará a ganhar a metade disso.

Apesar de caro, ou melhor, muito caro, o trio ofensivo do Barcelona costuma dar resultado e justificar o caminhão de dinheiro necessário para mantê-lo.

Dos 55 gols marcados pelo clube catalão nesta temporada, nada menos que 36 (ou seja, 65% do total) saíram dos pés ou cabeças dos seus milionários homens de frente. Messi lidera a artilharia, com 19, Suárez já fez 11 e Neymar anotou 6.

O clássico deste sábado, às 13h15, no Camp Nou, é a chance do Barcelona para não perder contato com o Real Madrid e ter uma disputa cabeça a cabeça com o arquirrival pelo título espanhol.

Depois de 13 rodadas disputadas, os catalães ocupam a vice-liderança da competição, com 27 pontos, seis a menos do que o Real.


Mais de Clubes

– Manchester United, Torino, Zâmbia: as maiores tragédias aéreas do futebol
– Como intercâmbio da “família Red Bull” ajuda a explicar sensação Leipzig
– Envolvido em corrupção, time parceiro e “íntimo” da Fifa pode jogar Mundial
– Para não perder Milan e Inter, San Siro pode virar “dois estádios”


Triângulo amoroso e Alemanha: o destino de gringos que jogaram no Grêmio
Comentários Comente

Rafael Reis

A série “Por onde andam 5 estrangeiros inesquecíveis” mostra os paradeiros dos gringos que, para o bem ou para o mal, destacaram-se nos últimos anos vestindo as camisas dos 12 maiores clubes do Brasil.

Neste 11º episódio, listamos 5 nomes nascidos fora do Brasil que estão na história do Grêmio e continuam em atividade.

A série termina amanhã, quando apresentaremos os estrangeiros do Internacional.

MAXI LÓPEZ
Atacante
32 anos
Argentino
No Grêmio: 2009
Torino (ITA)
Um dos destaques do Grêmio em 2009, o centroavante argentino apelidado de “Barbie” devido aos longos cabelos loiros que usou na maior parte da carreira, recusou-se a continuar no clube no ano seguinte apesar da existência de um acerto entre os gaúchos e o FC Moscou, time que era dono dos seus direitos econômicos. Hoje no Torino, Maxi López é mais lembrado por ter sido traído por sua ex-mulher, a vedete e hoje empresária argentina Wanda Nara, com um dos melhores “amigos” que ele tinha no futebol, o atacante Mauro Icardi, da Inter de Milão.

HERNÁN BARCOS
Atacante
32 anos
Argentino
No Grêmio: De 2013 a 2015
Vélez Sarsfield (ARG)
Barcos
Ídolo instantâneo dos gremistas assim que chegou do Palmeiras, em 2013, superou alguns momentos de baixa e se tornou o maior artilheiro estrangeiro da história do clube, com 45 gols. Barcos foi um vários jogadores que deixaram o país nos últimos dois anos seduzido por uma proposta milionária do futebol chinês. No entanto, sua passagem pelo Tianjin Teda durou apenas uma temporada. E, depois de decepcionar no Sporting-POR, foi emprestado em agosto ao Vélez Sarsfield, time argentino pelo qual só marcou um gol nas primeiras nove partidas.

FELIPE BALOY
Zagueiro
35 anos
Panamenho
Grêmio: De 2003 a 2004
Monarcas (MEX)

P

P

Primeiro jogador do Panamá a disputar o Campeonato Brasileiro, o zagueiro ficou marcado por ter levado um chapéu em um Gre-Nal em 2004. Contratado pelo mexicano Monarcas desde 2014, vem sendo emprestado a vários clubes desde então. O último foi o Rionegro Águilas, time qual disputou o Campeonato Colombiano neste semestre. No começo da semana, Baloy antecipou o fim do seu empréstimo.

EDUARDO VARGAS
Atacante
27 anos
Chileno
Grêmio: 2013
Hoffenheim (ALE)
Vargas
Companheiro de Barcos no ataque do Grêmio, foi um dos destaques dos gaúchos em 2013, ano em que foi liberado pelo Napoli para atuar no futebol brasileiro. Vargas é conhecido por ser um jogador que faz mais sucesso na seleção do que em clubes. Artilheiro das duas últimas edições da Copa América, o chileno já fracassou nos campeonatos de Itália, Espanha e Inglaterra. Agora, trilha o mesmo caminho na Alemanha –é reserva do Hoffenheim.

CRISTIAN RODRÍGUEZ
Meia
31 anos
Uruguaio
Grêmio: 2015
Independiente (ARG)
Cristian
Aquele que era para ser o principal reforço do Grêmio no ano passado deixou o clube como a grande decepção de 2015. Afinal, sua passagem pelo Brasil só durou dois meses e míseras duas partidas. Após se contundir, pediu para ir embora. Ao fim do contrato com o Atlético de Madri, assinou com o Independiente. Ao longo de duas temporadas pelo clube argentino, ainda não conseguiu balançar as redes.


Mais de Cidadãos do Mundo

Nos anos 1980, lesão salvou astro peruano de acidente aéreo
5 garotos nascidos no ano 2000 que já estrearam em times adultos
Fifa quer que jogadores usem GPS no uniforme para denunciar impedimento
Diego Costa entra no top 10 da Chuteira de Ouro; russo ainda lidera